Sacramento do Matrimônio



Defensor do Vínculo e nulidade matrimonial

Nulidade matrimonial: Conheça o “defensor do vínculo”, parte essencial do processo

Por Bárbara Bustamante

 

Imagem referencial / Crédito: Pixabay (Domínio Público)

Comente aqui


Para quem quer se casar

5 conselhos para escolher com quem se casar

O mínimo a levar em consideração antes de decidir quem será a pessoa a passar o resto da vida com você

5 conselhos para escolher com quem se casar

Avanguard Photography CC

Uma das mais importantes decisões da vida é escolher a pessoa certa com quem compartilhar a vida. O portal Por tu matrimonio, site norte-americano dedicado ao público latino, listou algumas dicas para quem está pensando em se casar. Confira:

1. Não tenha pressa

Evite que a pressão de amigos ou parentes o faça tomar uma decisão equivocada. Para encontrar a pessoa certa com quem compartilhar a vida é necessário ter calma e tempo. Não se chateie com comentários maldosos e mantenha uma atitude positiva.

2. As aparências enganam

É natural que nos sintamos atraídos por pessoas bonitas, mas a beleza é pouco para manter um casamento. O que realmente permite que as pessoas compartilhem suas vidas são os valores em comum, sua capacidade de amar, sua inteligência.

3. Afinidades

O diálogo com o outro é uma importante forma de perceber se existe afinidade entre o casal. Quando gostos, valores e forma de ver a vida são parecidos, é grande a chance dos dois se darem bem num casamento.

4. Não exagere na expectativa

Não deposite as expectativas de sua própria felicidade em outra pessoa. Ser feliz é um estado que depende muito mais de nós mesmos e de nossa disposição em buscarmos a felicidade. Seu cônjuge pode fazer parte dela e compartilhá-la com você, mas nunca será a fonte desse sentimento.

5. Não existe príncipe encantado (e nem princesa)

Ninguém é perfeito. Por isso não seja tão inflexível na hora de avaliar o outro. Mesmo que estejamos sempre nos aperfeiçoando, há alguns hábitos ou traços da personalidade que a pessoa não vai mudar. Se isso não for prejudicial, por amor devemos aceitá-las e respeitá-las.

 

 

(via Sempre Família)
Comente aqui


Pense nisso antes de cometer adultério, trair

10 coisas que você deveria saber antes de trair

Baseado em depoimentos reais este artigo esclarece as consequências da traição para aquele que trai e prova a tese: “quem pensa não trai

Ouvir falar de traição passou a ser comum em nossa sociedade, toda semana temos notícias de celebridades que vivem essa situação, sem contar as pessoas próximas das quais presenciamos o sofrimento.

No meu trabalho como mediadora de conflitos convivo frequentemente com essa questão que abala os lares, destrói famílias e aniquila sentimentos.

1. Você será descoberto(a)

Impressionante como as pessoas acreditam que conseguirão guardar segredo, esqueça isso, pode até tardar, mas seus atos virão à tona. Não existe crime perfeito, traição também deixa vestígios reveladores.
2. Você não encontrará mais do que prazer momentâneo

Muitos dizem que buscaram fora do casamento a variedade e o prazer, mas que tudo não passou de grande ilusão. Esse é um entre vários relatos: “(…)todas as vezes era bom na hora, mais no minuto depois, eu já estava totalmente arrependido, mal comigo mesmo, pois sei que fiz uma coisa muito errada, não consigo me perdoar”.
3. Você vai causar grande dor

Segundo essa matéria: “Admitir que você esteja sendo traída ou traído é um dos sentimentos mais duros que um ser humano pode sentir”. Mas você não magoará apenas o seu cônjuge e sim toda a família; filhos e parentes próximos também sofrerão as consequências de seus atos.
4. A estrutura familiar sofrerá grande abalo

Uma família que enfrenta essa situação perde o prumo e se desorganiza totalmente. Revolta, tristeza, mágoa são as emoções que imperam. Crianças e adolescentes costumam apresentar problemas na escola e nos relacionamentos, muitos se tornam agressivos.
5. Não é fácil recuperar a confiança

A pessoa que trai passa a ser considerada um mau exemplo para todos e, se fosse diferente, as pessoas não procuram esconder tanto. Para recuperar a confiança do cônjuge você terá que se esmerar muito e provar com tempo e dedicação que realmente se arrependeu.

6. Sua fama de infiel influenciará outros relacionamentos

Não é só a família que perderá a confiança em você, outras pessoas se afastarão, pois ficarão receosas em conviver com você. Mesmo profissionalmente esse ato terá consequências negativas. Você já deve ter ouvido algo do tipo: “Se trai a mulher (ou o marido) imagine o que não é capaz de fazer com os outros”.
7. Você chegará ao “fundo do poço”

Uma pessoa que trai já demonstra problemas com a autoestima, mas as consequências da traição, mesmo antes de ser descoberta, são ainda mais danosas. Você terá culpa por ter sucumbido à própria fraqueza, se sentirá uma pessoa covarde e indigna.
8. Nada justificará o seu ato

Problemas no casamento? Insatisfação? Carência? As situações podem ser muitas, mas nada justifica a traição. Ninguém é obrigado a viver com outro, mas respeitar é questão de caráter.
9. Você quebrará o vínculo

Mesmo que vocês decidam manter o casamento, a quebra no vínculo já aconteceu, o relacionamento ruiu. Você terá que se esforçar muito para influenciar seu cônjuge na construção de um novo relacionamento, mais autêntico e satisfatório pra ambos.
10. Você terá que se perdoar

Para reconstruir a sua vida, mantendo o casamento ou não, a busca pelo autoperdão é imprescindível. Não é um caminho fácil, mas é o único que lhe trará a paz que você precisa para voltar a sentir-se íntegro(a) e capaz de edificar situações mais felizes.

O melhor a ser feito é buscar resolver suas insatisfações junto ao seu cônjuge, antes que elas se transformem em grande sofrimento para todos os que você ama.

Fonte: Familia.com
2 Comentários


Oração de restauração de casamentos

A poderosa oração que transformará seu casamentos em 2017

Se alguém lhe dissesse que há algo que você pode fazer para garantir que seu casamento dure a vida toda e que isso só lhe tomaria cinco minutos por dia, você faria? Bom, rezem juntos todos os dias, isso é tudo!

Casamento não é só um casal, mas uma trindade. A terceira pessoa é Deus e temos que permitir que Ele seja parte integrante dessa união para que ela seja saudável.

Existem muitas maneiras esplêndidas de rezar, mas eu lhes apresento uma oração transformadora para os casais que espero que levem em conta. Tenho visto resultados profundos em vários retiros de casais que eu tenho o privilégio de dirigir. Considere esta oração como um presente para você e para sua (seu) amada (o). Convido-os a rezar juntos.

Preparativos e conselhos

Lembrem-se de rezar lentamente, abraçados ou de mãos dadas e olhando nos olhos durante a oração. Pode fazê-lo! E não tenham medo de conversar um com o outro antes ou, melhor ainda, depois de orarem juntos. Basta falar por falar e estar presente um ao outro.

Sugiro que, durante a oração, os casais tentem se lembrar da primeira vez que se viram e do dia do casamento. Ele ou ela continua sendo a mesma pessoa.

A oração que transforma casamentos:

Querida Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo! Obrigado pelo profundo dom do sacramento do matrimônio. Obrigado pelo magnífico presente que é minha (meu) esposa (o), a quem Sua prefeita providência planejou para mim desde toda a eternidade. Permita que eu empre a (o) trate com realeza, com toda a honra, respeito e dignidade que ela (ele) merece.

Ajude-me, Senhor meu, a ser generoso em meu casamento, para dar tudo à minha (meu) esposa (o), sem esconder nada, sem esperar nada em troca, reconhecendo e agradecendo por tudo o que ela (ele) faz por mim e por nossa família. É muito!

Por favor, fortaleça e proteja nosso casamento, assim como todos os outros. Ajude-nos a rezar juntos todos os dias. Permita que confiemos em Ti todos os dias da forma que o Senhor merece. Por favor, faça que nosso casamento seja frutífero e aberto à Sua vontade no privilégio da procriação e no cuidado com a vida. Ajude-nos a construir uma família forte, segura, amorosa, cheia de fé, uma Igreja doméstica.

Querida Santíssima Virgem Maria, confiamos a ti nosso casamento. Acolha a nossa família sempre debaixo de seu manto. Temos plena confiança em ti, Senhor Jesus, porque sempre estás conosco e busca constantemente o melhor para nós, trazendo todo o bem, inclusive a cruz que o Senhor permitiu em nossas vidas.

Querida (o) (nome do cônjuge): Você e eu somos um. Prometo que sempre vou te amar e ser fiel, nunca te abandonarei, daria minha vida por ti. Com Deus e contigo em minha vida eu tenho tudo. Obrigado, Jesus! Nós te amamos.

O mundo precisa dos testemunhos de casamentos fortes e bonitos, está ansioso por esta luz. Devemos criar uma cultura que incentive o casamento e a família. Estas palavras devem ser ditas com reverência: O casamento e a família são sacramentos sagrados do Amor inestimável de Deus para o mundo.

“Assim, o que Deus uniu, o homem não separe”. (Marcos 10, 9-10)

Nunca permita que nenhuma pessoa ou qualquer outra coisa inferior a vocês lhes separe. Deus é com vocês, Deus é amor, o casamento é amor e o amor perdura sobre tudo o que vier, não chegará seu fim (Ler Coríntios 13, 7-8).

Sejamos agradecidos a Deus pelo dom de nosso cônjuge, somos chamados a ser um só agora e para a eternidade.

O senhor os abençoes e lhes faça um casamento santo no amor.

Comente aqui


Inspirações para rezar, orar pelo seu casamento

9 orações a Deus que farão seu casamento florescer

Se o seu casamento estiver passando por dificuldades, convide Deus para ser parte dele. Isso pode fazer toda a diferença.

O casamento pode ser uma coisa maravilhosa, especialmente quando um marido e uma esposa levam suas promessas a sério e realmente aprendem a amar, honrar e nutrir um ao outro. Mas, mesmo no melhor dos casamentos, haverá momentos em que os casais nem sempre concordam.

1. Orientação de Deus

Deus não apenas vê o cenário todo, mas também conhece o seu coração e o coração de seu cônjuge. Ele sabe o que vocês precisam e o que desejam. Ele conhece suas fraquezas e seus pontos fortes. Ele conhece os seus pensamentos e suas motivações.

Deus tem todo o conhecimento necessário para ajudar o seu casamento. Se você pedir sua orientação Ele pode ajudá-lo a saber que passos tomar para ajudar a fortalecer seu relacionamento com seu cônjuge. Peça orientação de Deus e ouça Seu espírito antes de tomar suas decisões.
2. Mais força

Você não tem que confiar em sua própria força para suportar as dificuldades que podem surgir em um casamento. Deus lhe fortalece e ajuda a realizar qualquer tarefa necessária. Ele pode dar-lhe a coragem para ter uma conversa difícil, a força para cuidar de um cônjuge doente, e a capacidade de superar mágoa. Deus pode lhe dar a força para superar quaisquer conflitos ou dificuldades que se encontram em sua vida.
3. Um coração compreensivo

Muitos conflitos surgem no casamento por causa da falta de compreensão. É difícil nos colocar no lugar dos outros, porque não somos eles. Nós não pensamos da mesma forma que eles e não tivemos as experiências que moldaram suas percepções. Devido a isso, é importante que, quanto estivermos pedindo ajuda a Deus, peçamos a Ele que nos dê um coração compreensivo. Precisamos da capacidade para compreender o nosso cônjuge, para que sejamos mais capazes de nos relacionar com eles.
4. Sabedoria

A sabedoria não é apenas ter conhecimento; é ser capaz de fazer bons julgamentos. Porque somos humanos, estamos constantemente fazendo julgamentos. Às vezes, esses julgamentos são injustos porque eles são baseados em nossas percepções, e não na realidade.

No casamento, é importante reunirmos todos os fatos antes de fazer qualquer julgamento. Isto requer uma comunicação real com seu cônjuge, onde vocês não tenham medo de ser honestos e abertos um com o outro. A comunicação aberta lhe dará o conhecimento, e ao orar por sabedoria, você será capaz de usar esse conhecimento para fazer julgamentos bons e justos.
5. Um espírito de paz

Contenção pode destruir qualquer casamento. Pedir a Deus por um espírito de paz lhe dará a capacidade de enfrentar o conflito sem a contenção. Lhe dará o desejo de corrigir o problema sem querer se vingar ou machucar o seu parceiro.

Quando você enfrenta disputas com um espírito de paz, você ouve melhor. Você também dá ao seu cônjuge a mesma oportunidade.
6. A disposição para ver o bem

Quando você está vivendo com alguém, é fácil começar a ver todas as suas falhas. É difícil, no entanto, ver as boas qualidades de uma pessoa, se você estiver constantemente focando no que há de ruim.

Peça a Deus para ajudá-lo a ver o lado bom em seu cônjuge. As boas qualidades se tornam seu foco e as coisas que incomodam você tendem a ficar cada vez menores. Assim como a lente de uma câmera, aquilo no qual você está focado se torna a sua realidade.
7. Uma atitude de gratidão

Demonstrar gratidão por seu cônjuge é uma das melhores coisas que você pode fazer por ele.

Todo mundo gosta de se sentir importante para alguém e conforme você demonstra sua gratidão por seu cônjuge, você mostra exatamente o que ele significa para você. Peça a Deus para ajudá-lo a mostrar gratidão, não só pelo que ele é, mas por aquilo que ele faz por você. Não só irá fortalecer seu relacionamento, mas você vai viver uma vida mais feliz.

Em todo casamento, haverá momentos em que seu cônjuge irá fazer algo que você precisará perdoar.

Também haverá momentos em que você irá precisar do mesmo perdão dele. A verdade é que, se você quiser que o seu cônjuge perdoe seus pontos fracos, é importante que você esteja disposto a perdoar os dele. Perdoar nem sempre é fácil, mas se você pedir ajuda a Deus, você terá a capacidade de perdoar e ser perdoado.
9. A capacidade de amar

O amor conserva o seu casamento. Quando tudo ao seu redor parece estar dando errado, é o amor que você compartilha com seu cônjuge que irá ajudar a ambos manter a calma. Vocês podem superar qualquer obstáculo juntos, desde que haja amor entre vocês. Quando seu casamento começa a ter dificuldades, peça a Deus, acima de tudo, para ajudá-lo a amar seu cônjuge.

Se você sentir que o amor se foi, peça a Deus para ajudar a recuperá-lo. O amor não apenas ajuda o mundo a funcionar; o amor é o coração do casamento.

Deus está pronto e disposto a ajudar o seu casamento. Com a sua ajuda, você pode não apenas fortalecer seu casamento, mas você pode também mudar a sua vida, e Ele está apenas a uma oração de distância.

Fonte: Familia.com
1 Comentário


Perguntas para antes do casamento

Namorados: 10 perguntas que vocês precisam se fazer antes de casar!

Há conversas que não podem ser deixadas para depois

Namorados: 10 perguntas que vocês precisam se fazer antes de casar!

Quando o Papa Francisco disse que uma grande parte dos casamentos sacramentais é nula, não foram poucos os católicos que admitiram já andar refletindo sobre essa mesma hipótese há muito tempo!

Trabalhando em aconselhamento familiar, entrevistando casais em crise e avaliando como e por que eles se casaram, é frequente perceber que, muitas vezes, marido e mulher consideraram o sacramento como uma simples bênção, mais como um costume social do que como uma realidade sobrenatural.

Diante da enorme quantidade de casamentos em crise, é o caso de nos perguntarmos se todos esses casais estão realmente “casados como Deus manda”. A resposta para a crise pode estar nisso mesmo, na falta de um entendimento real dos efeitos do sacramento para os cônjuges e para os filhos.

Além do desconhecimento do que é o matrimônio, outro problema generalizado que aparece entre as bases da crise matrimonial é o desconhecimento mútuo entre os cônjuges. Eles se casam porque estão apaixonados, e, quando a paixão se esvai, querem se “descasar”. Não sabem, simplesmente, o que fazer com essa relação que se tornou “estranha”.

Por tudo isso, juntamente com um denso reforço da catequese matrimonial prévia E posterior ao casamento, os esposo precisam de diálogo para prevenir e minimizar o risco dessas crises.

Nesses diálogos, há perguntas que precisam ser feitas com clareza antes do casamento – do contrário, o matrimônio poderia até ser nulo! Aqui vão 10 delas:

1. Compreendemos realmente o dom e o mistério do sacramento do matrimônio?

O matrimônio é um sacramento, ou seja, um sinal sensível e eficaz da graça. E qual é a graça própria do sacramento? O aperfeiçoamento dos cônjuges! Isso não quer dizer que o “foco” de um cônjuge seja aperfeiçoar o outro: quer dizer que cada cônjuge conta com a ajuda de uma graça especial de Deus, que é a graça própria do sacramento do matrimônio, para aperfeiçoar a si próprio em relação ao cônjuge. Todos querem se casar com seu par perfeito, mas muito poucos estão dispostos a se transformar no par perfeito para o seu cônjuge. Pois bem: é precisamente nisto que a graça sacramental ajuda!

2. Estamos realmente comprometidos?

O namoro é o tempo privilegiado de preparação próxima para o matrimônio. E essa preparação é para ser fiéis, amar e respeitar na saúde e na doença, na prosperidade e na adversidade, para sempre (ou, pelo menos, “até que a morte nos separe”). Esta vontade firme de assumir o compromisso para sempre deve ser tema de conversa obrigatória antes de se tomar a decisão de casar. Depois, quando vierem as dificuldades (e elas virão), haverá força para enfrentá-las graças ao alicerce firmado nessa primeira decisão: “Vamos superar, porque temos a determinação de perseverar em nosso matrimônio para sempre”.

3. Como está a nossa amizade?

Parece incrível, mas muito pouca gente vê o seu futuro cônjuge como “seu melhor amigo”. Há muitas ideias superficiais e infundadas sobre o suposto “risco” de que a amizade “apague a paixão”. Evidentemente, a amizade conjugal é um tipo especial de amizade, mas tem muitas características em comum com aquela amizade entendida em sentido “comum”: ela também precisa ser enriquecida todos os dias, cultivada mediante o diálogo, a atenção, a amabilidade, a confiança. E, depois do casamento, o cultivo dessa amizade conjugal tem que ser ainda mais intenso!

4. Quantos filhos queremos ter?

Tema crucial! E mais: como vamos educá-los? Como vamos formá-los na vida cristã? O que acontece caso não possamos ter filhos? Adotamos? Quantos? Essas perguntas também levam a outra igualmente essencial: a visão da sexualidade matrimonial.

5. Compreendemos a sexualidade dentro do matrimônio?

Pode ser um assunto difícil para alguns namorados antes do casamento, mas é fundamental! É preciso estudar, compreender e saber explicar os ensinamentos da Igreja a respeito da transmissão da vida. A série de catequeses de São João Paulo II que compõe a chamada “Teologia do Corpo” é extraordinária. Se não for possível conhecê-la a fundo, é necessário ao menos ler o que diz o Catecismo da Igreja Católica a respeito da sexualidade. Seu vínculo direto com a virtude da castidade também é algo essencial a ser entendido, pois é muito comum cair no erro de interpretar a castidade como ausência de uma sexualidade ativa: na verdade, a castidade é o modo cristão de orientar e viver a dimensão sexual humana, e não a negação do sexo. Esse entendimento é imprescindível para que não apenas se saiba esperar até o matrimônio a fim de exercer cristãmente a sexualidade conjugal, mas também para que se entenda como e para que esperar!

6. Como protegeremos o nosso matrimônio da infidelidade, da pornografia e das demais tentações relacionadas com a vivência da sexualidade?

A castidade conjugal pode e deve ser descoberta e cultivada antes do matrimônio, e falar dessas ameaças contra ela vai ajudar a prevenir e até a “blindar” o casamento. Vivemos em uma época hipersexualizada, que banaliza as relações afetivas e ataca o matrimônio com uma avalanche de pornografia da qual é praticamente impossível desviar-se por completo. O recurso frequente aos sacramentos e a conversa aberta e transparente como casal ajudam a enfrentar os ataques com menos risco.

7. Como lidar com as próprias famílias?

No Gênesis, nos Evangelhos e na Carta de São Paulo aos Efésios, a Bíblia repete esta ideia ao menos três vezes: “Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher”. Mantendo sempre o devido respeito e carinho pelos pais e familiares, uma saudável e equilibrada distância é necessária para cimentar a paz conjugal. Não se trata, obviamente, de abandonar os pais, mas de proteger a intimidade do casal diante de eventuais intromissões.

8. E as finanças?

Este é outro tema que costuma ser delicado, mas que, por isso mesmo, é preciso abordar antes do casamento para evitar conflitos. Se os noivos pretendem viver um projeto em comum, é preciso traçar conjuntamente o que querem priorizar com seus recursos materiais. Os recursos que serão dedicados à família são da família, não de cada cônjuge: cada um, portanto, precisará renunciar a determinados hábitos da vida de solteiro.

9. Como vamos reagir quando tivermos discussões?

É importante conhecer o temperamento e o grau de autocontrole tanto próprio quanto do futuro cônjuge. É preciso saber quais são os “índices” de rancor, destempero, violência, capacidade de perdão… Os desacordos vão surgir quase indefectivelmente na vida de casados, e, para superá-los, os dois cônjuges têm de saber ceder, escutando e compreendendo o outro – e compreendendo também as circunstâncias que podem levar aos desentendimentos.

10. Como vamos viver a nossa vida de oração?

“Família que reza unida permanece unida”. O diálogo entre os cônjuges será tanto mais sólido quanto mais sólido for o seu diálogo com Deus, tanto pessoal quanto de casal. E é muito importante acostumar-se desde o namoro a conversar juntos com Deus. Quanto mais perto estiverem de Deus, mais perto os cônjuges ficarão um do outro. Ao se fomentar a vida de oração, a participação na Santa Missa e uma vida plena de integração na Igreja, a casa da nova família se transforma na “Igreja doméstica” em que os filhos consolidarão uma fé segura e forte – e os pais deles também!

Fonte: Aleteia
Comente aqui


Nunca faça isso no seu casamento

Os 10 “nunca” do casamento

Decálogo sobre situações que podem machucar o casal (e como evitá-las

pareja amor - pt

 

Na relação conjugal, existem várias situações que, ao invés de ajudar o casal, acabam criando feridas, que no começo podem parecer insignificantes, mas, com o tempo, chegam a se tornar muito nocivas.

Apresentamos, a seguir, a recopilação de 10 situações que precisam ser evitadas no casamento:

1. Nunca fale mal do seu cônjuge com ninguém

Roupa suja se lava em casa, diz a sabedoria popular. É melhor que os problemas sejam dialogados e resolvidos entre os esposos. Envolver terceiros pode complicar as coisas, pois, ainda que a tempestade passe, os membros da família sempre lembrarão dela ou, pior ainda, tomarão partido de forma pouco objetiva.

A comunicação sincera e oportuna é a melhor solução. Se o que você busca é um conselho, é melhor procurar alguém neutro, de fora da família, preferencialmente um assessor espiritual, terapeuta familiar ou algum casal com mais experiência e capacidade de orientação.

2. Nunca fale nem pense no singular

A partir do momento em que ambos disseram “aceito”, tornaram-se uma só carne e uma só alma. Isso implica em compartilhar os bens materiais, razão pela qual é preciso pensar sempre no plural ao tomar decisões, especialmente as que envolvam dinheiro.

Da mesma forma, a linguagem deve ser coerente com este compromisso, ou seja, falar no plural quando se referem a projetos ou atividades comuns: nossa casa, nosso carro, fomos passear, decidimos deixar isso para depois etc.

3. Nunca grite

Os gritos são uma falta de respeito que deteriora as relações, não são próprios da linguagem do amor. Existem outras formas de expressar os desacordos e as diferenças. Além disso, não é este o exemplo que querem dar aos seus filhos. Com que autoridade lhes pedirão que não gritem com seus irmãos, colegas ou inclusive pais?

4. Nunca durma sem terminar uma discussão

Às vezes, a indiferença e o silêncio parecem resolver os problemas, mas isso não é verdade. A melhor ferramenta é a comunicação oportuna, quando ambos têm seus pensamentos claros e frios.

Ainda que seja preciso dedicar um tempo a refletir antes de falar, não se pode deixar que a discussão continue no dia seguinte, pois pode piorar as coisas.

Os esposos são uma equipe e precisam trabalhar juntos para resolver seus problemas: sem culpar e agredir um ao outro, mas aprendendo a ceder muitas vezes.

5. Nunca deixe de dar seu feedback ao outro

Em alguns casos, os grandes conflitos são consequência da repressão de pequenos incômodos vividos no dia a dia. Quando algo do seu cônjuge lhe incomodar (um gesto, palavra, comportamento etc.), comunique isso a ele de imediato e, juntos, busquem uma saída. Solucionar as coisas a tempo impede que alimentemos rancores e que os problemas se tornem maiores do que são na realidade.

6. Nunca coloque seus filhos antes que seu cônjuge

Ainda que os filhos exijam atenções e cuidados por parte dos pais, é preciso ter claro que a prioridade é o casal. Se o casal esta bem, os filhos também estarão. A harmonia entre os esposos gera um ambiente estável e feliz para os filhos.

7. Nunca discuta na frente dos seus filhos

Os filhos devem ser um fator de união no casamento. Uma briga na frente deles pode gerar insegurança nos pequenos, além de ter efeitos a longo prazo, como agressividade, ansiedade e depressão. Se for preciso discutir alguma coisa, é importante guardar as palavras para depois, buscar o momento e lugar adequados.

8. Nunca perca o romantismo

O romantismo é um dos maiores aliados do casal para manter o amor vivo ao longo dos anos. É por isso que os cônjuges precisam buscar tempos para estar sozinhos, sem os filhos. Cada dia deve estar repleto de detalhes para voltar a conquistar o cônjuge, ressaltando suas virtudes, e não seus defeitos.

9. Nunca entre em conflito com a família do cônjuge

A relação com a família do cônjuge é a pedra no sapato de muita gente. Mas, mesmo nos casos nos quais, por diversas razões, não é possível uma fraternidade com a família do cônjuge, é preciso conservar um mínimo de cordialidade e respeito, pelo bem de todos.

10. Nunca se esqueça de Deus

Finalmente, o mais importante: colocar Deus no centro da vida matrimonial e familiar. Quando Deus está presente na vida cotidiana e em todas as decisões, certamente o amor reina no lar.

Fonte: LaFamilia.com
1 Comentário


A vida conjugal na prática

13 fatos sobre o casamento que ninguém conta

A verdade é que grande parte das pessoas inicia uma família com uma mochila cheia de falsas esperanças, crenças irracionais, mitos e falácias que não correspondem à realidade

couple silence

Voyagerix

Vivemos um tempo em que a preparação acadêmica e para o mercado de trabalho caminha a passos largos, enquanto a orientação sobre relacionamentos, a organização do lar e a criação dos filhos ficam sem maiores explicações. O fato é que grande parte das pessoas inicia uma família com uma mochila cheia de falsas esperanças, crenças irracionais, mitos e falácias que não correspondem à realidade. De acordo com um artigo publicado no portal La Familia, se os casais recebessem orientação adequada, as taxas de divórcio e, consequentemente, o sofrimento humano que ele traz para o casal e os filhos seriam consideravelmente reduzidos.

Abaixo estão algumas verdades que ninguém conta sobre a vida de um casal, um pequeno manual que pode ajudar a entender o que é normal e até necessário para um relacionamento durar:

1. Amor e convivência se aprendem

Ninguém nasce sabendo. Precisamos aprender a pensar em fazer o outro feliz em vez de medir o que o outro faz para você, para renovar a ilusão, para se comunicar, sem ferir seus sentimentos, para discutir, negociar, para gerir as nossas emoções de forma construtiva. Apesar de ser extremamente importante, não aprendemos sobre isso. Pelo contrário, recebemos informação da televisão e da mídia com uma boa dose de sexo sem compromisso, infidelidade e todos os tipos de mitos e falácias sobre o que é amor autêntico e generoso.

2. Não confunda amor verdadeiro com a paixão e a insanidade temporária inicial. “Estar apaixonado é uma fase da relação e não dura para sempre.”

Esses incêndios podem durar entre dois e quatro anos. As pessoas que apenas querem viver esse tipo de relacionamento são forçadas a mudar constantemente de parceiros, experimentando a dor e a solidão em cada ruptura até que um novo parceiro reapareça no horizonte.

3. O amor cresce com tempo e esforço

Aprenda a construir e manter um amor. Nós compartilhamos a ideia errada de que, se as coisas correrem bem, é porque estamos apaixonados e, se temos dificuldades, significa que não estamos. Outro equívoco é que o amor é mensurável e você sempre tem que ter a medida máxima para que ele dure. A realidade é que o verdadeiro amor cresce com tempo e esforço. Seu relacionamento é como um jardim que precisa de atenção e cuidado e, se você fertilizá-lo, regá-lo e arrancar as ervas daninhas, ele vai florescer ao longo da vida. Quando você parar de cultivar seu relacionamento, ele começará a murchar.

4. Não espere que seu parceiro atenda a todas as suas necessidades

A única pessoa que pode fazer você feliz e encher a sua vida é você mesmo. Não finja que o outro faz isso por você. E somente se você for capaz de atender às suas necessidades e viver uma vida plena, você será capaz de fazer a outra pessoa feliz.

5. Não é a todo momento que você vai se sentir atraída por seu parceiro

Embora saibamos que a falta de atração no casamento possa aparecer em um momento ou outro, não significa que tudo acabou. A mídia constantemente nos bombardeia com mitos e falácias sobre o que é amor, e a maioria das pessoas não tem outra fonte de informação. Uma das falácias mais comuns que nos dão é que, se você não se sente tremendamente atraído pelo seu parceiro, isso significa que você está com a pessoa errada. Viver juntos nos faz ver o nosso parceiro em muitas situações diferentes.

6. Os períodos de indiferença são parte do verdadeiro amor

Um mito muito comum é pensar: “Nos conhecemos, nos apaixonamos e por isso vamos viver felizes para sempre”. Esse modelo esconde de nós uma parte essencial: desgosto. E, se você não experimentar esses momentos em uma fase de paixão, isso não significa que tudo está acabado. Isso significa que você pode dedicar tempo e energia para melhorar seu relacionamento: interesses comuns, fazendo coisas que vocês gostan juntos. Mesmo se você não tiver uma paixão, não significa que seu relacionamento está morto ou condenado. Algumas pessoas experimentam com mais frequência do que outros, e não há absolutamente nenhuma correlação entre experimentar uma fase de paixão com o sucesso de um relacionamento.

7. Tenha em mente que você vai passar por uma crise, mas ela pode ajudar a crescer e a fortalecer vocês como um casal

Sabendo que esta é a melhor maneira de se preparar para isso, você não levanta a guarda. Faz parte da vida. Não pense que tudo acabou, é hora de testar o amor e os pontos fortes.

8. Não espere sentir. Primeiro vem o comportamento e, em seguida, a emoção

O que não é usado é perdido, mas não espere sentir afeto ou desejo para se envolver em relacionamentos íntimos com seu parceiro ou para expressar seu amor. Comece a praticar ambos, e seu amor e saudade pelo outro se multiplicarão. Há momentos em que o estresse do trabalho e da vida cotidiana, o cuidado com as crianças ou sofrimento emocional decorrentes da educação de adolescentes afogam ambos os sentimentos. Mas não deixe morrer, procure tempo para estarem juntos e maneiras de reviver bons momentos.

9. O sexo é um ato sagrado de dar e receber

A falta de educação sexual adequada e emocional é outra falta do nosso currículo. Aprendemos com a mídia, os pares e, agora, cada vez mais, com a pornografia, que o sexo é algo usado para a autossatisfação, a aprovação ou a segurança. Sexualidade saudável não é nada disso. O sexo é uma expressão de amor, um ato de conexão, onde é praticada a arte e a habilidade de dar e receber.

10. O casamento é projetado para ajudá-lo a crescer

O casamento não é “felizes para sempre”, o lugar de descanso, de felicidade eterna. O casamento é uma das maneiras mais desafiadoras e gratificantes que podemos realizar como seres humanos. É a oportunidade diária para desenvolver a melhor versão de nós mesmos, o amor, a generosidade, senso de humor, inteligência emocional, compaixão, perdão e muitas outras virtudes com as quais nascemos. Infelizmente não nos ensinam, mas a grande notícia é que podemos aprender! É a melhor maneira de viver.

11. Os modelos que tivemos influenciam em nossa maneira de nos relacionar com o outro

Se você teve a sorte de crescer em um casamento saudável, é muito mais provável que naturalmente tenha aprendido os princípios e ações necessários para um casamento bem sucedido. Mas, se você testemunhou um casamento caracterizado pela crítica, disputas, raiva, ressentimento ou maus tratos físicos e verbais, você terá que lutar para deixar para trás esse modelo. Não é uma tarefa fácil, mas apenas porque requer esforço não significa que você esteja com a pessoa errada.

12. Vida com crianças pequenas é muito cansativa e estressante

Ter filhos é uma das coisas mais maravilhosas que você pode fazer. É um investimento para o futuro. Mas você tem que saber que é uma fonte de estresse e discórdia, mesmo no melhor dos casamentos. É importante encontrar tempo para cuidar do relacionamento do casal. Pertencer a um grupo de apoio a casais ou frequentar uma escola para pais pode ser maravilhoso para aprender como os outros estão enfrentando os mesmos problemas e ver que não estão sozinhos nisso.

13. Em algum momento de sua vida de casada, outra pessoa por quem você se sente atraída vai aparecer

Você simplesmente se sentir atraído por outra pessoa significa que você está vivo e você é um ser humano. Existe o perigo de isso acontecer com pessoas que normalmente tentam (colegas de trabalho ou qualquer outra atividade). Quando você percebe que isso acontece, não se deixe arrastar pela nova pessoa, não abra uma janela para deixá-la entrar (não diga seus problemas). Não se engane em pensar que vai controlá-lo achando que, se você tem um bom relacionamento, isso não vai acontecer. Isso ocorre apesar de ter um bom casamento. Mas, se você continuar a cultivar um relacionamento com essa pessoa sem perceber, ele se tornará o foco prioritário de seu interesse e seu parceiro vai sempre perder pontos.

Fonte:  Sempre Família
Comente aqui


Orações para o casamento feliz

5 orações que seu casamento precisa

Aí estão cinco orações mais que necessárias nestes dias em que o mal trabalha a mil para destruir casamentos e famílias.

Se vocês desejam ter um casamento abençoado e feliz, apesar de toda a oposição, não deixem de incluir estas súplicas em suas orações diárias:

1. Capacidade de resistir à tentação de trair

Portanto, é imprescindível rogar a Deus por força para resistir a tentações que podem resultar em traição, seja física ou emocional.

2. Maior capacidade de perdoar e pedir perdão

Dar e receber perdão é fundamental em um relacionamento saudável e feliz. Só que, às vezes, é bem difícil pedir perdão quando pensamos estar com a razão. E é muito fácil ficarmos magoado diante de algo que não gostamos.

É preciso engolir o orgulho para perdoar sem reservas e para pedir perdão, mesmo quando não somos culpados. Só mesmo com a ajuda de Deus é possível chegar a esse nível de humildade.

3. Que o amor entre vocês se fortaleça

Marido, peça ao Senhor que lhe dê olhos espirituais para enxergar além dos atributos físicos de sua mulher. Mulher, ore para que o Senhor lhe dê capacidade de amar seu marido apesar de suas imperfeições. Orem a Deus pedindo sabedoria para tomar decisões diárias que fortaleçam o amor entre vocês.

O egoísmo é o mal maior dessa geração. Por estarmos tão concentrados em satisfazer às nossas vontades, acabamos nos tornando indiferentes em relação às necessidades do outro. Então, orem de todo o coração para que o Senhor os ajude a vencer o egoísmo. Peçam, também, a capacidade de colocar as necessidades de seu cônjuge acima das suas.

5. Agradeçam por terem um ao outro

Quantas vezes vocês já oraram: “Senhor, sou tão grato(a) por ter essa pessoa maravilhosa ao meu lado. Sinto-me tão abençoado(a) por tê-la como marido/mulher!”? Agora imaginem fazer essa oração em voz alta, ajoelhados ao lado da cama de mãos dadas um com o outro. Não somente Deus irá se rejubilar com essa oração, mas seu cônjuge ficará muito emocionado e tanto quanto grato por ter você.

Aí estão cinco orações mais que necessárias nestes dias em que o mal trabalha a mil para destruir casamentos e famílias. Supliquem por essas coisas em suas orações pessoais e com seu cônjuge. Apesar de o Senhor conhecer suas necessidades, Ele quer ouvi-los pedindo. “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á.” (Mateus 7:7,8)

Fonte: Familia.com
Comente aqui


As declarações do papa sobre nulidade matrimonial

A pedido do Papa, Vaticano esclarece declarações de Francisco sobre matrimônios nulos

Papa Francisco / Foto: Daniel Ibáñez (ACI Prensa)
Comente aqui