Mês: abril 2015



Show Car Duster Oroch é atração da Renault na Agrishow 2015

Uma das grandes estrelas do Salão de São Paulo de 2014, o show car Duster Oroch é o destaque do estande da Renault na 22ª Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação) – uma das mais importantes feiras da América Latina que está na sua 22ª edição e será realizada entre os dias 27 de Abril e 1° de Maio, em Ribeirão Preto – SP.

Concebido pelo Renault Design América Latina (RDAL), em São Paulo, o Duster Oroch é uma interpretação da marca de uma picape derivada de um SUV (Sport Utility Vehicle) que une conceitos como design moderno e amplo espaço para cinco pessoas, sem abrir mão da robustez características dos veículos off-road.

Pista off-road aberta ao público

Com um estande de 3.250 m², a Renault também estará presente com a exposição de modelos da linha Master (Minibus, Furgão e Chassi Cabine), Kangoo, Novo Duster 2016, Logan e Sandero. Outra atração é uma pista off-road montada no evento para mostrar as qualidades do Novo Renault Duster 4×4. Qualquer visitante pode fazer o test-drive como motorista ou passageiro, bastando fazer um cadastro no local.

Sobre o Show Car Duster Oroch

O show car é apresentado na cor branca acetinada com detalhes em laranja pela carroceria. O resultado é um visual moderno e aventureiro, livremente inspirado na prática de esportes radicais. A dianteira valoriza a identidade visual da marca e na traseira os amplos para-lamas transmitem robustez e força.

O ótimo espaço interno, a maior altura do solo, as grandes rodas (255/60 R18) e os protetores laterais são outros destaques. O painel de instrumentos é equipado com uma tela multimídia que permite ver, em tempo real, imagens capturadas por duas câmeras instaladas na traseira do veículo. As câmeras são controladas por um comando rotativo no console central.

As cores e os materiais são inspirados em equipamentos usados na prática de esportes aquáticos. Detalhes coloridos, como laranja fluorescente, iluminam o ambiente na tonalidade carbono escuro. O aspecto de algumas peças – o painel de instrumentos, os painéis das portas e dos assentos – lembra o neoprene dos trajes de surfe.

Renault Master

Líder de vendas no segmento de furgões médios e vans, o Master foi concebido para pegar no pesado sem abrir mão do conforto. São oferecidas quatro versões de carroceira (Minibus, Furgão, Chassi-Cabine e Vitré) com diversas opções de comprimento e altura do teto, totalizando mais de 70 configurações possíveis para atender desde pequenos comerciantes a grandes corporações e empresas. Produzido na fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná, o modelo é equipado com o motor diesel 2.3 16v, com 130 cv, e câmbio manual de seis marchas. O bagageiro da versão Minibus, com até 1.700 litros de capacidade, é o maior da categoria.

Renault Kangoo

Reconhecido pela robustez e economia, o Kangoo tem a maior capacidade de carga do segmento (800 kg), o que aumenta a funcionalidade no dia a dia. Para os clientes que se preocupam com economia de combustível, o furgão equipado com o motor 1.6 16V Hi-Flex (98 cv com etanol) é classificado com nota “A” no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular do Inmetro. A exemplo do Master, o Kangoo também pode ser transformado para ser utilizado em uma grande variedade de aplicações, como padarias, franquias, floriculturas, lavanderias, pet shops, entre outras.

Novo Renault Duster 2016

Lançado em abril, o Novo Duster 2016 ganhou evoluções no design, melhorias no acabamento interno e maior conectividade com o lançamento do sistema Media NAV Evolution. Ao entrar no SUV, o cliente encontra um interior atraente, com materiais de alta qualidade suaves ao toque e acabamento Black Piano na região central do painel. Na mecânica, o motor 2.0 16V ganhou 6cv e agora totaliza 148cv com etanol. Já o motor 1.6 16V segue com a boa oferta de 115 cv com etanol. O SUV é oferecido em cinco versões, com duas motorizações e opções de câmbio manual ou automático. O cliente ainda pode escolher pelas versões com tração dianteira (4×2) ou 4×4, esta última com primeira marcha reduzida e suspensão traseira multilink.

Novo Renault Logan

A nova geração mantém as qualidades consagradas da anterior (amplo espaço interno, robustez mecânica, baixo custo de manutenção e três anos de garantia) e soma à receita design moderno, sofisticação e inovação. O interior tem acabamento caprichado e tecnologias como piloto automático e limitador de velocidade. O sedã pode ser equipado com os motores 1.0 16V Hi-Power (80cv com etanol), que recebe nota “A” no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular do Inmetro, ou 1.6 8V Hi-Power (106cv com etanol). Desde o ano passado, há ainda a opção do câmbio automatizado Easy’R de cinco marchas, que consome até 20% a menos de combustível do que um automático convencional.

Novo Renault Sandero

Dono do maior porta-malas (320 litros) e espaço interno da categoria, o Sandero agrada tanto às famílias quanto aos jovens solteiros, que procuram um carro bonito, prático e bem equipado. Entre as tecnologias embarcadas destaque para o Media NAV, central multimídia que oferece GPS, sistema de som, Bluetooth e as funcionalidades Eco-Coaching e Eco-Scoring. O visual dinâmico e sofisticado segue a nova identidade visual da marca, enquanto o interior recebe materiais de alta qualidade. A oferta de motores (1.0 16 V Hi-Power e 1.6 8V Hi-Power) é idêntica a do Logan, inclusive em potência. O Novo Sandero tem garantia de fábrica de 3 anos ou 100 mil quilômetros rodados.

::SERVIÇO::

Renault na 22ª Agrishow – Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação

Data: 27 de abril a 01° de maio de 2015

Local: Rodovia Prefeito Antônio Duarte Nogueira, Km 321 – Ribeirão Preto/SP

Horário: das 8h às 18h

Fonte: Assessoria de Imprensa Renault

EVENTOS
Comente aqui


KSPG com novas peças originais para veículos Porsche, Mercedes-Benz, Volkswagen e Alfa Romeo

 KS.91.1

O Grupo KSPG Automotive, através das suas marcas Kolbenschmidt (KS) e Pierburg, passou a fornecer novos produtos originais para os modelos Porsche 918 Spyder, Alfa Romeo 4C, Mercedes-Benz Classe C e Volkswagen Golf GTE.

Estas marcas são parceiras de longa data da empresa, para as quais ela desenvolve componentes e soluções de sistemas inovadores nas áreas de alimentação de ar e na redução de emissões poluentes em bombas de óleo, água e vácuo, pistões, bronzinas e válvulas.

Estes produtos que agora passam a fazer parte na linha de montagem dos veículos Porsche 918 Spyder com válvulas solenoides e bronzinas; Alfa Romeo 4C com válvula reguladora da pressão de admissão e de vácuo, bombas de óleo, de vácuo e de água, e pistões; Mercedes-Benz Classe C com bomba de água e pistões; e Volkswagen Golf GTE com sistema de ar secundário, bronzina de mancal e arruelas de encosto.

Ressalte-se que todos os produtos que constam no portfólio do Grupo KSPG, cumprem os mais altos padrões de qualidade da indústria automotiva. Assim, a baixa emissão de poluentes, melhor consumo de combustível, confiabilidade, qualidade e segurança são os fatores essenciais para as inovações desenvolvidas pelo grupo.

* Os produtos da marca KOLBENSCHMIDT (KS) e Pierburg são comercializados no mercado brasileiro de reposição pela MS Motorservice Brazil, divisão do Grupo KSPG AG responsável pelas atividades de vendas e prestação de serviços para o aftermarket.

Fonte:

Talita C. Peres – Gerente de Marketing 

Lellis Assessoria de Imprensa e Consultoria Ltda.

Jornalista responsável: Marco Antonio Lellis

Comente aqui


Audi RS 6 Avant e RS 7 Sportback: linha 2015 chega ao país

 

 

  • Novas versões dos esportivos da Audi têm alterações no design
  • Alto desempenho está no DNA dos modelos RS
  • Tração integral, construção leve, motores ultra potentes e suspensões esportivas

 

Chegam ao Brasil as novas versões dos esportivos Audi RS 6 Avant e RS 7. Com novidades no design, ainda mais atraente e agressivo, os dois modelos topo de linha oferecem um extraordinário desempenho, digno de verdadeiros carros-esporte, e um amplo e confortável interior, com espaço para quatro ocupantes.

Tanto o RS 6 Avant como o RS 7 Sportback são impulsionados pelo avançado motor V8 4.0 TFSI de 560 cv. A combinação do poderoso motor V8 biturbo de quatro litros com a tecnologia de cilindros sob demanda (Cylinder on Demand – COD), aliada à tração integral quattro e sua construção de baixo peso, tornam os dois modelos em brilhantes peças de equipamento esportivo. Com toda essa tecnologia, o RS 6 Avant e o RS 7 irão agradar plenamente os fãs de uma condução dinâmica e, simultaneamente, eficiente.

Audi RS 6 Avant

Uma impressionante combinação entre a praticidade de uma station wagon com o temperamento de um verdadeiro esportivo, o Audi RS 6 Avant traz o mesmo sistema propulsor do RS 7 Sportback: motor V8 biturbo 4.0 TFSI, câmbio esportivo tiptronic com oito marchas e tração integral quattro. Os números de desempenho também são idênticos e a station wagon acelera de 0 a 100 km/h como um verdadeiro carro-esporte em 3,9 segundos, com  velocidade máxima de impressionantes 305 km/h.

Station wagons são muito apreciadas como veículos familiares e pelos esportistas ao ar livre, que exigem grandes equipamentos, devido ao seu espaço interno. Exatamente por essas características, a RS 6 Avant se destaca na paisagem urbana e nas estradas por sua aparência radicalmente dinâmica, com elementos aerodinâmicos incorporados à carroceria, baixa altura em relação ao solo, grandes rodas e largos pneus.

Linhas bem definidas, enfatizando os traços horizontais, mescladas a superfícies com características quase atléticas, compõem o design preciso e elegante da RS 6 Avant.  O visual foi cuidadosamente refinado na nova versão, com mudanças na grade Singleframe, faróis, entradas de ar, saias laterais, lanternas traseiras e ponteiras do escapamento. Internamente, acabamento em fibra de carbono e os bancos com couro Alcântara também garantem uma bela visão por dentro desse RS.

Uma característica importante da RS 6 Avant é sua possibilidade de uso cotidiano. Suas características esportivas podem ser atenuadas, por meio da tecnologia Drive Select, e não provocam reações bruscas na condução urbana. Quando não solicitada a mostrar seus ‘músculos’, a station se comporta como um carro absolutamente para o dia-a-dia. Graças à sua concepção inteligente, reunindo diferentes materiais, a station esportiva tem uma carroceria extremamente rígida e segura. Componentes em alumínio e aço estampado a quente formam a espinha dorsal de uma estrutura leve e garantem um excelente conforto com reduzida vibração. O nível de ruído na cabine também é extremamente baixo.

RS 6 Avant – ficha técnica

Motor: 4.0 biturbo FSI

Cilindros: 8 em V

Cilindrada (cm3) / Nº válvulas por cilindro 3.993 / 4

Potência (cv): 560 @ 5.700 – 6.600 rpm

Torque (Nm): 700 @ 1.750 – 5.500 rpm

Transmissão

Tração quattro®

Câmbio: Tiptronic 8 velocidades

Pesos / Capacidades

Peso (kg): 2.010

Comprimento (mm): 4.979

Largura (mm): 1.936

Altura (mm): 1.461

Distância entre eixos (mm): 2.915

Capacidade do tanque de combustível (l) 75

Capacidade do porta-malas (l) 565

Performance

Aceleração 0-100 km/h (s): 3,9

Velocidade máxima (km/h): 305

Audi RS 7 Sportback

O Audi RS 7 Sportback revela sua personalidade dinâmica ao primeiro olhar: o longo capô do motor, as colunas traseiras esportivas fluidas e a forte inclinação na traseira provocam uma flagrante sensação de movimento. As mudanças no design começam pela grade Singleframe com a colmeia preta, típica dos modelos RS, com os cantos agora mais marcados e diferenciados. Pequenas mudanças também foram feitas no para-choques, que se destaca pelas grandes entradas de ar.

Os faróis, também adaptados à nova grade, vêm com tecnologia LED como item de série e trazem um novo desenho para as luzes de condução diurna.

No elegante interior negro, dominado pelos bancos esportivos RS, os designers revisaram sutilmente o conjunto de instrumentos, os controles de saída de ar das aberturas de ventilação, os “shift-paddles” de mudança de marchas atrás do volante e o emblema quattro no painel de instrumentos. O carro também oferece um painel com tecnologia Head-up Display, que permite o motorista manter os olhos na pista, ao mesmo tempo em que vê as informações do painel.

O sistema MMI navigation plus, de série, com MMI touch, agora utiliza a plataforma modular de infotainment de última geração: seu ponto alto é um eficiente processador gráfico desenvolvido pela Nvidia, parceira da Audi. O sistema permite que motorista aprecie uma navegação 3D, TV digital e DVD Player em um sistema de som de alta definição da Bang&Olufen. Destaca-se ainda o acabamento em carbono em algumas partes e bancos revestidos em couro em Alcântara.

O motor 4.0 TFSI do Audi RS 7 Sportback disponibiliza 560 cv com 700 Nm de torque entre 1.750 e 5.500 rpm, levando o cupê de cinco portas até 100 km/h em apenas 3,9 segundos e atingindo velocidade máxima de 305 km/h. Para a máxima eficiência, o sistema de cilindros por demanda (Cylinder on Demand – COD), que pode desligar quatro cilindros quando o motor opera sob carga parcial, contribuindo na economia de combustível.

Um câmbio tiptronic de oito marchas especialmente desenvolvido para desempenho esportivo, com oitava marcha bastante alongada, direciona a força do motor de oito cilindros para a tração integral permanente quattro, que conta com o diferencial esportivo no eixo traseiro para melhor comportamento em curvas. O mecanismo permite uma distribuição correta de força entre as rodas traseiras e dianteiras para proporcionar maior segurança e diminuição de chance de derrapagens.

O Audi RS7 Sportback vem equipado de série com suspensão RS sport plus, mais rígida, com Dynamic Ride Control (DRC – controle dinâmico de rodagem), que praticamente elimina a rolagem da carroceria em curvas. Outro item importante é a direção dinâmica, com relação de redução continuamente variável. Ela permite uma mudança de comportamento do volante, dependendo da velocidade do carro, para criar maior conforto ao condutor. O Sistema de Estabilização Eletrônico (ESC) tem um modo Sport que pode ser ativado caso o condutor deseje, que permite uma condução mais divertida ao exigir um maior controle do motorista para estabilizar o automóvel. O carro também pode ser equipado com Night Vision, que auxilia a visão do motorista em condições noturnas.

O Audi RS 7 Sportback 2015 é equipado de série com rodas de liga leve 21 polegadas. Os quatro discos de freio, ventilados internamente, têm design ondulado para redução de peso e são de cerâmica, o que permite seu uso em condições extremas.

RS 7 Sportback – ficha técnica

Motor: 4.0 Biturbo FSI

Cilindros: 8 em V

Cilindrada (cm3) / Nº válvulas por cilindro: 3.993 / 4

Potência (cv): 560 @ 5.700 – 6.600 rpm

Torque (Nm): 700 @ 1.750 – 5.500 rpm

Transmissão

Tração: quattro®

Câmbio: Tiptronic 8 velocidades

Pesos / Capacidades

Peso (kg): 1.995

Comprimento (mm): 5.012

Largura (mm): 1.911

Altura (mm): 1.419

Distância entre eixos (mm): 2.915

Capacidade do tanque de combustível (l): 75

Capacidade do porta-malas (l): 535

Performance

Aceleração 0-100 km/h (s): 3,9

Velocidade máxima (km/h): 305

20 anos de desempenho – a história dos Audi RS no Brasil

A sigla RS deriva da palavra alemã Rennsport, que pode ser traduzida como automobilismo esportivo. Ela surgiu em 1994, com a apresentação do Audi RS 2 Avant, o precursor de uma série de modelos derivados de produtos de série com características, até então, exclusivas de carros-esporte. No Brasil, a RS2 foi apresentada oficialmente no Salão Internacional do Automóvel, em fins de 1994, como a perua mais rápida do mundo. A comercialização dela começou em maio de 1995.

A quattro GmbH, que fabrica os modelos Audi S e RS, foi fundada em 1983 como uma subsidiária da AUDI AG.  Ela começou comercializando acessórios e iniciou a individualizar carros em 1995. Em 1996, passou a ser a fabricante dos modelos de alta performance da Audi, produzidos com a marca Audi Sport. A empresa hoje tem duas fábricas, em Neckarsulm e Ingolstadt.

1994 – Audi RS 2 Avant

A Audi abre um novo caminho

Apresentado em 1994, o Audi RS 2 Avant foi um desbravador – o primeiro carro-esporte de alto desempenho do mundo com espaço para cinco ocupantes e um grande compartimento de bagagem. O design externo diferenciado e o interior com acabamento refinado também eram dignos de nota.  Seu motor turbo de cinco cilindros com 2,2 litros gerava 315 cv, acelerando o RS 2 Avant da imobilidade a 100 km/h em apenas 5,4 segundos e levando-o até 262 km/h. A Porsche AG, que atuou como parceira no desenvolvimento e produção do carro, fornecia peças como freios e rodas.

O RS 2 Avant não demorou a chegar ao Brasil: apresentado no Salão do Automóvel de 1994, começou a ser vendido no país no ano seguinte.

1996 – Audi S6 plus

O primeiro carro da quattro GmbH

O Audi S6 plus ainda não ostentava o emblema RS, mas foi o primeiro modelo manufaturado pela quattro GmbH. Ele tinha um V8 com 4,2 litros e 326 cv e câmbio manual de seis velocidades. A arrancada até 100 km/h tomava 5,6 segundos. Apesar do S6 plus também ser oferecido como sedã, a maioria dos compradores optou pela versão Avant (perua).

2000 – Audi RS 4 Avant

Motor compacto e muita potência

O desenvolvimento do primeiro RS 4 Avant também envolveu um parceiro, a empresa inglesa Cosworth Technology Ltd. Juntamente com a quattro GmbH, a empresa inglesa ajudou a elevar a potência do V6 biturbo de 2,7 litros para 380 cv. O resultado foi uma arrancada de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos. A procura pelo RS 4 Avant foi tão alta que a Audi teve que dobrar o volume de produção inicialmente planejado.

2002 – Audi RS 6

A força do turbo num grande V8

O Audi RS 6 teve sua apresentação em 2002, oferecido tanto como sedã como na versão Avant. Seu V8 4,2 litros, alimentado por dois turbocompressores, gerava 450 cv. A Cosworth se encarregava da montagem do motor de cinco válvulas por cilindro. Com o câmbio tiptronic de cinco marchas de série, o Audi RS 6 acelerava de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos. Ao mesmo tempo, o sistema Dynamic Ride Control (DRC – controle dinâmico de rodagem), também fazia sua estreia. O RS 6 plus chegou em 2004, com potência de 480 cv e velocidade máxima de 280 km/h.

2005 – Audi RS 4

Dinamismo em três formatos

A segunda geração do RS 4 apareceu em 2005, inicialmente como sedã e Avant e, posteriormente, como Cabriolet.  O motor era o totalmente novo V8 de 4,2 litros e alta rotação. A unidade com injeção direta e aspiração natural gerava 420 cv.  O RS 4 Sedan saltava de 0 para 100 km/h em 4,8 segundos.  Entre seus destaques tecnológicos estavam a tração quattro com a nova distribuição assimétrica de torque e freios de cerâmica reforçados com fibra de carbono opcionais.

2008 – Audi RS 6

O mais potente Audi produzido em série

O RS 6 2008 era o carro da Audi produzido em série mais potente até então. Seu

V10 biturbo com cinco litros de cilindrada tinha 580 hp – o suficiente para uma arrancada até 100 km/h em 4,6 segundos e velocidade máxima de 280 km/h. As duas linhas de equipamento “plus” que se seguiram, em 2010, permitiam uma velocidade máxima de 303 km/h. Um câmbio tiptronic de seis marchas com trocas rápidas transmitia a força do motor para o sistema de tração quattro. A segunda geração do RS 6 foi oferecida nas versões sedã e Avant.

2011 – Audi RS 3 Sportback

Potência em forma compacta

Com o RS 3 Sportback, a Audi trouxe a filosofia RS para o segmento dos carros compactos premium. O motor turbo 2,5 litros, com cinco cilindros, gerava 340 hp, consumindo pouco mais de nove litros de gasolina por 100 quilômetros rodados. O trem de força incluía um câmbio S tronic de sete velocidades extremamente confiável e uma embreagem hidráulica de discos múltiplos no sistema de tração. O RS 3 Sportback acelerava de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos. Para-lamas de polímero reforçado com fibra de vidro (CFRP) comprovavam a filosofia de projeto com peso reduzido da quattro GmbH.

Fonte: Departamento de Comunicação Audi do Brasil

Christian Marxen

Gerente de Comunicação Audi do Brasil

Charles Marzanasco

Supervisor de Imprensa Produto

Imagem Corporativa

www.imagemcorporativa.com.br

Gladys de Paula

Coordenadora de Comunicação

Estefânia Basso

Analista sênior de Comunicação

Rafael Lopes

Analista de Comunicação

Comente aqui


Polo Automotivo Jeep inicia revolução em Pernambuco

Complexo industrial inaugurado hoje (28-04)

no município de Goiana está mudando a economia local com a criação de quase 10 mil empregos até o fim deste ano

Revolução: assim o CEO mundial da Fiat Chrysler Automobiles, Sergio Marchionne, definiu a implantação do Polo Automotivo Jeep, em Goiana (PE). “Em todas as minhas experiências pelo mundo, é aqui em Pernambuco que vi acontecer a maior revolução. Ela começou há cinco anos, quando acreditamos que no meio de uma plantação de cana-de-açúcar fosse possível criar uma das fábricas mais competitivas do mundo. Esta revolução foi escrita, passo a passo, pelo povo daqui, por quem em Pernambuco nasceu e cresceu, e agora está mudando em profundidade este Estado”, destacou o executivo em seu discurso na cerimônia inauguração do complexo industrial, realizada hoje, com a presença da presidente da República, Dilma Rousseff, e do governador do Estado, Paulo Câmara.

O fio condutor da cerimônia foram os diversos depoimentos de funcionários do Polo Automotivo Jeep, que tiveram suas vidas revolucionadas após a chegada do empreendimento ao local. Adriano Damasio estava desempregado há seis meses e provia o sustendo da família catando caranguejo no mangue quando foi avisado por um amigo que a Jeep estava recrutando funcionários para a nova fábrica. Com apenas R$ 2 no bolso, usou o dinheiro para imprimir um currículo e entrou no processo seletivo. Selecionado, recebeu treinamento e hoje é líder de equipe na fábrica. Sua vida mudou: “hoje, acordo sonhando e durmo sonhando. Não tenho mais medo porque o medo é adversário dos sonhos”, diz.

A presidente da República, Dilma Rousseff, reafirmou seu compromisso com o desenvolvimento do Nordeste e, nesse sentido, destacou a importância do investimento feito pela empresa na região. “A FCA tem um longo histórico de investimentos no Brasil e já podemos considera-la brasileira”, ressaltou.

Estudo realizado pela consultoria Ceplan projeta que, em 2020, o Polo Automotivo Jeep vai contribuir com 6,5% do PIB de Pernambuco. Será uma curva ascendente, considerando que já em 2015, primeiro ano de operação, terá participação de 2,5% no conjunto de riquezas produzidas dentro do Estado. Tal geração de riquezas será feita predominantemente com o emprego de mão-de-obra local, o que significa que produzirá efeitos sociais positivos.

O investimento total superou os R$ 7 bilhões, dos quais R$ 3 bilhões na fábrica Jeep, R$ 2 bilhões no Parque de Fornecedores e o restante destinado a desenvolvimento de produtos e outros investimentos. A fábrica Jeep ocupa uma área construída de 260 mil metros quadrados e tem capacidade para produzir 250 mil veículos por ano. No perímetro fabril, ergue-se também o Parque de Fornecedores, um complexo de 12 edifícios, que abrigam 16 empresas responsáveis por 17 linhas de produtos. O Parque de Fornecedores ocupa uma área de 270 mil metros quadrados.

O empreendimento empregará até o final do ano mais de 9 mil trabalhadores, sendo 3,3 mil na planta Jeep, 4,9 mil no Parque de Fornecedores e 850 em serviços gerais. Deste contingente, 82% são nordestinos e 78%, pernambucanos.

No âmbito da estratégia da FCA, a planta reforça a presença do grupo no Brasil, agregando ao seu portfólio produtos de uma marca forte e em expansão, além de possibilitar a entrada no segmento de SUVs, de grande potencial de crescimento. Também será essencial para que a FCA alcance suas metas de expandir aceleradamente a presença global da marca Jeep.

Confira abaixo a íntegra dos discursos de Sergio Marchionne, CEO da FCA, e John Elkan, presidente do Conselho de Administração da FCA.

 

JOHN ELKAN

Bom dia! obrigado, Gloria, e obrigado, Jamile e Toninho, por sua carta, que contêm os desejos seus e de tantas crianças desta terra.

Para mim é uma honra e sobretudo uma grande emoção estar aqui hoje.

Antes de tudo por um motivo pessoal: passei importantes anos da minha infância no Brasil e sinto uma ligação particularmente viva e forte com esta magnífica terra.

Mas estou emocionado também por outro motivo.

De fato, hoje estamos celebrando o início de um novo capítulo da longa e rica história que liga o nosso Grupo a este País.

É uma história de sucesso de quase quarenta anos, crescendo junto com o Brasil e mantendo a liderança do mercado nacional. É também uma história de progresso, como demostra os mais de trinta mil homens e mulheres que, com seu trabalho, deram uma contribuição fundamental para industrializar  e tornar o Brasil um país mais moderno e forte.

Nestas quatro décadas, foram muitos os objetivos que alcançamos juntos. Somando nossos esforços aos das autoridades locais e nacionais, passo a passo percorremos um longo caminho. Construímos um modelo industrial responsável e respeitoso do território. Estreitamos ligações com as comunidades locais, dando vida a muitos projetos no campo do meio ambiente, da educação, da cultura e da formação para o trabalho. Investimos na paixão, na inteligência e na tenacidade deste País e agora… estamos prontos para ir além.

Graças à união da Fiat com a Chrysler, de fato, hoje estamos mais fortes, e sobretudo estamos prontos para lançar um novo grande desafio: concretizar aqui, em Pernambuco, o nosso maior projeto de desenvolvimento industrial, para fazer a Jeep crescer a um nível jamais alcançado em sua história.

É um projeto muito ambicioso, que não poderíamos ter começado sem o apoio e a determinação do Governo do Brasil e de Pernambuco. Conheço o esforço que este País está fazendo para levar o progresso econômico e o desenvolvimento social para todos os cantos do Brasil, para aqueles lugares onde, por anos, muitos brasileiros tiveram de enfrentar uma vida dura e áspera… uma vida Severina, para usar as palavras de João Cabral de Melo Neto, o grande poeta que nasceu muito próximo daqui, no Recife, e que melhor que qualquer outro soube falar desta terra e da sua gente.

Compartilhamos a visão de que é preciso difundir o progresso. Por isto, em nome da Fiat Chrysler Automobiles estou orgulhoso em poder dar a nossa contribuição, como confirmação da grande confiança que renovamos nas perspectivas do Brasil.  Daqui a pouco, junto a Sergio Marchionne e à Presidente Dilma Rousseff vamos inaugurar o Polo Automotivo Jeep.

E cada Jeep que sair das linhas de montagem levará para todo lugar o nome desta fábrica, e levará consigo também um desejo e uma esperança: a esperança de um País que está trabalhando para construir o seu futuro, para dar-lhe a forma que quiser, exatamente como o ferrageiro de Carmona de Cabral de Melo Neto:

“Domar o ferro à força,

não até uma flor já sabida,

mas ao que pode até ser flor

se flor parece a quem o diga”*

Grazie!

*de Morte e Vida Severina, João Cabral de Melo Neto (O ferrageiro de Carmona)

 

SERGIO MARCHIONNE

(O CEO da FCA foi chamado ao palco pela mestre de cerimônia Glória Maria, que o definiu como um líder de revoluções da indústria automobilística.)

Acabaram de me chamar de revolucionário, e eu tomo isso como um grande cumprimento.

Mas as verdadeiras revoluções não são feitas de cima para baixo. Começam pelas pessoas comuns, de sua vontade de resgate, de sua coragem para mudar as regras do jogo, de sua capacidade de transformar o ordinário em extraordinário.

Em todas as minhas experiências pelo mundo, é aqui em Pernambuco que vi acontecer a maior revolução.

Ela começou há cinco anos, quando acreditamos que no meio de uma plantação de cana-de-açúcar fosse possível criar uma das fábricas mais competitivas do mundo.

Então, esta revolução foi escrita, passo a passo, pelo povo daqui, por quem em Pernambuco nasceu e cresceu, e agora está mudando em profundidade este Estado.

É a revolução de quem nunca havia construído um carro em toda sua vida, mas possui um elemento muito mais precioso e forte que a experiência: a curiosidade e a vontade de aprender.

É a revolução de quem levanta de madrugada com um grande sonho – aquele de construir um futuro melhor para si e para sua família – e passa o resto do dia a realizá-lo.

E é a revolução de quem assume para si o empenho de mudar as coisas, de demonstrar que é sempre possível criar algo novo e melhor.

Quando eu ainda não conhecia Pernambuco, me contaram uma espécie de lenda. Falaram que as pessoas daqui pensam que seja o rio deles que criou o oceano.

Agora entendi o sentido daquela história.

Nessa atitude não existe arrogância, mas há o orgulho pela própria terra e pelo próprio trabalho.

Há a vontade de fazer as coisas e fazê-las bem.

Há a natureza autêntica e batalhadora de quem não se deixa dobrar pela dificuldade, mas vai adiante até conseguir o que quer.

Isso explica porque, quando saiu o primeiro Renegade da linha, o hino de Pernambuco surgiu espontaneamente nos lábios de todos.

Talvez vocês estivessem esperando um discurso diferente vindo do CEO da sétima maior fabricante mundial de carros.

Pensavam que eu falaria de quanto este polo industrial é importante para o desenvolvimento da Jeep como marca global e para alcançar o volume de 1,9 milhões de Jeeps vendidos no mundo até 2018.

Ou que eu falasse sobre o nível de qualidade e de tecnologia do complexo produtivo, além da eficiência e da flexibilidade da fábrica, que tornam este um modelo de excelência em todo o sistema FCA.

Ou talvez pensassem que eu lhes diria quanto o Brasil é crucial nos nossos planos de desenvolvimento internacional; e quanto nos sentimos honrados, por nosso lado, em poder contribuir para o crescimento econômico e social desta ampla área do País.

Isso é certamente verdadeiro. Não é por acaso que no dia 13 de outubro, dia do nascimento oficial da Fiat Chrysler Automobiles e da cotação na Bolsa de Nova York, a bandeira brasileira se abria ao vento sobre Wall Street.

Mas acredito que, como em todas as histórias de sucesso, são as pessoas que fazem a diferença.

Hoje não celebramos um complexo industrial, uma marca ou um produto.

Celebramos o espírito de Pernambuco e de sua gente.

Sem a presença deles, o nosso projeto, ainda que ambicioso, não teria sucesso.

Por isso eu queria agradecer, em nome de toda FCA, as pessoas que trabalham aqui – todos e cada um deles.

Obrigado pelo que fizeram até agora.

Obrigado por terem feito viver, em cada fase deste projeto, os seus valores morais, de honestidade e de transparência.

Obrigado também por terem trazido os valores sadios desta terra: a paixão, a determinação, o espírito de aventura e de sacrifício, a liberdade.

Com o seu exemplo – simples e autêntico – vocês são as melhores testemunhas do que significa o nome Jeep, que levam impresso no peito.

Antes de concluir, gostaria de acrescentar ainda uma coisa.

Gloria (Maria, mestre de cerimônia) dizia que estou me tornando um pouco brasileiro. Creio que tenha razão.

Passei os últimos 40 anos viajando e trabalhando pelo mundo, com empresas, pessoas e culturas diferentes.

Mas é verdade: amo o Brasil. Eu mesmo me sinto um pouco brasileiro.

Com o apoio de Casa Fiat de Cultura, adquiri vários quadros de artistas brasileiros, dentre os quais Guignard, de Paula e Cícero Dias, que nasceu aqui mesmo em Pernambuco.

Esta terra tem uma magia particular, tem a capacidade de colocar as pessoas em contato consigo mesmas, de fazê-las sentir-se em casa. Não há outro lugar no mundo que exerça o mesmo efeito sobre as pessoas.

Gostaria de mostrar um vídeo, que talvez expresse melhor que muitas palavras aquilo que quero dizer.

Vi este vídeo mais ou menos um ano e meio atrás pela primeira vez.

E fiquei totalmente arrepiado.

Naquele dia, eu assisti e assisti, sete vezes seguidas.

Não precisei de tradução porque é algo que chega direto no coração.

Este é o meu Brasil.

Fonte: FCA Press

Comente aqui


L200 Triton Savana Off chega ainda mais aventureira

Visual arrojado, inovador e com a aventura como item de série, a versão limitada foi feita em parceria com o Canal OFF, de TV por assinatura

Aventura é item de série na versão especial da L200 Triton Savana Off, que fará os proprietários sonharem, explorarem e descobrirem novos horizontes onde as conquistas se transformam em grandes histórias.

Inspirada nas aventuras outdoor apresentadas pelo Canal OFF, o que tem mais modalidades radicais na TV por assinatura, esta versão especial é limitada a apenas 200 unidades e traz a exclusiva cor Orange Sunshine, rodas em liga leve na cor grafite, capas de neoprene bordadas para os bancos, grafismo “Savana Off” na tampa traseira, laterais e capô, além da plaqueta de identificação de 1 a 200, na tampa do porta-luvas (abaixo toda a especificação da picape).

Para deixar o veículo ainda mais aventureiro, a L200 Triton Savana Off é equipada com um cooler customizado da Ogio, para manter as bebidas geladas em qualquer aventura, além do chaveiro em formato de mosquetão, ideal para afixar na mochila ou no cinto, e uma garrafa de aço inoxidável personalizada.

“A L200 Triton Savana Off carrega em seu DNA toda a vocação off-road da Mitsubishi Motors, alinhada com a filosofia do Canal OFF, que traz programas de ação e aventura em meio à natureza. O modelo tem todas as características para superar desafios, encarar os mais difíceis trechos off-road e levar os proprietários aos mais belos lugares para praticar esportes ou mesmo se aventurar com a família e amigos”, afirma Fernando Julianelli, diretor de marketing da Mitsubishi Motors do Brasil.

Com força e resistência características da família L200 Triton, o veículo vem equipado com motor diesel de 3.2 L DID-H, 16 válvulas, DOHC com injeção eletrônica direta Common-Rail, corrente de comando, turbo intercooler frontal, resultando em eficiência, baixos índices de vibração e ruído, além de menor emissão de poluentes. A potência é de 180 cv a 3.500 rpm e torque de 38 kgf.m a 2.000 rpm, e câmbio manual de cinco marchas.

“Fechamos com a Mitsubishi Motors o primeiro projeto de licenciamento do Canal Off, com o lançamento da L200 Triton Savana Off. Estendemos a parceria para além da TV e, com isso, dar a oportunidade para que as pessoas vivam suas próprias aventuras. Afinal, nossa intenção é que as pessoas sonhem, explorem e descubram novos horizontes”, afirma Guilherme Zattar, diretor do Canal OFF.

Agressiva por fora e confortável por dentro, a L200 Triton Savana Off transporta até cinco passageiros e vem equipada com kit multimídia Power Touch, ar-condicionado automático, vidros, retrovisores e travas elétricas. Os bancos recebem capa em neoprene e o tapete de borracha deixa o interior ainda mais elaborado, versátil e funcional.

Conforto e praticidade
A força e robustez são itens de série da L200 Triton Savana Off: é ágil e prática nas mais severas condições e transforma os passeios com a família em experiências com conforto, espaço e praticidade.

A picape vem equipada com snorkel, que permite atravessar trechos alagados com até 800mm de profundidade, rack de teto, ideal para o transporte de grandes objetos sobre a cabine, prancha, que auxilia em situações extremas de baixa aderência, e duas caixas para acessórios na caçamba.

O veículo oferece o conforto necessário para as viagens em família aliado com a grande capacidade off-road. A carroceria é reforçada em seis pontos e garante ainda mais segurança e versatilidade.

Para enfrentar o barro e a lama, pneus Scorpion MTR 255/70 R16, que reforçam o visual off-road dessa picape. Na parte externa, detalhes em duas cores conferem ao veículo uma aparência ainda mais moderna.

Em qualquer terreno
O conjunto de suspensão tem o exclusivo sistema SDS (Sport Dynamic Suspension), que reduz o movimento da carroceria e deixa o veículo ainda mais estável, tanto no asfalto como no uso off-road. Essa calibragem da suspensão proporciona o mesmo nível de conforto e segurança com o carro vazio ou carregado com mais de uma tonelada, até em pisos irregulares.

Os exclusivos amortecedores Full Displacement permitem uma resposta dinâmica mais rápida, sem hesitações, proporcionando estabilidade e agilidade, e aumentando o conforto em todas as situações.

O conjunto de rodas/pneus não tende a se projetar com velocidade em buracos e depressões. O resultado é o conforto e a segurança ainda maior para o motorista e passageiros, sem contar com a facilidade para vencer obstáculos ou mesmo trafegar nas mais severas condições.

O veículo conta também com o LSD Hybrid no diferencial traseiro, que permite a transposição de obstáculos severos, já que transfere automaticamente a tração para a roda que necessita de mais força.

4×4
O sistema de tração é o Easy Select 4WD, que permite a opção de três modos distintos de atuação: 4×2 – somente tração traseira, recomendado para uso urbano/rodovias e se traduz em economia de combustível e menor nível de ruído, 4×4 – tração nas quatro rodas, ideal para pistas de baixa aderência, como terra, areia, cascalho, lama etc., e a 4×4 com reduzida – indicada para uso em situações em que se faz necessária força total, como a transposição de obstáculos, tarefa facilitada pelo diferencial traseiro de escorregamento limitado LSD Hybrid, que transfere automaticamente a tração para a roda que necessita de força.

A suspensão dianteira é independente, com braços triangulares duplos, amortecedores hidráulicos, molas helicoidais e barra estabilizadora.

Suas dimensões são ideais para todos os tipos de uso. A L200 Triton Savana Off tem 5.165 mm de comprimento, 1.800 mm de largura, 1.880 mm de altura e entre eixos de 3.000 mm. A aptidão para o off-road também está refletida nos ângulos de entrada (39º) e saída (26º), além da altura livre do solo com 220 mm.

A caçamba é um item indispensável para quem usa o carro no trabalho ou lazer. Somada ao espaço interno, traz muita funcionalidade, já que é adequada para levar diversos tipos de materiais e, ao mesmo tempo, a família.

A picape é equipada com pacote anti-ruído, que inclui dupla vedação das portas e forrações internas, garantindo baixo nível de ruído na cabine. Os estribos laterais facilitam o acesso ao veículo e reforçam o DNA da marca.

Segurança
A grande preocupação da Mitsubishi Motors com a segurança está presente em toda a linha L200 Triton. O chassi projetado para aumentar a resistência à flexão e à torção, torna esta picape um veículo muito seguro para qualquer situação. A cabine conta com o sistema RISE de deformação programada, em caso de colisão, coluna de direção, pedal e o espelho retrovisor interno colapsáveis, barras de proteção lateral, além de airbag duplo.

O sistema de freios também recebe novidades e conta agora com a tecnologia 4-ABS com EBD e BAS, que distribui eletronicamente a força de frenagem em cada roda, mantendo o veículo em uma trajetória correta e segura mesmo em situações limites de utilização dos freios.

A L200 Triton Savana Off está disponível nas concessionárias Mitsubishi Motors em todo o Brasil na cor exclusiva Orange Sunshine. O valor do modelo é de R$ 128.990,00.

Sobre o Canal OFF
Sonhe, explore e descubra novos horizontes onde conquistas se transformam em grandes histórias. No Canal OFF, ação, aventura, adrenalina e natureza são retratadas em cenários paradisíacos, trilhas sonoras incríveis e com personagens que encaram experiências de tirar o fôlego. Na grade de programação, produções nacionais e internacionais protagonizadas por pessoas comuns apaixonadas por aventura outdoor ou por nomes conhecidos em modalidades do ar, água, terra e neve. O Canal OFF está no ar nas versões SD e HD das principais operadoras de TV paga do país.

Links YouTube
Clipe: https://www.youtube.com/watch?v=oFHrf1zD3Sg

Crédito das Fotos: Fabio Bustamante/Mitsubishi e Sergio Chvaicer/Mitsubishi

Fonte:

Assessoria de Imprensa

Carolina Vasconcellos
Thiago Padovanni

Fernando Menezes
Fernando Solano – Gerente de Comunicação

Comente aqui


Polo Automotivo Jeep é inaugurado em Pernambuco para atender a América Latina

 

Fábrica Jeep e Parque de Fornecedores adotam melhores práticas mundiais de manufatura e gestão em busca de competitividade e qualidade

O Polo Automotivo Jeep, que se inaugura em Goiana, Pernambuco, em 28 de abril de 2015, é um marco histórico em muitas dimensões.

É o primeiro grande investimento da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), um dos maiores grupos mundiais do setor automotivo, constituído em 13 de outubro de 2014 a partir da fusão global entre Fiat e Chrysler. Também é a mais moderna fábrica do grupo no mundo, pois, ao reunir o que de melhor Fiat e Chrysler acumularam em suas histórias centenárias, representa o estado-da-arte em termos de produção automotiva e de gestão, incorporando desde sua concepção as melhores práticas orientadas para eficiência, qualidade e desempenho.

“Este foi também o projeto mais complexo já feito na história da companhia, considerando o objetivo de construir não somente uma fábrica de automóveis, mas de incluir em seu perímetro um parque de fornecedores de classe mundial, a fim de produzir veículos igualmente de classe mundial, sempre em sintonia e interação com os stakeholders”, afirma Stefan Ketter, vice-presidente mundial de Manufatura da FCA, que coordenou a implantação do Polo Automotivo Jeep.

O investimento total superou os R$ 7 bilhões, dos quais R$ 3 bilhões na fábrica Jeep, R$ 2 bilhões no Parque de Fornecedores e o restante destinado a desenvolvimento de produtos e outros investimentos. A fábrica Jeep ocupa uma área construída de 260 mil metros quadrados e tem capacidade para produzir 250 mil veículos por ano. No perímetro fabril, ergue-se também o Parque de Fornecedores, um complexo de 12 edifícios, que abrigam 16 empresas responsáveis por 17 linhas de produtos. O Parque de Fornecedores ocupa uma área de 270 mil metros quadrados.

O empreendimento empregará até o final do ano mais de 9 mil trabalhadores, sendo 3,3 mil na planta Jeep, 4,9 mil no Parque de Fornecedores e 850 em serviços gerais. Deste contingente, 82% são nordestinos e 78% pernambucanos.

No âmbito da estratégia da FCA, a planta reforça a presença do grupo no Brasil, agregando ao seu portfólio produtos de uma marca forte e em expansão, além de possibilitar a entrada no segmento de SUVs, de grande potencial de crescimento. Também será essencial para que a FCA alcance suas metas de expandir aceleradamente a presença global da marca Jeep.

O Polo Automotivo Jeep é um ativo valioso não apenas para a FCA. Ele é, sobretudo, uma conquista do Brasil, do Nordeste, de Pernambuco. Um parque produtivo de classe mundial como este poderia estar instalado em qualquer parte do planeta. “O fato de ter fincado suas raízes em Goiana, na Zona da Mata Norte pernambucana, reflete o respeito da FCA à sua própria trajetória no País e seu compromisso com o desenvolvimento brasileiro”, destaca Cledorvino Belini, presidente da FCA para a América Latina.

O primeiro modelo produzido no polo é o Jeep Renegade. A primeira unidade destinada ao mercado deixou a linha de montagem no dia 19 de fevereiro de 2015. As vendas, através da rede própria de 120 concessionárias, começaram na última semana. O Jeep Renegade chega ao mercado para reinventar o segmento dos utilitários-esportivos, tornando-se a nova referência, e também expande a linha de veículos da marca, entrando no segmento dos SUVs compactos de caráter mais urbano, mantendo-se fiel à capacidade 4×4 e ao estilo de vida aventureiro pelos quais a Jeep é conhecida.

 

Dados e fatos do Polo Automotivo Jeep

– Investimentos: acima de R$ 7 bilhões

– Empregos: cerca de 9 mil no Polo ( fábrica Jeep + fornecedores ), sendo 82% do Nordeste e 78% de Pernambuco.

– Capacidade instalada para produzir 250 mil veículos por ano

– Início da obra: setembro de 2012

– Inauguração: 28 de abril de 2015

– 700 robôs: 650 na Funilaria, 40 na Pintura e 10 na Montagem

– Parque de fornecedores com 16 empresas, produzindo 17 linhas estratégicas de produtos em 12 prédios

– É a primeira fábrica a ser inaugurada depois da criação da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), em 13 de outubro de 2014

– Esta é a mais moderna planta produtiva da FCA, incorporando os melhores conceitos adotados globalmente pelo grupo

– A nova fábrica incorpora mais de 15 mil das melhores práticas das duas empresas

– O Polo Automotivo Jeep marca a volta da produção do Jeep no Brasil, depois de mais de 30 anos

Os diferenciais de uma fábrica moderna

O Polo Automotivo Jeep é a unidade mais moderna da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) no mundo, por reunir em um único sítio as 15 mil melhores práticas, processos e tecnologias acumuladas pelo grupo. A maioria das soluções implantadas na fábrica podem já ter sido utilizadas em outros estabelecimentos, mas o que efetivamente distingue esta planta é a combinação de todas as tecnologias inovadoras em um mesmo processo produtivo. O sistema de produção WCM – World Class Manufacturing – assegura a melhor interação entre homem e máquina, melhorando continuamente todos os processos.

As duas linhas de prensas Komatsu instaladas na fábrica são as mais avançadas tecnologicamente. São as mais velozes, com capacidade para 18 estampos por minuto, e, ao mesmo tempo, consomem menos energia. Seus motores elétricos permitem o movimento de pesos enormes com precisão de décimos de milímetro. Esta precisão preserva a integridade da chapa e a qualidade do estampo.

A funilaria conta com a principal inovação da planta: uma estação com 18 robôs, capaz de aplicar 100 pontos de solda em 60 segundos, congelando a geometria da carroceria em uma única etapa. Normalmente, a fixação das partes e consolidação da carroceria é feita em várias estações. O movimento entre uma estação e outra pode comprometer a precisão da geometria, dando origem a futuros problemas, como encaixe imperfeito de componentes ou ruídos. A Comau, empresa de automação industrial da FCA, desenvolveu a estação de robôs, cuja configuração confere flexibilidade à linha, que pode produzir até quatro modelos.

A pintura inovou ao adotar processo que dispensa a camada de primer, em processo denominado primerless. O processo assegura a qualidade final do veículo e a durabilidade da pintura, mas resulta em menor consumo de energia e em menos emissões na atmosfera.

Na montagem destaca-se a concepção da linha a partir da melhor ergonomia, que poupa os trabalhadores de esforços físicos e de movimentos desconfortáveis. Também na montagem, a acoplagem do powertrain com o carro é uma parte fundamental e crítica. É feita automaticamente: o conjunto de powertrain vem por uma linha no nível do piso e a carroceria vem por linha aérea. Em determinado ponto, os dois conjuntos são conectados automaticamente. A automação garante repetibilidade da operação, assegurando total conformidade.

Outra inovação do projeto é o Communication Center, cérebro do Polo Automotivo Jeep. Com aproximadamente 11 mil metros quadrados de área construída, está localizado no centro da fábrica Jeep e é onde estão concentrados os resultados físicos de cada etapa de produção. É possível, a partir dessa área central, percorrer a pé os pontos essenciais de todos os processos de produção, desde a área de prensas até os veículos prontos para entrega ao consumidor na etapa final da unidade de montagem. O resultado de tal configuração é uma tomada de decisão rápida, uma organização eficiente da planta e o aumento no conhecimento do negócio. No interior do Communication Center, quatro áreas atuam em sinergia com esses conceitos: Centro de Componentes, Centro de Processos, Centro de Veículos e escritórios abertos.

Nacionalização de conteúdo é estratégica para Jeep

Primeiro carro a ser produzido no Polo Automotivo Jeep, em Goiana, o Jeep Renegade sai da linha de produção e chega às concessionárias de todo o País com um índice de nacionalização de mais de 70%. A expectativa de tornar o veículo o mais brasileiro possível, no entanto, é ainda mais ousada. Nos próximos meses, o índice de localização deve superar a casa dos 80%, percentual que vai repetir-se também nos demais veículos a serem fabricados em Pernambuco. A alta nacionalização é um fato notável, pois o índice alcançado é muito superior ao que se observa de modo geral em fábricas em início de produção. Iniciar o projeto com alta nacionalização de componentes é decorrência de uma decisão estratégica do grupo. Foi com este objetivo que a fábrica Jeep foi concebida como o centro de um polo automotivo, que conta com um parque de fornecedores com 16 empresas, responsáveis pela fabricação de 17 linhas estratégicas de produtos. Apenas estes fornecedores internos ao perímetro da fábrica serão responsáveis por 40% dos conteúdos do Jeep Renegade. Os demais componentes que permitirão alcançar o índice de nacionalização de 80% virão de Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais e outros estados.

A estratégia que estruturou o Polo Automotivo Jeep privilegiou estabelecer ao lado da planta as principais linhas de insumos e componentes, exatamente aquelas que impactam principalmente na logística e na qualidade. Esta localização permite maior flexibilidade no abastecimento, com a adoção dos sistemas just in time e just in sequence. Além disto, esta opção estreita e consolida ainda mais a relação com os fornecedores.

“A estruturação do Parque de Fornecedores foi um processo inovador, pois, ao contrário de como costuma ocorrer, primeiro foram definidas as linhas estratégicas de produto e seus respectivos processos – padrão de manufatura de classe mundial, tecnologias, equipamentos de produção e de controle – para posterior escolha dos fornecedores. Na etapa seguinte, definimos em conjunto com os fornecedores os fluxos logísticos e leiautes, para, somente a partir daí, dimensionar o complexo do Parque de Fornecedores”, explica o diretor de Gestão de Projetos Estratégicos da FCA, Antônio Damião.

Os investimentos no Parque de Fornecedores ultrapassaram os R$ 2 bilhões, sendo que a FCA contribuiu com cerca de R$ 1 bilhão (obras civis e utilidades) e os 16 fornecedores com outros R$ 1 bilhão (equipamentos). Foram instalados no parque a produção de conjuntos estampados e soldados, pintura, peças injetadas de acabamento interno e externo, montagens (como bancos, mecanismos, suspensão, pneus/rodas, vidros, entre outros) até sistemas complexos como painéis de instrumentos, sistema de arrefecimento do motor e ar condicionado, conforme explica Alfredo Fernandez, diretor do Parque de Fornecedores.

Um projeto para transformação de vidas

Paralelamente à construção do Polo Automotivo Jeep, outro grande desafio foi vencido: atrair, organizar, contratar e treinar a mão-de-obra necessária em uma região sem tradição industrial, estruturando equipes para construir o polo industrial e, posteriormente, para operá-lo. “Encaramos esse desafio como uma oportunidade. Nosso objetivo primário era compreender a realidade local e os desafios que projetos dessa magnitude poderiam apresentar. Para isso, vários colegas de RH da América Latina se envolveram e se juntaram aos admitidos em Pernambuco e aos principais gestores locais. Juntos, agrupamos várias competências”, explica Adauto Duarte, diretor de Recursos Humanos para o Polo Automotivo Jeep.

Ainda em 2010, bem antes do início das obras, a equipe de Recursos Humanos buscou conhecer os costumes locais e estabelecer uma relação próxima com a comunidade. Para isso, foram realizadas várias pesquisas para farta coleta de dados sobre a região. Durante vários meses, a região de Goiana foi toda mapeada e um perfil do Estado foi elaborado. Adauto e seus colegas de RH foram também conhecer grandes obras do Brasil, como o do Porto de Suape, as usinas hidrelétricas do Madeira (Jirau) e obras da Copa, para saber quais os principais obstáculos durante a implantação de cada uma. A partir daí, desenharam-se políticas de gestão de pessoas para o projeto, reunindo algumas ações já consolidadas no grupo e criando-se outras. “O desafio era trabalhar políticas para construir um ambiente harmônico no polo, coordenando a atuação de 320 empresas fornecedores de serviços, e mais de 11 mil pessoas no pico da obra, em 17 prédios agrupados num mesmo local”, explica.

Os resultados colhidos concretizam a expectativa inicial de que a implantação do agora Polo Automotivo Jeep representaria um legado para a FCA, para o Estado e para a sociedade. O objetivo maior foi conquistado: desenvolver um novo time de profissionais, capazes de integrar, desenvolver e aplicar conhecimentos mais avançados da indústria automotiva para um mercado em evolução. E na implantação de uma nova marca: Jeep.

Para atrair e recrutar talentos, do nível básico ao altamente especializado, a área de Recursos Humanos lançou mão de vários métodos. Utilizou desde websites para receber currículos até carros de som nas ruas dos bairros humildes de Goiana e da região para dar acesso às pessoas ao processo seletivo. Outra decisão importante foi a opção por aproveitar trabalhadores locais em vez de trazê-la de outro lugar. Também optou-se por não erguer grandes alojamentos no canteiro da obra, porque a experiência em outras grandes obras mostrou que a alta concentração de gente em alojamento aumenta os índices de violência, prostituição, tráfico e consumo de drogas. No período de construção, 70% de mão-de-obra na construção era local. Os 30% restantes vieram de fora e foram alocados, de forma planejada, em uma série de moradias integradas à cidade, chamadas de ‘repúblicas’, além de apartamentos, pequenos hotéis alugados ou casas reformadas, com a característica comum de abrigarem um número reduzido de trabalhadores. Para garantir o equilíbrio social nas repúblicas, visitas noturnas com palestras foram realizadas com frequência em uma articulação da FCA com a Polícia Militar, Secretaria de Ação Social e Conselho Tutelar. Durante a ação, eram discutidos temas de interesse da sociedade como a Lei Seca e o combate à prostituição infantil. Em paralelo, grupos folclóricos apresentavam a cultura local para os recém-chegados a Pernambuco.

O projeto de qualificação de pessoas para o Polo Automotivo Jeep passou por três momentos. Numa primeira etapa, foram treinadas pessoas para a construção civil e instalação de máquinas e equipamentos. O governo do Estado e as prefeituras, em parceria com a FCA, ofereceram ferramentas de qualificação de trabalhadores para as construtoras para permitir que as pessoas da Zona da Mata Norte pudessem trabalhar na construção do Polo. Nesse estágio, o desafio foi vencer, muitas vezes, o baixo índice de escolaridade dessa mão-de-obra. Muitos precisaram passar por qualificação básica em matemática e português para depois entrarem na capacitação profissional propriamente dita. Muitos vieram do comércio local, como balconistas, ou trabalhavam com cana-de-açúcar. “Apenas nesse estágio de construção civil e implantação de máquinas e equipamentos, capacitamos 8 mil pessoas”, revela Adauto. Tal esforço permitiu que esse contingente migrasse de atividade econômica.

Na fase seguinte, já na fase de contratação de funcionários para a indústria, também em articulação com o governo do Estado e com o Senai, foram preparados e oferecidos vários cursos técnicos (de mecânica, elétrica, eletrônica etc.) na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Parte das pessoas empregadas no polo saiu desse processo. Paralelamente, a equipe de RH passou a articular a formação de pessoas com graduação. Como exemplo, a FCA estabeleceu uma parceria com o governo do Estado, juntamente com a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEP), para possibilitar a dupla graduação de estudantes de segundo ano do curso de engenharia das universidades locais, em intercâmbio com o Instituto Politécnico de Turim, na Itália. Foram selecionados 20 estudantes brasileiros que foram enviados à Itália e voltaram com dupla titulação e já foram contratados pela FCA.

A criação de talentos para o polo é um processo sem fim. Por isto, foi constituído o Polo de Educação Automotivo, firmada em dezembro de 2014 com a assinatura de um protocolo de intenções entre a Jeep e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Universidade de Pernambuco (UPE), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI-PE) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL-PE).

Reflexos econômicos e sociais

O Polo Automotivo Jeep é um ativo valioso não apenas para a FCA. Ele representa um grande impulso para o desenvolvimento econômico e social da região em que está instalado, de Pernambuco e do próprio Nordeste. A indústria automobilística é um poderoso indutor de desenvolvimento. O setor e sua cadeia produtiva respondem por cerca de 5% do Produto Interno Bruto total do Brasil e por 23% do PIB industrial. É denominado “indústria de indústrias”, tal a sua capacidade de estruturar em seu entorno parques de empresas transformadoras de matérias-primas e produtoras de componentes vinculados a inúmeros setores da economia, abrangendo toda a escala de complexidade tecnológica. Os reflexos são mensuráveis. Estudo realizado pela consultoria Ceplan projeta que, em 2020, o Polo Automotivo Jeep vai contribuir com 6,5% do PIB de Pernambuco. Será uma curva ascendente, considerando que já em 2015, primeiro ano de operação, terá participação de 2,5% no conjunto de riquezas produzidas dentro do Estado. Essa geração de riquezas será feita predominantemente com o emprego de mão-de-obra local, o que significa que produzirá efeitos sociais positivos.

 

Novas práticas sustentáveis

O Polo Automotivo Jeep reúne em um só lugar os melhores processos produtivos da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e também as melhores práticas orientadas para a sustentabilidade. A FCA se propôs a missão de contribuir para a promoção da cidadania nas comunidades do entorno e, para isso, desenvolve e apoia ações nas áreas de educação, saúde, meio ambiente e cultura.

Na vertente da educação, o Polo Automotivo Jeep, criou uma série de ações para estimular e desenvolver o aprendizado de crianças, jovens e adultos. Para isto, estabeleceu compromisso com a Prefeitura de Igarassu, o Instituto de Co-Responsabilidade pela Educação (ICE) e Instituto Qualidade no Ensino (IQE), a fim de melhorar o ensino público do município. O termo de cooperação prevê a qualificação dos docentes, reforço escolar em Matemática, Português e Ciências, e implantação de escolas em tempo integral.

Também estabeleceu parcerias com as principais universidades e centros de ensino de Pernambuco e da Paraíba, para a criação do Polo de Educação Automotiva, inspirado na experiência de sucesso do Vale do Silício, nos Estados Unidos. Outras duas iniciativas foram a distribuição de kits escolares para os filhos dos funcionários e o Compromisso Criança na Escola, através do qual todos os colaboradores com filhos em idade escolar devem comprovar sua matrícula em instituições de ensino.

Práticas avançadas do sistema de gestão ambiental também foram adotadas. A Jeep trabalha na perspectiva de reciclar 100% de seus resíduos sólidos, dentro no programa Aterro Zero, e de recircular e reusar 98% da água utilizada no processo industrial. O projeto de biodiversidade Nosso Verde é baseado em estudo inédito para resgate histórico da flora da Zona da Mata Norte. Ao todo, foram inventariadas mais de 600 espécies nativas e, já no início do projeto de paisagismo, foram selecionadas cerca de 250 espécies diferentes, que estão sendo plantadas no entorno da fábrica.

Na vertente do bem-estar, o Polo Automotivo Jeep contribui para melhorar a saúde da população do entorno, através da construção de uma Unidade de Pronto Atendimento Especializado (UPAE), em Goiana, para ampliar a oferta de atendimento médico em diversas especialidades e pequenas cirurgias. Preventivamente, os trabalhadores do Polo Automotivo de Pernambuco participam de programas de conscientização nas áreas de alimentação e saúde com foco na prevenção de doenças crônicas como diabetes e hipertensão. Os restaurantes do polo oferecem alimentação diversificada e balanceada, como parte do programa.

Pernambuco possui uma infinidade de manifestações culturais próprias e, para valorizá-las, foram desenvolvidos projetos culturais, como o Sentidos Culturais Jeep, para que artistas populares da Zona da Mata Norte consigam expandir a divulgação de seus trabalhos.

Os restaurantes da fábrica e o Communication Center (na recepção e nos escritórios), receberão trabalhos de artistas pernambucanos ou radicados no Estado. Além disso, uma plataforma digital está sendo elaborada, com o intuito de salvaguardar e possibilitar a difusão de conteúdo sobre manifestações culturais espalhadas em toda a Zona da Mata do Estado e em seus arredores.

Fonte: FCA Press

Comente aqui


Ducati Curitiba recebe a tão aguardada Monster 1200

Monster 1200

Os modelos, 1200 e 1200 S, estarão disponíveis na concessionária a partir desta terça-feira (28)

Curitiba, 27/04/2015 – A Ducati Curitiba presenteia os curitibanos com a chegada das aguardadas Monster 1200 e 1200 S. Os modelos estarão disponíveis na concessionária a partir desta terça-feira (28) e podem ser adquiridos, na versão de entrada, a partir de R$ 64.900 e na top de linha, até R$ 73.900,00. Os interessados podem realizar o test ride no modelo 1200.

Os novos modelos da Monster, recém chegados no Brasil, fizeram a estreia em 2013, no salão de Milão, na Itália e marcam a 3ª geração da família. Tanto os modelos 1200, quanto o 1200 S, vêm com motorização de refrigeração líquida e motor de 1198 cc, testastretta, 11º DS de dois cilindros em L . A versão 1200 desenvolve 135 cavalos e a top de linha S 145.

Os novos modelos da família Monster estão incrementados com três modos de pilotagem: o Sport, que entrega rapidamente a potência total da motocicleta; o Touring, que mantém a potência máxima mas com uma entrega gradual; e o Urban, que reduz a potência para 100 hp para uso dentro da cidade ou em pista molhada.

Ambos os modelos contam também com um painel em TFT colorido, três níveis de freio ABS e 8 níveis de controle de tração.

Fonte:

Marcela Rolim

Lide Multimidia – Assessoria de Imprensa

Comente aqui


Suzuki lança o S-Cross – Nova geração de crossover

A Suzuki apresenta o S-Cross, nova geração de crossover. Resultado da determinação da marca em desenvolver novas tecnologias para eficiência e segurança. Sistema AllGrip e baixo consumo de combustível são destaques no pacote de inovações.

“O novo S-Cross é uma nova geração de crossover que foi desenvolvida com foco em eficiência, em segurança e que privilegia a facilidade de uso e afinidade com o usuário. Ele tem traços fortes, identidade única e é ‘easy to drive ’!
O design seduz, mas será com o passar do tempo que os usuários vão construir seu relacionamento com o novo S-Cross. A cada dia vivemos mais tempo dentro de nossos carros e a cada dia torna-se mais importante a facilidade de interação e afinidade entre homem e máquina. O novo S-Cross é acima de tudo um carro desenvolvido com foco nas pessoas !
A tecnologia TECT (Total Effective Control Technology) do novo S-Cross o tornou mais leve. E carros mais leves se movimentam com mais facilidade, consomem menos combustível, aceleram, freiam e respondem melhor aos comandos do motorista.
Todo relacionamento requer confiança, e o novo S-Cross estabelece uma forte relação de segurança com seus usuários. O S-Cross possui extensa lista de tecnologias que ajuda a evitar acidentes:
– Alta Capacidade de resposta aos comandos do motorista.
– Tecnologia All Grip que modula a distribuição de torque nas quatro rodas.
– Sistema VGR de direção elétrica com passo variável.
– Esforço de direção modulado pelo sistema All Grip.
– Retrovisor eletrocrômico.
– Sensor crepuscular inteligente.
– Sensor de chuva.
– Amplo campo de visibilidade.
– Faróis bi-xenon.
– Freios ABS, EBD, BAS e BOS de 9°geração.
– Sistema de controle de estabilidade (ESP).
– Sistema TCS de controle de tração.
– Isofix com dupla posição.
E ainda, em caso de acidente o novo S-Cross protege seus ocupantes com as seguintes tecnologias:
– TECT – Estrutura leve e resistente.
– Estrutura deformável.
– Célula de sobrevivência.
– Barras de proteção lateral.
– 6 Air Bags.
– Cintos de segurança com detonador pré-tensionador.
– Coluna de direção deformável.
– Pedal de freio desarmável.
– Estrutura deformável em caso de atropelamento.
“O lançamento do S-Cross é um passo importante para a Suzuki e marca a nossa entrada em um novo segmento. Não queremos ser apenas mais um no mercado de veículos. Amamos o que fazemos e somos obstinados pelo atendimento ao cliente. Acreditamos no relacionamento de longo prazo. Esse é o nosso diferencial. É assim que queremos conquistar os clientes. Não existe produto sem atendimento, não existe marca sem cliente. Quem tem o poder de construir uma marca são os clientes !. E trabalhamos para surpreendê-los todos os dias.”
Luiz Rosenfeld
Presidente da Suzuki Veículos do Brasil.

PESO E EFICIÊNCIA
O Suzuki S-Cross é a perfeita combinação de um crossover leve, com apenas 1.125kg, e um eficiente motor 1.6 de 120cv e 16kgfm de torque, que resulta em ótimo compromisso de desempenho, eficiência, consumo reduzido de combustível e baixa emissão de poluentes.
Dados INMETRO – Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia de consumo de combustível no PBEV – Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular:
11,9 km/l – Ciclo Urbano
13,2 km/l – Ciclo Rodoviário
Na categoria SUV compacto o novo S-Cross está classificado com nota A.
O novo S-Cross também ganhou o selo CONPET pelo seu desempenho tanto na sua categoria como na geral.
TECNOLOGIA ALL GRIP
Novo sistema de tração nas quatro rodas, selecionáveis para melhor dirigibilidade em diferentes condições de terreno e performance, garantindo mais aderência, estabilidade e segurança ativa.
O sistema AllGrip interpreta o movimento do motorista ao volante combinado com o micro escorregamento dos pneus no solo e modula a distribuição de torque entre as rodas e o esforço do volante. Se necessário, o sistema ainda aplica frenagem de forma individual em qualquer uma das rodas para garantir aderência e tração.
A tecnologia de aderência total AllGrip incorpora um inovador padrão de segurança ativa embarcado no Suzuki S-Cross. Controla não só a transmissão de força às rodas do eixo traseiro, como também atua em conjunto com os sistemas de motor, transmissão, TCS (controle de tração) e ESP (controle de estabilidade) e direção.
São quatro diferentes modos de tração:
– AUTO: proporciona maior economia de combustível em condições normais de uso e automaticamente muda de 2WD para 4WD, de acordo com as necessidades do terreno;
– SPORT: Otimiza as trocas de marchas e as características de torque do motor, pois com menor aceleração, mantem a rotação alta o suficiente para uma resposta imediata. O sistema ainda transfere torque para o eixo traseiro
para promover melhor desempenho em curvas, privilegiando uma direção mais esportiva.
– SNOW / MUD: otimiza o desempenho em pisos de baixa aderência como neve, lama ou outras superfícies escorregadias. O uso do modo SNOW / MUD também controla a tendência ao sobre esterço e sub esterço, tornando a condução o mais estável possível mesmo nos pisos mais escorregadios.
– LOCK (4WD): para uso off-road em piso de baixa aderência, auxilia a saída do veículo quando atolado em lama, areia, neve, etc. Isto é possível através de um torque elevado e constante que é enviado a todas as rodas (quase 50/50).
SEGURANÇA
• TECT – Tecnologia de Controle Efetivo Total Suzuki.

A carroceria do novo S-Cross incorpora a tecnologia de controle efetivo total da Suzuki (TECT) para absorção de impacto e proteção dos ocupantes. Para isso, a carroceria incorpora o uso de aços de alta resistência para os principais componentes estruturais, tornando a carroceria leve e excepcionalmente resistente em caso de acidentes. Como exemplo, a coluna B utiliza aço de ultra resistência à tração de 1 500 MPa feita através do processo de conformação a quente que a torna rígida e muito leve.
O capô, para-choques e partes da carroceria têm estruturas de absorção de impacto que atenuam a extensão dos ferimentos em caso de atropelamento.
Como consequência o novo S-Cross conquistou a classificação de cinco estrelas (a maior disponível) para ocupantes (adultos e crianças) e pedestres no (Euro NCAP).
Suspensão dianteira
A suspensão dianteira tipo MacPherson está integrada a um sub chassi de alta rigidez, que combinados com amortecedores pressurizados, molas progressivas e barra estabilizadora, permitem o controle de rolagem da carroceria nas curvas garantindo o equilíbrio e a robustez ao S-Cross em qualquer tipo de terreno, seco ou molhado.
Suspensão traseira
O conjunto da suspensão traseira foi especialmente projetado para proporcionar grande estabilidade em curvas e melhor dirigibilidade. Conta com eixo de torção, tubular e de geometria de efeito direcional, que além de leve e funcional ainda dispensa a barra estabilizadora e somadas às molas helicoidais, garantem melhor performance em curvas.
ESP (Electronic Stability Program) ou Programa Eletrônico de Estabilidade atua diretamente nos freios e evita que o motorista perca o controle direcional em curvas ou desvios de trajetória, garantindo assim maior segurança. O dispositivo analisa a rotação de cada uma das rodas em relação à velocidade do veículo e também o ângulo de esterço do volante, identificando rapidamente a roda que está perdendo aderência. Neste momento, aciona o freio da roda que melhor ajudará a corrigir a trajetória do veículo, evitando que o mesmo rode ou tangencie a curva.
TCS (Traction Control System)
Sistema eletrônico que previne o escorregamento de uma ou mais rodas de tração do veículo. Em pisos molhados, neve ou trechos de lama, o TCS reduz o torque na roda que está perdendo tração, ajudando o motorista a não perder o controle do veículo ou a sair de situações difíceis.
Freios – ABS / EBD / BAS / BOS
Além do sistema ESP e TCS o novo S-Cross incorpora freios ABS (Antilock Brake System – sistema antibloqueio) de nona geração; EBD (Eletronic Brake Distribuition), que distribui a força de frenagem em função do numero de ocupantes e bagagem); BAS (Brake Assist), garante força máxima de frenagem, auxiliando o motorista durante as frenagens de emergência; e o BOS (Brake Override System) que inibe o movimento do veículo em caso de aplicação simultânea de freio e acelerador.
Freio a disco ventilados na dianteira e solido na traseira. Pinças de freio traseiras em alumínio para redução de peso e melhor dissipação de calor.
Conjunto ótico: Com design tridimensional incorpora faróis de xenon (HID) nos focos alto e baixo, projetor head lights, lanternas em LED e ajuste de altura e lavagem automaticos.
Airbags
Seis airbags com SDM (Sensing Diagnostic Module – caixa preta de memória perpetua).
Isofix
Sistema Isofix de fixação de cadeirinhas de criança no banco traseiro com dupla posição.
Cinto de segurança
De três pontos para todos os usuários e com pré-tensionador – com detonador pirotécnico que tira a folga do cinto de segurança em caso de acidente para os bancos dianteiros.
Visibilidade Superior
A ampla área envidraçada e os espelhos retrovisores externos, rebatíveis eletricamente, foram desenvolvidos para otimizar o campo de visão do motorista, facilitando a condução do veículo.
DESIGN
Design com três temas chaves: Modernidade x Qualidade x Aerodinâmica
O novo S-Cross tira vantagem de sua forma aerodinâmica, que promove a economia de combustível através de suas linhas de contornos suaves, que otimizam a passagem do fluxo de ar. A carroceria com 4.300mm de comprimento transmite um forte e confiante caráter crossover.
No design da lateral, a linha de teto desce suavemente na parte traseira para formar uma linha fluida, dando a sensação de esportividade e ajuda no formato aerodinâmico superior da carroceria. Contornos suaves na lateral suavizam a passagem do fluxo de ar.
Seguindo tendência mundial de design, a versão GLS oferece como opção diferentes combinações de cores entre teto e carroceria. As combinações de cores são: Bronze / Bege, Cinza / Preto, Prata / Preto e Branco / Preto.
ESPAÇO INTERNO E CONFORTO
O novo S-Cross conta com amplo espaço interno para motorista e passageiros com destaque para os bancos traseiros com duas posições de ajuste, descansa braço (com porta copos) e rebatíveis em um terço e dois terços, que permitem que o espaço seja utilizado de diversas maneiras, ampliando os 440 litros do porta-malas.
O porta-malas conta ainda com uma tampa que nivela o assoalho com os bancos rebatidos, facilitando a acomodação de objetos maiores. Abaixo da tampa ainda há espaço para outros volumes, além de dois compartimentos laterais que podem ser abertos para objetos largos. A tampa pode ser removida ou baixada no piso da área de bagagem, permitindo que itens altos possam ser carregados.
Os bancos dianteiros oferecem excelente apoio e conforto, acomodando os ocupantes firmemente.
O volante conta com sistema de regulagem de ajuste de profundidade em até 36mm e variar sua altura em 40mm. Essa ampla regulagem do volante, aliada a regulagem do banco do motorista.
Outros itens de conforto:
Sensor crepuscular inteligente – acende automaticamente os faróis e lanternas, distinguindo a perda de luminosidade natural de uma situação pontual, pois o sensor monitora a luminosidade à frente e acima do veiculo. Quando o veiculo entra em um túnel longo e escuro, o sistema acende os faróis e as lanternas imediatamente. No caso do veículo entrar em um túnel curto, os sensores detectam não só o escuro, como também a luz do final do túnel e o sistema não liga os faróis.
Sensor de chuva
Aciona e ajusta automaticamente a velocidade do limpador de para brisas de acordo com a intensidade da chuva e velocidade do veiculo.
Transmissão CVT de sete posições com paddle shift
Permite as trocas de marcha de modo manual, entregando conforto e esportividade na medida certa.
Hill Hold
Facilita saídas em rampas e evita que o carro se movimente para trás quando o condutor move o seu pé do pedal do freio para o pedal do acelerador.
Sensores de proximidade dianteiro e traseiro: Facilitam as manobras e contam com aviso sonoro e indicação integrada ao computador de bordo.
Painel de instrumentos: Funcional e de fácil leitura, incorpora o velocímetro, conta giros e computador de bordo de 12 funções.
Computador de bordo com 12 funções
O computador de bordo, com tela de cristal líquido de alta definição, apresenta:
1. Relógio
2. Modo de Tração 4X4 (somente nos veículos 4WD)
3. Temperatura externa
4. Consumo instantâneo de combustível
5. Consumo médio
6. Autonomia
7. Velocidade média
8. Indicador de posição de marcha
9. Gear Shift Indicator – Orientação do momento de troca de marcha para melhor consumo de combustível
10. Hodôetro total
11. Hodômetro parcial A e B
12. Gráficos dos sensores de aproximação dianteiros e traseiros.
Teto solar – double sliding
Panorâmico (ocupando praticamente todo o teto do veículo), proporciona sensação de visibilidade, luminosidade e ventilação, a combinação perfeita entre esportividade e conforto. Quando fechado, os painéis de vidro têm comprimento total de 1.000mm. Conta ainda com defletor aerodinâmico, função antiesmagamento e fechamento automático.
Keyless – Push Start System
Incorpora três funções: abrir e dar a partida no veiculo sem que precise tirar as chaves do bolso ou bolsa; abertura e fechamento das portas através do chaveiro (essa funcionalidade permite que o sistema seja desabilitado para pessoas com marca passo). E também incorpora o imobilizador, que inibe a partida do veículo sem a presença da chave.
O sistema ainda alerta no computador de bordo quando a bateria do chaveiro está fraca.
Direção Elétrica de passo variável
A direção de passo variável torna as respostas do S-Cross mais precisas ao iniciar uma curva, e mais rápidas durante as mesmas, melhorando a dirigibilidade tanto em alta quanto em baixa velocidade.
Direção Inteligente
Esforço de direção modulado pelo sistema AllGrip
Cruise Control
Mantem a velocidade constante conforme comando do motorista. Mais conforto e tranquilidade para dirigir em estradas e também no dia a dia.
Speed Limiter
Limitador de velocidade que facilita o uso do veículo em áreas de velocidade controlada.
Sistema Multimídia
(FM, CD player, MP3 e USB no console central) e vídeo de 8″ com navegação integrada e conexão com a internet
Espelhos
Externo: rebatíveis elétricos.
Interno: eletrocrômico: O espelho retrovisor interno do veículo escurece automaticamente quando a luz do farol do veiculo que vem atrás o atinge, voltando ao normal quando a intensidade desta luz diminui, evitando assim que o motorista seja ofuscado.
Espelhos de cortesia com iluminação no para sol
Pneus
Rodas aro 17 – Black & Diamond com pneus Pirelli P-Zero Nero 225/50 R17.
PREÇO PÚBLICO:
R$ 74.900,00 – GL (MT)
R$ 88.900,00 – GLX (CVT)
R$ 95.900,00 – GLX 4WD (CVT)
R$ 105.900,00 – GLS 4WD (CVT)
CORES
Branco – Perolizado
Branco / Preto – Perolizado
Prata – Metálico
Prata / Preto -Metálico
Cinza – Metálico
Cinza / Preto -Metálico
Preto – Metálico
Vermelho – Solido
Bronze – Perolizado
Bronze / Bege – Perolizado
Opções:
Pintura Metálica / Perolizada: R$1.400,00
Carro Bronze/ Bege; Prata / Preto; Cinza / Preto e Branco / Preto: R$1.000,00 – Disponíveis na versão GLS.
Fonte:
Imprensa Suzuki Veículos
Meg Cotrim
Entre e divirta-se no Mundo Suzuki!
Descubra mais em suzukiveiculos.com.br,
facebook.com/suzukibr; instagram @suzukibr
Comente aqui


JAC Motors amplia sua linha de SUV’S com o lançamento do S2 no Shanghai Auto Show 2015

JAC T3

 

  • Modelo será comercializado em outubro na China e vai estrear no segundo semestre de 2016 no mercado brasileiro
  • Chamado de S2 na China, o novo JAC será rebatizado como “T3” no Brasil. Será equipado com motor 1.5 16V VVT Jet Flex de 127 cv
  • O JAC T3 irá se somar à família de SUV´s mais completa do mercado nacional. O T6, de maior porte, acaba de ser apresentado, enquanto o T5 ganhará as ruas brasileiras em dezembro de 2015

 

Lançar um SUV de porte compacto no mercado nacional que ofereça as medidas mais generosas da categoria foi o ponto de partida para o desenvolvimento do S2, que será chamado de T3 no mercado brasileiro. Quando foi idealizado, o modelo tinha como compromisso acomodar confortavelmente cinco ocupantes, o que, como se sabe, é uma tarefa difícil para veículos de porte compacto. Com uma carroceria de 4,14 metros de comprimento por 1,75 m de largura, e entre-eixos de 2,49 m, o T3 cumprirá essa missão. Ele será o maior e mais espaçoso “aventureiro” de seu segmento.

Idealizado inicialmente para atender ao mercado brasileiro, onde será fabricado futuramente, o T3 virá equipado com motor 1.5 16V VVT Jet Flex de 127 cv (etanol) e receberá as opções de câmbio manual de 6 marchas ou automático tipo CVT. Sua estreia no mercado chinês vai ocorrer no segundo semestre deste ano, cerca de um ano antes do início das vendas no Brasil, prevista para agosto de 2016.

Repleto de detalhes exclusivos, que realçam o posicionamento de um segmento superior, o T3 exibe a frente com formato em trapézio, que aponta a tendência de design dos futuros modelos da JAC. Com linha de cintura alta, ele “esconde” a maçaneta das portas traseiras na coluna C, criando um interessante efeito estético de “cupê”. Por dentro, além de um painel completamente novo, o modelo incorpora um conjunto multimídia com mirror link em tela de 7 polegadas.

“Estamos propondo uma agenda intensa de lançamentos de SUV´s da JAC Motors no Brasil. Além do T6, que chegou há poucos dias no mercado, vamos apresentar o T5, de porte ligeiramente menor, em dezembro deste ano e, no ano que vem, apresentaremos o T3, que é ainda mais compacto. Mas, assim como os outros dois modelos, nossa premissa de oferecer modelos maiores que a concorrência vai prevalecer com essa novidade”, comenta Sergio Habib, presidente da JAC Motors do Brasil, pontuando que os modelos da categoria a que o T3 irá concorrer possuem, em geral, menos de 4 metros de comprimento.

Fonte: JAC Motors Brasil

Eduardo Pincigher

Comente aqui


Rally Paraná: Prova em Apucarana foi repleta de disputas emocionantes


Foram 44 inscritos na prova de regularidade, válida pelo Campeonato Paranaense de Rally 4×4, desta vez pelo Rally da Cana

Estiveram presentes na 4ª, 5ª e 6ª etapas da 3ª edição do Rally Paraná 44 veículos que formaram um belo grid neste sábado, 18, na cidade de Apucarana, localizado no centro-norte do estado do Paraná e distante 369 quilômetros da capital do estado, Curitiba. A largada aconteceu às 14h em frente ao Posto Catarina, BR 376, em Pirapó (saída para Maringá) para as quatro categorias Master, Graduados, Turismo e Turismo Light que passaram por propriedades particulares.

O Rally da Cana contou três baterias no percurso de três horas cada, válidos para três provas do campeonato. O rali passou também pela cidade de Cambira e distritos. Foram 137 quilômetros para as categorias Master, Graduados e Turismo, sendo 104 quilômetros para a Turismo Light. O tempo de prova contou com um total de 4h44min para a Master, 4h56min para a Graduados e 5h05min na Turismo.

A temperatura esteve agradável, a garoa que caiu antes da largada e na primeira travessia pelas trilhas em fazenda de canavial deixou os competidores com dúvida na utilização dos pneus. O percurso contou com terreno mesclado, trechos de terra e cascalho, em uma disputa de tirar o fôlego, com médias de velocidades bem justas, exigindo muita concentração de pilotos e navegadores para a conquista das primeiras colocações, numa prova bastante técnica.

A briga entre as categorias foram extremamente acirradas durante todo o circuito. “Prova foi 100%, grandes disputas em todas as categorias nas passagens pelos inúmeros laços, dando muito trabalho até para os mais experientes. Uma prova rápida e sem quebradeira, não tivemos nenhum carro quebrado. Pódio não se repetiu em relação a etapa passada”, avaliou Vanderlei Hirt, diretor e organizador do Rally Paraná.

A rodada do Campeonato Paranaense de Rally 4×4 foi de muita emoção e aqueceu a busca pelos melhores pontos para a tabela de classificação na corrida pelo título. Na Master, Rodrigo Ardigo/Jhonatan Ardigo, dupla da “casa” (Apucarana), a bordo da Pajero Full garantiram a vitória, com 65 pontos ganhos. “A sorte esteve conosco, era o dia. Etapa em casa, tinha que dar certo. Foi a primeira vitória juntos, que seja a primeira de muitas!”, comemorou o navegador Jhonatan do carro #3.

Já na Graduados, a dupla de Curitiba, Sandy Roncáglio/Joel Kravetchenko, com o carro Troller #103 fecharam com 59 pontos. “Foi preciso muita concentração para concluir com o maior número de acertos”, disse Sandy.

Na Turismo, o cascavelense Leandro Passos, vencedor da categoria Turismo que esteve com o navegador Wilian Pedroso, com 70 pontos. “A prova não deu trégua, com médias de velocidade justas. Além de testar piloto e navegador, exigiu habilidades técnicas”, contou Leandro do Cherokee #201.

Também de Apucarana pela Turismo Light, o piloto Rogério Gonçalves, que
competiu ao lado do navegador Felipe Gonçalves (Troller #501), o maior objetivo foi marcar pontos e acumular experiência no campeonato. “Aprovado mais essa grande aventura e vencê-la foi excelente”, contou Rogério.

A 3ª prova do Rally Paraná será na cidade de Umuarama, no dia 13 de junho para a realização do Rally de Inverno. As inscrições já estão abertas no site oficial, www.rallyparana.webnode.com, onde também encontrarão todas as informações. Se preferir, podem enviar um e-mail para [email protected].

O Rally Paraná tem patrocínio da cota de: Ouro Trilha Eurocar, Dispauto, Zenz Bonés e Camisetas, Mamute Off Road, Barracão do Jeep e Acassius Centro Gráfico. Conta com apoio da: TOTEM, Rallye Clube Cascavel e parceiros como Jeep Clube Apucarana. A realização é do Rally Paraná com Supervisão da Federação Paranaense de Automobilismo.

Confira o resultado da 2ª prova do Rally Paraná – Apucarana:

Categoria Master
1) Rogério Ardigo/Jhonatan Ardigo, Apucarana/Pajero, 65 pontos ganhos
2) André Pereira de Queiroz/Leandro Macedo Ferreira, Curitiba/Troller, 53
3) Sandro Suptiz/Eduardo Ortolan, Cascavel/Pajero, 46
4) AlessandroWeirich/Robson Schuinka, Curitiba-Cascavel/Troller, 38
5) Agnaldo Reis Magal/André Reis, Apucarana/Troller, 37
6) Marcelo Felipe Rorig/Roberto Luiz Spessatto, Palotina/Troller, 37
7) Luiz Carlos Poli/Luiz Afonso Poli, Curitiba/Pajeto, 35
8) Marcos Bezerra/Antonio Bezerra, Ponta Grossa/Pajero, 29
9) Aparecido Matias Fernandes/Marcos Evangelista, Curitiba/Troller, 26
10) Victor Pudell/Caio Boscolo, Toledo/Troller, 25
11) Marcos de Beltrão/Leandro de Beltrão, Francisco Beltrão/Troller, 13
12) Otávio Enz/Allan Enz, Apucarana/Troller, 0

Categoria Graduados
1. Sandy Roncáglio/Joel Kravetchenko, Curitiba/Troller, 59
2. João Laurindo Rodrigues/Bryan Hirt Marques, Apucarana/Troller, 52
3. Edson Magnett/Vinícius Galloinácio, Curitiba/Troller, 51
4. Mauri Glir/Henrique Glir, Curitiba/Troller, 46
5. Marcelo Gouveia/Vinícius Cechinatto, Curitiba/Troller, 39
6. Sérgio Alves de Oliveira/Eduardo Thomann, Cascavel/Troller, 34
7. Eraldo Franzoi/Antenor Neto de Oliveira, Curitiba/Pajero, 31
8. Claudio Dalmina/Elmo Volkmann Filho, Cascavel/Wangler, 30
9. Odair Queiroz/Rafael Augusto Avelar, Curitiba/Troller, 23
10. Marcos Lotti/Rodrigo Risoles, Cascavel/Pajero, 21
11. Irineu Pedroso/Arthur Scotton, Cascavel/Troller, 20
12. Thiago Germano/Alexandre Oberg, Curitiba, 14
13. Robson Batista/Wilson Batista, Curitiba/Pajero, 0

Categoria Turismo
1) Leandro Passos/Wilian Pedroso, Cascavel/Cherokee, 70
2) José Uebi Maluf/Hugo Boscolo, Toledo/Troller, 59
3) José Mateus Gonçalves/Vicente Munhoz, Cambé/L200, 50
4) Gerônimo Pires Alves/Welbister Alves, Umuarama/Pajero, 39
5) Deonilson Salla/Emerson Coleti, Curitiba/Troller, 35
6) Renê Bondignon/Margaret Bondignon, Cascavel/Ranger, 32
7) Marcelo Morília/Bolivar Campestrini, Francisco Belstrão/Pajero, 30
8) Bruno Cesconetto/Luana de Deus, Cascavel/Pajero, 27
9) Dirceu Salla/Leonardo Farias, Curitiba/Troller, 26
10) Jair Antonio Rodrigues/Juan Marco Hachicho, Umuarama/Troller, 21
11) Marcos Domingues/André Domingues/Umuarama/Troller, 17
12) Luiz Carlos Rodrigues/Pedro Freitas Rodrigues/Umuarama/Troller, 13
13) Devarlei Kuhn/Evandro Miotto, Cascavel/Jeep, 7

Categoria Turismo Light
1) Rogério Gonçalves/Felipe Gonçalves, Apucarana/Troller, 501
2) Vander Hirt Marques/Fabiana Gonzales, Apucarana/Vittara, 520
3) Giuliano Borazo/Adriana Dacorégio, Guarapuava/Pajero, 793
4) Fábio Patucci/Leonardo Quinhones, Foz do Iguaçu/S10, 976
5) Leonardo Borges Menarim/Adriana Michele, Castro/L200 Triton, 5456
6) Luiz Gonçales Jr/Sibeli Morial, Apucarana/Cherokee, 5591

Calendário Campeonato Paranaense de Rally 4×4 – Rally Paraná:

Etapa 1 – 28/02 – Rally da Meia Noite – Cascavel
Etapa 2 – 18/04 – Rally das Canas – Apucarana

Etapa 3 – 13/06 – Rally de Inverno – Umuarama
Etapa 4 – 15/08 – Rally Cachorro Louco – Curitiba
Etapa 5 – 05/12 – Rally Meia Noite – Curitiba

Facebook: RallyParanaPR

Fonte: Assessoria de Comunicação do Rally Paraná
SIG Comunicação | Silvana Grezzana Santos
www.sigcomunicacao.com.br

Comente aqui