direção

Sertões Expedition 2013 tem novo formato e parte de Goiânia em direção a São Paulo

Com a mudança do local de largada do Rally dos Sertões, a categoria turística também deixa a capital maranhense e terá sua largada em Goiânia e chegada em São Paulo

As mudanças no roteiro da 21ª edição do Rally dos Sertões também chegaram à categoria turística. Entre os dias 26 e 31 de julho, os participante do Sertões Expedition vão cair na estrada para uma grande e memorável aventura off-road. A bordo de veículos 4×4 com piloto e acompanhantes, a expedição passará por sete estados brasileiros, com largada em Goiânia (GO) e chegada em São Paulo (SP). Serão seis dias interagindo com a cultura e tradição dos locais visitados e muitas atividades ao longo do percurso, como: fotografia, navegação por bússola e mapa, esportes de aventura (trekking, mountain bike, rafting e escalada) e camping.
O roteiro que está sendo preparado deve levar os aventureiros desde o centro-oeste até o litoral, cruzando sete estados. Entre os locais visitados estão Brasília (DF), o rio São Francisco, o Sertão Veredas, Belo Horizonte (MG), Paraty (RJ) e o fim da jornada na cidade de São Paulo.
Para levar os amantes do esporte para dentro do Rally dos Sertões, a Dunas Race se uniu à G2 Adventure e a AMK Viagens. Juntas, as empresas criaram um pacote especial. Além de participar da competição em uma disputa paralela e diferenciada, os participantes terão a oportunidade de ver o Brasil por outro ângulo.
Para Lucas Moraes, gerente de marketing e novos negócios da Dunas Race, ter o Expedition de volta é poder proporcionar a experiência de vida do Rally dos Sertões a mais pessoas. “Todos os competidores gostam do Sertões por ele ser mais do que uma competição, muitos vêm pela experiência de vida que o rali proporciona. Agora vamos abrir novamente a oportunidade para que todas pessoas tenham essa experiência em família”.
A G2 Adventure será a empresa responsável por preparar todo o roteiro de atividades e deslocamento da categoria. Para participar dessa grande aventura a inscrição custa a partir de R$ 5.180,00 para cada integrante (no caso de quatro pessoas no carro) e inclui toda a hospedagem e alimentação durante o evento. Também estão inclusos kits com mapas, guias de viagem, bússola, camisetas e os seguros do evento e viagem. Os detalhes e exigências do pacote podem ser encontrados no Facebook oficial do evento ou na AMK Viagens, que tem exclusividade na comercialização dos pacotes.
O Sertões Expedition é uma categoria turística do Rally dos Sertões, onde o foco não é a competição e sim a diversão dos participantes. O evento tem o patrocínio da Mitsubishi Motors, que é o carro oficial do Rally dos Sertões e disponibiliza cinco veículos para a equipe que vai acompanhar o Expedition.
Mais informações e dúvidas sobre o pacote com a AMK Viagens, no telefone (11) 2507-3368, pelo site da AMK (www.amkviagens.com.br) ou pela página oficial do evento no Facebook (www.facebook.com/sertoesexpedition).
Acesse o Rally dos Sertões no Facebook:
http://facebook.com/sertoesoficial
Veja o Sertões Expedition no Facebook:
http://www.facebook.com/sertoesexpedition
Siga o Sertões no Twitter:
www.twitter.com/sertoesoficial
YouTube – Canal Rally dos Sertões:
www.youtube.com/dunasrace
Crédito das Fotos:
Divulgação PNGSV, David Santos Jr/Fotoarena e Creative Commons/Wikimedia

Fonte:
FGCom

Fernanda Gonçalves / Caio Scafuro / Cleber Bernuci
www.fgcom.com.br

 

Comente aqui

Nissan lança o primeiro sistema de controle independente da direção

Inédita, novidade controla ângulo dos pneus independentemente para maior precisão na dirigibilidade

Yokohama, Japão, 17 de outubro de 2012 – Sempre inovadora, a Nissan apresentou hoje o primeiro sistema de controle independente de direção que responde aos movimentos do condutor por sinais eletrônicos. A tecnologia, que permite mais segurança e precisão na dirigibilidade, foi totalmente desenvolvida pela engenharia da Nissan e estará presente em modelos da divisão de luxo Infiniti em um ano.

Ao contrário do sistema de direção convencional, que responde aos movimentos do motorista por meio de uma ligação mecânica, o novo sistema funciona com sinais eletrônicos, enviados para múltiplas centrais de controles eletrônicos, que são responsáveis pelo movimento das rodas. Uma das vantagens é a transmissão mais rápida dos comandos do motorista para as rodas, melhorando a sensação de dirigibilidade.

Outro diferencial é o maior controle e isolamento das variações do piso, como ondulações e pequenas imperfeições, permitindo ao motorista ter sensação mais exata de onde está passando. O sistema conta também com uma câmera acima do espelho retrovisor interno para a leitura do que está à frente do carro, detectando as mudanças no caminho e as transmitindo à central eletrônica por sinais elétricos.

Ao receber esses sinais, os controles eletrônicos realizam pequenos ajustes no ângulo do pneu para que o veículo tenha mais precisão na condução. Se a direção do carro mudar por conta dessas imperfeições na pista, o novo sistema minimiza esse efeito, controlando melhor o movimento das rodas. Não há necessidade de segurar o volante com mais força ou fazer ajustes pois a resposta da direção será mais precisa. Com isso, o motorista se cansa menos, já que faz menos esforço.

A confiabilidade do novo sistema de controle de direção independente e a estabilidade do carro são garantidas com diversas unidades de controle eletrônico (ECU). No caso de uma falha em uma delas, outra unidade assume o controle imediatamente e, em situações mais extremas, como a interrupção total de energia, há um sistema de emergência faz com que o modelo volte a ser controlado mecanicamente.

Fonte:

Nissan do Brasil

XComunicação

Comente aqui

Ford: direção no Brasil destaca a importância do Novo EcoSport na Europa

O presidente da Ford Brasil, Steven Armstrong, falou hoje para a imprensa brasileira sobre a importância do anúncio feito na Europa do futuro lançamento do Novo EcoSport naquele continente. “Esta é uma notícia histórica para a engenharia brasileira, que criou e desenvolveu este veículo fantástico”, ressaltou. O evento em São Paulo reuniu jornalistas e teve também a presença do vice-presidente de Assuntos Corporativos da empresa, Rogelio Golfarb.

“O EcoSport será vendido na Europa, além  de países da Ásia, como China, Índia e Tailândia, e na América Latina. Ele é um automóvel global que demonstra toda a sua capacidade técnica e padrão de qualidade e segurança  para atender exigentes mercados com o mesmo produto . É realmente um veículo de classe mundial”, disse Steven Armstrong.

Ele informou ainda que, dentro do Plano One Ford, até 2015 a Ford terá 85% do seu volume mundial de veículos produzidos com plataformas globais. “No Brasil, teremos a renovação de toda a linha, com produtos globais nos próximos três anos”, completou.

Segundo ele, a Ford tem como meta dobrar no mundo a sua produção anual de veículos nos próximos anos para 8 milhões de unidades, e os carros compactos têm um papel importante dentro desse objetivo. Considerando apenas os veículos Ford do chamado segmento B, entre os quais o Novo EcoSport, este volume deve atingir uma produção total de 2 milhões de unidades em 2015.

Globalização

“O Novo EcoSport é um participante ativo no processo de globalização”, afirmou Rogelio Golfarb. “Ele é um projeto criado no Brasil, resultado de importantes investimentos feitos na engenharia e manufatura do País.”

O executivo falou sobre o pioneirismo da Ford em instalar a sua fábrica em Camaçari, na Bahia, criando o primeiro polo automobilístico do Nordeste brasileiro, que hoje abriga também um dos oito centros globais de criação de produto da Ford no mundo. “Nosso desafio hoje vai além da produção, é criar uma engenharia global capaz de inovar e desenvolver novos produtos para o mundo.”

O Novo EcoSport será produzido no Brasil, Índia, China e Tailândia para venda em 180 países e é um modelo chave dentro do programa de expansão da Ford no mundo.

Fonte:

Imprensa Ford

(06/09/2012)

Comente aqui

Ford terá piloto espanhol na direção do New Fiesta no Rali da Argentina

A Ford terá um novo piloto na próxima etapa do Campeonato Mundial de Rali, na Argentina, de 26 a 29 de abril, dirigindo um dos dois New Fiestas RS do time. O espanhol Dani Sordo vai substituir Jari-Matti Latvala, que ficará fora da quinta etapa do mundial após ter quebrado a clavícula em um acidente de esqui no norte da Filândia na semana passada.

“É uma pena que Latvala tenha de perder este rali, mas garantir uma total recuperação, no menor tempo possível, é a coisa mais importante agora para ele e para o time”, diz Malcolm Wilson, diretor do time oficial da Ford.

“Temos sorte de poder contar com um piloto do gabarito de Dani Sordo no time. A sua experiência no Rali da Argentina foi um fator chave na escolha. Ele já disputou cinco vezes a prova e terminou em segundo em 2009. O contrato é para somente um rali, e gostaria de agradecer os dirigentes do seu time atual, que foram extremamente generosos em nos ajudar nessas circunstâncias desafiadoras”, diz.

Dani Sordo vai correr ao lado de Petter Solberg, piloto oficial da equipe Ford, que após o excelente desempenho no Rali de Portugal, no começo do mês, ficou a apenas 4 pontos da liderança. Ele foi o terceiro colocado na prova, que também teve outros dois New Fiestas completando o pódio, em primeiro e segundo lugar. Com isso, o time da Ford também ficou mais próximo da liderança do campeonato de fabricantes, com uma diferença de 12 pontos.

Prova de resistência

Com mais de 500 km de estradas acidentadas e um percurso total de 1.770 km, o Rali da Argentina será o mais longo do campeonato nos últimos dez anos, desde o legendário Safari Rali, no Kenya, em 2002.

A expectativa é que mais de um milhão de pessoas acompanhem a prova na província de Córdoba, a cerca de 700 km ao noroeste de Buenos Aires. Nos dois primeiros dias as pistas são predominantemente macias e arenosas, tornando-se mais abrasivas no final.

Petter Solberg mostrou resultados consistentes com o New Fiesta RS nas quatro primeiras etapas do campeonato. “Gosto desse rali, que está 120 km mais longo este ano. É uma prova de resistência, não adianta querer atacar desde o começo”, diz o piloto, que já conquistou três pódios na Argentina. “As etapas finais são em altitude e pode haver neblina e neve. Mas adoro essa prova, principalmente pelo calor dos torcedores, que lotam as pistas até nos trechos mais afastados.”

Dani Sordo fez apenas um dia de testes com o New Fiesta RS, na Grã-Bretanha, e como espanhol tem a simpatia dos fãs latino-americanos. “Estou empolgado em dirigir o Ford New Fiesta RS. Mesmo com pouco tempo de teste, me senti confortável no carro rapidamente. Os engenheiros fizeram um ajuste que funcionou e vou usar na prova”, diz o piloto de 28 anos. “Para mim é como correr em casa, porque falo a mesma língua e nos anos anteriores o apoio dos fãs foi fantástico. Será uma única corrida para a Ford, mas quero dar o meu melhor e provar que fizeram uma escolha acertada.”

Fonte:

Imprensa Ford

 

Comente aqui

Veja vídeo da ex-BBB Talula na direção do Cargo Pace Truck

Um filme que mostra a modelo Talula, ex-estrela do programa Big Brother Brasil, tem sido uma das sensações das redes sociais. A “pilota” Talula, a bordo de um Ford Cargo preparado para ser o “pace truck” da competição de caminhões mais impressionante do mundo, representa uma reedição especial do clássico “A Bela e a Fera” nas pistas brasileiras. As principais cenas da “pilota” Talula estão no vídeo http://youtu.be/PjP34CY2jTo.
O “pace truck” é o veículo que a direção da prova utiliza nas largadas e intervenções de segurança na Fórmula Truck. Esta temporada, dois fatos vão chamar a atenção do público: a beleza da Talula e a modernidade do caminhão tunado para a competição.
“Pilotar um caminhão numa pista é uma responsabilidade grande, mas minha estreia foi muito tranquila: o Ford Cargo é fácil de dirigir e confortável”, diz Talula. Para Oswaldo Jardim, diretor de Operações da Ford Caminhões, a escolha da modelo foi muito acertada: “ela deu um brilho especial à competição e o nosso caminhão Cargo ficou muito bem nas mãos da Talula.”
“Teste especial”
A Ford também aproveitou a prova de abertura do campeonato brasileiro de Fórmula Truck para realizar um “teste especial” do Novo Cargo com convidados. Um detalhe interessante para esse público é que a motorista desse teste também foi a modelo Talula.
Fonte:
(14/03/2012)
Imprensa Ford

Comente aqui

Modelo Talula, ex-BBB, na direção do Ford Cargo Pace Truck 2012

A presença de mulheres pilotando caminhões na Fórmula Truck tem crescido. Mas a grande novidade na temporada 2012 está no “pace truck” Ford Cargo escolhido para essa função, que é dirigido por uma mulher, a modelo Talula, ex-participante do Big Brother Brasil.
“O Ford Cargo é incrível, está lindo e muito confortável. Responde muito bem e me adaptei depressa”, conta a piloto, que também participa das Aventuras do Didi e estuda teatro. Ela nunca tinha entrado antes num caminhão e adorou a experiência. “O tamanho do caminhão é desafiante. Mas não é tão difícil de dirigir como parece. Além disso, é supermacio. Brinquei com o pessoal que agora vou trocar meu carro por um caminhão”, diz.
Talula foi preparada para essa missão e, assim como os pilotos, participa dos treinos em cada circuito antes das corridas. O “pace truck” entra na pista sempre que é necessária uma intervenção de segurança e não deve andar a mais de 60 km/h. Mas, nos treinamentos, ela acelerou o bruto a 150 km/h. “Faz parte da preparação, para conhecer o veículo e estar pronta para emergências. O câmbio tem 12 marchas, mas a gente já sai em quinta e não é difícil.”
A reação de espanto das pessoas diverte a modelo de 30 anos. “A maioria fica desconfiada, mas mandei bem na estreia e entrei duas vezes na pista – sorte que não houve acidentes. Espero atuar bem durante toda a temporada.”
O filho Gabriel, de 9 anos, é um dos maiores fãs do novo trabalho de Talula. Sua mãe chorou de orgulho. “Sempre fui corajosa, dirijo desde os 18 anos e não tenho medo de velocidade. No começo, encarei como mais um trabalho. Agora, é outra sensação, se tornou um prazer e estou muito feliz com essa oportunidade. É bom surpreender positivamente as pessoas.”
Moderno e bonito
Considerado o “pace truck” mais bonito já apresentado nos 17 anos da competição, o Ford Cargo tem cabine tunada com vários itens aerodinâmicos, incluindo spoilers dianteiro e traseiro, carenagem lateral, defletor dianteiro e pintura metálica especial em azul, vermelho e branco, as cores da Ford.
O Ford Cargo adota a mesma linguagem de design dos novos carros globais da Ford. A cabine de formas modernas e espaçosas vem com suspensão, painel ergonômico feito com fibra de sisal – material leve, resistente e reciclável –, coluna de direção com ajuste pneumático, banco com suspensão e opção de cabine leito.
Fonte:
Imprensa Ford

Comente aqui

Roupa especial e a segurança de grávidas na direção

A Ford projetou uma roupa especial que permite aos seus engenheiros simular o corpo, o peso e o formato da barriga de uma mulher grávida e, a partir dela, desenvolveu uma série de orientações para as futuras mamães aumentarem a sua segurança ao dirigir.

A roupa da Ford reproduz o peso e as características de uma gravidez: conta com uma bolsa de cerca de 2,7 kg que aplica uma pressão na bexiga e tem compartimentos com almofadas e água que reproduzem os movimentos do feto.

O uso dessa roupa permitiu aos especialistas da Ford simular tecnicamente algumas das limitações que as mulheres enfrentam ao dirigir quando estão grávidas, como o desconforto ao movimentar o corpo, mudanças posturais, alteração do centro de gravidade e dificuldades de alcance. Desse modo, buscaram o melhor ajuste possível do cinto de segurança, do volante e localização dos botões no painel.

Os pesquisadores da Ford continuam também a aprofundar seu conhecimento sobre a segurança das grávidas e do bebê por meio de testes de impacto virtuais. As simulações por computador permitem estudar como a gestante e o feto são afetados em choques a diferentes velocidades e ajudam no desenvolvimento de estratégias mais eficientes de proteção.

Orientações de segurança - Ao mesmo tempo, o estudo levou a Ford a divulgar algumas “dicas” importantes com orientações de segurança, especialmente sobre o uso do cinto de segurança pelas mulheres grávidas ao dirigir.

  • O acesso aos pedais tem de ser bastante cômodo, com a máxima distância possível entre a barriga e o volante.
  • O cinto de segurança deve ficar o mais próximo possível do corpo. Roupas volumosas podem prejudicar nesse sentido.
  • A alça inferior (pélvica) do cinto de segurança não deve ficar sobre a barriga, mas abaixo dela, do modo mais plano possível,  mantendo-a presa e ajustada.
  • O ideal é que a alça superior do cinto de segurança seja colocada sobre o tórax, entre os seios, bem ajustada.
  • O cinto de segurança nunca deve ser posicionado debaixo do braço, ou por trás das costas.

Fonte: Imprensa Ford

 

Comente aqui

Mudanças na direção da Citroën do Brasil

Francesco Abbruzzesi assume a direção geral da marca Citroën no Brasil a partir de 01 de Novembro.
Francesco Abbruzzesi, 40 anos, é formado em Engenharia industrial pela Universidade de Tor Vergata, de Roma, e atuava como Diretor de rede própria da Fiat Auto na Europa.
O atual diretor geral, Ivan Ségal, 40 anos, é nomeado Diretor da Citroën América Latina, estrutura recém criada pelo Grupo PSA Peugeot Citroën para dar maior dinamismo às operações da Marca em toda a Região.
Ivan Ségal responderá diretamente à Carlos Gomes, Presidente da PSA Peugeot Citroën para o Brasil e a América Latina.
A Citroën do Brasil comercializou nos primeiros oito meses de 2011 61.326 unidades, obtendo uma participação de 2,76% e um crescimento 21,28% superior ao do mesmo período de 2010. Um crescimento três vezes superior, portanto, ao do mercado, de 7,19%.
Fonte:
CITROËN DO BRASIL – DIRETORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS E IMPRENSA

Comente aqui

Especialista explica tudo sobre pneus

Pneus e segurança, equação diretamente proporcional

A princípio, os motoristas não se preocupam muito com os pneus dos veículos. Normalmente verificam apenas se estão lisos e, para evitar multas durante uma viagem, decidem se precisam ser substituídos.

Os pneus, juntamente com os sistemas de freio e direção, são os principais componentes de segurança de um veículo automotor. Especialmente quanto aos pneus, podemos dizer que são a única parte do carro que tem o contato direto com o solo, portanto afetam diretamente a estabilidade, o conforto, a frenagem e a segurança do seu veículo. Para um desempenho seguro, os pneus não devem apresentar nenhum tipo de anomalia, manter a pressão indicada pelo fabricante, ter profundidade dos sulcos adequada (mínimo de 1,6 mm). Além disso, o alinhamento de direção e o balanceamento das rodas conforme padrão original de cada modelo específico são fatores importantíssimos.

Na lateral de um pneu verificamos que existe uma série de informações, normalmente ignoradas. Isso é um erro comum e influencia diretamente a segurança e condução do veículo.

Esta coletânea de letras e números informa as medidas do pneu e os códigos determinam, dentre outras informações, a velocidade máxima para aquele pneu, a capacidade de carga e o tipo de uso (asfalto, fora de estrada, neve, etc.).

Um simples exemplo 175/70 R 13 82 T, onde “175” é a medida da largura da banda de rodagem em milímetros (175 mm), “70” representa um percentual da altura da lateral do pneu em relação à banda, neste caso 70% da largura da banda, ou seja, aproximadamente 122,5 mm. A letra R representa que o pneu tem construção do tipo radial, “13” representa o raio da roda em polegadas (13 polegadas). Já a inscrição “82” informa a capacidade de carga do pneu, neste caso 475 quilos e “T” a velocidade máxima segura para o componente, 190 quilômetros por hora.

Estes valores são tabelados e podem ser verificados na internet ou em catálogos dos fabricantes de pneus.

A utilização de pneus diferentes daqueles originais ou recomendados pelos fabricantes interfere diretamente na segurança do veículo, até porque uma equipe de engenheiros realiza estudos e testes, que demoram anos, para determinar qual o melhor pneu para cada modelo de veículo.

A vida útil segura de um pneu, independente do uso e quilometragem, é de cinco anos. Pneus acima dessa idade devem ser analisados com mais rigor, pois pode ocorrer ressecamento da borracha com perda de flexibilidade, além de micro-rachaduras e tendência à falha.

Para saber a “idade” dos pneus instalados no seu veículo, verifique a data de fabricação que normalmente está marcada na lateral do pneu ao final da identificação “DOT”. Como exemplo um pneu com marcação 2506 significa que foi fabricado na 25ª semana de 2006.

Os pneus reformados requerem atenção especial por parte do usuário e devem, por preceito de lei, estar identificados claramente na lateral através de uma etiqueta colada ao pneu. No caso dos pneus remoldados não existe tal etiqueta, porém, a palavra “remold” ou remoldado está inserida na própria borracha da lateral do pneu.

Portanto, quando for adquirir um pneu que tenha um preço baixo, verifique a data de fabricação, se é novo ou reformado e se atende as especificações técnicas do seu veículo quanto às medidas, velocidade máxima e capacidade de carga. Certamente ofertas podem trazer conjugado um grande problema futuro.

Em determinado momento, você percebe que os pneus do seu veículo estão chegando ao limite com os sulcos próximos de 1,6 milímetros, valor mínimo determinado na legislação brasileira. Porém, somente dois dos quatro pneus necessitam troca imediata e você opta em substituí-los mantendo os outros dois.

Raciocínio óbvio, porém inteiramente equivocado: Instalar os novos na dianteira e transferir os outros dois, já usados, para a traseira. Sempre os pneus em melhor estado devem ser instalados na traseira, pois na dianteira o motorista mantém a sensibilidade ao volante e pode reverter um possível problema, enquanto na traseira uma perda momentânea de controle pode transformar o motorista em um mero passageiro.

Agora que você conhece melhor este amigo instalado no seu veículo, certamente dará a ele a atenção que realmente sempre mereceu.

 

Texto: Hélio da Fonseca Cardoso, especialista em perícias envolvendo veículos automotores e Diretor do IBAPE/SP (Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia) – Engenheiro Mecânico; Membro da Comissão Técnica de Segurança Veicular da AEA (Associação Brasileira de Engenharia Automotiva).

 

Comente aqui