Ministro estipula prazos para Estados e hospitais públicos

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, estipulou, Hoje, um prazo de 60 dias para que os seis hospitais federais do Rio de Janeiro adotem medidas para melhorar a gestão dos recursos, ampliando o atendimento – hoje caótico – da população.

Barros determinou inclusive que decidam quais serão as especializações de cada hospital, e o número e procedimento que realizarão. A ideia é que, com a especialização, cada hospital tenha um perfil cirúrgico o que possibilitará um aumento na quantidade desses procedimentos, permitindo assim que sejam feitas compras em escala, diminuindo os custos e uma melhor qualificação das equipes. Setores com baixa produção em uma unidade serão realocados para outra, onde a estrutura existente poderá ser melhor aproveitada pela população.

Este trabalho certamente vai ser muito útil para convergir em nosso esforço de dar produtividade, eficiência e qualidade de serviço nos hospitais federais do Rio. Teremos mais cirurgias sendo realizadas e com equipes preparadas para atender esse aumento”, afirmou o ministro Ricardo Barros, que também anunciou a contratação de uma consultoria com especialistas em administração hospitalar do Hospital Sírio Libanês (SP) para promover o ganho em escala e em especialização, reduzindo custos e construindo uma rede mais eficiente para a população.

Os resultados desse trabalho pioneiro feito através do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), terá resultados repassados em procedimentos com relação a outros hospitais públicos espalhados por todo o Brasil.

O ministro reforçou inclusive a criação de uma fila única para o atendimento da população, com os pacientes sendo atendidos pelas redes federal, estadual e municipal de saúde e demais prestadores conveniados ao SUS. Esse modelo gera rapidez no atedimento e os governos de todos os estados do país têm até o dia 10 de junho para organizar todos os pacientes que aguardam por cirurgias e exames em uma fila única.

Segundo o ministro Ricardo Barros, dessa forma organizados “Todos os cidadãos saberão o seu lugar na fila, por isso a importância da fila única. Todos saberão o inclusive quando serão atendidos através do controle efetuado por uma central”.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.