Gestão



Metas de produtividade podem ajudar a impulsionar o negócio

Em um mercado cada vez mais acirrado, encontrar soluções que tornem a sua empresa mais competitiva é tarefa primordial para qualquer gestor. Dentro desse contexto, definir metas de produtividade pode ser uma ferramenta interessante para o desenvolvimento do negócio.

Uma dica importante no momento de definir as metas é contar com a participação dos colaboradores. Ao ouvir os funcionários, o gestor evita que sejam estabelecidas metas irreais. Com toda a equipe envolvida no processo são maiores as chances de que os resultados esperados sejam atingidos.

Além disso, é importante que essas metas sejam monitoradas e se necessário ajustadas. Essa avaliação pode ser feita de forma mensal, bimestral, ou até mesmo semestral. No entanto, o que não pode acontecer é que essas metas fiquem esquecidas. Esse acompanhamento deve ser realizado pelo gestor.

Outro ponto a ser observado é definir as metas de forma a não promover a rivalidade entre funcionários, mas sim, a colaboração. Empregados com o mesmo nível de responsabilidade e atuação, por exemplo, não devem ter metas diferentes.

Por outro lado, é preciso tomar cuidado para que as metas não descumpram a legislação trabalhista. O advogado Jorge Moraes Filho, explica que metas inalcançáveis ou que exponham os funcionários a uma situação constrangedora não podem ser cobradas. Um exemplo é determinar uma meta de quem vai apontar mais irregularidades dentro da empresa. Isso não pode acontecer. “Se for algo fora do aceitável, a empresa pode ser responsabilizada até por danos morais. É preciso bom senso na definição das metas ”, disse.

Uma forma de incentivar a equipe a atingir as metas estipuladas é oferecendo prêmios. Essas recompensas não precisam ser necessariamente em dinheiro. Em algumas empresas, por exemplo, um acréscimo no banco de horas ou o estabelecimento de horários flexíveis, pode ser mais motivador do que um valor em dinheiro. Mas para isso, o gestor precisar conhecer o perfil e as demandas dos seus colaboradores.

Gestão
Comente aqui


O que fazer em casos de clientes insatisfeitos?

Oferecer um atendimento de qualidade, mais do que um diferencial, é hoje um requisito básico para o sucesso de qualquer negócio. No entanto, essa atenção com o cliente não deve acabar com a concretização da venda. Também é importante manter a excelência no atendimento em casos de reclamações.

Hoje, com as redes sociais, ficou muito mais fácil para os clientes externarem sua insatisfação com um produto ou serviço. Por isso, é essencial saber lidar com essas críticas para que elas não prejudiquem a imagem do seu negócio.

Entender o que aconteceu e ouvir o cliente são dois pontos fundamentais para começar a reverter a situação. Pense que qualquer negócio pode ter falhas, e que as críticas ajudam a ajustar as estratégias de sua empresa. Por isso, procure a origem do problema em vez de entrar em conflito com o cliente.

Depois de entender a reclamação do cliente, o passo seguinte é procurar formas de resolver o problema. Nesse momento a agilidade é determinante para contornar a situação. Quando o cliente percebe o interesse e a disposição da empresa em solucionar o problema com rapidez, o grau de insatisfação diminui.

No entanto, só prometa o que é possível cumprir, principalmente em relação a prazos. Caso a empresa não cumpra com o prometido, a situação só se agrava e a imagem do seu negócio fica ainda mais comprometida.

Resolvido o problema, peça desculpas pelo transtorno e agradeça o cliente pela compreensão e paciência. Você também pode oferecer alguma vantagem como vale-desconto, brindes, ou outro benefício que possa compensar a experiência negativa.

Por último, analise como você pode melhorar a sua empresa a partir dessa reclamação. Uma crítica pode ajudar a identificar falhas que você, empresário, não consegue perceber. Por isso, use essas reclamações para aprimorar o seu negócio.

Gestão
Comente aqui


Usar brindes é estratégia para quem quer vender mais

A concorrência e a crise são os principais fatores que frearam as vendas no comércio. Estar preparado e se diferenciar são alternativas para voltar a vender. Isso todo mundo já sabe. Você deve estar pensando, o que faço para me sobressair aos concorrentes? Uma ótima ação é o uso de brindes.

Os brindes, além de atrair mais clientes, gera um aumento da frequência e lembrança da marca. Esses mimos podem ser utilizados em ações com diferentes objetivos, como peça de coleção, item de uso cotidiano e até mesmo como recompensa. Brindes são uma forma de publicidade, mas totalmente diferente das outras, são táteis e tangíveis. Estão a todo momento visíveis e isso garante que você seja lembrado.

De acordo com a pesquisa “A magia do brinde”, realizada em 2015 pela consultoria PiniOn, 88% dos consumidores lembram da marca que os presentearam com brindes; 76% deles classificaram como “bastante provável” o retorno a uma loja ou marca que o presenteou com um brinde; 56% afirmam que retornariam para adquirir outras peças de brindes colecionáveis; e 45% disseram ser fiéis as empresas ou marcas que os presentearam com brindes relevantes.

Mas não se iluda. Presentear os clientes é uma estratégia de marketing como qualquer outra, que deve ser estudada e planejada antes de ser colocada em prática. É preciso analisar os prós e contras, o cenário e entender quais ações geram mais resultados. A pesquisa aponta, por exemplo, que clientes de e-commerce preferem frete grátis (42%) a brindes (14%).

Outro ponto importante a ser observado é a vantagem que o cliente terá ao receber o brinde. O item não deve ser algo que para o cliente parece que a intenção saiu barato para você. Deve ser algo que o deixe satisfeito e que associe a marca. Lembre-se, o brinde precisa ter ligação com a empresa.

Gestão
Comente aqui