Paiçandu: filho que cresce sem pai e mãe

Por Rosinéia Diana Balbino
“As vezes evito dar minha opinião sobre as coisas, principamente sobre o estado em que se encontra nossa cidade, mas tem coisas que acontecem que não dá para não manifestar.
Primeiro quero falar sobre o aumento de vereadores.
Mesmo com a maioria da população sendo contra o aumento do número de vereadores na Câmara Municipal de Paiçandu, alguns vereadores voltaram atrás e aprovaram.
 
Isso mostra mais uma vez que a população é o que menos importa para os vereadores.
 
Segundo, a cassação do prefeito por conta do lixo, na mesma semana da aprovação do aumento do número de vereadores.
Tirando assim o foco de uma coisa e levando para outra.
O que vota a favor do aumento do número de cadeiras é o mesmo que vota para cassar o prefeito.
Deixa assim de ser o vilão e passa a ser o mocinho.
Não estou aqui para defender prefeito e muito menos para condenar esse ou aquele vereador, sobre as decisões que tomam.
O que quero dizer é que a população que elege não é ouvida e muito menos respeitada.
Cassar prefeito em véspera de ano eleitoral é muito fácil, difícil foi fazer antes, onde cada um cuidava de seu próprio interesse.
 
O único interesse que não é levado em conta é o da população. 
 
Aumentar para 13 ou ficar 9 não vai adiantar, se a política desta cidade não for feita por quem realmente tem interesse de mudar alguma coisa.
O que vejo é que mais quatro anos estão se passando e Paiçandu parada no tempo.
Só não está mais parada porque o progresso chegou ao inevitável, não tem mais como negar o crescimento, cresce por si só, como se fosse filha sem pai e nem mãe. De um jeito ou de outro a vida segue e é crescimento natural.
Fico imaginando o quão seria maravilhosa essa cidade se realmente os que foram eleitos para tal proposta realmente fizesse alguma coisa.
Dar nome pra rua, aumentar número de cadeiras e cassar prefeito, não estaria nas pautas das reuniões.
 
O que fica é a esperança da realização dos sonhos e de que tudo isso um dia vai mudar

8 comentários sobre “Paiçandu: filho que cresce sem pai e mãe

  1. Ivan Prina 25 de setembro de 2011 08:50

    Na verdade quem se elege em Paicandu, nao tem interesse de melhorar a cidade, e sim o interesse de melhorar de vida, seja pelo status, seja pelo poder ou seja pelos salarios e beneficios que cada cargo lhe proporciona.

  2. Cristina 25 de setembro de 2011 10:40

    Concordo. Não precisamos de vereadores para dar justificativas, justificativas, justificativas…E se foram 4 anos.

  3. anônimo 25 de setembro de 2011 13:38

    Li seu comentário e não poderia deixar de registrar também, a minha opinião.O que vejo aqui nesta cidade é uma total falta de honra: para ser representante do povo temos primeiro que saber honrar esta incumbência.A humildade de nos considerarmos representantes do povo é que nos ajuda nesta árdua tarefa; O povo daqui de Paiçandu é constantemente traído e usado, já que os pulhas em quem votaram não os ouvem e nem sequer os respeitam, pois se consideram melhores, maiores e mais inteligentes;O episódio em que a população foi à câmara para impedir a aprovação do aumento do número de despreparados para a função demonstrou o que os nada nobres representantes de suas próprias vaidades e não do povo pensam sobre a população que já não se considera representada naquela casa.Tivemos tristes demonstrações de ira infundada : ninguém é obrigado a acatar o que uma determinação insana manda se pode deixá-la na gaveta, quieta. As pessoas tiveram que ouvir que não lemos, de uma pessoa que mais ou menos sabe ler o rótulo da pinga que toma. Francamente, o afastamento deveria ser para todos. Num sentido positivo, isto serve para peneirarmos quem queremos e podemos colocar como vereadores nas próximas eleições.

  4. anônimo 25 de setembro de 2011 14:10

    Diante de tudo que vemos nos últimos dias e os últimos acontecimentos o que temos a fazer é lamentar o arrependimento.
    Confiamos em quem não merece um pingo de confiança.
    Começando pelo vereador que quem direitos políticos cassados e terminando no vereador que só não vai bêbado para reunião da câmara porque ela acontece em uma segunda, quando a maioria dos butecos da cidade estão fechados.

  5. anônimo 25 de setembro de 2011 14:29

    Não podemos deixar de lembrar que a vereadora que representa e ferra um Distrito inteiro, que deveria se chamar maria vai-com -as-outras não tem voz ativa, representatividade, nem sequer se dá o respeito de abrir a boca para defender a opinião dos que a elegeram. Deveria por a mão na consciência e pedir para sair. Só não vai fazer isso porque está lá pelo salário.Affff…
    Lembrando também do presidente da câmara ( Deus nos ajude)e seu fiel escudeiro que não é NNeves, mas é … que em uma sessão era a favor, quando o povo se rebelou foi contra, quando o povo faltou, votou a favor do aumento do número de vereadores…: faltou caráter aí, não foi?

  6. Cesar 26 de setembro de 2011 15:39

    Mais uma vez, temos a prova, de que a população é traida, e é a ultima a saber do que a câmara aprova ou não aprova.
    A questão é, diante de tantas irregularidades, falcatruas, tanta gente se dando bem($), no paço municipal, e a população tem que ficar calada, será que não é hora, de fazermos algo em comum.
    Para se relembrar, algum tempo atrás o nosso dignissimo perdeu uma verba milionária, por incompetência própria, de não saber contratar, pois essa verba que seria utilizada para asfaltar o jd b vista.
    O assunto voltou a ser mencionado por um deputado, e o que cabe ao prefeito, era montar a capacidade de endividamento que paiçandu tem, mas até agora nada, A VERBA ESTA INDO POR ÁGUA ABAIXO, IGUAL AO ASFALTO DE NOSSA CIDADE, QUE TAMBÉM ESTA INDO EMBORA.
    VLADÃO ESSE DINHEIRO NÃO SAIRA DO SEU BOLSO, ENTÃO PORQUE O SR, NÃO FAZ O QUE É SEU DEVER, MONTE PELO AMOR DE DEUS ESSA CAPACIDADE, POIS PAIÇANDU PRECISA.

  7. André 27 de setembro de 2011 00:32

    Como já é de praxe na cidade de Paiçandu o afastamento de prefeito, no qual ele fica 3 anos, então proponho mandato igual da câmara de vereadores, a cada 2 anos.
    Nos 2 primeiros o prefeito, e nos outros 2 o vice.
    assim os vereadores não enjoam, pois muda-se os vereadores mas não muda-se a prática de afastamento.
    Outra coisa, já que os prefeitos só fazem melhorias no ultimo ano, sendo da forma que eu citei acima, a cada 2 anos Paiçandu prospera.
    É por tudo isso que eu defendo a NÃO reeleição em hipótese alguma.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.