Auxílio-doença: de cada 10 pagos, 8 são irregulares

O pente-fino que o governo está fazendo nos auxílios-doença pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) está resultando em grande economia para os cofres públicos. De cada 10 benefícios analisados, oito estão sendo suspensos por irregularidades, afirma o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.

A operação contra irregularidades visa implantar eficiência sem “ralos” nos gastos públicos. Isso está sendo feito através de fiscalização intensiva sobre benefícios pagos pela Previdência Social,passando também pela desejada reforma, modernização e aprimoramento dos sistemas de tecnologia para controle das despesas estatais.

Precisamos dar maior eficiência à máquina pública, conter o desperdício e reverter a má alocação de recursos”, defende o ministro, complementando que todas as medidas tomadas pelo governo, seja do ponto de vista macro, seja do ponto de vista microeconômico, pavimentaram um caminho seguro para a retomada sustentada da economia.

Ele prevê que o crescimento econômico de 2018 poderá superar os 2,5%, mas tudo dependerá a aprovação da reforma da Previdência Social. Na opinião do ministro Oliveira, hoje há um quadro mais consciente do que meses atrás, avalizando a necessidade das mudanças no sistema de aposentarias: “Agora, o cenário é razoável e pode se tornar bom nos próximos dias. A reforma se tornou politicamente palatável”.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.