Mês: fevereiro 2013



Excursão de santistas para o clássico contra o Corinthians em São Paulo

Zé Branco, histórico torcedor do Santos em Maringá, organiza excursão em ônibus para a partida do Peixe diante do Corinthians pelo Paulistão no dia 3 de março. O confronto pode ser na Vila Belmiro ou no Morumbi. Interessados em fazer parte devem ligar para os fones (44) 3262-2251 e 9869-8725. OS torcedores serão conduzidos em ônibus confortável e saem da cidade com o ingresso garantido. A saída serã  no sábado, por volta das 20h, e o retornio imediamente após o jogo.

 

 

Comente aqui


O oportunismo da cartolagem no futebol paranaense

 

Paira sobre Arapongas e Londrina, a ameaça que pairava (e desabou), sobre Maringá, Irati, Toledo e Campo Mourão. Gestores do futebol profissional dessa duas praças têm ‘faniquitos’ e vão a público externar intenções de abandonar as cidades levando seus times para outras paragens. As justificativas são as mesmas. Falta de apoio do empresariado, desinteresse da administração pública e, no caso de Londrina, aparente ausência de empolgação da torcida. E não se espantem se os dirigentes levarem a cabo a nefasta ideia, pois nos dois casos eles já usaram desse sórdido expediente. Adir Leme, que hoje tem a concessão do futebol em Arapongas, é o mesmo que por tempo que lhe interessou se valeu da tradição do Londrina Esporte Clube para negociar jogadores e explorar patrocínios. Quando alguma dificuldade se apresentou ele simplesmente abandonou o barco, repetindo gesto de quando veio de São Paulo. Sergio Malucelli, que hoje capitaneia o Tubarão, não é outro senão aquele que se escafedeu de Irati deixando o Azulão do centro-sul à míngua, na segunda divisão e com desanimador prognóstico quando à sua sobrevivência.

Esse filme foi visto na tela de Campo Mourão Mourão. À época, Adilson Batista do Prado desproveu a cidade de futebol vindo para Maringá ‘inventar’ o Adap/Galo. Ambos sucumbiram. Anos antes, Aurélio Almeida batia em retirada de Toledo para assumir o Grêmio Maringá, na primeira divisão – de onde despencou no segundo ano da sua gestão. Não há, para registro, um único caso de final feliz nessa associação feita com aventureiros da bola.

Não entendem eles, que o futebol não se desenvolveu nos locais que foram por eles invadidos, exatamente pela fato de que os abnegados destes municípios não encontraram o apoio popular, de empresários ou da gestão pública. Por que, então, esse apoio seria dado a forasteiros? Logo, quando assumiram a missão, sabiam que teriam de ser competentes o bastante, e criativos ao mesmo nível, para administrarem os respectivos clubes com as próprias forças. Se não têm essa força, que nas tratativas para se apossarem das respectivas agremiações anunciavam ter, merecem ser (des) qualificados como oportunistas.

4 Comentários


Paranaense – Coxa em cima e o interior só fazendo figura

Sexta rodada de uma competição que dá ao campeão do primeiro turno a condição de finalista, e o que se vê, de novo, é todo mundo correndo atrás do Coritiba. Com a atitude do Atlético de optar por disputar a competição com sua equipe sub-23 nesta fase, o queijo e a faca ficaram nas mãos do time coxa branca que está favoritíssimo pra obter o penta com ‘os pés nas costas’. De lamentável nisso tudo a constatação de que o interior segue apenas figurando na Primeira Divisão. O Londrina, que teve um espasmo nas três primeiras rodadas aproveitando 100% dos pontos, experimentou igual número de partidas sem contabilizar uma única vitória. E pelo que se viu no empate com o Cianorte na quarta-feira (assisti o jogo com narração de Carlos Martins e comentários de Gil Rocha na RPC) o time está na vala comum dos que vão lutar para não amargar o descenso. O Cianorte, que divide a lanterna com o Nacional, está dando os pulos para retomar a condição das últimas três temporadas quando esteve abaixo apenas dos curitibanos. O time para Copa do Brasil e Série D do Brasileiro ainda está sendo montado. Oxalá as contrações que já foram feitas refaça o Leão do Vale.

 

 

Quarta-feira – 6/2

Atlético 0 x 0 Paranavaí

Rio Branco 0 x 2 J. Malucelli

Arapongas 0 x 0 Toledo

Cianorte 1 x 1 Londrina

Operário 1 x 1 Paraná

Coritiba 2 x 0 Nacional

CLASSIFICAÇÃO P J V SG

1 Coritiba 14 6 4 8

2 J.Malucelli 12 6 4 4

3 Paraná Clube 12 6 3 6

4 Londrina 11 6 3 11

5 ACP 9 6 2 -1

6 Operário 8 6 1 1

7 Atlético 7 6 1 0

8 Arapongas 7 6 1 0

9 Rio Branco 6 6 1 -7

10 TCW 4 6 0 -3

11 Cianorte 1 6 0 -6

12 Nacional 1 6 0 -13

Sábado – 9/2

16h30 J. Malucelli x Operário

17h Arapongas x Coritiba

Domingo – 10/2

17h Londrina x Atlético

17h Toledo x Nacional

17h Paranavaí x Cianorte

19h30 Paraná x Rio Branco

 

Comente aqui


Carlos Martins e Gil Rocha transmitem Cianorte x Londrina pela RPC

 

Com transmissão da RPC – narração do maringaense Carlos Martins e comentários de Gil Rocha —, Cianorte e Londrina se enfrentam nesta quarta-feira, às 22h, no Estádio Albino Turbay, em Cianorte. O Leão do Vale perdeu todos os cinco confrontos que disputou e resultado diferente de vitória diante do Tubarão deixará a equipe seriamente ameaçada de cair para a Segunda Divisão. Os londrinenses, que fizeram as três primeiras partidas com aproveitamento de 100%, buscam se reabilitarem após sofrerem derrota diante do Paraná e apenas empatarem com o Arapongas.

A sexta rodada do Campeonato Paranaense tem outras cinco partidas agendadas para esta quarta-feira. Às 20h30, o Atlético Paranaense que ocupa a sétima colocação na classificação recebe a visita do Paranavaí, no Estádio Janguito Malucelli. O Vermelhinho quer se aproveitar do fato dos atleticanos estarem sem a equipe principal (que excursiona pela Espanha) para somar pontos na casa do rival e ascender na classificação. Arapongas x Toledo e Rio Branco de Paranguá x J. Malucelli são as outras partidas deste horário.

O líder Coritiba será visitado pelo vice-lanterna, o Arapongas, no Estádio Couto Pereira. A equipe coxa branca soma os mesmos dez pontos do Paraná clube, mas tem vantagem nos critérios de desempate. Os araponguense conseguiram apenas um ponto na competição.

Já o Paraná Clube será visitante do Operário, em Ponta Grossa. Os donos da casa estão na sexta colocação.

Comente aqui