Mês: abril 2012



SUPERBIKE SERIES – José Luiz Cachorrão conquista segunda colocação em Interlagos (SP)

29/04/2012 Legenda: José Luiz Teixeira, Cachorrão, piloto da Equipe Honda Mobil na categoria Superbike Pró, no SuperBike Series 2012 Crédito: Luiz Pires/VIPCOMM

Piloto da Equipe Honda Mobil de Motovelocidade fez prova corajosa e foi do sétimo ao segundo lugar. Maico Teixeira terminou em oitavo

SÃO PAULO (SP) – O piloto da Equipe Honda Mobil de Motovelocidade, José Luiz “Cachorrão”,(#51) conquistou o segundo lugar da categoria SuperBike Pró na terceira edição do Mobil Pirelli SuberBike, prova válida pela quarta etapa do SuperBike Series 2012. Com seu companheiro de equipe, Maico Teixeira (#36), na disputa, Cachorrão fez uma prova corajosa no Autódromo Internacional de Interlagos (SP) e subiu ao pódio pela terceira vez nesta temporada.

Após largar em sétimo, Cachorrão foi pra cima dos adversários. Em uma corrida de recuperação, o paulista de Indaiatuba fez boas ultrapassagens até cruzar a linha de chegada. “Foi emocionante. Procuro dar o máximo de mim nas corridas e dessa vez fui premiado. A equipe ajudou muito, a moto está cada vez melhor e tenho conseguido evoluir a cada etapa. Estou muito feliz, pois esse é meu esporte, esse é meu mundo”, comemora o dono da volta mais rápida (1min42s093) com a moto Honda CBR 1000RR.
Aniversariante do dia, Maico Teixeira largou em sexto. O gaúcho de Alvorada teve de superar o trajeto liso e as quedas dos competidores para completar a prova. Maico ainda aproveitou para parabenizar o companheiro. “Interlagos é um circuito difícil. A estratégia foi administrar e evitar uma queda para poder terminar a prova bem. Tenho que dar os parabéns para o Cachorrão. Foi uma grande atuação. Agora vamos trabalhar forte para buscar o melhor resultado no próximo final de semana”, afirma o piloto que completou 31 anos.
Copa Honda CB 300R
A categoria monomarca voltada para motos Honda CB 300R foi marcada pelo equilíbrio entre os pilotos das subcategorias Pró e Light. Igor Calura (#25), Pedro Sampaio (#28), David de Oliveira (#16), da Pró, e Mauricio Venhoven (#17), da Light, travaram uma disputa acirrada pela primeira posição.
Na última volta, Venhoven acelerou forte para terminar na liderança da corrida e da categoria Light, seguido por Sampaio, segundo na corrida e primeiro na Pró. Calura foi o terceiro na corrida e segundo na Pró. “Foi uma prova difícil. Tentei priorizar o racional e a concentração até o final. Consegui a primeira vitória na minha categoria este ano. Estou muito feliz de levar essa conquista para o Rio Grande do Sul”, afirma o gaúcho Pedro Sampaio, que também fez a volta mais rápida (2min30s896).
Copa Honda CBR 600F
Ricieri Luvizotto mais uma vez foi o destaque da Pró da Copa Honda CBR 600F. O piloto liderou praticamente toda a corrida, fez a volta mais rápida (1min50s064) e conquistou sua terceira vitória consecutiva na temporada. Com esse resultado, o paulista manteve 100% de aproveitamento no SuperBike Series 2012. “O bom desempenho é fruto do trabalho de toda a equipe. Estou muito feliz de subir mais uma vez ao topo do pódio. Agradeço a todos que torceram por mim e agora é concentração total para buscar a quarta seguida”, diz Luvizotto.
Irineu Júnior (#72) venceu a subcategoria Light. Gerson Campos (#82) e Geison Barros (#2) terminaram na segunda e terceira colocações, respectivamente.
Apoio Motovelocidade
Matheus Piva (#54), piloto de motovelocidade apoiado pela Honda, foi o primeiro colocado da categoria Pró Am. Piva fez seu melhor tempo em 1min44s791 e terminou a bateria na 12ª posição. Essa é a segunda vitória do paulista de Campinas, que soma quatro pódios em quatro provas disputadas este ano.
O SuperBike Series 2012, maior campeonato de motovelocidade do país, tem 14 etapas. A competição é dividida em dois eventos: Mobil Pirelli SuperBike Brasil, composto por seis etapas, e Elf SBK, com mais oito etapas.
A Equipe Honda Mobil de Motovelocidade tem apoio da Mobil, Pirelli, Dainese e AGV.
RESULTADOS
SUPERBIKE PRÓ (cinco primeiros colocados)
1 – Danilo Andric (#64)
2 – José Luiz Teixeira “Cachorrão” (#51) – Equipe Honda Mobil
3 – Alan Douglas (#78)
4 – Bruno Corano (#34)
5 – Alecsandre Doca de Grandi (#90)
COPA HONDA CB 300R – Pró (cinco primeiros colocados)
1 – Pedro Sampaio (#28)
2 – Igor Calura (#25)
3 – Lucas Teodoro (#41)
4 – Josué Júnior (#404)
5 – Paulo Fernandes (#46)
COPA HONDA CB 300R – Light (cinco primeiros colocados)
1 – Maurício Venhoven (#17)
2 – Alexandre Nogueira (#131)
3 – Allex Alvarenga (#50)
4 – Murillo Grandino (#95)
5 – Celso Pimenta (#675)
COPA HONDA CBR 600F – Pró (cinco primeiros colocados)
1 – Ricieri Luvizotto (#42)
2 – Marcos Câmara (#21)
3 – André Luis Paiato (#44)
4 – Rafael Goyos (#21)
5 – Giovandro Tonini (#89)
COPA HONDA CBR 600F – Light (cinco primeiros colocados)
1 – Irineu Júnior (#72)
2 – Gerson Campos (#82)
3 – Geison Barros (#2)
4 – Ricardo Pereira (#27)
5 – Cristiano Aquino (#99)
*Os resultados são extraoficiais, sujeitos a verificações técnicas e desportivas.

Fonte:

Assessoria de Imprensa Honda
Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro/Carolina Yada
Site oficial: www.honda.com.br/equipehonda
Sala de imprensa: www.vipcomm.com.br/honda
Twitter: @equipehonda
Facebook: www.facebook.com/hondaracingbrasil

Comente aqui


BRASILEIRO DE MX – Thales Vilardi vence primeira bateria da MX2 em Canelinha (SC)

29/04/2012 Legenda: Thales Vilardi, piloto da Equipe Honda Mobil na categoria MX2 do Campeonato Brasileiro de Motocross 2012 Crédito: Maurício Arruda/VIPCOMM

Na MX1, o satélite Adam Chatfield é destaque entre os pilotos Honda com o terceiro lugar na soma das corridas

CANELINHA (SC) – O piloto da Equipe Honda Mobil, Thales Vilardi (#27), venceu neste domingo (29) a primeira bateria da MX2 da segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross, realizado no motódromo Arthur Jachowicz, em Canelinha (SC). No somatório das duas corridas, Thales terminou na segunda colocação. Também piloto Honda, Hector Assunção (#30) foi o terceiro na mesma categoria. Na MX1, o inglês e satélite Adam Chatfield (#407), da Ipiranga IMS, fechou a etapa com a terceira colocação. O satélite Fábio dos Santos (#87), da Dunas Team, ficou em primeiro na 85cc.
1ª BATERIA MX2 – Thales Vilardi fez ótima largada e disparou na frente. Na segunda volta, o piloto da Equipe Honda Mobil chegou a ser pressionado por Eduardo Lima (#2), mas conseguiu manter a posição. Daí, só foi abrir vantagem, que chegou a nove segundos, e administrar a corrida até o final. Com isso, Thales garantiu a primeira vitória no Campeonato Brasileiro de Motocross 2012. Hector Assunção superou a pista bastante molhada e fechou a bateria em terceiro.
2ª BATERIA MX2 – Mais uma vez, Thales Vilardi saiu entre os primeiros e manteve a terceira colocação. Na antepenúltima volta, Thales ultrapassou Rafael Faria (#116) e conquistou a segunda posição. O piloto da Equipe Honda chegou a andar na ponta e por pouco não venceu também a segunda corrida. “Fiz uma boa prova, andei na frente no final e quase deu para levar. A gente sempre quer o melhor resultado, porém sei que esta etapa foi importantíssima para somar pontos e subir na classificação”, destaca Thales. Hector Assunção caiu na largada e teve que fazer uma corrida de recuperação para terminar em quarto lugar. “Apesar do início difícil, consegui ter um bom desempenho, acelerando tudo que podia”, completa Hector.
1ª BATERIA MX1 – Bom começo de prova de Leandro Silva. O piloto de Curitiba (PR) saiu na terceira posição e aproveitou da queda de Jorge Balbi (#1) para assumir a liderança da corrida. Algumas voltas depois, Leandro foi ultrapassado pelo espanhol Carlos Campano (#115), vencedor da corrida. O satélite Honda Adam Chatfield (#407), da Ipiranga IMS, terminou em segundo. Leandro ficou com a sexta posição. O também piloto da Equipe Honda Mobil Wellington Garcia (#21) foi o oitavo.
2ª BATERIA MX1 – Corrida difícil para Leandro Silva e Wellington Garcia, que superaram dores durante os mais de 35 minutos de prova. No final, Wellington concluiu a prova em quarto e Leandro, em sexto. “Machuquei a perna na corrida anterior, o que exigiu muito do meu físico nessa corrida. Consegui terminar ainda no pódio foi fantástico”, evidencia Wellington. Adam Chatfield fechou em terceiro. A vitória ficou com Carlos Campano.
BATERIA 85cc – Disputa equilibrada entre os pilotos satélites Gustavo Pessoa (#117), da Itamaracá One Industries e Fábio dos Santos (#87), da Dunas Team. Gustavo assumiu a frente da corrida ainda na primeira volta, mas logo foi ultrapassado por Fábio que seguiu na frente até o final da corrida. Com a vitória, Fábio assumiu a liderança do campeonato com 47 pontos. “A pista estava bem difícil e mesmo assim consegui andar bem. Fique feliz com meu desempenho”, diz Fábio. Gustavo Pessoa terminou na terceira colocação e segue em segundo na classificação geral.
A Equipe Honda Mobil tem apoio da Mobil, Pirelli, Oakley, Fox, Did, Protaper, Polisport, Orbital, Yoshimura e Galfer
Fonte:
Assessoria de Imprensa Honda
Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro/Carolina Yada
Site oficial: www.honda.com.br/equipehonda
Sala de imprensa: www.vipcomm.com.br/honda
Twitter: @equipehonda
Facebook: www.facebook.com/hondaracingbrasil

 

Comente aqui


Audi confirma lançamento do A1 quattro no Brasil


 

  • Edição limitada a 333 unidades para o mercado mundial
  • Versão superesportiva do compacto premium alemão chega ao país no segundo semestre de 2012
  • Motor 2.0 TFSI com 256 cv de potência e aceleração de 0 a 100 km/hora em apenas 5,7 segundos

 

São Paulo, 27 de abril de 2012 – A Audi está coroando a série A1 com um modelo top de linha exclusivo: o novo A1 quattro, veículo que leva a engenharia automotiva ao extremo. Com edição limitada a 333 unidades, o compacto premium alemão combina um motor extremamente potente a uma carroceria pequena e leve, o que o transforma em um “pocket rocket”, com aceleração de 0 a 100km/hora em apenas 5,7 segundos e velocidade máxima de 245 km/hora. O propulsor 2.0 TFSI produz 256 cv de potência e 350 Nm de torque, que graças à tração integral permanente quattro prevê propulsão excelente em quaisquer condições e nível extremo de segurança para dirigir. O modelo está disponível apenas na cor branca metálica Glaciar com teto pintado em preto de alto brilho.

Motor e transmissão: a força do compacto

O motor 2.0 TFSI do Audi A1 quattro, de 1.984 cm3 e quatro cilindros, combina injeção direta de gasolina com turbo, no formato clássico da Audi. Entre os destaques estão o eixo de comando de admissão variável e os dois eixos contra rotantes para eliminar vibrações, que garantem suavidade de funcionamento. O torque máximo de 350 Nm está disponível continuamente entre 2.500 e 4.500 rpm e o pico de potência (256 cv) é desenvolvido a 6.000 rpm.

Todos os detalhes do esportivo foram otimizados para alto desempenho e baixo consumo de combustível: a injeção, o turbocompressor com intercooler e a bomba de óleo, são alguns exemplos. O consumo médio do Audi A1 quattro é de 11,75 km/litro. No entanto, seu funcionamento é de superesportivo: a aceleração de 0 a 100 km/hora acontece em apenas 5,7 segundos e a velocidade máxima é 245 km/h.

O propulsor 2.0 TFSI entrega seu poder ao sistema de tração quattro permanente nas quatro rodas por meio da transmissão manual de seis velocidades. O coração desse sistema é a embreagem multi-disco controlada eletronicamente e hidraulicamente, com pacote de placas que giram em banho de óleo.

Durante a condução normal, a maior parte da tração é transmitida para as rodas dianteiras. Quando a tração na frente diminui, o sistema transfere torque linearmente ao eixo traseiro, em apenas alguns milésimos de segundos, por meio do pacote de embreagens banhadas a óleo. Além disso, se a roda de um dos eixos escorregar é travada pelo bloqueio eletrônico do diferencial.

O sistema de tração permanente quattro integral  trabalha em conjunto com o sistema de vetorização de torque, que atua nas quatro rodas: se uma delas fica sem atrito quando o veículo está sendo dirigido no limite, o sistema desacelera um pouco aquela roda para evitar que ela derrape. Isso resulta em excelente tração para fazer uma curva, por exemplo.

Conjunto mecânico: suspensão McPherson na dianteira e four link na traseira. 

A colocação da embreagem multi-disco no eixo traseiro proporciona uma distribuição harmoniosa das cargas por eixo – o chassi do Audi A1 quattro foi adaptado para receber este sistema. A suspensão tem ajuste mais firme do que no modelo de produção, sendo na dianteira uma construção McPherson. A direção assistida eletro hidráulica sensível e eficiente tem relação de direção direta 14.8:1.

 

O Audi A1 quattro apresenta uma suspensão four-link independente na parte de trás.

Todas estas alterações na suspensão traseira e motor, aliadas a instalação dos componentes do sistema de tração integral, exigiram um significativo investimento dos engenheiros da montadora. Mais de 600 componentes completamente novos ou substancialmente modificados na versão A1 quattro são diferentes da versão de série do modelo. Apesar disto, o processo de desenvolvimento do projeto quattro levou apenas 17 meses, do início ao fim.

Entre as mudanças, a traseira completamente redesenhada também inclui a montagem independente de molas e amortecedores.

O Audi A1 quattro vem equipado com rodas de liga-leve de 18 polegadas, com design exclusivo e na cor Glacier White (Branco Glaciar) e pneus 225/35. Os discos de freio ventilados na dianteira medem 312 milímetros de diâmetro e são agarrados por pinças negras. O programa eletrônico de estabilização ESP inclui um modo esportivo e pode ser desligado completamente se o motorista desejar. No entanto, o diferencial eletrônico mantém-se ativo, aumentando a agilidade e precisão, mesmo sob condições extremas de condução.

Exclusividade e uma gama completa de equipamentos de série

Basta olhar para perceber que o Audi A1 quattro é um veículo muito especial. Com a cor branca e teto pintado em preto de alto brilho, assim como a moldura e grade single-frame na dianteira, o modelo tem para-choque dianteiro esportivo com detalhe vermelho nos faróis. A grade, o arco do teto e a traseira ganharam logos quattro.

Na traseira os destaques são as janelas com vidros escuros, o aerofólio, as lanternas em LED, o sistema de escape com saída dupla, à esquerda e à direita, cada uma medindo 100 milímetros de diâmetro.

O Audi A1 quattro tem 3,98 metros de comprimento, 1,74 metro de largura e 1,41 metros de altura, tornando-o um pouco mais longo do que o modelo no qual se baseia. A capacidade do porta-malas é de 210 litros – com o rebatimento dos bancos traseiros sobe para 860 litros.

A cor preta domina o interior do modelo, que tem assentos e descansa-braço nas portas cobertos em couro Nappa Silk, contrastando com as costuras vermelhas. Os bancos esportivos S na frente têm apoios de cabeça integrados e a assinatura quattro. A parte inferior do console central é na cor preta de alto brilho, o apoio para os pés e as tampas dos pedais são feitos de aço inox escovado e os acabamentos das soleira da porta ganharam também emblemas quattro.

O painel de instrumentos tem uma série de características atraentes, incluindo ponteiros brancos, um tacômetro vermelho e display colorido para o sistema de informação ao motorista. O volante multifuncional esportivo é achatado na parte inferior e recoberto em couro com costura contrastante vermelha. A manopla do câmbio é em alumínio, assim como o acabamento de outros elementos de controle.

O Audi A1 quattro estará disponível, exclusivamente, como um modelo de três portas e virá com uma gama completa de equipamentos, que inclui sistemas provenientes dos modelos mais luxuosos da marca, incluindo faróis de xênon plus, luzes de freio adaptativas, pacote de iluminação LED para o interior, luz e sensor de chuva, espelho interno com escurecimento automático, sistema traseiro de auxílio ao estacionamento, ar condicionado automático, alarme e piloto automático.

O modelo vem ainda com CD changer, rádio digital, interface Audi Music e sistema de navegação MMI Plus. O sistema de som Bose leva 14 alto-falantes com 465 watts de potência, woofers nas portas com iluminação indireta e luz guia em LED. O sistema Bluetooth permite conexão do carro à internet, com serviços de web especiais, incluindo o Google Earth para o carro. Os passageiros também podem conectar seus dispositivos móveis através da hotspot WLAN integrada.

Fonte:

Comunicação Produto Audi Brasil

Charles Marzanasco

Supervisor de Imprensa

Comunicação corporativa

Leila Marisa Knob

Assuntos Corporativos

Departamento de Imprensa Audi Brasil

PR-Trainee

Bruna Cury

In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação

www.inpresspni.com.br

Paula Lario

Lia Mara Sacon

O Grupo Audi entregou 1.302.650 carros da marca Audi para os clientes em 2011. De janeiro até o final de setembro de 2011, a companhia registrou uma receita de € 32,4 bilhões e um lucro operacional de € 3,96 bilhões. A Audi produz veículos em Ingolstadt e Neckarsulm (Alemanha), Györ (Hungria), Changchun (China) e Bruxelas (Bélgica). O Audi Q7 é construído em Bratislava (Eslováquia). Em julho de 2010, a produção CKD do Audi Q5 foi adicionada as já existentes operações de fabricação CKD do Audi A4 e do A6 em Aurangabad (Índia).  Na planta de Bruxelas, a produção do Audi A1 está em funcionamento desde maio de 2010, enquanto a produção do novo A1 Sportback começou em 2012. O Audi Q3 está sendo construído em Martorell (Espanha) desde Junho de 2011. Atualmente a empresa está presente em mais de 100 mercados em todo o mundo. As subsidiárias da AUDI AG incluem AUDI HUNGARIA MOTOR Kft., Automobili Lamborghini Holding S.p.A em Sant’Agata Bolognese (Itália) e quattro GmbH em Neckarsulm. A Audi emprega atualmente cerca de 63.000 pessoas em todo o mundo, sendo cerca de 47.900 na Alemanha.

Entre 2012 e 2016, a marca dos quatro anéis planeja investir mais de € 13 bilhões, principalmente em novos produtos, recursos humanos e na extensão da capacidade de produção, a fim de sustentar a liderança tecnológica da empresa incorporada ao slogan “Vorsprung durch Technik”. A fabricante está atualmente expandindo sua planta em Győr (Hungria) e vai começar a produção em Foshan (China) no final de 2013. Até 2015, a Audi planeja aumentar o número de modelos em seu portfólio para 42.

A Audi tem cumprido com sua responsabilidade social em vários níveis, com o objetivo de garantir um futuro digno para as próximas gerações. Por isso, proteção ambiental, conservação dos recursos, competitividade internacional e uma política prospectiva de recursos humanos formam a base para o sucesso duradouro da Audi. Um exemplo do compromisso da AUDI AG para as questões ambientais é também a recém-criada Fundação Audi do Meio Ambiente. Sob o título de “Mobilidade Audi Equilibrada”, a companhia está direcionando suas atividades para um objetivo maior – a mobilidade com emissão de CO2 neutralizada.

 

 

Comente aqui


Coluna Alta Roda nº 678 — Fernando Calmon

MOTORES DE UM LITRO EM QUEDA

O mercado automobilístico este ano continua, ainda, andando meio de lado e há algumas explicações para isso. Primeiramente porque a base comparativa com o mesmo período do ano passado é muito elevada. O primeiro semestre do ano passado mostrou crescimento de 10% nas vendas em relação a 2010, enquanto no segundo semestre já havia estagnação.
O segundo ponto – e mais importante – deve-se ao aumento da inadimplência (passou de 3% para 5,5% em atrasos nos pagamentos superiores a 90 dias). Tal fenômeno tornou bancos mais seletivos ao liberar novos créditos, em especial para os chamados modelos de entrada ou de menor preço. Esse indicador demora um pouco para recuar. O devedor só sai da lista de inadimplentes depois de renegociar e liquidar os atrasados, mesmo que volte a pagar em dia de imediato.
Existe, no entanto, outro aspecto menos avaliado. Desde o início do ano o governo federal vem falando em queda de juros nos financiamentos em geral. Ora, quem compra carro a prestações adia sua decisão, na esperança de poder pagar menos. Embora os juros do CDC (crédito direto ao consumidor) no ramo de veículos estejam entre os mais baixos, qualquer mudança tem potencial de impacto positivo sobre o mercado. Se uma prestação cai de R$ 500,00 para R$ 450,00, mantido o prazo do empréstimo, agrega milhares de novos compradores.
Fenômeno interessante, dentro do quadro atual, é a contínua queda de participação dos motores de 1 litro de cilindrada nas vendas totais, que se aprofunda em 2012. A coluna, em seus 13 anos de publicação, sempre chamou a atenção para o favorecimento tributário errado para essa motorização. Ela nasceu de modo tortuoso no governo Collor de Mello em 1990, três anos antes do advento do “carro popular”. Aliás, o precursor foi exatamente o Fusca, no governo Itamar, que só tinha motor de 1,6 litro…
A legislação levou a sérias distorções de mercado, a ponto de em 2001 os carros equipados com motor de 1 litro responderem por 71% das vendas. Houve uma geração de brasileiros que se arrastavam em estradas e subidas por ser induzido a comprar um automóvel inadequado nas relações peso/potência e peso/torque. O cenário só começou a mudar a partir de 2002, quando se estreitou a diferença de IPI e a “preferência” começou a cair lentamente. Em março último, a participação desses motores caiu para apenas 40%, recorde de baixa.
Há razões para isso, inclusive as dificuldades relatadas com financiamentos e o aumento do poder aquisitivo. Mas o comprador também se convenceu de que perde pouco (ou nada, na maioria dos casos) em termos de economia de combustível e ganha muito em prazer ao dirigir, se fugisse dos motores pequenos e inadequados aos carros e suas condições de uso.
Ao governo caberia corrigir esses erros do passado. Há espaço, sim, para motores de baixa cilindrada, desde que conjugados a pesos e propostas de veículos coerentes. O consumo normatizado seria o melhor critério das alíquotas do IPI, em substituição à cilindrada. Caberia à engenharia e à criatividade técnica estabelecer a melhor relação entre preço final, desempenho e economia. Bastaria lançar mão de recursos modernos: turbocompressor, injeção direta de combustível e novos materiais.

RODA VIVA

FROTA nacional de veículos atingiu quase 35 milhões de unidades, ao final de 2011, segundo estatísticas do Sindipeças, incluindo automóveis e comerciais leves e pesados. São 5,5 habitantes/veículo, semelhante à Argentina, mas atrás do México. Somam-se, ainda, 11,6 milhões de motos. Números mais confiáveis que os do Denatran, que despreza o sucateamento.
NOVO EcoSport chega em junho, embora a versão de topo, Titanium (motor 2-litros), tenha aparecido agora em avant première e com tudo definido. Ford não liberou mais informações. Porém, rebatimento do assento do banco dianteiro direito, que cria volume adicional para objetos, foi substituído por uma gaveta, solução mais prática.
DEPOIS de três anos no mercado, o City 2013 recebeu retoques em para-choques, grades e lanternas traseiras. Em algumas versões, novas rodas. Freios ABS estão agora em toda a linha. Tanque de combustível passou de 42 para 47 litros. A Honda também enxugou o número de versões e, afirma, manteve preços médios inalterados.
DUSTER tem avançado nas vendas, pelo menos enquanto novos concorrentes não chegam, pela relação preço/benefício muito boa. Estilo pode se discutir, mas proposta é honesta, no dia a dia, com posição alta ao volante típica de SUV. Sai bem equipado de série. Opção de câmbio automático de quatro marchas e seleção manual vai bem, apesar de limitações de projeto.
LOJA conceitual da Citroën, na chique rua Oscar Freire, em São Paulo, é interessante experiência de marketing. Trabalha imagem e espírito da marca, diferenciados no Brasil em relação ao exterior. Além de dar suporte ao lançamento da versão esportiva DS3, cultiva a história e, ao mesmo tempo, absorve conceitos atuais de interatividade da comunicação.
____________________________________________
[email protected] e www.twitter.com/fernandocalmon

Comente aqui


Noma anuncia patrocínio na GP2

Fabricante paranaense de carretas volta a patrocinar o piloto Felipe Nasr, na temporada 2012 do campeonato mundial considerado como o principal acesso à Fórmula 1

A Noma do Brasil, uma das maiores fabricantes de carretas da América do Sul, teve sua estreia na GP2 neste final de semana, nas primeiras duas etapas do Bahrain, sábado (21) e domingo (22). A empresa acaba de acertar um novo patrocínio com o piloto Felipe Nasr, que também estreou este ano no consagrado campeonato que poderá abrir as portas para que ele alcance uma possível vaga na Fórmula 1 no ano que vem.

O apoio da Noma ao piloto começou em 2009 quando Felipe corria pela Fórmula BMW na Europa. Neste ano, a fabricante volta a investir em Felipe, por acreditar em seu potencial e por considerar  importante ter a sua marca em um dos campeonatos automobilísticos mais relevantes e competitivos do mundo. “Ter a nossa marca exposta com destaque na GP2, no carro de um piloto do talento e caráter de Felipe Nars é um orgulho para a Noma. Temos a certeza de que esta parceria será muito importante para todos nós”, comemora Marcos Noma, presidente da empresa.

Após as duas etapas deste final de semana, Felipe está na 6ª colocação do campeonato, com boas chances de terminar a temporada entre os três melhores do mundo nesta categoria. Para ele, que já conta com o apoio do Banco do Brasil e do grupo OGX, ter a Noma como parceira é sinônimo de sorte, já que a empresa esteve ao seu lado na conquista de seu primeiro campeonato no automobilismo. “É muito bom ter mais uma companhia brasileira como parceira, no ano de estreia de uma competição tão difícil como a GP2. Eles já trouxeram sorte uma vez e tenho certeza que trarão de novo”, prevê.

Sobre a Noma

Fundada em 1967, em Maringá no Paraná a empresa é hoje uma das cinco maiores fabricante de implementos rodoviários da América do Sul, reconhecida no Brasil por oferecer as carretas mais leves e robustas do mercado.

A empresa possui uma das melhores redes de distribuição de produtos do setor, com 47 lojas em todo o país. Atualmente, sua estrutura conta com 1.400 colaboradores que atuam em uma planta industrial com mais de 175 mil metros quadrados, sendo 40 mil de área construída. Ainda este ano a Noma começará a construção da sua nova fábrica em Tatuí, São Paulo, que possibilitará dobrar sua capacidade de produção atual.

Mais informações sobre a Noma
www.noma.com.br

Fonte: 

Amanajé Comunicação – Assessoria de Imprensa
www.amanaje.com.br  – Carlos Marcondes

 

Comente aqui


Ford Racing Trucks/Território Motorsport comemora dez anos de parceria com Garrett

Caminhões da equipe pentacampeã do Rally dos Sertões serão equipados mais uma temporada com os turbos da Honeywell Turbo Technologies

Mais um importante parceiro renova com a Ford Racing Trucks/Território Motorsport. Os caminhões da equipe poderão contar, pela 10ª temporada, com os turbos Garrett, da Honeywell Turbo Technologies, umas das fabricantes de sistemas de sobrealimentação de motores mais tradicionais do mundo. Desde que selou a parceria com a fabricante em 2002, a equipe conquistou cinco títulos de Campeã no Rally dos Sertões, na categoria Caminhões, entre os anos de 2007 e 2011.
“A Território Motorport é uma equipe vencedora, em virtude de todo o conjunto de sua estrutura técnica, de seus pilotos, navegadores, dirigentes, engenheiros, mecânicos e demais integrantes. É importante reconhecer que além das vitórias, a grande virtude da parceria é a contribuição que proporciona com o fornecimento de informações para o desenvolvimento dos nossos produtos”, afirma Ricardo Rampaso, Gerente de Marketing e Vendas da Garrett.
Tanto a equipe, como a fabricante, tem se beneficiado com esta parceira. Por um lado os competidores podem contar um produto da mais alta qualidade para encarar as mais adversas situações e variações de terreno, durante o segundo maior do mundo, enquanto a Garrett colhe informações valiosas para o desenvolvimento dos turbos.
Para o piloto e preparador de veículos de competições Edu Piano que segue para 17ª participação consecutiva no Rally dos Sertões, a confiabilidade e durabilidade são fundamentais. “Só quem está numa prova de 10 dias, como esta, pode avaliar a tranquilidade que nos dá, quando o caminhão está equipado com produtos de qualidade, como da Garrett. Os turbos são submetidos a uso severo e vem atendendo as nossas expectativas e necessidades”, afirma o pentacampeão.
De acordo com Rampaso, este laboratório durante o rali beneficia diretamente os consumidores em termos de durabilidade, qualidade, economia de combustível e redução das emissões de gases poluentes.
Turbo para o novo caminhão – Na edição de 20 anos da competição que acontecerá em agosto, o time contará com um novo Ford Cargo 1933 que será equipado com um turbo Garrett com tecnologia Ball Bearing. “A tecnologia foi desenvolvida nos centros de pesquisas da empresa e consiste na utilização de rolamentos, em vez do sistema de mancais, o que reduz o atrito e a inércia do conjunto. O resultado é uma aceleração mais eficiente. Essa maior sensibilidade contribui para mais rápida alimentação da mistura ar/combustível ao motor e, como consequência, melhor desempenho, principalmente em acelerações, um dos requisitos do rali”, explica Rampaso.
A equipe Ford Racing Trucks/Território Motorsport conta com patrocínio da Ford Caminhões, Termicom e Garrett.

Crédito das Fotos: Shez

Fonte:

Assessoria de Imprensa:
Ford Racing Trucks/Território Motorsport

Mércia Suzuki

Comente aqui


Ford comemora 93 anos no Brasil com novos produtos globais

A Ford comemora hoje, 24 de abril, 93 anos de operação no Brasil. Esta foi a data em que Henry Ford aprovou, em 1919, a criação da subsidiária brasileira da empresa, que teve sua instalação aprovada pelo então presidente da República, Epitácio Pessoa. O aniversário praticamente coincidiu com outro evento histórico para a marca, que foi a apresentação da versão de produção do Novo EcoSport em um evento público no Farol da Barra, em Salvador, que reuniu cerca de 100.000 pessoas e gerou mais de 12 milhões de posts no Twitter.

Elena Ford, diretora de Marketing Global e tataraneta de Henry Ford, participou do evento na Bahia. “O Brasil é um mercado vital para a Ford e estamos orgulhosos da excelente equipe de desenvolvimento local. O Novo EcoSport vai fortalecer a marca e nosso portfólio de modelos aqui e em outros mercados-chave, como Índia e China.” No mesmo dia, o carro foi exibido no Salão de Beijing, na China, onde também será produzido.

Carros globais

Primeiro carro global da Ford desenvolvido na América do Sul, o Novo EcoSport marca uma nova era da engenharia brasileira. É um reconhecimento da capacidade dos times locais de Engenharia e Design de criar veículos inovadores e com qualidade para competir nos grandes mercados mundiais.

O novo utilitário esportivo é o segundo produto global da Ford a ser lançado no Brasil, depois do New Fiesta. A Ranger e o Fusion de nova geração são os próximos a entrar nesse portfólio, ao lado dos modelos atuais Ka, Fiesta RoCam, Focus, Edge, Courier, Troller e Transit, além dos caminhões Cargo.

Com esses produtos, a Ford oferece hoje uma das linhas mais completas do mercado, nos segmentos de automóveis, picapes, utilitários esportivos, crossovers, vans e caminhões.

Centro de desenvolvimento

Instalada em um pequeno galpão no centro de São Paulo, a Ford iniciou em 1919 a montagem do Modelo T. Dois anos depois, mudou para uma sede própria, no Bom Retiro, onde instalou a primeira linha de montagem de veículos do País. Em 1953, inaugurou a fábrica no bairro do Ipiranga, em São Paulo, que produziu o primeiro caminhão nacional, o F-600, além do Galaxie, a picape F-1000 e os caminhões Série F e Cargo.

Em 1967, adquiriu a fábrica de São Bernardo do Campo, em São Paulo, onde foram produzidos modelos de sucesso como Corcel, Maverick, Del Rey, Pampa, Escort, Verona, Fiesta e os atuais Ka e Courier. O Campo de Provas de Tatuí e a fábrica de motores e transmissões de Taubaté, no interior paulista, foram incorporadas à estrutura da empresa nos anos 70.

Em 2001, a Ford inaugurou a fábrica em Camaçari, na Bahia, pioneira no Nordeste e uma das mais modernas do mundo, onde hoje funciona também o Centro de Desenvolvimento do Produto da América do Sul. Ele é um dos oito centros globais de criação de veículos da marca e trabalha com as ferramentas mais avançadas com foco em quatro pilares: qualidade, sustentabilidade, segurança e criatividade.

O sonho do jovem Henry Ford de produzir carros resistentes e de preço acessível para as massas foi o embrião que levou a indústria automobilística a ser o que é hoje, uma das maiores impulsionadoras da produção, da tecnologia e do mercado, com extensa cadeia de fornecedores e empregos e investimento constante em inovação. Se pudesse ver essa evolução, ele com certeza ficaria satisfeito da decisão tomada há 93 anos de investir no mercado brasileiro.

Fonte:

Imprensa Ford

 

Comente aqui


SUPERLIGA BRASIL DE MX – Inscrições antecipadas estão abertas para etapa em Chapecó

16/04/2012 Legenda: Júlio Cesar Bonifácio Xavier, piloto da categoria CRF 230 na Superliga Brasil de Motocross 2012 Crédito: Renato Fernandes/VIPCOMM

Cidade do oeste catarinense recebe competição nos dias 5 e 6 de maio

CHAPECÓ (SC) – A quarta etapa da Superliga Brasil de Motocross se aproxima e as inscrições para a disputa em Chapecó (SC) já estão disponíveis no site oficial:www.superligabrasildemotocross.com.br . Nos dias 5 e 6 de maio, a cidade localizada no oeste catarinense será palco das intensas disputas das categorias MX Pró, MX2, Júnior, CRF 230 e 65cc pelo lugar mais alto do pódio.
Para os pilotos interessados em participar das baterias no Autódromo de Chapecó, a pré-inscrição deve ser feita na internet até a quarta-feira, 2 de maio. Aos inscritos dentro deste período será cobrada a taxa de R$ 120, que deverá ser paga na secretaria de prova do evento na sexta-feira (4), das 14h às 18h, ou no sábado (5), das 7h30 às 8h30.
Após a data limite do site, a inscrição só poderá ser realizada na secretaria de prova, no dia 4, no horário informado acima, no valor de R$ 200.
Os pilotos que não disputaram as etapas anteriores – Indaiatuba (SP), Salvador (BA) e Recife (PE) – e, portanto, não entregaram a autorização de uso de imagem, participação de menor (quando houver necessidade) e exame médico, devem levar em Chapecó, obrigatoriamente, todos os documentos solicitados (disponíveis no site) preenchidos e autenticados, juntamente com a taxa de inscrição. O regulamento da competição também está disponível no site.
Confira abaixo as exigências de cada categoria:
65cc
Idade: 7 anos a 12 anos
Moto: 65cc (2t)
Júnior
Idade: Mulheres de 10 a 17 anos/Homens de 10 a 15 anos.
Moto: acima de 70cc (2t)/75cc (4t) e até 105cc (2t) / 180cc (4t)
CRF 230
Idade: 14 a 55 anos
Moto: até 246cc (4t)
MX2
Idade: 14 a 23 anos
Moto: acima de 100cc (2t)/175cc (4t) até 150cc (2t) / 250cc (4t)
MX Pró
Idade: 16 a 55 anos
Moto: acima de 150cc (2t)/300cc (4t) até 250cc (2t) / 450cc (4t)
Superliga Brasil de Motocross 2012 – 4ª etapa
Data: 5 e 6 de agosto
Cidade: Chapecó (SC)
Local: Autódromo de Chapecó
A Superliga Brasil de Motocross é apresentada por Honda e Mobil, tem co-patrocínio Pirelli, Yamaha, Mormaii, Monster Energy e Consórcio Nacional Honda. Apoio da Prefeitura Municipal de Chapecó, Moto Clube Chapecó, Rádio Atlântida FM e Revista da Moto!
Confira todas as informações da segunda etapa da Superliga Brasil de Motocross no site oficial, Twitter e Facebook:
www.superligabrasildemotocross.com.br
@superligamx
superligademx
Fonte:
Assessoria de Imprensa
Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro/José Branco Neto
Site oficial: www.superligabrasildemotocross.com.br
Site: www.vipcomm.com.br
Twitter: @vipcomm
Facebook: www.facebook.com/vipcomm 

Comente aqui


Avant Première do novo Audi Q3 acontece durante o Audi São José Polo Awards

  • Evento elege os melhores atletas do polo no país
  • Audi apresenta com exclusividade o novo Q3 – o SUV compacto mais esportivo do segmento Premium

São Paulo, 24 de abril de 2012 – A Audi Brasil realiza hoje, terça-feira (24), a partir das 20h30,  a Avant Première do Audi Q3 no Brasil.  O novo SUV da marca será apresentado ao público durante a segunda edição do Audi São José Polo Awards. O evento, que será realizado na sofisticada Casa Petra, no bairro de Moema, em São Paulo, premiará os melhores atletas de polo do país e homenageará ainda empresas e executivos que incentivaram o esporte em 2011. Além de convidados especiais, a festa contará ainda com a participação do cantor Milton Guedes, que fará um show exclusivo para o público presente. O DJ Raul Boesel animará a festa com uma seleção de músicas especial para a noite.

Sobre o Audi Q3

Depois dos Audi Q5 e Q7, o Q3 2.0 TFSI quattro chega ao Brasil com atributos de sobra para conquistar o consumidor mais exigente, como mais espaço interno do que a concorrência, tecnologia de ponta e motores potentes e econômicos.

Produzido na fábrica de Martorell, na Espanha, o SUV vem equipado com o premiado motor 2.0 turbo FSI gasolina com duas versões de potência: a de 170 cv, que pela primeira vez está disponível em um veículo da marca no Brasil e a de 211 cv, que já equipa com total sucesso modelos como o A4, A5, Q5 e até os esportivos TT coupé e roadster.

Com a opção de entrada de 170 cv, o Audi Q3 acelera de 0 a 100 km/h em 7,8 segundos e atinge velocidade máxima de 212 km/h. O torque máximo de 280 Nm está disponível entre 1.700 e 4.200 rpm. Com a versão de maior potência, de 211 cv, o novo modelo passa a ser o mais rápido e veloz entre todos os modelos SUVs compactos oferecidos no mercado, acelerando de 0 a 100 km/h em apenas 6,9 segundos e atingindo velocidade máxima de 230 km/h. O torque máximo de 300 Nm está disponível em uma faixa de 1.800 a 4.900 rpm. Assim, as duas versões de Q3 garantem muita agilidade no trânsito e total segurança nas ultrapassagens na estrada. O consumo combinado (cidade e estrada) é de 12,98 km/litro na versão mais potente e de 13 km/litro na de 170 cv.

Além de números expressivos de performance, os dois motores combinam tecnologias poderosas de eficiência da Audi como: injeção direta de combustível, turbocharging e sistema de recuperação de energia (KERS). A tração integral permanente quattro também está disponível nas duas versões de motorização. Seu elemento chave é uma embreagem multiplatô controlada eletro hidraulicamente, que redistribui a força, em milésimos de segundos, a partir do eixo dianteiro para o eixo traseiro, quando necessário. Há ainda a capacidade de acionamento permanente do eixo traseiro. O sistema quattro garante mais prazer ao dirigir, tração e segurança ao motorista.

O novo Q3 vem equipado com o câmbio de dupla embreagem e sete velocidades S- tronic, que combina esportividade e eficiência da transmissão manual com os benefícios de uma transmissão automática, permitindo trocas de marcha em 0,2 segundos. O novo SUV tem a opção de mudança de marchas também por meio de shift paddles no volante.

Chassi

Modelo mais esportivo neste segmento, o Audi Q3 tem um chassi que combina segurança e conforto: a suspensão traseira four-link trabalha com as forças longitudinais e laterais separadamente; a direção assistida eletromecânica funciona de maneira precisa e de forma muito eficiente; e o freio de estacionamento eletromecânico aumenta a conveniência.

O sistema Audi Drive Select, que está disponível na versão de 211 cv, acessa o acelerador, a direção, o câmbio S-tronic, o controle eletrônico de amortecimento, o ar-condicionado e o sistema de piloto-automático de acordo com a opção escolhida pelo motorista – nos modos “conforto”, “auto”, “dinâmico” ou “eficiência”. Quando o motorista seleciona o modo “eficiência”, o câmbio S-tronic desengata a embreagem enquanto o SUV segue por inércia e permite que o modelo rode livremente – o que reforça ainda mais a eficiência no consumo de combustível. Adicionalmente, o ar-condicionado e o controle de cruzeiro também operam com o objetivo específico de economia de combustível. Para o modo roda livre há algumas exigências como: acelerador não pressionado, grau de inclinação da pista menor que 12% e velocidade acima de 20 km/hora.

O Audi Q3 de 170 cv vem de série com rodas de 17 polegadas em liga leve e opcionalmente pode vir equipado com rodas mais esportivas de 18 polegadas, que são de série no modelo de 211 cv. Todos os pneus são distinguidos pela baixa resistência ao rolamento e os freios são resistentes, estáveis e ventilados na dianteira. Graças à sua distância do solo, de generosos 17 centímetros, o Audi Q3 também pode enfrentar terrenos acidentados.

No SUV compacto premium da Audi, o programa de estabilização eletrônica (ESP) inclui o bloqueio eletrônico do diferencial, que nas curvas mais acentuadas regula a distribuição de torque às rodas com menor tração, com vetorização do torque.

Design e carroceria

Com o projeto mais esportivo do segmento, o novo Audi Q3 carrega as características que o identificam com a marca dos quatro anéis, como a grade dianteira, os faróis xenon plus com LED para luzes diurnas, e o visual robusto e elegante. Na dianteira, os faróis em forma de cunha e a grade single-frame com seus cantos superiores cônicos enfatizam o estilo Audi, com contorno estendido pela curva do capô do motor.

Lateralmente, o Q3 mantém as semelhanças com o design clássico Audi, como a linha descendente do teto na coluna C e a proporção de dois terços de metal para um terço de vidro.

Apesar do estilo semelhante a um coupé, o Audi Q3 é claramente reconhecido como um membro da família Q. A tampa traseira envolvente é similar em design a dos “irmãos” maiores, o Q5 e Q7. Em conjunto com os faróis de xenon plus, tiras de LED também equipam as lanternas traseiras.

Com mais espaço interno que os concorrentes diretos, o novo Audi Q3 tem 4,39 metros de comprimento, 1,83 metros de largura, e 1,60 metros de altura (barras de teto incluídas). O bom nível de capacidade do porta-malas varia de 460 a 1365 litros. O modelo possui coeficiente de arrasto de 0,32, ótimo para o segmento, e carenagem do tipo underbody, que facilita o fluxo de ar ideal – inclusive sob o veículo também.

A carroceria do novo SUV compacto é muito rígida e resistente ao impacto, mas extremamente silenciosa na estrada e leve – pesa apenas 303 kg. A célula da carroceria possui aproximadamente 4.400 pontos de solda e 74 metros de adesivos especiais. O capô e a tampa traseira são em alumínio e o restante do corpo em aço de ultra-resistência e folhas de carbono. Os componentes, bastante finos, reduzem o peso do veículo para 1510 kg (com motor de 170 cv) e 1565 kg (motor de 211 cv).

Novidades para o interior: mais luxo, conforto e segurança

Com o novo Audi Q3, a montadora alemã reafirma seu papel de liderança em design automotivo também quando se trata da utilização de cores e materiais internos. O SUV compacto premium oferece uma longa lista de produtos inovadores, como novos acabamentos e detalhes em alumínio.

No interior da versão de 211 cv sobressai os apliques em alumínio 3D com visual prata transparente. O material é construído a partir de dois componentes: uma superfície de alumínio finamente escovado estampada em um padrão de favo de mel, onde cada um dos hexágonos tem um diâmetro de apenas 2,5 milímetros; e embaixo dela, uma superfície holográfica branca com aparência tridimensional.

Ainda do lado interno, muitos detalhes produzem um estilo único como os controles com acabamento em alumínio, o câmbio e volante em couro – este último com três raios e desenvolvido especificamente para o Audi Q3.

Outro destaque é o pacote de luzes interiores com minúsculos LEDs, usados para fornecer iluminação interior e de leitura com baixo consumo de energia.  O sistema de som Bose, opcional, oferece 14 alto-falantes de neodímio, e iluminação indireta dos alto-falantes dianteiros.

Em termos de segurança, o modelo vem equipado com air bags frontais, laterais e para cabeça; cintos dianteiros com pré-tensionadores; e trava elétrica para crianças, em conjunto com o banco do passageiro Isofix.

Tecnologia de ponta nos equipamentos

O novo Audi Q3 é o modelo mais equipado do segmento SUV compacto premium. Entre os equipamentos disponíveis estão computador de bordo com programa de eficiência, teto solar panorâmico em vidro, tecla de conveniência para entrar no veículo e ligar o motor com o toque de um botão, e ar-condicionado automático de última geração.

O Audi Q3 tem um porta-malas que oferece muito espaço para equipamentos de lazer e esportes, com capacidade de 460 litros que pode chegar a 1.365 litros com os bancos traseiros rebatidos. O rack no teto é de série.

Mais conexão e entretenimento

A gama de tecnologias de informação e entretenimento do novo Audi Q3 é completa, a começar pelo pacote de conectividade que inclui a interface Audi Music Interface (AMI), que integra tocadores de mídia portáteis e mídias USB ao sistema de entretenimento do veículo (Infotainment ou MMI). Através dos controles do MMI ou no volante multifuncional é possível selecionar artistas, álbuns, músicas ou gêneros.

Além de integrar os diversos dispositivos móveis, o sistema possibilita a reprodução de uma interface de GPS. O ponto alto da tecnologia de informação é o MMI Plus: sistema de navegação com tela colorida de sete polegadas, que exibe imagens 3D de alta resolução e que pode ser operado através de comando de voz.

Sistemas de assistência ao motorista

O novo Audi Q3 oferece excelente segurança e conforto graças à disponibilidade de sistemas que auxiliam o motorista, como o Audi Side Assist (que utiliza radar para ajudar o motorista a mudar de pista, com velocidade superior a 30 km/hora) e o de assistência ao estacionamento, que esterça a direção quando o veículo está manobrando. Os doze sensores ultra-sônicos detectam obstáculos, tais como pilares de concreto, memorizam e alertam o motorista sobre os riscos de colisão.

Fonte:

Comunicação Produto Audi Brasil

Charles Marzanasco

Supervisor de Imprensa

Comunicação corporativa

Leila Marisa Knob

Assuntos Corporativos

Departamento de Imprensa Audi Brasil

PR-Trainee

Bruna Cury

In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação

www.inpresspni.com.br

Paula Lario

Lia Mara Sacon

SOBRE O GRUPO AUDI

O Grupo Audi entregou 1.302.650 carros da marca Audi para os clientes em 2011. De janeiro até o final de setembro de 2011, a companhia registrou uma receita de € 32,4 bilhões e um lucro operacional de € 3,96 bilhões. A Audi produz veículos em Ingolstadt e Neckarsulm (Alemanha), Györ (Hungria), Changchun (China) e Bruxelas (Bélgica). O Audi Q7 é construído em Bratislava (Eslováquia). Em julho de 2010, a produção CKD do Audi Q5 foi adicionada as já existentes operações de fabricação CKD do Audi A4 e do A6 em Aurangabad (Índia).  Na planta de Bruxelas, a produção do Audi A1 está em funcionamento desde maio de 2010, enquanto a produção do novo A1 Sportback começou em 2012. O Audi Q3 está sendo construído em Martorell (Espanha) desde Junho de 2011. Atualmente a empresa está presente em mais de 100 mercados em todo o mundo. As subsidiárias da AUDI AG incluem AUDI HUNGARIA MOTOR Kft., Automobili Lamborghini Holding S.p.A em Sant’Agata Bolognese (Itália) e quattro GmbH em Neckarsulm. A Audi emprega atualmente cerca de 63.000 pessoas em todo o mundo, sendo cerca de 47.900 na Alemanha.

Entre 2012 e 2016, a marca dos quatro anéis planeja investir mais de € 13 bilhões, principalmente em novos produtos, recursos humanos e na extensão da capacidade de produção, a fim de sustentar a liderança tecnológica da empresa incorporada ao slogan “Vorsprung durch Technik”. A fabricante está atualmente expandindo sua planta em Győr (Hungria) e vai começar a produção em Foshan (China) no final de 2013. Até 2015, a Audi planeja aumentar o número de modelos em seu portfólio para 42.

A Audi tem cumprido com sua responsabilidade social em vários níveis, com o objetivo de garantir um futuro digno para as próximas gerações. Por isso, proteção ambiental, conservação dos recursos, competitividade internacional e uma política prospectiva de recursos humanos formam a base para o sucesso duradouro da Audi. Um exemplo do compromisso da AUDI AG para as questões ambientais é também a recém-criada Fundação Audi do Meio Ambiente. Sob o título de “Mobilidade Audi Equilibrada”, a companhia está direcionando suas atividades para um objetivo maior – a mobilidade com emissão de CO2 neutralizada.

 

Comente aqui


Novo Ford EcoSport: Interior Confortável, Silencioso e com Padrão Superior de Qualidade e Acabamento

  • O Novo EcoSport exibe na cabine o mesmo design de linhas arrojadas e contemporâneas vistas no seu exterior, com um nível de execução e acabamento inédito na categoria
  • Seu ambiente moderno e convidativo é marcado pelo uso de materiais de toque agradável, com texturas e padrões exclusivos, porta-objetos bem projetados e iluminação do painel na cor Ice Blue
  • O banco em posição elevada, o painel envolvente, os controles à mão e a operação silenciosa são outros fatores que contribuem para a experiência de direção exemplar oferecida pelo novo utilitário esportivo

 

SALVADOR, Brasil, 23 de abril de 2012 – Moderno e conectado, o Novo EcoSport foi apresentado hoje em Salvador e no Salão de Beijing 2012, na China, revelando as formas contemporâneas e o interior moderno e sofisticado do utilitário esportivo da Ford.

O Novo EcoSport oferece espaço confortável para cinco passageiros, banco do motorista em posição elevada, com excelente visibilidade, e um ambiente moderno e refinado na cabine, com operação silenciosa e materiais cuidadosamente selecionados.

Tudo isso contribui para criar um interior convidativo e confortável, sintonizado com a aparência arrojada da carroceria, fazendo do Novo Ford EcoSport uma alternativa atraente no segmento de veículos compactos.

O interior do Novo EcoSport foi projetado para oferecer os níveis mais elevados de qualidade e acabamento. Ele reflete a sofisticação e capacidade superior de rodagem do veículo, que também abriga um nível impressionante de tecnologia e equipamentos.

O seu design e engenharia de classe mundial estão presentes nas superfícies bem acabadas e com ajuste perfeito, nos tecidos atraentes e agradáveis ao toque e no interior silencioso e moderno.

O projeto do Novo EcoSport foi totalmente desenvolvido a partir das expectativas dos consumidores. A escolha dos seus materiais e elementos de design reflete a importância do baixo custo de manutenção e grande durabilidade de uso para o cliente. Nesse processo, o veículo foi submetido a intensos testes de durabilidade em todas as condições de clima, terreno e uso nas regiões onde será vendido, ajudando a refinar cada um dos seus aspectos.

O acabamento externo da carroceria é o primeiro sinal dos novos níveis de qualidade e manufatura do veículo. Isso é notado no ajuste das peças e no perfil aerodinâmico, que contribui para a qualidade sonora da cabine.

O interior moderno traz uma série de recursos e tecnologias que os consumidores da nova geração desejam em um carro conectado, ao mesmo tempo em que oferece uma experiência de direção confortável e envolvente, única na categoria.

“O interior do Novo EcoSport segue as linhas criativas e arrojadas do exterior. O painel envolvente, os bancos ergonômicos, os materiais de toque agradável e a iluminação dos instrumentos na cor Ice Blue ajudam a criar um ambiente convidativo e agradável”, diz Ehab Kaoud, chefe de Design da Ford América do Sul, que liderou o projeto do Novo EcoSport. “Ele oferece um nível de silêncio interno incomparável na categoria.”

Linhas contemporâneas e robustas

As formas fluidas e dinâmicas do Novo EcoSport são claramente influenciadas pela nova linguagem de design global da Ford, baseada em cinco elementos principais: silhueta inovadora, percepção de eficiência, linguagem refinada de superfícies, precisão técnica e identidade da marca.

A linha de cintura musculosa, formada pelos vidros e vincos das portas, desenha uma curva ascendente que avança em direção à traseira, refletindo a qualidade do seu comportamento dinâmico.

A grande grade dianteira trapezoidal é outra característica do DNA de design da marca que dá ao veículo a assinatura Ford, alinhada com seus novos produtos globais.

As formas esculpidas favorecem a economia de combustível, com um coeficiente aerodinâmico 11% melhor que o modelo anterior. Pilares frontais (A) inclinados, capô curto e janelas laterais de grafismo diferenciado ajudam a criar um visual esportivo e contemporâneo. O perfil elegante do carro reforça a percepção de eficiência.

Os faróis alongados são um detalhe de precisão que reforça o estilo moderno do seu design.

“As linhas dos faróis se alongam em direção à traseira, permitindo que o ar flua ao seu redor e deslize suavemente para fora da carroceria”, explica Kaoud. “A linha dinâmica que parte do capô para o pilar A e avança sobre o teto é outro elemento de destaque no visual moderno do Novo EcoSport.”

Os pilares laterais (B) com acabamento em preto formam uma área contínua com as janelas, contribuindo para a aparência limpa e robusta do veículo.

A traseira é marcada pelo vidro amplo, que envolve as laterais e as lanternas de formato oblíquo. A maçaneta da tampa do porta-malas integrada à lanterna traseira é outro detalhe que destaca a inovação do seu design.

O estepe montado na tampa do porta-malas, com rodas de design exclusivo, é um elemento clássico dos utilitários esportivos que ajuda a definir a personalidade surpreendente da família EcoSport: um veículo esportivo, contemporâneo e descontraído para consumidores que buscam modernidade sem abrir mão da robustez e eficiência.

Interior convidativo e inteligente

O Novo EcoSport tem um interior convidativo e confortável, que chama a atenção pelas formas modernas e agradáveis, pelo uso de materiais de textura diferenciada e pelo acabamento de qualidade. Os bancos são revestidos com tecidos de toque macio, com cores e padrões exclusivos, e oferecem também a opção de couro.

O banco do motorista em posição elevada oferece boa visibilidade e comandos à mão. O conforto é evidenciado pelo formato ergonômico dos bancos, com recortes anatômicos e abas laterais que garantem boa retenção do corpo.

O desenho do painel também tem uma personalidade própria. A tela de LCD no centro do painel e os controles do SYNC criam um ambiente contemporâneo. As saídas de ar exibem um formato atraente e eficiente, com recortes assimétricos.

Diversos porta-objetos posicionados de forma ergonômica e conveniente aumentam a praticidade e conforto na cabine.

O banco traseiro dispõe de um sistema rápido de rebatimento, que facilita a operação, e ganchos de segurança para a fixação de cadeiras de criança.

Ambiente silencioso e sofisticado

Os materiais de acabamento da cabine foram selecionados após uma extensa pesquisa com os consumidores, com foco na qualidade, sofisticação e originalidade.

O Novo EcoSport Titanium, modelo topo de linha, exibe um ambiente moderno e sofisticado, com painel e revestimentos na cor preta e detalhes contrastantes em prata.

Além da qualidade dos materiais, vários fatores contribuem para fazer da cabine do Novo EcoSport um lugar silencioso e agradável. Essa característica começa no seu projeto avançado de engenharia, que garante uma rigidez torcional da carroceria 20% maior em comparação com a geração anterior.

A impressionante qualidade acústica do Novo EcoSport é resultado de um extenso trabalho desenvolvido para a redução de ruídos, vibrações e asperezas. Seu resultado pode ser percebido na ausência de vibração quando o veículo está parado ou rodando, assim como no baixo ruído de vento e do motor em alta velocidade.

O desenho aerodinâmico da carroceria, aprimorado em túnel de vento, e o ajuste perfeito no projeto e montagem dos diversos componentes internos também contribuem para a redução do nível de ruído na cabine.

Essa qualidade aumenta o prazer de estar na cabine do Novo Ford EcoSport, seja para conversar, ouvir música ou simplesmente apreciar o silêncio a bordo, aproveitando tudo o que o veículo oferece.

Sobre a Ford Motor Company

A Ford Motor Company é uma empresa líder da indústria automotiva global, com sede em Dearborn, Michigan, nos Estados Unidos. Fabrica ou distribui automóveis em seis continentes, com cerca de 164.000 empregados e 70 fábricas no mundo. Suas marcas automotivas incluem a Ford e a Lincoln. A empresa fornece serviços financeiros através da Ford Motor Credit Company. Para obter mais informações sobre os produtos da Ford, por favor acesse www.ford.com.br.

Fonte:

Ford Imprensa

Célio Galvão   

América do Sul          

 

Comente aqui