Equipe Honda Mobil



Maico Teixeira e Cachorrão, da Equipe Honda Mobil, vão ao pódio na abertura do SuperBike Series Brasil 2014

Pilotos asseguraram o segundo e terceiro lugares, respectivamente, na prova da categoria SuperBike Pro, em Interlagos

São Paulo (SP) – Com arquibancadas lotadas e uma prova de tirar o fôlego, incluindo troca de liderança em diversos momentos, os pilotos da Equipe Honda Mobil de Motovelocidade, Maico Teixeira e José Luiz Cachorrão, garantiram neste domingo (13) um lugar no pódio ao completarem a corrida da categoria SuperBike Pro em segundo e terceiro, respectivamente. A disputa, realizada no Autódromo de Interlagos, foi válida pela primeira etapa do SuperBike Series Brasil 2014. O italiano Sebastiano Zerbo ficou com a vitória.
“Foi uma prova muito legal, mas bastante cansativa. Disputei a liderança praticamente em toda corrida. Eu, o Cachorrão e o Zerbo travamos um belo duelo, mas no final não consegui encostar no líder, pois estava com dificuldade na tração da moto”, comenta Maico.
Apesar de sua satisfação com o terceiro lugar, Cachorrão projeta melhorar o desempenho na próxima prova, marcada para os dias 2, 3 e 4 de maio, também no Autódromo de Interlagos. “Tive um fim de semana de bastante trabalho. Tentamos acertar a suspensão da moto e creio que estamos no caminho certo. Hoje foi um dia importante para avaliarmos tudo o que fizemos. Sei que na segunda etapa vamos evoluir”, afirma.
A corrida
Pole position, Maico cedeu a ponta logo após a largada e foi para terceiro. Assim como o gáucho, Cachorrão, em quarto, tentava alcançar Diego Pretel, que havia pulado para o segundo lugar, e Zerbo, o primeiro.
Em ritmo forte, Maico encostou nos concorrentes. Na quarta volta, ele fez linda manobra na entrada do S do Senna e ultrapassou Pretel e Zerbo, alcançando a liderança. Quem também entrou no meio da disputa pela ponta foi Cachorrão. O paulista chegou ao primeiro lugar, mas foi ultrapassado por Maico na sequência.
Na penúltima volta, Maico foi ultrapassado por Zerbo, que saiu com a vitória. Assim, cruzou a linha de chegada em segundo, seguido do companheiro de equipe.
A Equipe Honda Mobil de Motovelocidade tem o patrocínio de Pirelli, Spidi Itália e Shoei.
Resultado – Corrida SuperBike Pro
1- Sebastiano Zerbo #81
2- Maico Teixeira #36
3- José Luiz Cachorrão #51
4- Diego Pretel #88
5- Bruno Corano #34
Fonte: VIPCOMM
Assessoria de Imprensa Honda Racing
Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro/Carolina Yada
Site oficial: www.honda.com.br/equipehonda
Twitter: @equipehonda

Comente aqui


Julien Bill e Hector Assunção disputam Mundial de Motocross, em Penha (SC), pela Equipe Honda Mobil

Dupla encara terceira etapa da competição internacional nos dias 29 e 30 de março, no parque Beto Carrero World

São Paulo (SP) – Com os pilotos Julien Bill, na categoria MXGP, e Hector Assunção, na MX2, a Equipe Honda Mobil de Motocross disputa nos dias 29 e 30 de março, em Penha (SC), no Beto Carrero World, a terceira etapa do Campeonato Mundial de Motocross. A dupla realiza a última prova antes da estreia no Campeonato Brasileiro de Motocross, nos dias 12 e 13 de abril, na cidade de Três Lagoas (MS).
Aos 30 anos, o suíço Julien Bill, inscrito pela Federação Suíça de Motociclismo, possui grande experiência neste tipo de competição. O europeu, que encara neste ano pela primeira vez uma temporada no país, já foi campeão mundial da categoria MX3, em 2011. “Já estive em um GP Brasil. Foi em 2009, em Canelinha (SC). Lembro que choveu bastante aquele fim de semana, mas foi muito bom. Neste ano, espero que ocorra tudo bem e que eu possa tentar o meu melhor. A última vez que participei do Mundial na MX1 foi em 2010. Se conseguir dois top 10, ficarei muito feliz”, planeja Bill.
Em Penha, ele terá a oportunidade de encontrar velhos conhecidos. “Quando você disputa de uma temporada do GP, você conhece praticamente todo mundo do paddock. Será legal revê-los”, completa.
Pela quinta vez Hector Assunção participa do GP Brasil de Motocross. Assim como Bill, a edição de Canelinha, quando a competição retornou ao país, também foi marcante para o paulista, já que foi lá sua estreia no Mundial. “A expectativa é muito boa, tenho me preparado muito bem para temporada. Estou morando em Indaiatuba, junto com a equipe e isso tem me ajudado nos treinos. Espero fazer uma boa participação no Mundial, que é uma experiência muito boa para nossa carreira e servirá de treino para o Brasileiro de Motocross e Arena Cross. Se possível, tentarei ser o melhor brasileiro”, afirma Hector, inscrito na competição pela CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo).
Já os pilotos Paulo Alberto e Wellington Garcia não correrão a etapa de Penha. “Tomamos esta decisão em conjunto com os pilotos, tendo em vista a abertura do Brasileiro de Motocross, que é o foco da equipe. Este período será importante para que eles estejam 100% para toda temporada”, declara Wellington Valadares, chefe de equipe da Honda Mobil de Motocross.
A Equipe Honda Mobil de Motocross tem o patrocínio de Pirelli, IMS, Riffel e Oakley.
Confira a programação completa do GP Brasil de Motocross:
Sábado (29/03)
10h15 às 10h35: Treino Livre MX2
10h45 às 11h05: Treino Livre MXGP
13h às 13h30: Treino Pré-Classificatório MX2
13h35 às 14h05: Treino Pré-Classificatório MXGP
15h: Prova Classificatória MX2 (motocicletas na zona de espera – volta de apresentação)
15h10: Prova Classificatória MX2 (20min + 2 voltas)
15h50: Prova Classificatória MXGP (motocicletas na zona de espera – volta de apresentação)
16h: Prova Classificatória MXGP (20min + 2 voltas)
Domingo (30/03)
9h15 às 9h30: Warm up MX2
9h40 às 9h55: Warm up MXGP
12h: 1ª Bateria MX2 (motocicletas na zona de espera – volta de apresentação)
12h10: 1ª Bateria MX2 (início da corrida – 30min + 2 voltas)
13h: 1ª Bateria MXGP (motocicletas na zona de espera – volta de apresentação)
13h10: 1ª Bateria MXGP (início da corrida – 30min + 2 voltas)
15h: 2ª Bateria MX2 (motocicletas na zona de espera – volta de apresentação)
15h10: 2ª Bateria MX2 (início da corrida – 30min + 2 voltas)
16h: 2ª Bateria MXGP (motocicletas na zona de espera – volta de apresentação)
16h10: 2ª Bateria MXGP (início da corrida – 30min + 2 voltas)
Pódio (premiação do 1º, 2º e 3º lugar da MXGP e MX2, imediatamente após o fim da corrida)
Fonte: VIPCOMM
Assessoria de Imprensa Honda
Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro/Carolina Yada
Site oficial: www.honda.com.br/equipehonda
Twitter: @equipehonda

Comente aqui


Tetracampeão, Dário Júlio representa a Equipe Honda Mobil no Enduro da Independência 2013

Focado em ralis nos últimos anos, mineiro de Lavras busca mais um título na tradicional prova de regularidade
Belo Horizonte (MG) – A categoria Master do Enduro da Independência promete uma disputa em alto nível pelo título em 2013. Um dos principais concorrentes é Dário Júlio, piloto que representa a Equipe Honda Mobil na mais tradicional prova de regularidade do país, que vai de 4 a 7 de setembro, de Vitória (ES) a Ouro Preto (MG).
Tetracampeão do Enduro da Independência (de 2007 a 2010), o mineiro de Lavras mostra ansiedade pela disputa. “Estou animado, neste ano nós vamos explorar trilhas diferentes em todos os dias, saindo de Vitória pela primeira vez. Vou me concentrar na navegação e ver como estarão meus adversários, e aí vou ver se poderei brigar pelas primeiras posições”, afirma.
Atualmente focado em ralis, o mineiro de Lavras garante que chega bem treinado para a competição. “Pratiquei muito nas últimas semanas para não estranhar as trilhas, porque no rali eu percorro lugares abertos, e no enduro é mais fechado. A adaptação com a Honda CRF 250X tem sido muito boa, eu estava com saudades de disputar enduro”, diz.
O Enduro da Independência também terá a presença dos pilotos satélites Honda Sandro Hoffmann e Ronald Santi, na Master, e Sabrina Katana, na categoria feminino, todos da equipe ASW Enduro Team.
Programação do Enduro da Independência 2013 para motos
1º dia – 04/9 (Quarta-feira) – Largada: Vitória (ES) – Chegada: Venda Nova do Imigrante (ES)
2º dia – 05/9 (Quinta-feira) – Largada: Venda Nova do Imigrante (ES) – Chegada: Manhuaçu (MG)
3º dia – 06/9 (Sexta-feira) – Largada: Manhuaçu (MG) – Chegada: Viçosa (MG)
4º dia – 07/9 (Sábado) – Largada: Viçosa (MG) – Chegada: Ouro Preto (MG)
Programação do Enduro da Independência 2013 para quadris e UTVs
07/9 (Sábado) – Largada: Nova Lima (MG) – Chegada: Ouro Preto (MG)
O Enduro da Independência 2013 tem patrocínio da Honda, Secretaria de Turismo do Estado do Espírito Santo, Prefeitura Municipal de Ouro Preto, Ipiranga, Instituto Rota Imperial, Microcity, Prefeitura Municipal de Vitória, Cervejaria Backer e Plena Alimentos. Apoio da Prefeitura Municipal de Viçosa, Prefeitura Municipal de Manhuaçu, Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante e Motostreet.
Fonte: Assessoria de Imprensa Enduro da Independência
Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro/Carolina Yada
Site oficial: www.tcmg.com.br
Facebook: www.facebook.com/EnduroDaIndependencia
Comente aqui


Equipe Honda Mobil de Motocross supera dificuldades na Bahia e mantém liderança da MX2 no Brasileiro de Motocross

Paulo Alberto segue em primeiro na categoria após cinco etapas, quatro pontos a mais que o vice-líder e companheiro de equipe Thales Vilardi
Lauro de Freitas (BA) – Depois do cancelamento dos treinos de sábado (27) em razão das chuvas intensas, o domingo (28) foi de muita velocidade e adrenalina em Lauro de Freitas (BA), palco da quinta etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross. Apesar das dificuldades na prova, a Equipe Honda Mobil de Motocross manteve a liderança da categoria MX2.

O piloto Paulo Alberto teve que abandonar a primeira bateria após problemas técnicos. Na segunda, liderou e venceu. Os pontos foram importantes para o português manter a primeira colocação após cinco etapas com 216 pontos. No geral da rodada, ficou em nono lugar.

Thales Vilardi, que ocupa a segunda colocação no campeonato da MX2 com 212 pontos, também não teve vida fácil na Bahia. Com um nono lugar na primeira bateria e sexto na corrida final, finalizou o somatório em sétimo lugar. O vitorioso foi Eduardo Lima. “Não foi uma etapa boa para mim. Sofri algumas quedas nas duas baterias e tive que me recuperar. No fim tive sorte, pois o Paulo não pontuou na primeira corrida”, coloca Thales.

Na MX1, três pilotos empataram na segunda colocação com 40 pontos no somatório das baterias. Pelo critério de desempate, Jean Ramos acabou em segundo, seguido de Adam Chatfield, satélite Honda da Vulcano Ipiranga IMS, e Joaquim Rodrigues, da Equipe Honda Mobil. O goiano Wellington Garcia garantiu um lugar no pódio com o quinto lugar. Antonio Jorge Balbi Júnior venceu a etapa.

“Fiz duas provas de superação. Não estava nas minhas melhores condições, pois tive uma indisposição estomacal durante toda a semana. Na medida do possível, gostei do resultado. Estão no bolo do campeonato. Agora é me recuperar para próxima etapa”, afirma Wellington.

Com cinco etapas realizadas, Balbi é o primeiro da categoria com 205 pontos, seguido de Adam Chatfield com 201 pontos, e Wellington Garcia com 177 pontos. Joaquim Rodrigues é o quinto colocado com 171 pontos.

A sexta etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross acontece no dia 1º de setembro, em Santa Catarina. A cidade ainda não definida pela organização.

A Equipe Honda Mobil de Motocross tem o patrocínio da Pirelli e IMS, e co-patrocínio da Vulcano, DRD e Oakley.

Somatório baterias MX2:

1º #2 Eduardo Lima 47 pontos

2º #116 Rafael Faria 40 pontos
3º #412 Endrews Armstrong 36 pontos
4º #1 Hector Assunção 31 pontos
5º #32 Rodrigo Lama 29 pontos
7º #27 Thales Vilardi 27 pontos
9º #211 Paulo Alberto 25 pontos

Classificação Brasileiro de Motocross na MX2 após cinco etapas:

1º #211 Paulo Alberto 216 pontos

2º #27 Thales Vilardi 212 pontos
3º #2 Eduardo Lima 185 pontos
4º #1 Hector Assunção 153 pontos
5º #20 Anderson Cidade 145 pontos

Somatório baterias MX1:

1º #3 Antonio Jorge Balbi Júnior 47 pontos

2º #992 Jean Ramos 40 pontos
3º #407 Adam Chatfield 40 pontos
4º #108 Joaquim Rodrigues 40 pontos
5º #21 Wellington Garcia 34 pontos

Classificação Brasileiro de Motocross na MX1 após cinco etapas:

1º #3 Antonio Jorge Balbi Júnior 205 pontos

2º #407 Adam Chatfield 201 pontos
3º #21 Wellington Garcia 177 pontos
4º #115 Carlos Campano 176 pontos
5º #108 Joaquim Rodrigues 171 pontos

Fonte: Assessoria de Imprensa Honda

Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro/Carolina Yada

Site oficial: www.honda.com.br/equipehondaTwitter: @equipehonda

Comente aqui


Equipe Honda Mobil fatura tudo na quarta etapa do Brasileiro de Motocross

Wellington Garcia (MX1) e Paulo Alberto (MX2) venceram prova em Aracaju (SE)

Aracaju (SE) – Depois das fortes chuvas que prejudicaram o sábado (14) de treinos da quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross, que ocorre em Aracaju (SE), o segundo dia de provas começou com céu limpo e sol. Na pista do Motódromo Jurinha Lobão, domínio da Equipe Honda Mobil de Motocross, que faturou as categorias MX1, com Wellington Garcia (#21), e MX2, que teve dobradinha com Paulo Alberto (#211), em primeiro, e Thales Vilardi (#27), em segundo.
Com o resultado, Wellington está na quarta colocação do campeonato com 143 pontos. A liderança é do inglês Adam Chatfield (#407), satélite Honda da Vulcano Ipiranga IMS, que foi quarto colocado na prova de hoje e possui 161 pontos na tabela. Joaquim Rodrigues, também piloto Honda, ficou com o quinto lugar no somatório da etapa. Na geral, o português da Honda Mobil também é o quinto com 131 pontos.
Já na MX2, disputa interna da Honda, que tem tudo para durar o campeonato inteiro. Após vencer as duas baterias da categoria, Paulo foi para 191 pontos e segue na liderança. A segunda colocação é de Thales, que neste domingo conquistou dois segundos lugares. O paulista tem 185 pontos. “A pista esta exigente, mas consegui fazer uma pilotagem segura e rápida. Estou bastante feliz. Queria agradecer a equipe pelo trabalho aqui”, afirma Paulo.
MX1: Na primeira bateria, Wellington Garcia teve boa largada. O goiano foi para segundo, atrás de Carlos Campano (#115). No decorrer da prova, Wellington tentou pressionar o espanhol, mas acabou em segundo. O português Joaquim Rodrigues finalizou em oitavo. Campano venceu.
Mais uma vez Wellington pulou para vice-liderança logo na queda do gate. No entanto, na sequência, foi ultrapassado por Adam Chatfield. Jean Ramos (#992) liderava até sofrer uma queda e perder várias posições. O goiano ultrapassou Adam, foi para primeiro e abriu vantagem até vencer a bateria. Joaquim ficou em terceiro.
MX2: Thales Vilardi teve ótimo início de prova. Pulou para ponta e liderou grande parte dela. Porém, seu companheiro de equipe, Paulo Alberto, chegou e passou a pressioná-lo. Com troca de posições entre os pilotos Honda, a vitória foi definida apenas no fim. Paulo levou a melhor e finalizou em primeiro, seguido de Thales.
Na bateria seguinte, o português saiu na frente e manteve boa distância para os demais competidores. Assim, venceu mais uma. Já Thales teve que fazer um grande esforço para cruzar a bandeira quadriculada em segundo. O paulista sofreu uma queda quando era quinto colocado. Sem desistir, Thales foi ultrapassando um a um até acabar em segundo. “A pista estava complicada. Na segunda bateria caí. mas mesmo assim, consegui me recuperar e chegar em segundo”, avalia Thales.
Júnior: Mais uma vitória do gaúcho Enzo Lopes (#16). Kioman Navarro (#199) foi o segundo, seguido do satélite Honda Leonardo de Souza (#45), da LS Racing. Vitor Almeida (#111), da Dunas Team, acabou em quarto lugar, seguido de Gabriel Della Flora (#919), da Vulcano Ipiranga IMS.
A quinta etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross ocorrerá no próximo dia 28 em Salvador, Bahia.
A Equipe Honda Mobil de Motocross tem o patrocínio da Pirelli e IMS, e co-patrocínio da Vulcano, DRD e Oakley.
Fonte:
Assessoria de Imprensa Honda

Ricardo Ribeiro/Carolina Yada
Site oficial: www.honda.com.br/equipehonda
Twitter: @equipehonda
Facebook: www.facebook.com/hondaracingbrasil

 

 

Comente aqui


Cachorrão vai ao pódio na quinta etapa e Equipe Honda Mobil assegura liderança do SuperBike Series Brasil

Piloto finalizou corrida em Interlagos na quarta colocação; Maico Teixeira manteve primeiro lugar na classificação geral com sexta colocação na prova

São Paulo (SP) – Dia de sol e muita velocidade no autódromo de Interlagos, na capital paulista. Esse foi o domingo (14) de disputas da quinta etapa do SuperBike Series Brasil. A Equipe Honda Mobil de Motovelocidade, que teve Maico Teixeira (#36) e José Luiz Cachorrão (#51) acelerando na pista com a CBR 1000RR Fireblade,  manteve a liderança da competição na categoria SuperBike.
Cachorrão fez boas ultrapassagens sobre Danilo Andric (#64) e Heber Pedrosa (#42) em uma prova de recuperação. No fim, chegou em quarto. Já o gaúcho Maico figurou entre os primeiros, no entanto perdeu ritmo e finalizou em sexto. A vitória foi do italiano Sebastiano Zerbo (#81). “Cada etapa é uma nova luta. Foi um resultado importante na medida do que foi o fim de semana”, coloca Cachorrão.
Com o resultado, Maico Teixeira segue na liderança do SuperBike Series Brasil com 88 pontos, cinco a mais que o vice-líder e companheiro de equipe Cachorrão. “Não foi o resultado que eu gostaria, mas o importante é pontuar. Todas as equipes estão fortes e precisamos dar o nosso máximo. Espero melhorar meu desempenho na próxima prova”, completa Maico.
A sexta etapa da competição volta ao autódromo de Interlagos entre os dias 23 e 25 de agosto.
Honda Junior Cup
Lucas Torres (#46) foi o grande nome da categoria que visa formar futuros pilotos. Em segundo na largada, o jovem conseguiu uma ultrapassagem sobre Enzo Paschoalin (#114) e cruzou em primeiro. Rafael Traldi (#134) foi o segundo, seguido Enzo e Luiz Octávio Nunes (#4). David Gomide (#31) e Bruno Marzola (#666) cruzaram a linha de chegada em quinto e sexto, respectivamente. “Estou muito feliz de ter ultrapassado o Enzo. Ainda tenho muito a melhorar, mas valeu o resultado”, coloca Lucas.
Para Gian Calabrese, tutor da Honda Junior Cup, todos os pilotos estão de parabéns. “Estávamos com uma grande expectativa. Todos os pilotos se comportaram muito bem. O resultado é o que menos importa agora. Vamos trabalhar bastante com essas crianças para que possam aprender sobre tudo. É ótima iniciativa, que está dando certo”, afirma.
Copa Honda CB 300R
Com apoio da torcida, que levou cartazes no autódromo com seu numeral e nome, Maurício Venhoven, o Sagui (#17), conquistou a vitória na subcategoria Pro em uma corrida emocionante, definida apenas na última volta. Osvaldo Filho, o Duende (#55), finalizou em segundo. Na Light, vitória de Murillo Latorre (#954), que lidera a categoria.
Copa Honda CBR 600F
Com diferença mínima de 0,014s para Beto van Cleef (#162), Lucas Teodoro (#41) foi o vencedor da Copa Honda CBR 600F Light. Na Pro, Giovandro Tonini (#89) cruzou a linha de chegada em primeiro.
Resultado – Corrida SuperBike
1º #81 Sebastiano Zerbo
2º #78 Alan Douglas
3º #88 Diego Pretel
4º #51 José Luiz Cachorrão
5º #48 Ricieri Luvizotto
6º #36 Maico Teixeira
A Equipe Honda Mobil de Motovelocidade tem patrocínio de Pirelli, Dainese e AGV.

Fonte:
Assessoria de Imprensa Honda
Ricardo Ribeiro/Carolina Yada
Site oficial: www.honda.com.br/equipehonda
Twitter: @equipehonda
Facebook: www.facebook.com/hondaracingbrasil

 

 

Comente aqui


Brasileiro de Motocross 2013: Equipe Honda Mobil vence abertura em Carlos Barbosa (RS)

Joaquim Rodrigues, piloto da Equipe Honda Mobil na categoria MX1 do Campeonato Brasileiro de Motocross 2013
Crédito: Luiz Pires/VIPCOMM


Thales Vilardi e Paulo Alberto comandaram dobradinha na categoria MX2; Wellington Garcia ficou com a vitória na geral da MX1

Carlos Barbosa (RS) – Arquibancadas lotadas, público fanático, mais de 300 inscritos e o motódromo Fabiano Audibert, em Carlos Barbosa (RS). O cenário da abertura do Campeonato Brasileiro de Motocross 2013 não poderia ser melhor. No frio da Serra Gaúcha, a Equipe Honda Mobil dominou as principais categorias. Thales Vilardi e Paulo Alberto conquistaram a dobradinha para equipe na MX2, enquanto o goiano Wellington Garcia venceu na geral da MX1.
Duas corridas intensas e ritmo forte. Foi assim que Thales, com a Honda CRF 250R, venceu as duas corridas e alcançou a liderança da competição. Com Paulo Alberto não foi diferente. O português mostrou capacidade, chegou a andar na ponta, mas só não venceu porque o companheiro de equipe estava numa tarde bastante inspirada.
Já na MX1, Wellington Garcia mostrou que ainda tem gás para fazer frente aos adversários. Com pilotagem segura, o goiano conquistou dois segundos lugares e a vitória no geral da categoria. Joaquim Rodrigues finalizou em quarto na primeira bateria. Só não foi melhor na prova final em razão de uma queda.
O Campeonato Brasileiro de Motocross dá pausa de 40 dias e volta nos dias 25 e 26 de maio. A segunda etapa acontece em Três Lagoas (MS).
– GALERIA DE FOTOS DOS PILOTOS HONDA NO BRASILEIRO DE MX

– RESULTADOS PRIMEIRA ETAPA DO BRASILEIRO DE MX

MX1 – Boa largada de Joaquim Rodrigues na primeira corrida, que assumiu o segundo lugar, atrás de Carlos Campano. Em terceiro, Wellington Garcia perseguiu o companheiro e ainda no início o ultrapassou. Joaquim viu Jean Ramos encostar e os dois duelaram pela terceira colocação. Terminou em quarto. Já Wellington manteve o ritmo e chegou em segundo. Campano venceu.
Quando o gate da segunda prova baixou, Joaquim pulou para segundo, atrás de Jean. Já Wellington teve azar e saiu apenas em 10º. Em recuperação, o goiano deu um gás impressionante, ultrapassando fortes concorrentes como Carlos Campano, Adam Chatfield e Jean Ramos. Na segunda colocação, o piloto foi atrás do ponteiro Jorge Balbi. Chegou à ponta, mas não a manteve e finalizou em segundo. Resultado suficiente para vencer a etapa. Já Joaquim sofreu uma queda e teve que ir atrás do prejuízo. De 13º cruzou a linha de chegada em oitavo.
MX2 – Com 40 pilotos e o gate lotado, a primeira bateria da categoria começou agitada. O satélite Honda Endrews Armstrong, da Dunas Team, fez o holeshot, mas ainda na primeira volta foi ultrapassado por Thales Vilardi. O piloto oficial Honda seguiu na frente até o fim e venceu. Em terceiro, Paulo Alberto passou algumas voltas tentando ultrapassar Endrews. Deu o bote e assegurou o segundo lugar.
Na bateria final, Endrews saiu novamente bem do gate. No entanto, na primeira curva, o satélite Honda foi ultrapassado por Thales Vilardi. Já Paulo Alberto precisou de algumas voltas para chegar entre os primeiros. Em segundo, iniciou uma caça ao companheiro de equipe. E a persistência do português deu certo. Na sétima volta ultrapassou Thales e foi para liderança. No entanto, na sequência, cometeu um erro e caiu para segundo. E assim foi até o fim.
Júnior – Em corrida de recuperação, o satélite Honda Vitor Almeida, da Dunas Team, conquistou um lugar no pódio ao finalizar na terceira colocação. Enzo Lopes comandou a prova e saiu com a vitória.
MXF – Na categoria para mulheres, a satélite Honda Stefany Serrão, da Vulcano Ipiranga IMS, fez ótima corrida e duelou pela primeira colocação até o término. No fim, ficou em segundo. Mariana Balbi saiu vitoriosa.
Thales Vilardi (São Paulo-SP), Equipe Honda Mobil, 1º da MX2 na geral da etapa:
“Não poderia ser um fim de semana melhor. Foi duro e desgastante, mas consegui ganhar as duas baterias. Eu e o Paulo andamos muito bem e fomos recompensados. Tive uma disputa limpa com ele e assim será ao longo do ano. Vou continuar focado em fazer o melhor. É isso que esperam de mim”.
Paulo Alberto (Leiria-Portugal), Equipe Honda Mobil, 2º da MX2 na geral da etapa:
“Fiquei surpreso com minha rápida adaptação e o entrosamento com a equipe. Nesta etapa fiz voltas rápidas e andei entre os primeiros. Tive uma ótima disputa com o Thales, mas na segunda bateria cai e perdi um pouco de ritmo. No geral o resultado foi ótimo, pois conseguimos uma dobradinha”.
Wellington Garcia (Goiânia-GO), Equipe Honda Mobil, 1º da MX1 na geral da etapa:
“Esta é a vitória da confiança e é muito positiva. Trabalhei duro nestes últimos meses para chegar aqui e dar o meu máximo. Estou muito feliz com o primeiro lugar na geral. Estou mais motivado. Agora é manter a tranquilidade e focar nas próximas provas”.
Joaquim Rodrigues (Barcelos-Portugal), Equipe Honda Mobil, 6º da MX1 na geral da etapa:
“Esta etapa foi muito importante pois eu precisava conhecer meus adversários. Estou em um lugar novo, com pistas e pilotos diferentes. Necessitava de uma prova para avaliar tudo isso. Consegui um quarto lugar na primeira bateria, mas na segunda acabei caindo e machuquei minha coxa direita. Bom, agora é se recuperar para o Arena Cross”.
Wellington Valadares (Indaiatuba-SP),  Equipe Honda Mobil, chefe de equipe:
“Estou contente com esta dobradinha na MX2 e, principalmente, com o desempenho do Wellington na MX1. Tenho conversado com ele diariamente e sempre afirmo que ele é capaz de andar na frente. Hoje provou isso. O Paulo me surpreendeu nesta etapa, pois vinha de lesão, assim como o Joaquim. Eles estão se adaptando e aos poucos vão dar resultados. O trabalho está sendo feito. Temos que ter calma. O campeonato está no início. Confio em meus pilotos e vamos lutar até o fim”.
A Equipe Honda de Motocross tem o patrocínio de Mobil, Pirelli e IMS, e co-patrocínio Vulcano, DRD e Oakley.

Fonte:

Vipcomm

Comente aqui


Equipe Honda Mobil encara abertura do Arena Cross

31/07/2012 Legenda: Thales Vilardi, piloto da Equipe Honda Mobil da categoria MX2 Crédito: Luiz Pires/VIPCOMM

Primeira rodada da competição acontece neste sábado (4), em Curitiba (PR)

SÃO PAULO (SP) – Os pilotos da Equipe Honda Mobil, Leandro Silva (#14) e Wellington Garcia (#21), na Pro, e Hector Assunção (#30) e Thales Vilardi (#27), na MX2, dão início à disputa do Arena Cross 2012. A abertura da 14ª edição da competição acontece neste sábado, 4 de agosto, em Curitiba (PR).
Por ser um campeonato realizado em um curto traçado, que possui entre 400 e 500 metros de extensão, os pilotos precisam passar por uma adaptação. Desde as últimas semanas, Hector, bicampeão na categoria Júnior em 2009 e 2010, tem focado em atividades com a Honda CRF-250R em pistas deste tipo. “É uma competição diferente. Uma pista pequena e cheia de saltos, porém travada. Temos que ter um forte poder de explosão durante a corrida e manter um bom ritmo”, afirma.
Ausente da edição anterior do Arena Cross, Thales Vilardi está animado para a primeira rodada. “Infelizmente não pude correr o Arena Cross no ano passado. Estou de volta e quero ir bem na competição. Tenho treinado todos os dias, em pistas diferentes, e estou me sentindo bem”, coloca.
A abertura da competição mexe com os ânimos do paranaense Leandro Silva, que terá uma rara oportunidade de correr em casa e contará com o apoio da família e amigos. “É uma motivação a mais. Estou muito contente de correr na minha cidade. Vou ter uma grande torcida na arquibancada e espero corresponder à expectativa”, destaca o bicampeão da MX1 em 2007 e 2008.
O goiano Wellington Garcia também estará no Bio Parque, local de prova deste sábado, destaca a importância de estar com o preparado fisicamente para as duas baterias da Pro. “Como corremos em alta intensidade, temos que estar 100%. A temporada tem sido bastante difícil e todos os pilotos estão bem. Por isso, não podemos perder a atenção e sim dar o máximo”, completa o competidor que tem no currículo o título da categoria MX1 em 2009.
A Equipe Honda Mobil tem apoio da Mobil, Pirelli, Oakley, Fox, Did, Protaper, Polisport, Orbital, Yoshimura e Galfer.

Fonte:
Assessoria de Imprensa Honda
Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro/Carolina Yada
Site oficial: www.honda.com.br/equipehonda
Sala de imprensa: www.vipcomm.com.br/honda
Twitter: @equipehonda
Facebook: www.facebook.com/hondaracingbrasil

Comente aqui


SUPERLIGA BRASIL DE MX – Com Hector Assunção e Thales Vilardi, Equipe Honda Mobil busca título da MX2 em Santa Catarina

10/07/2012 Legenda: Hector Assunção, piloto da Equipe Honda Mobil da categoria MX2 na Superliga Brasil de Motocross 2012 Crédito: Luiz Pires/VIPCOMM

Sexta e última etapa da competição acontece neste fim de semana (14 e 15) no Beto Carrero World, em Penha (SC)

SÃO PAULO (SP) – Os pilotos da Equipe Honda Mobil, Hector Assunção (#30) e Thales Vilardi (#27), chegam à sexta e última etapa da Superliga Brasil de Motocross,  neste fim de semana, 14 e 15 de julho, no Beto Carrero World, em Penha (SC), de olho no inédito título da categoria MX2. A equipe também contará com a presença de Wellington Garcia (#21) e Leandro Silva (#14) na MX Pró, que buscam finalizar a competição com resultados positivos.
Líder do campeonato com 216 pontos, Hector Assunção sabe que a final não será nada fácil. “Por eu liderar a categoria, a pressão está colocada sobre mim. Creio que o campeonato será decidido no final da última bateria, pois o Dudu e o Thales estão muito bem. Mas estou tranquilo e sei das minhas condições. Quero ser campeão”, afirma.
Atrás do ponteiro Hector e do vice-líder Dudu Lima na pontuação, Thales Vilardi precisa vencer as duas corridas e torcer por uma combinação de resultados. Depois duas vitórias no Campeonato Brasileiro de Motocross, ocorridas na última semana, o paulista está mais confiante para decisão da Superliga. “Continuo com chances de ser campeão e vou para o tudo ou nada em Santa Catarina. Consegui vencer as duas baterias da MX2 no Brasileiro e fiquei mais motivado”, relata o piloto, que possui 206 pontos e está na terceira colocação.
Na MX Pró, Wellington Garcia espera fechar o campeonato com um bom resultado. O goiano ocupa a quarta posição da categoria com 168 pontos. “Foi muito bom disputar a competição, pois a confiança voltou com a vitória em Chapecó (SC). A cada dia me sinto melhor e vou para pista tentando dar o meu máximo. Quero terminar o campeonato da melhor maneira possível. Quem sabe com uma vitória. Mas sei que o mais importante é cruzar a linha de chegada inteiro”, revela.
Além dos pilotos, a atração da final da Superliga Brasil de Motocross fica por conta da pista de 1.562 metros de extensão. Tudo porque o Beto Carrero World recebeu em maio o Honda GP Brasil de Motocross e contou com os principais pilotos da modalidade. Quem recorda é Leandro Silva. “Temos no parque uma pista de nível mundial, que é bastante técnica. Quero fazer uma etapa com inteligência. Espero que faça sol, pois tivemos muita chuva e lama no mundial e foi bem complicado”, completa o paranaense, quinto colocado com 147 pontos.
A Equipe Honda Mobil tem apoio da Mobil, Pirelli, Oakley, Fox, Did, Protaper, Polisport, Orbital, Yoshimura e Galfer.
Fonte:
Assessoria de Imprensa Honda
Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro/Carolina Yada
Site oficial: www.honda.com.br/equipehonda
Sala de imprensa: www.vipcomm.com.br/honda
Twitter:
@equipehonda
Facebook:
www.facebook.com/hondaracingbrasil

Comente aqui


MUNDIAL DE MX – Pista pesada e molhada dificulta desempenho da Equipe Honda Mobil na etapa do Brasil

20/05/2012 Legenda: Hector Assunção, piloto da Equipe Honda Mobil na MX2, no Honda GP Brasil de Motocross 2012 em Penha (SC) Crédito: Luiz Pires/VIPCOMM

Mesmo com circuito difícil, Wellington Garcia completa as duas baterias da categoria MX1

PENHA (SC) – Tinha tudo para ser uma competição espetacular, mas a chuva que caiu neste domingo (20) atrapalhou os planos dos pilotos da Equipe Honda Mobil que disputaram o Honda GP Brasil de Motocross, válido pela quinta etapa do Campeonato Mundial de Motocross. A prova, realizada na pista do parque Beto Carrero World, em Penha (SC), foi marcada pelo público de mais de 20 mil pessoas habilidade dos pilotos diante de situações adversas. Destaque para o goiano Wellington Garcia (#221), que conseguiu terminar as duas corridas da MX1 e ainda completar a primeira na 18ª colocação, sendo o melhor brasileiro da bateria.
1ª BATERIA MX1 – Wellington Garcia não começou bem, mas aos poucos ganhou ritmo. O goiano fez boas ultrapassagens até concluir em 18º. “Tinha muito barro e lama. A moto estava muito pesada e nós não conseguíamos ficar equilibrados. Era como carregar 300 quilos. Em alguns momentos pensei em parar, mas o apoio da torcida e, principalmente, do meu pai me deram forças e consegui terminar”, afirma.
Leandro Silva deixou a prova ainda no começo. O paranaense lamenta o mau tempo, mas destaca a oportunidade de participar de um evento internacional. “A chuva atrapalhou muito e quando parou de chover ficou ainda pior. O barro começou a grudar. Depois da largada voou barro no meu rosto e não consegui mais ver nada. Depois, levei uma pancada na perna e achei melhor parar para evitar possíveis lesões”, conta.
Os pilotos da Honda World Motocross, o português Rui Gonçalves (#999) e o russo Evgeny Bobryshev (#777), finalizaram na quarta e nona colocações, respectivamente. A vitória ficou com o francês Christophe Pourcel (#377).
2º BATERIA MX1 – Na última prova do dia, Wellington Garcia fez uma corrida de recuperação. O piloto ganhou posições até cruzar a linha de chegada em 20º lugar e terminar como segundo melhor brasileiro na geral. Rui Gonçalves encerrou sua participação na quinta colocação e Evgeny Bobryshev em nono. A vitória ficou com o francês Xavier Boog, mas foi seu compatriota Pourcel quem levou a melhor na etapa.
1ª BATERIA MX2 – Hector Assunção (#30) e Thales Vilardi mantiveram o ritmo no começo, mas encontraram dificuldades devido às condições da pista. As canaletas fundas e excesso de lama deixavam as motos cada vez mais pesadas. Thales terminou em 18º lugar como segundo melhor brasileiro. Hector ficou na 22ª posição.
O britânico Max Anstie (#6), da Honda Gariboldi – Esta, concluiu a bateria na quarta posição. A vitória ficou com seu compatriota, Tommy Searle (#100).
2ª BATERIA MX2 – Em mais uma corrida difícil, Max Anstie terminou na sétima posição. A vitória foi novamente de Searle, vice-líder da categoria na competição. Hector Assunção e Thales Vilardi preferiram se poupar e não entraram na última disputa.
“O dia não foi nada fácil. A chuva castigou bastante e a pista era praticamente outra. Muito barro e canaleta. Quando caía, não conseguia levantar a moto porque ela grudava na lama. Achei melhor não arriscar”, diz Thales Vilardi.
O Honda GP Brasil de Motocross foi um grande desafio para Hector. “Estava quase impossível andar na pista. A moto ficou com o dobro do peso. Quando caí, acabei sujando muito minha luva.  Infelizmente, não deu para continuar”, completa. O satélite da Dunas Team Endrews Armstrong (#212) concluiu a prova na 19ª colocação.
A Equipe Honda Mobil tem apoio da Mobil, Pirelli, Oakley, Fox, Did, Protaper, Polisport, Orbital, Yoshimura e Galfer.
Fonte:
Assessoria de Imprensa Honda
Jornalistas responsáveis: Ricardo Ribeiro/Carolina Yada
Site oficial: www.honda.com.br/equipehonda
Sala de imprensa: www.vipcomm.com.br/honda
Twitter: @equipehonda
Facebook: www.facebook.com/hondaracingbrasil

 

Comente aqui