Impotência sexual: o que causa e como tratar

 

 

A impotência sexual é o grande temor do homem brasileiro. Atinge até 40% dos homens acima dos 50 anos e pode ser tratada com medicamentos ou cirurgia de implante de prótese peniana.

 

Caracterizada pela incapacidade de obter ou manter uma ereção satisfatória para a atividade sexual, apesar da gravidade o problema não é irreversível, mas a vergonha afasta os pacientes dos tratamentos, bloqueando o acesso às técnicas desenvolvidas para revertê-lo.

 

Segundo um dos maiores especialistas do País, o urologista Filipe Tenório (Hospital Santa Joana Recife), como a ereção ocorre quando a primeira camada do vaso sanguíneo libera substâncias que dilatam os vasos, permitindo a passagem de sangue nos corpos cavernosos, qualquer lesão nessa camada, seja por diabetes, tabagismo ou pressão alta, impede a dilatação dos vasos e consequentemente a presença do sangue no pênis.

 

E as causas da disfunção podem ser orgânicas ou psicogênicas. Revela Tenório que “Na orgânica, ela é ocasionada por lesões nas artérias, veias e nervos ou pelo uso de drogas, anabolizantes, bebidas alcoólicas ou cigarro. Já na psicogênica, a impotência é provocada pelo excesso de ansiedade, stress e alto nível de adrenalina, que fecham os vasos sanguíneos, impedindo a circulação do sangue no corpo cavernoso do pênis”.

 

Por outro lado, a questão psicológica mesmo que não inicial, vai estar sempre envolvida: “Os homens associam a ereção à virilidade e masculinidade, o que gera um grau elevado de auto cobrança. Medo, stress, ansiedade e adrenalina em excesso podem agravar o quadro”, explica o especialista.

 

O tratamento apresenta um leque de opções: pode ser realizado através de terapia psicológica, medicamentos orais, medicamentos injetáveis e com cirurgia, para os casos mais graves em que o paciente não responde aos remédios. “A operação é chamada de implante de prótese peniana. Nela inserimos próteses infláveis ou maleáveis no corpo cavernoso do pênis e elas simulam o funcionamento natural do órgão. A taxa de sucesso e satisfação é altíssima”, afirma o médico.

 

É importante ressaltar que o tratamento deve ser realizado precocemente porque a ereção é necessária para o pênis se manter saudável. Se o paciente passa muito tempo sem ter ereção, as células ficam sem nutrientes e sem sangue rico em oxigênio. Assim, elas morrem e torna-se impossível de reverter. Além disso, a disfunção erétil  pode ser sinal de outras enfermidades mais graves que ainda não se manifestaram no corpo, como, por exemplo, o infarto do coração, alerta o médico.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.