Em menos de um ano de Aula de Violão este aluno já está tocando diversas músicas…

Este é o Junior, um aluno que, mesmo sem muito tempo de se dedicar ao violão em casa, está evoluindo rápido! Em menos de um ano já está tocando diversas músicas… Esse é um exemplo de persistência!…

#AulaDeViolão #EscolaDeMusicaPauloSantana

Comente aqui
 

Ovo de Hermeto Pascoal por Paulo Santana Violeiro

Ovo de Hermeto Pascoal por Paulo Santana Violeiro… Inscreva-se no meu canal do YouTube clicando no link abaixo:

https://www.youtube.com/user/pauloviolable

Comente aqui


Esse é o Aluno Geovane, começou a estudar Viola esses dias e já está tocando assim!

Quando o aluno realmente gosta do instrumento que está estudando, se dedica e persiste, o resultado só pode ser este!…

Esse é o Geovane, aluno dedicado, persistente, paciente e muito gente boa!…

Com pouco tempo de estudo, começou do zero, e já está tocando assim!…

 

Venha fazer parte da ESCOLA DE MÚSICA PAULO SANTANA em Maringá-PR

Cursos:

– Viola Caipira
– Violão
– Guitarra
– Canto
– Acordeon

E muito mais!

Entre em contato conosco pelos meios abaixo:

(44) 3224-4926 / (44) 9962-3234

[email protected]

http://www.escolademusicapaulosantana.com.br

Clique no link abaixo ou no ícone do canto direito inferior do vídeo e inscreva-se no Canal do YouTube do Violeiro Paulo Santana!

https://www.youtube.com/channel/UCsWEJTtJpsW8EUMCdRhJ_MQ

 

 

Comente aqui
   

É nesta segunda, dia 14/08/17, às 20h, AO VIVO, no nosso Programa Encontro de Violeiros

É nesta segunda, dia 14/08/17, às 20h, AO VIVO, no nosso Programa Encontro de Violeiros, pela rádio UEM FM, 106,9, em Maringá, e também pela rádio Boa Nova FM 103,7 de Belo Horizonte-Minas Gerais… Acompanhe também a transmissão, ao vivo, pela página do Carlos Ferlin​

Comente aqui


É DIFÍCIL APRENDER A TOCAR VIOLA?

É DIFÍCIL APRENDER A TOCAR VIOLA?

Depende. Esta é uma questão relativa e subjetiva, e vai depender, também, das respostas dadas as 10 perguntas seguintes:

1. Seu professor é bom?

2. O método é eficiente?

3. Você é dedicado?

4. É persistente?

5. Não tem talento, mas tem força de vontade?

6. Realmente gosta do instrumento?

7. Sua viola tem o mínimo de qualidade e está bem regulada?

8. Se você já toca um pouco, o pouco que sabe aprendeu corretamente, sem vícios?

9. Tem paciência e está disposto a aprender gradativamente, sem pular etapas?

10. Seguirá rigorosamente as orientações do seu mestre, seja ele um professor ou um método?

Se sua resposta foi “Sim” para todas as questões acima, com certeza terá muito mais facilidade em aprender!

Agora, no tocante à parte técnica da viola, existem os prós e contras, bem como em outros instrumentos: há pontos de facilidade na viola, e que em outros instrumentos não há, e vise versa.

Normalmente, as pessoas comparam a viola ao violão, dizendo que este é mais fácil. Será mesmo? E muitas vezes, atribuem essa “facilidade” ao “número de cordas reduzido do violão”. É comum muitos afirmarem: “Vou começar pelo violão porque é mais fácil de aprender que a viola, já que tem menos cordas”.
Vejamos esta comparação:

É muito comum o uso de afinações abertas em viola caipira – em resumo, afinação aberta, é uma afinação que quando todas as cordas são tocadas soltas, ouve-se um acorde maior ou menor.

Sob esse aspecto, uma viola afinada em “MI” soa, com todas as cordas soltas, o acorde “MI”, evidentemente. Portanto, repare que nessa posição é dispensado, obviamente, o uso dos dedos da mão esquerda para a formação do acorde, eliminando assim, por completo, qualquer dificuldade com esta mão.

Já no violão, em sua afinação mais usual (afinação não aberta), para tocarmos esse mesmo acorde será necessário um esforço maior, pois precisaremos dos dedos da mão esquerda para pressionar as cordas.

Percebem como neste caso específico a viola é mais fácil que o violão? Poderíamos citar inúmeros exemplos de pontos em que um instrumento é mais fácil ou mais difícil que o outro.

Conclui-se, então, que, não dá para afirmar que a viola é fácil ou difícil de tocar ou que um instrumento é mais fácil ou mais difícil que o outro. Cada um tem seu grau de dificuldade, sua peculiaridade, tudo é relativo.

Talvez, começar por um instrumento que não seja de seu maior interesse possa ser um difícil começo: você não se dedicará a ele com a mesma paixão dispensada a um que de fato lhe agrade, e isto faz muita diferença! …

Comente aqui