Quinta-feira Santa



Festa da Ceia do Senhor

EVANGELHO: Jo 13,1-15
CEIA DO SENHOR

 

1Era antes da festa da Páscoa. Jesus sabia que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai; tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.

2Estavam tomando a ceia. O diabo já tinha posto no coração de Judas, filho de Simão Iscariotes, o propósito de entregar Jesus. 3Jesus, sabendo que o Pai tinha colocado tudo em suas mãos e que de Deus tinha saído e para Deus voltava, 4levantou-se da mesa, tirou o manto, pegou uma toalha e amarrou-a na cintura. 5Derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos, enxugando-os com a toalha com que estava cingido.

6Chegou a vez de Simão Pedro. Pedro disse: “Senhor, tu me lavas os pés?” 7Respondeu Jesus: “Agora, não entendes o que estou fazendo; mais tarde compreenderás”.

8Disse-lhe Pedro: “Tu nunca me lavarás os pés!” Mas Jesus respondeu: “Se eu não te lavar, não terás parte comigo”. 9Simão Pedro disse: “Senhor, então lava não somente os meus pés, mas também as mãos e a cabeça”.

10Jesus respondeu: “Quem já se banhou não precisa lavar senão os pés, porque já está todo limpo. Também vós estais limpos, mas não todos”.

11Jesus sabia quem o ia entregar; por isso disse: “Nem todos estais limpos”.

12Depois de ter lavado os pés dos discípulos, Jesus vestiu o manto e sentou-se de novo. E disse aos discípulos: “Compreendeis o que acabo de fazer? 13Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, pois eu o sou. 14Portanto, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. 15Dei-vos o exemplo, para que façais a mesma coisa que eu fiz.

Tanto amor nesta noite

o Senhor demonstrou

os pés dos seus discípulos lavou

Hoje também nos lava Jesus

Com seu Sangue redentor

A Eucaristia é nossa vida e Luz

sacramento de misericórdia, perdão, amor

Dá-me Senhor renovar minha fé

Todo meu viver transformar,

Sua Eucaristia, receber e testemunhar

com alegria, serviço e doação

para um mundo mais justo, santo, irmão  

Possa eu também avental usar

pegar bacias e tantos pés lavar

Que o Teu amor pela humanidade, meu Jesus.

torne-se conhecido pelo sacrifício meu

tal seja meu jeito de viver, todo Teu.

da Igreja e dos irmãos, servo fiel

Peço Teu Espírito Santo nessa missão,

alimente minha alma  com Teu Corpo e Sangue

Consola,conforta e fortaleça meu coração.

Sou caminhante, rumo ao Céu,  lá meu lugar é.

Vem também Maria comigo ficar.

Nesta jornada de amor, graça e benção, de fé.

Jesus hoje e sempre quero exaltar, louvar

e dar toda minha gratidão, meu coração, também.

a Eucaristia, fonte de vida, alegria, salvação. Amém.

 

Viva a Eucaristia.

Viva o Amor.

Viva Jesus, Deus Salvador. 

 

 

 

 

 

Comente aqui


Foi nos dado o exemplo nesta Quinta-feira Santa!

Evangelho: Jo 13,1-15  (Ceia do Senhor – Ano C)

1Era antes da festa da Páscoa. Jesus sabia que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai; tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.

2Estavam tomando a ceia. O diabo já tinha posto no coração de Judas, filho de Simão Iscariotes, o propósito de entregar Jesus. 3Jesus, sabendo que o Pai tinha colocado tudo em suas mãos e que de Deus tinha saído e para Deus voltava, 4levantou-se da mesa, tirou o manto, pegou uma toalha e amarrou-a na cintura.5Derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos, enxugando-os com a toalha com que estava cingido.

6Chegou a vez de Simão Pedro. Pedro disse: “Senhor, tu me lavas os pés?” 7Respondeu Jesus: “Agora, não entendes o que estou fazendo; mais tarde compreenderás”.

8Disse-lhe Pedro: “Tu nunca me lavarás os pés!” Mas Jesus respondeu: “Se eu não te lavar, não terás parte comigo”. 9Simão Pedro disse: “Senhor, então lava não somente os meus pés, mas também as mãos e a cabeça”.

10Jesus respondeu: “Quem já se banhou não precisa lavar senão os pés, porque já está todo limpo. Também vós estais limpos, mas não todos”.

11Jesus sabia quem o ia entregar; por isso disse: “Nem todos estais limpos”.

12Depois de ter lavado os pés dos discípulos, Jesus vestiu o manto e sentou-se de novo. E disse aos discípulos: “Compreendeis o que acabo de fazer? 13Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, pois eu o sou. 14Portanto, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros.15Dei-vos o exemplo, para que façais a mesma coisa que eu fiz.

ORAÇÃO PARA QUINTA-FEIRA SANTA

Bendito és Tu, oh Pai.  Teu Nome Santo seja glorificado pelos séculos dos séculos. Santo e poderoso Deus, que vem ao  nosso encontro, para nos salvar e libertar. Louvamos-Te pela Semana Santa,  semana do amor, da Tua misericórdia. Agradecemos, Senhor Pai amoroso, pela graça desse Tríduo Pascal, mistério do amor, de toda salvação a nós oferecida, sinal da esperança, esperança que vence todo mal e nos redime dos pecados. Honras e glórias a Ti, Pai das eternas misericórdia e bondade.

Jesus, neste dia, celebramos a Eucaristia como sinal mais eloquente do amor do Pai, que Tu conheces e nos revelastes com tanta verdade e força, nos Teus últimos dias. Teu Corpo e Sangue, oh Cristo, é mistério do amor infinito, entregue, ofertado, doado no Altar das Assembleias litúrgicas, memorial permanente do outro altar, a Tua cruz, sacrifício redentor. Ajuda-nos o Jesus, a receber a comunhão eucarística com grande zelo e devoção, esperança, alegria e fé. Suplicamos, oh Senhor, que esse Pão descido do céu, que és Tu mesmo, alimente nossa vida, sacie nossa fome de sentido dessa existência, sustente-nos nas lutas diárias e desafios da busca pela dignidade, justiça e verdade, paz e fraternidade nestes tempos tão difíceis da nossa história, com tanta violência, intolerância e corrupção. Oh Jesus, Teu Sangue derramado na Cruz, que recebemos na Santa comunhão, possa nos lavar, sarar, nossas feridas de nossa alma, curando-nos do egoísmo, do orgulho, da raiva, do pecado da gula, dos vícios, da mentira, da maledicência. Livra-nos, Oh  Senhor, da tentação de tudo aquilo que nos afasta da Eucaristia. Dá-nos graça da fé de adorar Teu Corpo e Sangue no Altar da Igreja e sempre desejar Te receber na comunhão, na Santa Missa. Graças e louvores sejam dados para sempre a Ti, Senhor.

É  maravilhoso, oh Santo Espírito, todos os anos celebrar a Quinta-feira Santa, noite da graça e do amor de Deus, mistério insondável da salvação de Deus que se faz pequeno novamente, na simplicidade do pão e do vinho. Clamamos que venha sobre nós com força, para que Tua unção nos fortaleça na fidelidade à Eucaristia que comungamos. Que nada nos separe Dela. Dá-nos Tua Luz, Espírito Santo, faze-nos ver, contemplar e imitar o gesto de Jesus Cristo, naquela Ceia derradeira.  Desperta em nós o desejo do serviço entre nós, com toda força do profetas de Deus, que promovem, defendem a propõe a fé, sem medos e melindres. Lava-nos com Tuas águas purificadoras de sentimento de superioridade, arrogância, autoritarismo que bloqueiam nossos corações, afastam da atitude de abaixar e lavar os pés uns dos outros. Sim, Espírito Santo, cremos que para lavar os pés dos irmãos é preciso se por ao seu lado, sair da zona de conforto e segurança, para amar e acolher quem se aproximar de nós. Vem nos renovar nessa Páscoa, Santo Espírito de Deus. Suplicamos-Te, dá-nos um coração eucarístico; queremos ser verdadeiros adoradores da Eucaristia que servem a Cristo no lava-pés do perdão e solidariedade, na doação e entrega a Jesus presente em cada pessoa que sofre, que hoje padece das dores do mal e do pecado do mundo.  Vem.. Vem.. Vem..

Santa Maria, mulher do serviço, mãe e adoradora da Eucaristia, Jesus Cristo. Em ti, oh mãe amada, Deus se fez carne para que pudesse sempre ser fazer Pão em cada Missa que celebramos, ser alimento para fracos e pequenos, peregrinos na fé que rumamos para o céu. Ajuda-nos a dar testemunho da Eucaristia que comungamos em nossas vidas, por uma vida santa e sadia, de amor e misericórdia. Santíssima virgem, libera tuas graças, tu que vivestes dos méritos de Cristo, desde tua concepção e agora habitas junto de Deus Pai. Pedimos pela tua intercessão que a Eucaristia se torne cada vez o fundamento de nossa vida de fé, da nossa cidadania, de nossas experiências familiares e profissionais, na ótica do serviço ao bem-comum da Igreja e da sociedade.  Maria, abaixe-nos para lavar todos pés, sujar nossas mãos, beijar e acolher os necessitados de nosso  tempo, sem preconceito.  E levanta-nos, nosso ser e olhar, abrindo nossa boca e coração, para contemplar e comungar a Eucaristia, que nos dá força e vigor, graça e coragem, sentido para para nossa e espiritualidade. Rogamos a ti, oh virgem bendita,  para que nosso coração seja cada vez mais puro e santo, indiviso, consagrado a Cristo, para receber o Corpo e Sangue do teu Filho,  Jesus Cristo.  Oh Maria, mãe da Igreja, todo povo é sacerdotal. Guarda e proteja com tua luz e graça aqueles que o Pai chamou para o ministério sacerdotal. Eles são os eleitos de Deus para dar Jesus ao mundo novamente, pela consagração eucarística, como o próprio Cristo quis naquela Última Ceia. Mãe, levanta os padres que se encontram caídos, sustenta os que estão em pleno exercício pastoral,  fortalece os que se acham cansados,  consola e conforta os que se ferem na caminhada, cuida de todo o clero com teu amor materno e nos dê tua benção. Ave-maria…

Comente aqui


Quinta-feira Santa. Jesus nos deu seu exemplo

Evangelho Jo 13,1-15. Celebração do Lava-pés e Instituição da Eucaristia

1Era antes da festa da Páscoa. Jesus sabia que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai; tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.
2Estavam tomando a ceia. O diabo já tinha posto no coração de Judas, filho de Simão Iscariotes, o propósito de entregar Jesus. 3Jesus, sabendo que o Pai tinha colocado tudo em suas mãos e que de Deus tinha saído e para Deus voltava, 4levantou-se da mesa, tirou o manto, pegou uma toalha e amarrou-a na cintura. 5Derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos, enxugando-os com a toalha com que estava cingido.
6Chegou a vez de Simão Pedro. Pedro disse: “Senhor, tu me lavas os pés?” 7Respondeu Jesus: “Agora, não entendes o que estou fazendo; mais tarde compreenderás”.
8Disse-lhe Pedro: “Tu nunca me lavarás os pés!” Mas Jesus respondeu: “Se eu não te lavar, não terás parte comigo”.9Simão Pedro disse: “Senhor, então lava não somente os meus pés, mas também as mãos e a cabeça”.
10Jesus respondeu: “Quem já se banhou não precisa lavar senão os pés, porque já está todo limpo. Também vós estais limpos, mas não todos”.
11Jesus sabia quem o ia entregar; por isso disse: “Nem todos estais limpos”.
12Depois de ter lavado os pés dos discípulos, Jesus vestiu o manto e sentou-se de novo. E disse aos discípulos: “Compreendeis o que acabo de fazer? 13Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, pois eu o sou. 14 Portanto, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. 15 Dei-vos o exemplo, para que façais a mesma coisa que eu fiz.

No mistério da Quinta-feira Santa, celebramos o dom do Pão da Vida. Jesus é a Nossa Páscoa. Somos peregrinos que esperam a volta triunfal do Senhor. E enquanto caminhamos para esse dia glorioso, celebramos a eucaristia, ação de graças pela  nossa salvação. Cristo é o pão do céu que nos alimenta em nossa nossa fé e no serviço fraterno da caridade entre nós. Deixou-nos seu exemplo: servindo a todos com gestos de amor, no perdão, na acolhida, na ternura, na partilha e na misericórdia, leva até o fim seu desejo de amor por nós. Doa sua vida para nossa vida e libertação. Lava nossos pés para também nos lavar de toda culpa e pecado com seu sangue derramado na cruz. Permanece conosco na Eucarística para nosso bem espiritual e fraterno, para nossa vida e salvação!

Não deixe de participar desse celebração logo mas a noite. Perto da sua casa, deve haver uma Igreja Católica. Procure saber o horário da missa de Lava-pés. Vem celebrar o amor, o ágape de Deus que nos envolve. Cristo quer ser amor na sua vida, Ele que o amor do Pai. 

Bendito seja esse Pão que vem do céu.  Louvado e adorado seja o Cristo Eucarístico. Honras e glórias sejam dadas ao Santíssimo Sacramento hoje  sempre.

Oh nova e Eterna Aliança selada por nós na Eucaristia. Oh Santa Ceia que nos ensina a amar e servir, adorar e partilhar.  Queremos honrar em nossa vidas Teu amor por nós, Senhor Jesus Cristo. 

Amor na forma mais simples. Amor “escondido” na humildade do pão e do vinho. Amor que atrair, fascina e envia a amar também. Salvação e libertação que nos livra do vaidade e do egoismo do mundo e do mal. Lava Senhor, nossa vida e corações. Torna-nos dóceis ao Teu Amor. 

Não nos permita viver Tua Ceia, Senhor, como um rito vazio. Dá-nos a graça de celebrá-la também como nosso sacrifício e esforço pessoal em Te servir no amor e no cuidado com Teu corpo eclesial, na pessoa dos irmãos. Todo culto divino, todo zelo com Teu Corpo Eucarístico  possa nos ajudar a criar a fraternidade entre nós, servindo-nos no Teu amor.  Amém. Amém. Aleluia

 
Comente aqui


Missa de Lava-pés. Papa celebrará com presos.

Esse é um costume bonito da Pastoral Carcerária Brasil afora. Celebrar Missa de Lava-pés com presos. A mensagem é uma só: servir aos mais pobres,abaixar-se para ficar na mesma altura para assim levantar quem sofre e padece atrás das grades. Fazemos isso como gesto profético, de denúncia da violência que mata e oprime, corrompe e denigre, dentro e fora das prisões. Beijar os pés dos encarcerados, abraçá-los, livra do medo e da solidão. Reabre a esperança e o amor.  Também irei celebrar quinta-feira Santa com os presos da Casa de Custódia, com a certeza de que mundo afora o mesmo gesto se repete, reforçado pelo Papa Francisco. 

Na Quinta-Feira Santa Papa lavará os pés de presos de Rebibbia

Prefeitura da Casa Pontifícia informou que o Santo Padre Francisco irá, no dia 02 de abril, Quinta-Feira Santa, aoNovo Complexo Penitenciário de Rebibbia para encontrar os presos desta prisão romana. Às 17h30, na igreja “Pai-Nosso”, celebrará a missa “in Coena Domini” durante a qual lavará os pés de alguns presos desta prisão e de algumas presas da vizinha Casa Penitenciária Feminina.

Fontehttp://bit.ly/1Ag8keB

A reportagem está publicada no sítio Vatican Insider, 11-03-2015. A tradução é de André Langer.

O capelão de Rebibbia, o Pe. Sandro Spriano, falou a respeito em uma entrevista que concedeu à Rádio Vaticano: “Estamos muito felizes porque o Papa acolheu o convite que lhe estendi quando nos encontramos em uma missa na Capela Santa Marta, em setembro do ano passado; ele nos havia dito que, na medida do possível, faria o possível para vir na Quinta-Feira Santa. O fato de que tenha mantido esta promessa, nos dá muito, muito prazer. É algo bonito. Vamos repetir a experiência de três anos atrás, com o Papa Ratzinger, em um contexto diferente e com uma pessoa diferente”.

Uma visita que terá, para os presos, um significado especial: “Sim, porque representa seguramente – observou o capelão – uma atenção importante da Igreja de Roma à sua condição particular. Digamos que são os mais desgraçados; neste caso, fazê-los ver que são filhos de Deus amados pela Igreja e, em particular, pelo Papa, é muito importante para eles. Além disso, será a primeira vez em que celebraremos com homens e mulheres presos. Por esta razão, as presas serão deslocadas da prisão feminina. Será algum muito bonito”.

Recordando a visita de Bento XVI, o Pe. Spriano comentou: “Um lembrança muito viva, porque na época houve uma conversa dos presos com o Papa; ele inclusive fez algumas confidências pessoais e foi algo verdadeiramente fraterno. Neste caso, a celebração terá uma solenidade diferente, mas o gesto do Lava-pés será o momento principal, não apenas liturgicamente; será um momento emotivamente belo”.

Em relação às expectativas pessoais, o capelão conclui: “Esta é uma visita estritamente pastoral. Necessitamos de alguém que venha para nos abraçar, que nos faça sentir parte da sociedade, que nos faça sentir cristãos de uma Igreja mais ampla, e não segregados. O Papa fará isso e nós o desejamos”.

 

Comente aqui


Tríduo Pascal: Santa Ceia do Senhor

Hoje a noite as comunidades cristãs católicas se encontram para celebrar a Ceia do Senhor.  È a primeira celebração dentro do Tríduo Pascal, no qual faz-se memória da Instituição da Eucaristia e do Ministério Sacerdotal.  Jesus faz a última ceia com seus Apóstolos e lhe dá o exemplo de como deve ser nossa vida de comunidade: Lava os pés dos apóstolos para que todos entendam que o serviço e caridade são as marcas dos Cristãos. images

Procure uma Igreja perto da sua casa. Participe, com fé e devoção. A Santa Ceia do Senhor é uma festa do amor.  Celebre com alegria. 

Comece bem esses três que irão marcar profundamente sua vida espiritual. Aproveite também para ficar um pouco mais na Igreja rezando, orando. Agradeça as bençãos. Louve pelas graças recebidas. E suplique com esperança. 

Deus te ama imensamente.

Comente aqui


Carta aos Padres

Marcador página Ano Vocacional frenteQuinta feira Santa é o dia em que Jesus Cristo Instituiu a Eucaristia e por conseguinte o sacerdócio. Não dá para pensar um sem o outro. A Eucaristia é o sentido do todo ministério sacerdotal, e não há Eucaristia sem o sacerdócio. Por isso, mais do que nunca dentro do Ano Vocacional em nossa Arquidiocese, é fundamental pedir e incentivar as vocações, para que a Eucaristia seja sempre presente em nossas vidas e comunidades.

Pe Joel, coordenador da Pastoral Presbiteral de Londrina, escreveu a todos os padres uma belíssima carta, falando justamente dessa relação estreita entre Eucaristia e Sacerdócio. Obrigado, e uma Semana Santa também a todos nossos padres.

Jesus ressuscitado está presente na Eucaristia. Alegrai-vos, aleluia!!! 

Confira a carta:

Quinta-Feira Santa, dia da Eucaristia e “nosso” dia por excelência.

 Querido irmão no ministério sacerdotal:

Antes de presidirmos o grande mistério da eucaristia na quinta-feira santa a Igreja nos convidou diante de todo o povo de nossa Igreja particular  a renovar nossas promessas sacerdotais renunciando a nós mesmos em função do povo a nós confiado e para continuarmos a distribuir os mistérios de Deus nos sacramentos, não impulsionados pelos bens materiais, mas pelo amor a Cristo em cada pessoa sobretudo aos que sofrem, na verdade somos convocados a irmos à periferia da existência humana. Nesta renovação, cremos que renovamos nosso elam vocional.

Nossa Igreja particular nos convoca a celebramos, estudarmos e refletimos durante um ano, sobre a vocação presbiteral, (no próximo ano o papa nos convoca a refletirmos sobre a vida consagrada) por este motivo nós da pastoral presbiteral queremos abraçar a você padre, bendizer a Deus pela sua vocação, Deus o chamou e você disse SIM, colocando todas as suas energias a serviço deste grande Dom, ser presbítero.

Pedimos, que, na eucaristia, sobretudo da quinta-feira santa, (renovemos nosso elam vocacional e ministerial) fale da sua vocação, conte resumidamente a história da sua vocação, de um pequeno testemunho do chamado e da sua alegria em ser padre, em ser um vocacionado, um batizado que foi pincelado por Deus no meio de seu povo para ser o seu ministro, o objetivo deste pedido é que você convoque outros para assumir esta mesma missão, sendo padre em nossa Igreja particular como presbítero secular. Convoque para o estágio vocacional dia 27 de abril no seminário Paulo VI, e reforce o convite para que toda comunidade reze durante este ano pelas vocações. “A vocação é a resposta de Deus providente à comunidade orante”(Puebla. 882).

Abaixo segue algumas reflexões de São[1] João Paulo II no ano 2000 aos sacerdotes:

Hoje, esta visita ao Cenáculo proporciona-me a ocasião para lançar um olhar de conjunto sobre o mistério da Redenção. Foi aqui que Ele nos deixou o dom imenso da Eucaristia. Aqui nasceu também o nosso sacerdócio.

Devemos meditar sem cessar o mistério daquela noite. Devemos em espírito voltar com frequência a este Cenáculo, onde especialmente nós, sacerdotes, podemos, de certa forma, sentir-nos  “de casa”. Poder-se-ia dizer de nós, relativamente ao Cenáculo, o mesmo que o Salmista diz a respeito dos povos para com Jerusalém: “O Senhor inscreve os povos no registro: este homem ali nasceu” (Sl 87,6). Vem-me espontâneo imaginar-vos nas mais diversas partes do mundo, com os vossos mil rostos, mais jovens ou de idade mais avançada, nos vossos diferentes estados de ânimo: em muitos, graças a Deus, estado de alegria e de entusiasmo, noutros, talvez de sofrimento, quem sabe de cansaço, porventura de desorientação. Venho até junto de todos para honrar aquela imagem de Cristo que recebestes na Ordenação, aquele “caráter” que marca indelevelmente cada um de vós. Ele é sinal do amor de predileção que envolve cada sacerdote e sobre o qual pode sempre contar para prosseguir com alegria, ou recomeçar com novo entusiasmo, na perspectiva de uma fidelidade sempre maior.

Por isso, apesar de todas as fragilidades dos seus sacerdotes, o povo de Deus continuou a crer na força de Cristo, que age através do seu ministério.

 Caros sacerdotes, deste lugar donde Cristo pronunciou as palavras sagradas da instituição da Eucaristia, convido-vos a redescobrir o “dom” e o “mistério” que recebemos. Para chegar à sua raiz, devemos refletir sobre o sacerdócio de Cristo.

O Cenáculo é precisamente o lugar deste “nascimento”. Aqui começou, para o mundo, uma presença nova de Cristo, uma presença que se produz ininterruptamente, onde quer que seja celebrada a Eucaristia e um sacerdote empreste a sua voz a Cristo, repetindo as palavras santas da instituição.

O fato de estarmos tão intimamente vinculados a este mistério é, para nós, simultaneamente motivo de alegria e fonte de responsabilidade. Queremos hoje tomar consciência disto com o coração repleto de estupor e de gratidão, e com estes sentimentos entrar no Tríduo Pascal da paixão, morte e ressurreição de Cristo.

Seria difícil encontrar um lugar que pudesse recordar melhor o mistério eucarístico e, ao mesmo tempo, o mistério do nosso sacerdócio.

Ao longo dos séculos, muitos sacerdotes encontraram nela o conforto prometido por Jesus na noite da Última Ceia, o segredo para vencer a sua solidão, o apoio para suportar seus sofrimentos, o alimento para retomar o caminho depois do desalento, a energia interior para confirmar a própria decisão de fidelidade. O testemunho, que temos de dar ao povo de Deus na celebração eucarística, depende muito desta nossa relação pessoal com a Eucaristia.

Redescubramos o nosso sacerdócio à luz da Eucaristia! Façamos com que as nossas comunidades redescubram este tesouro na celebração quotidiana da Santa Missa e, de modo particular, na Missa mais solene da assembleia dominical. Graças ao vosso trabalho apostólico, cresça o amor a Cristo presente na Eucaristia.

Do Cenáculo, envio-vos o abraço eucarístico. A imagem de Cristo circundado pelos seus na Última Ceia gere em cada um de nós sentimentos de fraternidade e de comunhão.

Daqui do Cenáculo, a todos vós, caríssimos Irmãos no sacerdócio, espiritualmente vos abraço e do fundo do coração vos abençoo.

Jerusalém, 23 de Março de 2000.

Carta de São João Paulo II aos sacerdotes.

Em Cristo sumo e eterno sacerdote.

Esperança e alegria

Pe. Joel Ribeiro Medeiros

Coordenador da pastoral presbiteral.

Londrina, Ginásio de Esportes Moringão

15 de Abril de 2014 – Missa dos Santos Óleos.


[1] O papa João Paulo é do clero secular e este mês será declarado santo para a Igreja universal.

Comente aqui