Mês: novembro 2015



Pontos corridos e ‘mata-mata’ podem conviver

O Campeonato Brasileiro de pontos corridos está consolidado. Pelo teor de justeza que apresenta, não se discute sua eficiência. Dimensiona o time de melhor qualidade ao longo da temporada, evidencia o treinador mais astuto, a diretoria mais prudente e, não raro, a torcida mais efetiva que se empolga com o trote do seu time e lota os estádios. Como faz a do Corinthians neste 2015. É um campeonato perfeito. Copiamo-lo dos europeus e, neste caso, o que serve para eles está nos servindo também. Quem o defende (e são muitos), argumenta que mesmo com a definição do dono do troféu com considerável antecipação, sobra um estoque de emoções para a definição de quem fica com as vagas restantes para a Libertadores, sem contar o dilema dos que se debatem para não arder nas chamas do rebaixamento, e até para montar a lista dos que vão disputar a insossa Copa Sul-Americana.

Tudo isso é incontestável. Agora, cá pra nós: é uma chatice. Não há nenhuma carga extra de emoção nele embutida. Duvidam que a presença de corintianos nos estádios será menor a partir do momento que a volta olímpica for dada? É natural que seja assim. O torcedor vai a campo prioritariamente pelo que cada partida vale. Quando os pontos dos confrontos forem dispensáveis (e o Corinthians fará amistosos de luxo para fechar a temporada), até mai fanático dos adeptos optará por saber do resultado ouvindo o rádio. Não vibrará menos a cada triunfo, mas poupará seu dinheiro.

Diferente seria, e muito mais rentável, se o velho e bom ‘mata-mata’ fosse novamente disputado. Imaginem o cruzamento do primeiro com o oitavo em duas partidas com vantagem para o time de melhor campanha. O segundo enfrentando o sétimo, o terceiro com o sexto… Teríamos partidas eletrizantes como eram aquelas antes da adoção da morna soma de pontos.

Haverá injustiça, como houve noutros tempos, quando times de melhores campanhas em ocasiões diversas ficaram sem o título, afirmarão os conservadores. Concordo e apresento uma solução: dê aos times de melhor campanha na somatória dos pontos do primeiro turno, as valiosíssimas vagas para a Copa Libertadores. Afinal, é essa competição continental o sonho de consumo dos grandes clubes. Isso definido, façamos o romântico ‘mata-mata’ para saber quem é o campeão brasileiro e devolvamos a emoção ao futebol. Simples assim.

3 Comentários