Transporte Público



Terminal da Zona Oeste, antes tarde do que nunca…

Temos uma boa notícia:

Depois de 2 anos de atraso, ontem  de manhã, começou a operar o novo terminal de Transporte Coletivo de Londrina, localizado no final da Avenida Leste-Oeste, sentindo Cambé. Vai atender cerca de 20 mil usuários em 15 linhas, algumas inter-bairros, outras ligando bairros ao Centro da cidade, sem passar pelo Terminal Central.tzo

Londrina ganha na mobilidade urbana. Os passageiros poderão chegar mais rápido aos destinos. Espero que a economia de tempo e combustível reflita no valor da tarifa. Até porque essas novas linhas certamente atrairão novos passageiros.

O Terminal da Zona Oeste é bem arrumadinho, ainda que tenha aspecto de uma grande ponto de ônibus. Quando chover bastante.. acredito que o povo vai tomar chuva.. Falta proteção lateral. Mas conta com banheiros, bebedouros, fraldário unissex

No site da CMTU você  poderá consultar mais informações sobre o TERMINAL DA ZONA OESTE.

Abaixo, você confere as principais mudanças dessas 15 linhas. Não vai se perder, nem se confundir com horários e e trajetos.

Novas Linhas

300 – T. Oeste/Centro; 316 – T. Oeste/Jd. Leonor; 350 – Expresso T. Oeste/T. Central; 807 – Diametral T. Oeste/Centro Cívico/Jd. San Fernando; 931 – Perimetral T. Oeste/Londrina Norte Shopping; 932 – Perimetral T. Oeste/T. Ouro Verde/Terminal Vivi Xavier e 933 – Perimetral T. Vivi Xavier/Jd. Vista Bela/T. Oeste/UEL/Shopping Catuaí.

Linhas com trajetos alterados

303 – T. Oeste/Jd. Tókio; 309 – T. Oeste/Pq. Ney Braga; 310 – T. Oeste/Jd. do Sol/T. Central; 311 – Jd. Sta. Rita/T. Oeste/T. Central; 312 – T. Oeste/Jd. Sta. Madalena; 313 – Jd. Sta. Madalena/T. Oeste; 810 – Diametral T. Oeste/Av. Tiradentes/Centro/Av. São João e 904 – Perimetral T. Oeste/UEL/Shopping Catuaí/T. Acapulco/Jd. São Lourenço; 410 – T. Central/Vila Nova (via Araguaia).

Linhas extintas

304 – T. Central/Jd. Sabará; 421 – T. Milton Gavetti/Jd. Santiago II; 701 – Rápido San Fernando/Centro; 902 – Perimetral T. Milton Gavetti/Av. Tirandentes e 912 – Perimetral T. Ouro Verde/UEL.

Principais mudanças

303 – Jd. Tókio: terá seu destino alterado do Terminal Central para o Terminal Oeste, em função de sua demanda. Mas deve ser destacado que os moradores das regiões atendidas com a linha 303 passarão a contar com a 808 – Diametral Jd. Bandeirantes/Jd. Tókio/Centro/Av. Robert Koch, que irá diretamente ao centro pela Av. Presidente Castelo Branco.

309 – Pq. Ney Braga: também terá seu destino alterado do Terminal Central para o Terminal Oeste, em função de sua demanda. Em razão desta alteração a linha terá a freqüência alterada nos horários de pico para oito minutos, permitindo que os usuários integrem com facilidade nas demais linhas que utilizarão o T. Oeste. O novo percurso atenderá os alunos da PUC no sentido de ida e volta.

310 Jd. do Sol: passará a atender os atuais usuários da linha 410 via Araguaia. Com a ampliação do trajeto e da demanda a linha contará com aumento na freqüência, passando dos atuais 30 minutos, para 17. Os usuários da linha 310 poderão integrar com as demais linhas que operarão no T. Oeste.

311 – Jd. Sta. Rita: Deixará de percorrer a rua Castanheira e a Av. do Sol, com objetivo de dar mais agilidade a linha, que servirá de conexão entre o T. Oeste e o Terminal Central. Os usuários que embarcam na rua Castanheira e Av. do Sol, passarão a utilizar a linha 316 – Jd. Leonor, que terá frequência de 08 minutos no pico, permitindo a integração com as demais linhas que operarão no T. Oeste. Com as alterações esta linha passará a atender os moradores da rua Athos Anzola, substituindo o atendimento feito pela linha 312.

312 – Jd. Sta. Madalena: também terá seu destino alterado do Terminal Central para o Terminal Oeste, em função de sua demanda. Em razão desta alteração a linha terá a freqüência alterada nos horários de pico para 12 minutos, permitindo que os usuários integrem com facilidade nas demais linhas que utilizarão o T. Oeste, incluindo a nova linha 300, que percorrerá pela Av. Tiradentes. Com as mudanças a linha passará a atender o mesmo itinerário no sentido de ida e no sentido de volta, com exceção da rua Athos Anzola, que passará a ser atendida pela linha 311. Os moradores das regiões atendidas pela linha 312, também poderão contar com as novas perimetrais 931 e 933.

313 – Jd. Sta. Madalena: terá seu destino alterado do Terminal Central para o Terminal Oeste, em função de sua demanda. Passará a contar com uma freqüência a cada 20 minutos durante todo o dia, permitindo que os usuários integrem com facilidade nas demais linhas que utilizarão o T. Oeste.

410 – Vila Nova (via Araguaia): Deixará de percorrer a rua Araguaia, que passará a ser atendida pela linha 310. A linha 410 continuará partindo do Terminal Central, atendendo os bairros próximos a Av. Leste-Oeste e a rua Tietê.

810 – Diametral Av. Tiradentes/Centro/Av. São João: Passará a atender o Cj. Ernani Moura Lima, possibilitando a integração com a nova linha diametral 808 na rua Maurílio Mazzer. Passará a ter como ponto inicial o T. Oeste, deixando de atender a PUC, que será atendida, nos dois sentidos, pela linha 309. Sua freqüência será alterada para 19 minutos.

904 – Perimetral Bandeirantes/UEL/Shopping Catuaí/T. Acapulco/Jd. São Lourenço: Passará a ter como ponto inicial o T. Oeste, servindo de importante meio de ligação entre as regiões oeste e sul, permitindo integração com universidades e com o Terminal Acapulco. A linha deixará de atender o Jd. Messiânico e de percorrer em um trecho da rua Serra dos Pirineus, passando a atender o Jd. Bandeirantes no sentido de ida e de volta.

Mudanças com as linhas suprimidas

304 – Jd. Sabará: Os horários em que esta linha percorria a Av. Arthur Thomas serão atendidos pela nova perimetral 933. E os horários em que a linha atendia o Jd. Sabará serão supridos pela perimetral 904.

421 – Jd. Santiago II: O itinerário e os horários desta linha foram assumidos pela nova perimetral 931, com a opção de integração no T. Oeste,

701 – Rápido Jd. San Fernando/Centro: O itinerário e os horários desta linha foram assumidos pela nova diametral 807, permitindo a integração com a Av. Maringá, com a Av. Tiradentes e com o T. Oeste.

902 – Perimetral T. Milton Gavetti/Av. Tiradentes: Operava em apenas 03 horários durante o dia. Este atendimento passará a ser operado pelas novas perimetrais 931 e 932.

912 – Perimetral T. Ouro Verde/UEL: Operava em apenas 05 horários durante o dia. Este atendimento passará a ser executado pela nova perimetral 932.

Com informações do site de Odiario.com.br

Comente aqui


Sobre a Reforma da Rodoviária de Londrina

Desde o ano passado, a prefeitura de Londrina tem demonstrado preocupação com as condições do Terminal Rodoviário da cidade. Sabemos que o projeto original da Rodoviária do município é do arquiteto Niemeyer e que sofreu modificações por conta justamente dos custos.  Agora faz mais de 20 anos que não é feita uma grande intervenção no prédio, que apresenta infiltrações, goteiras e alagamentos. RODO

Além da troca dos equipamentos, adequações do prédio,  a principal  necessidade é a substituição do telhado e sobretudo trazer para dentro do terminal rodoviário o embarque e desembarque dos passageiros que utilizam as linhas do transporte metropolitano, que hoje são feitos nos pontos de localizados na  Avenida Leste-Oeste, em frente ao Terminal de Transporte Coletivo.

A Companhia de Urbanização de Londrina  já encomendou estudos de revitalização e atualização de todo o terminal.  Os custos da modernização e reforma da rodoviária da cidade devem ficar em torno de 3 milhões de reais.

A reforma do terminal rodoviário encontra-se parada porque a prefeitura municipal não tem o dinheiro para tocar essa obra. Ela ainda aguarda uma resposta do Governo do Estado, para onde foi encaminhado o projeto de reforma e o pedido de recursos. Até agora, o governo estadual nem disse sim, nem não.te Coletivo.  Sãos cerca de 18 mil passageiros que se movimentam em 300 ônibus todos os dias.

Quero, pois, fazer uma sugestão o prefeito de Londrina. Comece o se movimentar para buscar esses recursos junto ao Governo Federal.  O Senhor conseguir dinheiro para o BRT junto ao PAC 2, será que também tem mais outras verbas para reformar nossa rodoviária.  E nesse ano eleitoral pode também forçar o londrinense no governo estadual a correr liberar recursos estaduais para essa obra. Nossa cidade precisa urgente dessa obra. O povo também. E não importa de onde venha o dinheiro para eformar nosso Terminal Rodoviário. Que os políticos londrinenses também ajudem o prefeito de Londrina a modernizar esse cartão postal de nossa cidade.

É isso ai…

Comente aqui


Bem-vindo BRT ou “Superbus londrinense”!!!

Boa notícia da semana. Prefeito de Londrina assina hoje  o convênio com o Governo Federal para a construção das linhas do BRT ( (Bus Rapid Transit ou Transporte Rápido por Ônibus) . Acabou o segredo que o Kireff estava mantendo até agora sobre o projeto do BRT londrinense.

Na verdade, mais ou menos, já que essa conversa do BRT nas terras veda5_01_min_fa-614951-4f6293bfbe274rmelhas existe desde o ano passado. Também o prefeito falou do tema no seu perfil nas redes sociais alguns dias atrás, numa consulta a respeito do nome a ser dado ao BRT de Londrina. O Prefeito pende para o Superbus, de cor vermelha, identificando-o com as cores da  bandeira londrinense e dos tradicionais ônibus de Londres.

Acho que o Superbus do Kireff vai ficar  vermelhão, ou vermelhinho, pelo povo.

De fato, o projeto do BRT é necessário e vai melhorar muito a mobilidade urbana em Londrina.  Serão 24 quilômetros de linhas exclusivas para ônibus, cortando a cidade de norte a sul, com 28 estações de embarque e desembarques, e também com bicicletário integrado.  Mais rapidez, segurança , modernidade e conforto para quem usa diariamente 0 transporte público.

Já tive a oportunidade de usar o BRT em Belo Horizonte. De fato, é muito bom. Desde o embarque em estações superpráticas e modernas, até a rapidez entre um ponto e  outro, em ônibus novos.

Esperamos que o BRT de Londrina tenha preço acessível. E não seja utilizado para justificar aumento de tarifas no transporte público na Cidade.

O  projeto todo do BRT deve ficar pronto daqui 3 ou 4 anos.  Vai gerar alguns transtornos no trânsito da cidade enquanto estiver sendo executado. Vi isso acontecer em Belo Horizonte. Acredito que as mudanças nas ruas e avenidas devem ser planejadas e comunicadas com antecedência, e bem sinalizadas para evitar muita confusão e acidentes.

Mas estamos dispostos a suporta com paciências os transtornos das obras do BRT londrinense. E que venha logo nosso Superbus, vermelho ou não. Londrina ganha com o BRT. A população mais ainda.

 

Comente aqui