Mês: dezembro 2016



Entenda por que tantos grêmios

Historicamente o futebol profissional de Maringá é dividido em fases. E elas são distintas, embora ancoradas numa denominação básica que é Grêmio. A Primeira Divisão do Campeonato Paranaense (fiquemos apenas em nível de elite da competição) teve em épocas diferentes três agremiações representando Maringá com a sigla GEM, o que não representa nenhuma ligação entre as instituições.

Primeiro definamos a expressão grêmio: na classe gramatical é um substantivo masculino que significa associação esportiva e recreativa. Logo, qualquer clube de qualquer modalidade pode se chamar grêmio e há no País milhares de exemplos.

O Grêmio Esportivo Maringá tem sua fundação em setembro de 1961. Foi campeão paranaense em 1963 e 1964, tendo conquistado em 1969 o torneio Robertinho, equivalente à segunda divisão nacional. Disputou de forma ininterrupta os estaduais até 1971. Neste ano, no dia 1º de agosto, fez sua última partida perdendo para o Jandaia no Willie Davids por 0 a 1.

Nos Estaduais de 1972 e 1973 representou Maringá na competição o azul e branco Maringá Esporte Clube.

Em 1974 surgiu o ‘segundo’ Grêmio. Esse, Grêmio de Esportes Maringá, teve seu ápice em 1977 quando foi campeão estadual ao superar o Coritiba na final com vitória em casa por 1 a 0 e empate (1 a 1) na capital. Essa agremiação, alvinegra como as anteriores, sobreviveu até 1996. Fez seu jogo final perdendo por 0 a 1 para o Londrina, numa partida disputada em Arapongas já que, com dívidas na FPF, não podia jogar no Estádio Willie Davids.

No biênio 1997/98, a Cidade Canção foi representada no Campeonato Paranaense pelo Maringá FC (não o atual) que tinha as cores verde (predominante), preta e branca. Era o Lobo, que sucumbiu com apenas dois anos de existência.

O ‘terceiro’ Grêmio, esse que existe até hoje, também alvinegro, surgiu em junho de 1998. Impedido de usar a mesma grafia do grêmio anterior (Grêmio de Esportes Maringá), passou a ser conhecido como Grêmio Maringá GEM. No mesmo ano disputou a Copa Paraná, competição da qual foi campeão no ano seguinte vencendo o Londrina na final por 2 a 1, no WD; em 2000 participou da Copa Sul-Minas (com o Coritiba, Juventude-RS e Cruzeiro).

Embora tivesse disputado um torneio nacional, o acesso à Primeira Divisão do Paranaense só aconteceu em 2001. Entre os grandes do Estado o time fez boa campanha em 2002 e no final da temporada foi vendido para o empresário Aurélio Almeida que teria pago o equivalente a R$ 190 mil para ter direitos sobre a marca Grêmio Maringá S/S. Ficou na primeira divisão até 2004 quando foi rebaixado e até hoje não conseguiu voltar.

A Cidade Canção retomou o cenário da Primeira Divisão em 2006 com o Galo (Grupo de Apoio Logístico Organizado) Maringá que se transformou em Adap/Galo nos anos de 2007 e 2008 e, sem ser rebaixado, desistiu do campeonato de 2009.

Então, a partir de 2010, começou a surgir o ‘quarto’ Grêmio, que seria o Grêmio Metropolitano Maringá. Mas, convencidos pelo bom senso, os dirigentes desistiram da ideia adotando a denominação de Maringá FC. O time disputou o Paranaense de 2014 (foi vice-campeão), foi até às quartas de final em 2015 (na duas vezes eliminado pelo Londrina nos pênaltis) e neste ano caiu de novo para a Segunda Divisão.

1 Comentário