Câncer de pele: dezembro é mês de conscientização

 

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima o surgimento de 176 mil novos casos de câncer de pele no Brasil, só neste ano. São milhares de fortes motivos para o país vestir de laranja, a cor escolhida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), vem para conscientizar a população sobre a prevenção ao câncer de pele.

A campanha é de total importância por mostrar a população como é feito o diagnóstico e enfatizar que é fácil a prevenção e o tratamento quando descoberto em fase inicial”, afirma a dermatologista da Clínica Vanità, Dra Camila Dornelas.  

 Com o slogan “Se exponha, mas não se queime”, a campanha também pretende conscientizar que filtro solar não deve ser o único cuidado contra a radiação ultravioleta (UV). No Brasil, o câncer de pele é o tipo de câncer mais comum, chegando ao número de 30% dos tumores malignos. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a patologia é a de maior incidência no Brasil, sendo estimado, anualmente mais de 176 mil novos casos.

 “Assim como todo câncer, o quanto mais precocemente a patologia for detectada maior a chance de cura. Muitas vezes as pessoas demoram a descobrir porque a doença é assintomática em seu estágio inicial. No entanto, se não houver a prevenção, há o risco do tumor invadir órgãos vitais”, afirma Camila.

O câncer da pele geralmente surge como um sinal, pinta ou mancha rósea, acastanhada, enegrecida ou mesmo do tom da pele, de diâmetro maior que seis milímetros e bordas irregulares. “Conhecer bem a pele e saber em quais locais existem sinais é fundamental na hora de detectar qualquer alteração ”, afirma Camila Dornelas. A médica alerta: “É imprescindível procurar um médico assim que observar qualquer anormalidade. Somente  um exame clínico feito por um médico especializado pode diagnosticar a doença”, elencando os principais sintomas suspeitos:

– Uma pinta castanha ou enegrecida, que apresente alteração de cor, textura, aumento de tamanho e bordas irregulares

 – Lesão elevada ou plana e brilhante, de cor avermelhada, castanha, de várias tonalidades ou mesmo do tom da pele, com crosta central e que sangra facilmente.;

Uma lesão que não cicatriza, que apresente crostas, coceira e sangramento.

 Prevenção:

Uso de protetor solar com proteção de no mínimo 30

– Evitar exposição solar nos horários entre 10 e 16h

Aplicar o protetor solar cerca de 30 minutos antes de exposição ao sol

Reaplicar o filtro, mesmo os a prova d’água, a cada 2 ou 3 horas

Utilizar bonés, roupas com proteção UV, óculos escuros, chapéu, e sempre preferir lugares com sombra

– Consultar dermatologista regularmente, no mínimo 1x/ano, para exame cuidadoso de todo o corpo

 

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.