LAM – a doença feminina que poucos médicos conhecem

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Federal aprovou esta semana a criação da Política Nacional de Conscientização e Orientação sobre a Linfangioleiomiomatose (LAM) – doença pulmonar pouco conhecida inclusive entre os médicos e que atinge mulheres em idade fértil, podendo causar obstrução brônquica e vascular, bem como formação de cistos.

A medida está prevista no Projeto de Lei 5078/16, do deputado Alan Rick (DEM-AC) e visa incentivar ações para capacitar profissionais da saúde quanto ao quadro sintomático e o diagnóstico diferencial da doença. Prevê ainda a criação de centros de referência para diagnosticar, tratar e acompanhar pacientes com LAM. E determina a implantação de um sistema nacional de coleta e processamento de dados sobre casos da enfermidade.

Segundo o texto, caberá ao SUS oferecer às portadoras de Linfangioleiomiomatose o acesso a todos os meios disponíveis para tratamento e controle da doença. A política deverá ser regulamentada pelo Executivo em 60 dias após a publicação da lei, se aprovada.

Segundo o deputado propositor “A Linfangioleiomiomatose é pouco conhecida mesmo entre os médicos pneumologistas, e como seus sintomas iniciais são semelhantes ao de muitas outras pneumopatias, muitas vezes o seu diagnóstico é tardio, perdendo-se a oportunidade de iniciar a terapia no início, quando é bem mais eficaz”.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.