Quais são as deduções permitidas?

Pode ser deduzido do imposto de renda as despesas feitas pelo contribuinte com a própria educação ou dos dependentes, até o limite individual de R$ 3.561,50. As despesas médicas, dele e dos dependentes declarados, também podem ser deduzidas, sem limites de valor. O contribuinte também pode descontar R$ 2.275,08 de cada dependente. Os gastos com a contribuição previdenciária dos empregados domésticos até o limite de R$ 1.093,77 também podem ser descontados.

Do mesmo modo, podem ser abatidas, as contribuições pagas aos planos de previdência privada, pagamentos de pensão alimentícia, despesas com planos de saúde, e gastos lançados em livro caixa. As doações feitas ao Fundo da Criança e do Adolescente (FIA) até o dia 30 de abril também podem ser deduzidas.

Comente aqui


Quem é obrigado a declarar o IR?

É obrigado a declarar o contribuinte que recebeu rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no ano, ou que recebeu rendimentos isentos (como poupança) cuja soma foi superior a R$ 40 mil.

Também deve fazer a declaração quem obteve receita bruta com atividade rural acima de R$ 142.798,50, ou teve, até 31 de dezembro de 2016, posse ou propriedade de bens e direitos, inclusive terra nua, com valor superior a R$ 300 mil.

Quem obteve, em qualquer mês do ano, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, ou realizou operações em bolsas de valores e assemelhadas, também deve declarar a declarar.

Além desses, quem optou pela isenção do Imposto sobre a Renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais também está obrigado.

Comente aqui


Começou a temporada de entrega da Declaração do IR

Começou a temporada de entrega da Declaração do Imposto de Renda de 2017. O prazo final é dia 28 de abril. Você já está preparado para encarar o leão?

Para este ano a Receita Federal fez uma correção de apenas 1,5% na faixa de renda dos contribuintes. Isso significa que quem recebeu rendimentos tributáveis maiores que R$ 28.559,70 no ano passado está obrigado a prestar contas com o fisco. Na página 03 você pode conferir todas as pessoas que estão obrigadas a entregarem a declaração.

Uma das novidades para este ano é que os contribuintes terão de informar o número do CPF de dependentes a partir de 12 anos. No ano passado, a idade mínima era 14 anos. A tendência é que a Receita passe a exigir CPF de todos os dependentes nos próximos anos, independentemente da idade.

Outra mudança, é que a partir deste ano, a Receita vai requerer que corretores de imóveis informem o número do CPF de seus clientes. Isso já é obrigatório para médicos e advogados. A medida tem como objetivo evitar que as operações no mercado imobiliário sejam omitidas no acerto de contas com o leão. São comuns casos de contribuintes que omitem renda de aluguel, por exemplo.

O contribuinte tem duas opções para fazer a declaração do Imposto de Renda. A primeira é o modelo simplificado, opção geralmente indicada para quem não tem muitas despesas para deduzir.

A segunda opção é o modelo completo, normalmente indicado para quem tem muitas despesas para deduzir, como gastos com saúde, educação, dependentes etc. Nele, é necessário informar todos os gastos e rendimentos ocorridos em 2016.

Converse com o seu contador e avalie qual a melhor opção para você.

Comente aqui


IRPF 2017: novidades facilitam o trabalho do contador

A Receita Federal do Brasil divulgou nesta quarta-feira, dia 22, as novas regras para o preenchimento da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF 2017). Em Maringá o anúncio das novidades foi feito durante coletiva de imprensa realizada em parceria com o SESCAP-PR. A entrevista foi realizado no auditório do escritório regional da entidade.

Na ocasião a diretora regional do SESCAP-PR, Miriam da Silva Braz e o analista tributário da Receita Federal, Marcos Luchiancenkol, responderam às perguntas dos jornalistas sobre as mudanças. Segundo Luchiancenkol a maioria das alterações foram técnicas e vão ajudar principalmente os contadores. “São mudanças que facilitam o preenchimento da declaração”, disse.

Uma dessas mudanças é que o Programa Gerador da Declaração (PGD) IRPF e o programa de transmissão da declaração, conhecido como Receitanet, foram fundidos em um só. “Agora só é preciso fazer um download. Você preenche a declaração e faz a transmissão por meio do mesmo programa”, explicou Luchiancenkol.

Além disso, se houver alguma atualização basta estar online que o sistema vai alertar sobre a nova versão e será possível fazer a atualização de forma automática. “Isso é importante para quem preenche muitas declarações. Porque as vezes você já gerou o arquivo e ao transmitir verifica que tem uma nova versão e com isso acaba tendo que fazer novamente a geração”, exemplificou.

Outra novidade é a recuperação de nomes. Quando o contribuinte colocar o nome e o CPF na declaração, esse dado ficará armazenado para facilitar o preenchimento de outros campos do documento.

Segundo Miriam as novas funcionalidades do sistema vão dar mais agilidade para o trabalho dos profissionais. “São mudanças positivas, principalmente a automatização da atualização”, disse.

Expectativa

A expectativa da Receita Federal é de receber um número de declarações semelhante ao ano passado. Em Maringá o fisco espera receber 88.600 declarações. Já na jurisdição da delegacia da Receita Federal em Maringá, a expectativa é que sejam entregues 247.000 declarações até o dia 28 de abril.

Comente aqui


Corretoras de Seguros podem reaver créditos da Cofins

Hoje eu tenho um recado para as corretoras de seguros. Essas empresas podem reaver créditos da Cofins. Explico: Em março do ano passado, a Receita Federal, por Instrução Normativa, excluiu às corretoras de seguros da cobrança da Cofins à alíquota de 4%. A partir da medida, as corretoras de seguros, sujeitas ao regime cumulativo da Cofins, passaram a recolher 3% do seu faturamento a título de Contribuição.

Com a mudança na legislação, as corretoras de seguro têm a oportunidade de ingressar com ação na justiça requerendo a restituição dos valores recolhidos nos anos anteriores à publicação dessa medida. É claro que há todo um histórico de batalhas travadas entre o fisco e as corretoras que vêem desde 2012, quando a Receita equiparou as corretoras de seguro às entidades financeiras. Tudo isso foi amenizado em 2015 quando o STJ pacificou o entendimento de que essas sociedades corretoras de seguro não podem ser equiparadas com instituições financeiras.

De acordo com o advogado, especialista na área tributária, Jaime Pego Siqueira, o crédito deve ser pleiteado dentro do prazo de 5 anos. Isto significa dizer que a cada mês que passa, o contribuinte perde o direito de ver restituída uma parcela do seu crédito. Fica então essa dica. Você pode saber mais sobre esse assunto na versão impressa do Fato Gerador. Peça para o seu contador.

Comente aqui


Começou hoje o prazo de entrega da RAIS

Começou hoje (17) o prazo para a entrega da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) 2016. A data de entrega termina no próximo dia 17 de março. O preenchimento e envio desse documento é obrigatório a todas as pessoas jurídicas que estavam com CNPJ ativo na Receita Federal no ano passado, com ou sem empregados, e a todos os estabelecimentos com Cadastro de Empresa Individual (CEI) que possuem funcionários. Microempreendedores Individuais (MEI) só precisam declarar se tiverem empregados.

A declaração da Rais deverá ser feita somente via internet, pelo programa GDRAIS 2016, disponível no site www.rais.gov.br.

A Rais é a fonte de informação mais completa sobre empregadores e trabalhadores formais no Brasil. Nela constam dados como o número de empresas, em que municípios estão localizadas, o ramo de atividade e a quantidade de empregados.

Nela também constam quem são os trabalhadores brasileiros, em que ocupações estão, quanto ganham e qual o tipo de vínculo que têm com as empresas – se são contratados por tempo indeterminado, temporários, servidores públicos ou estão ocupando cargos comissionados.

Quem não entregar a declaração da Relação Anual de Informações Sociais no prazo estabelecido ou fornecer informações incorretas pagará multa.

Comente aqui


Contribuição sindical patronal deve ser paga até dia 31

Termina no dia 31 deste mês o prazo para as empresas, com exceção das optantes pelo Simples Nacional, fazer o recolhimento da Contribuição Sindical Patronal.

Apesar de algumas empresas não estarem obrigadas, é importante lembrar que a taxa é a principal fonte para o custeio, manutenção e fortalecimento dos sindicatos. E são essas entidades que exercem importante papel na defesa dos interesses da classe empresarial.

Além disso, a sua quitação é um documento essencial em algumas situações, como nas concorrências públicas e administrativas, ou para obtenção de registros e licenças para funcionamento.

Contabilidade
Comente aqui


Anulação de multas da GFIP

A Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados aprovou no último dia 7 de dezembro, o Projeto de Lei 7512/2014 que trata das multas da Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social (GFIP).

A proposta anula as multas de empresas que deixaram de entregar a GFIP no período de janeiro de 2009 a dezembro de 2013. Com a aprovação na CFT, o projeto segue agora para ser apreciado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

As entidades contábeis têm se empenhado na aprovação projeto pois sabem do impacto negativo que a aplicação das multas provocaria nas empresas. Uma das medidas adotadas foi sensibilização dos deputados, demonstrando que a anulação das multas não trará prejuízos ao governo, porque não estão previstas no orçamento e não geram renúncia de receita.

Apesar de medidas estarem sendo tomadas pelas entidades, é fundamental que os empresários também estejam mobilizados para garantir a aprovação do projeto.

Contabilidade
Comente aqui


Vale-transporte não deve ser pago em dinheiro

Você provavelmente paga vale-transporte para os seus colaboradores. Mas você sabe como funciona esse benefício?

Primeiramente, vale lembrar que não existe determinação legal de distância mínima para que seja obrigatório o fornecimento do vale-transporte. Ou seja, se o empregado utiliza transporte coletivo por mínima que seja a distância, o empregador é obrigado a fornecê-los.

No entanto, se o trabalhador utiliza outro meio de transporte, como carro, moto ou bicicleta, ele perde o direito ao benefício. Neste caso é importante que o empregado assine uma Declaração de Renúncia do Vale-Transporte.

A empresa deve adquirir e adiantar ao seu funcionário o vale-transporte em quantidade necessária ao total dos seus deslocamentos. O benefício deve ser pago apenas em forma de cartão ou vale, sendo proibido o pagamento em dinheiro.

O valor deve ser custeado pelo empregado, na parcela equivalente a 6% de seu salário bruto, e pelo empregador no que exceder a essa parcela.

Legislação
Comente aqui


Empresas com mais de três funcionários precisam de certificado digital

A partir deste mês, as empresas do Simples Nacional que possuem mais de três funcionários estão obrigadas a usarem certificado digital para a entrega da GFIP e do eSocial. A adequação segue um cronograma que começou em dezembro de 2015, e já incluiu as empresas com mais de dez, oito e cinco funcionários.

Segundo a Receita Federal, a certificação, que serve como uma assinatura eletrônica, dará mais segurança ao envio dos dados, pois garante a identidade da empresa e de seu responsável no meio on-line.

A maioria das empresas já possui o certificado digital por causa da nota fiscal eletrônica. Mas se esse não é o caso da sua organização, entre em contato com a sua empresa de serviços contábeis para saber como adquirir a certificação.

Contabilidade
Comente aqui