Mês: junho 2015



Esperem pouco da seleção no Chile

 

Um time comum, com um único jogador que foge dessa condição, é o que Dunga leva para a Copa América no Chile. Uma das poucas vezes em mais de quatro décadas desde que a competição existe, que o País não vai para o torneio com a condição de favorito. Esse status é da argentina, vice-campeã mundial, seguida por Chile e Colômbia, selecionados que desafiaram o Brasil na ‘trágiCopa de Felipão’ (com om perdão da palavra) em que o futebol brasileiro fez o que parecia impossível: dar um vexame bem maior que o ‘Maracanazo’ de 1950. Depois de 2014, a derrota para o Uruguai há 65 anos passou a ser mero acidente de percalço. Na Copa do Mundo no Brasil, ano passado, chilenos e colombianos, lembrem-se, deixaram o gramado eliminados achando os resultados injustos. Opiniões corroboradas pelos brasileiros que projetavam o melancólico desfecho da competição.

Atingida pelo lamaçal da corrupção que aflorou no futebol mundial, a seleção brasileira não tem mais a admiração e nem o respeito da torcida brasileira. Mesmo que fique com o cetro do torneio no país de Pablo Neruda, não levará ninguém para as ruas encimando automóveis, vestindo bandeiras e urrando ufanismo.

Mas voltemos ao time comum que está no Chile. No amistoso derradeiro, contra Honduras, no Beira-Rio semivazio, corria pela bola um grupo de jogadores absolutamente sem qualificação para incluírem em seus currículos a passagem pelo ‘scretch’ nacional. Convocações inventadas – e, agora se sabe, para atender interesses mercantis –, descaracterizam o time do Brasil. Jogadores que Dunga definiu como titulares que têm nível parecido com a maioria dos que por aqui defendem bragantinos, náuticos e macaés da nossa Série B.

Tanto que, antes da preocupação por ser brasileiro o título em solo chileno, o cuidado que todos devem ter é para não sofrermos ‘cacetada’ parecida à que nos impôs os alemães. Ou os senhores supõem que a Argentina, em boa fase, terá clemência da nossa esquadra no caso de um cruzamento eliminatório?

Pessimista o escriba, acusarão alguns, pedindo vistas sobre o histórico recente de Dunga com dez triunfos em igual número de jogos amistosos. Uma coisa é uma coisa, Copa América é outra coisa. Não sonhem, pois que é pouco dar-se a esse luxo quando a arma única da seleção atende pelo nome de Neymar Júnior.

 

3 Comentários


Com ‘Tacinha’, FPF mostra que não erra sempre

 

Deficitário; caça-níqueis, que leva do nada ao lugar nenhum e ‘torneio engana bobo’, são algumas das definições que os mais amargos têm usado para definir a competição que a Federação Paranaense de Futebol propôs para preencher a agenda de clubes integrantes das Primeira e Segunda Divisão no Estado. Até não estão errados. A tal Taça FPF, que começa no pós-Copa América, não vai encher estádios nas manhãs de domingo nem atrair patrocínios que abarrotem os cofres dos clubes participantes; não terá sobre si o foco da grande imprensa e nem promete nivelamento técnico que empolgue os que amam o futebol. Nada disso. Mas tem suas vantagens e no frigir dos ovos será de considerável valia para as agremiações que não poderiam manter elencos para ficarem com ‘os pés abanando’ ao longo de todo o segundo semestre.

Será de considerável valia principalmente para os clubes que, do ponto de vista estrutural, são emergentes. Caso do Maringá FC. A Zebra, pelo status que atingiu nas duas últimas temporadas, tem como imprescindível a ascensão à divisões nacionais. Daí a importância dos organizadores da ‘Tacinha’ disponibilizarem uma vaga na quarta Divisão do Brasileiro (Série D) em 2016.

Esse é o foco da maioria dos que estão inscritos. Além do MFC, Andraus, Araponguense, Paranavaí, Toledo, Cianorte, Pato Branco e Portuguesa querem a vaga; Atlético, Paraná e Coritiba não precisam já que estão nas Séries A (a dupla Atletiba) e B (Paraná Clube). Estes, destarte, aproveitam a oportunidade para exercício de jogadores que emergem de suas categorias de base e visam revelar ali talentos para seus times principais.

Mesmo os que não chegarem na condição de ganhar o direito de pelejar na Série D, os benefícios são evidentes. Tomemos por base o Maringá FC. Com a chegada do novo técnico, Edson Vieira, montar o time para a temporada é missão que já teve início. Com o grupo formado por jogadores entre 18 e 23 anos, ele poderá definir a forma de jogo e, tendo sorte, tirar dali cinco ou seis atletas a serem aproveitados no elenco principal na temporada de 2016. Sem contar que uma competição nesta categoria serve como importante observatório na revitalização do futebol no Estado. A Federação Paranaense de Futebol não erra sempre. Eis uma inciativa que merece elogios.

Confira a tabela

TAÇA FPF – SUB-23

1ª rodada

Domingo – 5/7

11h Maringá FC x Araponguense

11h Paranavaí x Paraná Clube

11h Coritiba x Toledo

11h Cianorte x Pato Branco

11h Portuguesa x Atlético

2ª rodada

Sábado – 11/7

19h Toledo x Andraus

Domingo – 12/7

11h Maringá FC x Portuguesa

11h Atlético x Cianorte

11h Pato x Araponguense

11h Paranavaí x Coritiba

3ª rodada

Sábado – 18/7

19h Atlético x Pato Branco

Domingo – 19/7

11h Cianorte x Maringá FC

11h Paraná Clube x Coritiba

11h Araponguense x Portuguesa

11h Andraus x Paranavaí

Sábado – 25/7

19h Coritiba x Andraus

Domingo – 26/7

11h Pato Branco x Maringá FC

11h Toledo x Paraná

11h Portuguesa x Cianorte

11h Araponguense x Atlético

5ª rodada

Sábado -1º/8

19h Andraus x Araponguense

Domingo – 2/8

11h Cianorte x Toledo

11h Atlético x Paraná

11h Pato Branco x Coritiba

11h Paranavaí x Portuguesa

6ª rodada

Sábado – 8/8

19h Paraná x Araponguense

Domingo – 9/8

11h Maringá FC x Paranavaí

11h Andraus x Cianorte

11h Coritiba x Portuguesa

11h Toledo x Atlético

7ª rodada

Sábado m- 15/8

19h Atlético x Maringá FC

Domingo – 16/8

11h Paraná x Andraus

11h Portuguesa x Pato Branco

11h Paranavaí x Toledo

11h Araponguense x Cianorte

8ª rodada

Sábado – 22/8

19h Coritiba x Apucarana

Domingo – 23/8

11h Toledo x Maringá FC

11h Pato Branco x Paranavaí

11h Portuguesa x Andraus

11h Cianorte x Paraná

9ª Sábado – 29/8

19h Paraná x Pato Branco

Domingo – 30/8

11h Maringá FC x Coritiba

11h Araponguense x Toledo

11h Paranavaí x Cianorte

11h Andraus x Atlético

10ª rodada

Sábado – 5/9

19h Cianorte x Coritiba

Domingo – 6/9

11h Andraus x Maringá FC

11h Paraná x Portuguesa

11h Atlético x Paranavaí

11h Toledo x Pato Branco

11ª rodada

Domingo – 13/9

11h Maringá FC x Paraná

11h Pato Branco x Andraus

11h Portuguesa x Toledo

11h Coritiba x Atlético

11h Araponguense x Paranavaí

 

Comente aqui