mobilidade urbana



Alstom apresenta suas soluções em mobilidade urbana durante o Connected Smart Cities no Rio de Janeiro

 20160606--tramRio---800x400

07 de junho de 2016 – A Alstom participará do evento Connected Smart Cities que acontece nos dias 08 e 09 de junho no Armazém da Utopia, no Porto Maravilha/RJ. O evento que reunirá representantes de empresas e do governo tem como objetivo encontrar o DNA de inovação e melhorias para tornar as cidades inteligentes e mais conectadas entre si, sejam pequenas ou grandes. Dentre os setores que serão representados pode-se citar: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, saúde, segurança e educação.

A Alstom terá um estande na área principal de exibição. No dia 09 de junho, o Diretor de Novos Negócios da empresa na América Latina, Cristiano Saito, participará de um painel de discussão de como fomentar a “inteligência” da mobilidade e apresentará as soluções de mobilidade da Alstom para tornar as cidades inteligentes.

Com mais urbanização, é importante impulsionar e repensar a mobilidade para tornar as cidades mais inteligentes, mais conectadas e ambientalmente amigáveis, e a Alstom é a parceira preferencial para ajudar as cidades a atingir esse objetivo. As soluções da Alstom se associam perfeitamente à infraestrutura de transporte multi-modal de uma cidade. Um dos principais pontos fortes da empresa é a sua capacidade de fornecer soluções urbanas totalmente integradas que combinam a sua experiência global e a sua presença local para fornecer a solução de mobilidade de “melhor ajuste” para cidades em todo o mundo.

A Alstom participou do projeto Porto Maravilha com fornecimento de um sistema integrado de Veículo Leve sobre Trilhos para uma linha de 28 km de extensão, ao consórcio VLT Carioca, que inclui: 32 veículos Citadis, sinalização, sistema de telecomunicação; infraestrutura, alimentação de energia pelo solo, sem necessidade de redes aéreas de catenárias, e depósito dos equipamentos.

Conectando outros modais de transporte, as linhas do VLT auxiliarão consideravelmente a redução do trânsito no centro do Rio de Janeiro. O VLT Carioca foi inaugurado no dia 05 de junho e já está aberto ao público[1]. Outras referências chave da Alstom incluem: os sistemas integrados de metrô do Panamá, Los Teques, Guadalajara, Riade, e os sistemas integrados de VLT de Cuenca, Dubai, Lusail e Sydney.

[1] Um trecho de 7 quilômetros

AGENDA

Local: Armazém da Utopia – Porto Maravilha

Av. Rodrigues Alves, Armazém 6, Rio de Janeiro – RJ
Data:
08 e 09 de junho

Horário: Das 9h às 18h

http://www.connectedsmartcities.com.br/

PALESTRA ALSTOM

Cristiano Saito, Diretor de Novos Negócios da Alstom América Latina

Data: 09/06/2016 (quinta-feira)

Horário: 09h

Sobre a Alstom

Promotora da mobilidade sustentável, a Alstom desenvolve e comercializa sistemas, equipamentos e serviços para o setor ferroviário. A Alstom gerencia a maior gama de soluções do mercado – de trens de alta velocidade a metrôs e VLTs – serviços customizados (manutenção, modernização,…) e soluções de infraestrutura e sinalização. A Alstom é líder mundial em sistemas ferroviários integrados. A empresa registrou vendas de €6.9 bilhões e contabilizou €10.6 bilhões em pedidos no ano fiscal 2015/16. Sediada na França, a Alstom está presente em mais de 60 países e conta com mais de 31,000 funcionários atualmente. 

www.alstom.com

Fonte: Assessoria de Imprensa

Jacqueline Takemasa – Karina Brandford

Comente aqui


Mobilidade urbana: Itaipu inicia montagem do Renault Twizy no Brasil

 

A Itaipu Binacional inicia em Foz do Iguaçu, no Paraná, a montagem dos 32 compactos 100% elétricos do modelo Renault Twizy, que fazem parte do acordo de cooperação tecnológica assinado no ano passado entre Renault e Itaipu.

De acordo com Margaret Groff, diretora financeira executiva de Itaipu, “o Twizy será integrado ao sistema de mobilidade inteligente de Itaipu. O objetivo é desenvolver soluções inovadoras na área de logística. A infraestrutura para o veículo elétrico ainda é um desafio para o Brasil e o mundo”.

O trabalho começou no final de outubro, em uma área especialmente preparada dentro do complexo hidrelétrico. A intenção é montar um carro por semana.

“Essa é a primeira vez que um veículo Renault é montado fora de uma fábrica da marca. Essa iniciativa demonstra, portanto, a importância que essa parceria tem para a Renault. Acreditamos que o futuro da mobilidade passa, necessariamente, por veículos zero emissão, e estabelecer esse tipo de parceria só reforça que estamos no caminho certo”, afirma Olivier Murguet, presidente da Renault do Brasil.

A atividade mobiliza engenheiros e técnicos da matriz da Renault, na França; da fábrica do Twizy instalada em Valladolid, na Espanha; da fábrica da Renault em São José dos Pinhais; do Parque Tecnológico Itaipu (PTI); e da própria binacional.

O chefe da Assessoria de Mobilidade Elétrica Sustentável de Itaipu, Celso Novais, que é coordenador brasileiro do Programa VE, explicou que a binacional pretende promover estudos de nacionalização dos componentes do veículo e, no futuro, preparar fornecedores de peças para o mercado regional.

“A nossa expectativa é que encontremos pelo menos 60% dos fornecedores [de peças] deste veículo no País. Isso é importante porque entra numa faixa boa de nacionalização, o que faz com que o preço do carro caia muito, além de gerar emprego e renda no Brasil”, afirmou.

O modelo de dois lugares, hoje à venda para o consumidor final apenas na Europa, integra uma categoria automotiva especial, projetada para uso urbano e características de um quadriciclo.

Todas as unidades montadas em Itaipu serão utilizadas exclusivamente para estudos e trabalhos internos, dentro dos limites do complexo hidrelétrico. Também poderão ser utilizados pelos empregados pelo sistema de car sharing (compartilhamento).

Como é o trabalho

Os 32 Twizys chegaram à Itaipu em regime SKD (semi knock down, na sigla em inglês) – ou seja, parcialmente desmontados. Na usina, o trabalho envolve a integração do sistema de tração, bateria e motor elétrico, além da carroceria – totalizando aproximadamente 90 peças.

“Na Espanha, a montagem do Twizy é automatizada; aqui, o processo é mais manual, justamente porque o interesse de Itaipu não é produzir e fazer volume, mas conhecer a tecnologia”, explicou Celso Novais. Toda a estrutura montada pela Itaipu para desenvolver esse projeto conjunto está em linha com o que é preconizado pela Renault na Europa.

Para a equipe de Itaipu envolvida no projeto, o contato com os profissionais da Renault é uma oportunidade de aprofundar os conhecimentos em tecnologia e aprimorar os projetos desenvolvidos dentro do Programa VE. “Muitas coisas não adianta ver só no papel [em manuais]. Por isso, todos têm sido fundamentais para dar dicas importantes sobre o carro e a montagem. É um trabalho que está sendo muito produtivo”, destacou o engenheiro Nabor Ferreira Cabral, da Itaipu.

Sobre a Aliança Renault-Nissan

A Aliança Renault-Nissan lidera o segmento de veículos zero emissão no mundo e investe 4 bilhões de euros no desenvolvimento dessa tecnologia. Desde o início da comercialização, no final de 2010, 200 mil veículos elétricos já foram vendidos em todo o mundo.

A Renault, que traz o desenvolvimento de tecnologia em eficiência energética em seu DNA, é a única montadora a oferecer uma gama Z.E. completa, composta por quatro modelos: Renault Fluence, Renault Zoe, Renault Twizy e Renault Kangoo Z.E. Os veículos zero emissão estão cada vez mais presentes no dia a dia das grandes cidades e são uma tendência. “Para a Renault, o veículo elétrico não é futuro, é o presente”, afirma Olivier Murguet, presidente da Renault do Brasil.

Sobre a Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é a maior geradora de energia limpa e renovável do planeta e foi responsável, em 2013, pelo abastecimento de 17% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 75% do Paraguai. Em 2013, superou o próprio recorde mundial de produção e estabeleceu a marca de 98.630.035 megawatts-hora (98,63 milhões de MWh).

Desde 2003, Itaipu tem como missão empresarial “gerar energia elétrica de qualidade, com responsabilidade social e ambiental, impulsionando o desenvolvimento econômico, turístico e tecnológico, sustentável, no Brasil e no Paraguai”. A empresa tem ainda como visão de futuro chegar a 2020 como “a geradora de energia limpa e renovável com o melhor desempenho operativo e as melhores práticas de sustentabilidade do mundo, impulsionando o desenvolvimento sustentável e a integração regional”.

Fonte: Renault Assessoria de Imprensa

Caique Ferreira

Adriana Costa (Institucional)

Ubirajara Alves (Institucional)

Glenda Pereira (Produto)

Arthur Lustosa Santos (Produto)

Divisão de Imprensa – ITAIPU Binacional

Patrícia Iunovich (gerente)

Lúcio Horta

Comente aqui


Easy Taxi e Waze anunciam parceria em prol da mobilidade urbana e do consumo responsável de álcool

 

A estratégia faz parte da campanha #Euamotaxi, que foi lançada recentemente pela Easy Taxi

São Paulo, agosto de 2014 – Já imaginou estar atrasado para o encontro com os amigos e ficar preso no trânsito? A Easy Taxi, maior aplicativo de serviços mobile do mundo, e o aplicativo de trânsito Waze, acabam de anunciar uma parceria para facilitar ainda mais a mobilidade e colaborar com a lei seca.

O objetivo da parceria é promover mais agilidade para chegar ao destino. Seguindo a premissa “Se beber, vá de táxi”, a ideia é incentivar o uso do transporte público individual e sugerir que passageiros e taxistas utilizem o Waze durante o trajeto, já que o app permite compartilhar informações de trânsito das vias em tempo real, economizando as horas de quem não tem tempo a perder.

Passageiros e motoristas poderão compartilhar suas corridas, por meio da ferramenta “Enviar percurso”. O uso é simples, ao utilizar o Waze, o taxista pode dividir o trajeto para que o passageiro acompanhe em tempo real e tenha a estimativa do tempo de chegada e possível atraso.

Para Dennis Wang, co-CEO da Easy Taxi, a parceria reforça o compromisso das duas empresas em relação ao consumo responsável de bebida alcóolica. “Acreditamos que com mais praticidade e conforto, incentivaremos o uso deste modal de transporte, com foco na segurança, na direção consciente e na melhora da mobilidade urbana”, afirma.

“A segurança é a maior prioridade para Waze. Somos o primeiro aplicativo de navegação que impede que motoristas digitem textos enquanto dirigem, sendo que toda a experiência de navegação, até mesmo relatar um acidente, pode ser feita por comando de voz. Além disso, o Waze avisa sobre acidentes e perigos na estrada, mantendo assim os motoristas fora dos segmentos mais perigosos. Da mesma forma, a nossa parceria com a Easy Taxi nos permite continuar a lutar por segurança, somos capazes de oferecer aos nossos usuários a forma mais segura para chegar em casa e ainda desfrutar dos nossos benefícios”, afirma Julie Mossler, diretora de comunicações do Waze.

A parceria também faz parte da campanha #euamotaxi, que a Easy Taxi lançou na última semana, com o objetivo de incentivar o uso de táxis para diminuir o trânsito nas grandes cidades. A campanha oferece benefícios para os taxistas e para os usuários do aplicativo e é um grande passo de duas gigantes do setor rumo a expansão de canais dos aplicativos. Paul Malicki, CMO da Easy Taxi, afirma que os serviços são complementares, “o Waze é um aplicativo extremamente complementar à Easy Taxi, além de ajudar taxistas do mundo todo a enfrentar com mais facilidade o transito das grandes cidades, também é a ferramenta mais usada por motoristas do mundo todo”.

Sobre a Easy Taxi

Idealizada em junho de 2011 e lançada em abril de 2012, a Easy Taxi, pioneira no serviço móvel de chamada de táxi na América Latina, atua hoje em 32 países, 165 cidades, sendo 100 no Brasil e é considerado o maior aplicativo de serviços mobile do mundo. Disponível para iOS, Android, Windows Phone e Blackberry, o app pode ser baixado gratuitamente tanto pelo usuário como pelo taxista. Com investimentos de R$ 145 milhões, feitos pelo grupo alemão Rocket Internet, especializado em negócios online, pelo Fundo Latin America Internet Holding (LIH), pela holding iMena e, mais recentemente, pelo Phenomen Ventures e Tengelmann, a Easy Taxi já registrou 10 milhões de downloads. Além disso, recebeu as mais importantes premiações concedidas a startups, entre elas: Startup Weekend RIO (2011), IBM Smartcamp Brazil (2011), Startup Farm RIO (2011), TNW Awards Brazil (2012) e Spark Awards (2013).

Facebook: https://www.facebook.com/easytaxibr

Twitter: @easytaxi

Google+:https://plus.google.com/116474659813925254703/posts

Sobre o Waze

O Waze é um GPS social, que usa tecnologia móvel, grande quantidade de dados e uma comunidade ativa que contribui para redefinir a forma como os mapas são utilizados hoje em dia.  O aplicativo conta com motoristas que trabalham juntos diariamente para enfrentar o trânsito de forma inteligente, economizando tempo e dinheiro. O aplicativo informa constantemente as rotas mais rápidas baseado em dados obtidos em tempo real. De rotas revistas aos melhores preços de combustíveis e ofertas interessantes de suas marcas favoritas, o Waze é hoje um dos companheiros de viagem mais completos do mercado. Para baixar gratuitamente o Waze app, visite http://www.waze.com.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Waze

Vanessa Mayumi

Ana Nabeiro | Relações com a Mídia

Máquina Public Relations
www.grupomaquina.com

blog.grupomaquina.com

twitter.com/GrupoMaquina
www.facebook.com/MaquinaPR

Comente aqui


Audi investe em soluções para mobilidade urbana do futuro

Science_Slam

 

  • O Prêmio Audi Urban Future 2014 começa em quatro cidades 
  • CEO Rupert Stadler: “Pensar à frente faz parte da nossa responsabilidade social.”
  • As contribuições do encontro científico estão disponíveis online em www.audi-urban-future.com

 

Ingolstadt, 15 de maio de 2014 – “O próximo grande salto da mobilidade” – esse é o tema do Prêmio Audi Urban Future 2014. Quatro equipes de especialistas de quatro cidades apresentarão suas ideias para solucionar problemas da mobilidade urbana. Os projetos de Seul, Berlim, Boston e Cidade do México adotam abordagens diferentes, mas tem uma coisa em comum: eles buscam melhorar a mobilidade nas grandes cidades e incrementar a qualidade de vida dos habitantes.  O automóvel inteligente exerce um papel importante nesse esforço.

Para o Prêmio Audi Urban Future 2014, especialistas em mobilidade e urbanistas, cientistas e etnógrafos, especialistas em TI e designers de produtos estarão reunidos em equipes interdisciplinares para desenvolver novas ideias para a mobilidade do futuro. “O automóvel está procurando e encontrando a cidade,” disse Rupert Stadler, CEO da AUDI AG. “Isso significa não apenas navegação, mas uma simbiose essencial para que todos nós possamos viver juntos. Pensar à frente e buscar estabelecer essa conexão é a missão da Audi Urban Future Iniciative – e faz parte da nossa responsabilidade social.”

Durante o encontro científico no Audi Forum em Ingolstadt, as quatro equipes do Prêmio de Berlim, Boston, Cidade do México e Seul apresentaram ao vivo no palco os primeiros resultados do seu trabalho para um público de mais de 300 convidados.

  • “Individualidade e coletividade não são mutuamente exclusivas.” Essa é a tese da equipe de Berlim. Após a despedida do aeroporto de Berlim Tegel, o local da Berlim TXL – a República Tecnológica Urbana, se tornará um parque de pesquisa e indústria tão grande quanto uma pequena cidade. Com suas propostas para mobilidade, a equipe de Berlim procura mostrar como um novo distrito poderá ser conectado à capital alemã. Aqui o automóvel com suas características individuais exercerá um papel importante para reduzir certas lacunas no transporte. Assuntos como condução e estacionamento pilotados foram incluídos entre as primeiras ideias da equipe.
  • “As fronteiras entre mobilidade e imobilidade serão eliminadas.” A equipe de Boston está iniciando seu trabalho com base nessa tese.  Os competidores americanos do Prêmio estão preocupados com projetos específicos de desenvolvimento urbano decorrentes das exigências de alta capacidade de mobilidade. Tecnologias automobilísticas tais como estacionamento pilotado poderão ser muito úteis para a vida urbana por gerarem ganhos de espaço e eficiência na infraestrutura das cidades. Do modo como a equipe vê o tema, inovações técnicas e o desenvolvimento da infraestrutura deveriam andar lado a lado.
  • “Sustentabilidade e progresso não são contraditórios,” declara a equipe da Cidade do México, onde os níveis de congestionamento de tráfego urbano estão entre os maiores do mundo. A equipe entende as plataformas públicas de colaboração como uma oportunidade de solucionar o problema de lentidão no trânsito. Os mexicanos estão analisando grupos de dados sobre fluxos de trânsito e comportamentos em termos de mobilidade, para conceber soluções para a mobilidade urbana no futuro a partir desses elementos. Com os dados coletados, o tráfego poderá ser adequadamente regulado e a mobilidade na cidade aperfeiçoada.
  • “Realidade e virtualidade serão fundidas,” é a tese da equipe sul-coreana. Como um enorme dispositivo móvel, o automóvel se move pelo mundo da Internet das Coisas. Os conceitos de Automóvel para Todas as Coisas e Todas as Coisas para o Automóvel pretendem tornar a vida mais simples e mais fácil de planejar. A Audi está contribuindo com sua experiência nos campos do Audi Connect e de telas inteligentes para o projeto dessa equipe.

O encontro científico foi a conclusão de uma reunião de trabalho entre as equipes internacionais do Prêmio e a Equipe de Inovação da Audi – funcionários das áreas de Desenvolvimento Técnico, Design e Estratégia para Produtos.

No segundo semestre, um júri internacional e interdisciplinar escolherá o projeto vencedor do Prêmio Audi Urban Future 2014, que oferece um prêmio em dinheiro de 100.000 euros. Todas as contribuições do encontro científico estão disponíveis no site da Iniciativa Audi Urban Future (http://audi-urban-future.com). Os membros das equipes se reúnem aqui regularmente através de blogs, com reportes sobre o status dos seus projetos.

Fonte: Departamento de Comunicação Audi do Brasil

Christian Marxen

Gerente de Comunicação Audi do Brasil

Charles Marzanasco

Supervisor de Imprensa Produto

Renata Tersiote

Analista de Comunicação

Aline Fernandes

Estagiária de Comunicação

No ano de 2013 o Grupo Audi entregou a seus clientes cerca de 1.575.500 automóveis da marca Audi. Em 2013, com um volume de negócios da ordem dos 49,9 bilhões de euros, a empresa obteve um resultado operacional de 5,03 bilhões de euros A nível internacional a empresa está presente em mais de 100 mercados, produzindo nas unidades de Ingolstadt, Neckarsulm, Győr (Hungria), Bruxelas (Bélgica), Bratislava (Eslováquia), Martorell (Espanha), Kaluga (Rússia), Aurangabad (Índia), Changchun (China) e Jakarta (Indonésia). Dede o final de 2013 a marca com os Quatro Anéis também produz em Foshan (China), a partir de 2015 será em São José dos Pinhais (Brasil), bem como a partir de 2016 em San José, Chiapa (México). Subsidiárias a 100% da Audi AG são, nomeadamente, a quattro GmbH (Neckarsulm), a Automobili Lamborghini S.p.A. (Sant’Agata Bolognese/Itália) e o fabricante de motos esportivas Ducati Motor Holding S.p.A. (Bologna/Itália). A empresa emprega atualmente mais de 73.500 funcionários a nível mundial, dos quais cerca de 52.500 na Alemanha. De 2014 até 2018 a Audi pretende efetuar investimentos globais no montante de aproximadamente 22 bilhões de euros, principalmente em novos produtos e tecnologias sustentáveis. A Audi assume sua responsabilidade empresarial, tendo definido estrategicamente a sustentabilidade como padrão de referência para processos e produtos. A meta no longo prazo é: mobilidade neutra em CO2.

 

Comente aqui


Sense Bike promete grandes novidades para a mobilidade urbana em 2015

SenseBike

Executivo da Sense Electric Bike esteve na maior feira da Ásia e trouxe detalhes que prometem ser tendência no Brasil

Considerado o país mais avançado no que diz respeito à produção de bicicletas no mundo, Taiwan foi o destino que o executivo de vendas da empresa mineira Sense Bike, Caio Ribeiro, escolheu para buscar novidades que estarão nas lojas em 2015.

Inaugurando sua fábrica em Manaus, a empresa é hoje uma das únicas a oferecer bicicletas elétricas no padrão exigido pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), com três modelos que facilitam a mobilidade urbana proporcionando conforto e bem estar.

Em sua viagem, o executivo conseguiu identificar tendências que prometem fazer sucesso nos próximos anos aqui no Brasil. “Baterias ainda mais finas e com tecnologia de grandes fabricantes mundiais, motores elétricos com design refinado e potência superior sem acréscimo de tamanho, os displays também ficaram mais funcionais e identificam erro na parte elétrica”, explica Ribeiro.

Com essa pesquisa, a empresa promete incrementar o mercado de bicicletas elétricas em 2015, acrescentando três novos modelos, totalmente inéditos a sua linha de produtos. “Será uma série de novidades que vêm para facilitar a mobilidade nos grandes centros e deixar tudo ainda mais emocionante. Agora é tirar tudo do papel e surpreender os brasileiros”, finaliza. Para conhecer mais acesse www.sensebike.com.br

Sobre a Sense Bike

A história da Sense Bike teve inicio em 2009, quando as primeiras ideias de se fabricar uma bicicleta elétrica foram idealizadas por um grupo tradicional de Minas Gerais, que atua a mais de 30 anos no segmento de duas rodas no Brasil. Esta sinergia entre as empresas, que hoje são lideres de mercado em seus respectivos ramos de atuação, abriu caminho para criação de uma marca sólida e que já nasce experiente por contar com uma estrutura completa de importação, estoque, distribuição, pós-venda e comercial. Para saber mais informações e conhecer as revendas autorizadas pelo Brasil acesse http://www.sensebike.com.br/, ligue 0800 737 3673 ou ainda envie um e-mail para [email protected].

Fonte: Rafael Serato – Index

www.indexassessoria.com.br

 

Comente aqui


Engenheiros avaliam obras do PAC em mobilidade urbana no Rio

 

Cidade, que enfrenta sérios problemas de transporte, será palco para discussão sobre o modelo ferroviário, nesta sexta (25), às 9h, com a presença do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão.
Com 160 anos de ferrovias no Brasil, entidade de classe comemora a data de 30 de abril com alerta sobre o retrocesso do sistema de linhas de trens no país.
Para comemorar os 160 anos das ferrovias brasileiras, a Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) propõe um debate sobre a necessidade do transporte ferroviário para o desenvolvimento nacional. Os investimentos em mobilidade urbana – com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC I e II) do governo federal – e em infraestrutura no país serão temas do seminário “Sistema Ferroviário Brasileiro – Diagnósticos e Propostas”, que acontece nesta sexta-feira (25), a partir das 9h, na Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomercio-RJ).
Para encontrar soluções para as ferrovias brasileiras, participam do seminário especialistas e representantes do setor, como o ex-secretário de Política Nacional de Transportes do Ministério dos Transportes e consultor de transporte e logística, Marcelo Perrupato, além de autoridades, como o governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão.
Durante o evento, será apresentado um projeto de revitalização da primeira ferrovia brasileira, na Estrada de Ferro Barão de Mauá, para a concepção do Museu da Ferrovia do Rio de Janeiro. A ideia é aproveitar o espaço da estação de trem abandonada, no centro da cidade precursora desse modal de transporte, para promover a cultura na região. Uma mesa redonda com profissionais do setor público e das concessionárias do setor privado também vão debater a proposta que pretende valorizar o histórico ferroviário da cidade.
Segundo avaliação da FNE, de acordo com dados do Instituto Ilos, especializado em logística, o transporte de carga por ferrovias é cada vez mais uma opção para alavancar um crescimento econômico sustentável e melhorar a infraestrutura nacional. “As obras do PAC I e II foram importantes para impulsionar a infraestrutura brasileira, mas precisam ser concluídas. Investir em ferrovias é uma alternativa de menor custo em relação ao uso de rodovias, por exemplo. Hoje, empresas dos setores sucroalcooleiro, de celulose e de mineração são as que mais utilizam esse transporte, mas a malha ferroviária deve ser ampliada”, destaca o presidente da entidade, Murilo Celso Pinheiro.
Hoje, o Brasil tem, aproximadamente, 29 mil quilômetros de ferrovias, mas a demanda pelo transporte de carga e de passageiros, em especial, na cidade do Rio de Janeiro, é cada vez maior. Para o presidente da FNE, Murilo Celso Pinheiro, “o sistema ferroviário brasileiro regrediu ao longo dos anos”.  Na sua avaliação, “hoje, pela falta de investimentos, temos um número menor de trilhos e o volume de cargas por quilômetros também é muito inferior. Para um país continental como o nosso, é impossível pensar em desenvolvimento nacional sem pensar em um sistema de transporte mais econômico como as ferrovias”.

Projeto Cresce Brasil

O evento faz parte do projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, cuja primeira versão foi lançada em 2006, que propõe a discussão periódica dos principais problemas nacionais e sugere propostas de solução. Desta vez, os especialistas vão discutir os pontos sensíveis do setor ferroviário para preparar recomendações técnicas, que servirão de base para a elaboração da terceira edição do documento Cresce Brasil – que será apresentado aos candidatos à Presidência nas eleições de 2014. O documento serviu de base para a elaboração do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal.

Sobre a Federação Nacional dos Engenheiros

Fundada em 25 de fevereiro de 1964, a FNE (Federação Nacional dos Engenheiros) tem sede em Brasília e, hoje, é composta por 18 sindicatos estaduais, aos quais estão ligados cerca de 400 mil profissionais. A entidade foi constituída com o objetivo de representar nacionalmente a categoria, atuando na coordenação, na defesa e na representação dos profissionais, por intermédio de seus sindicatos.
Atua intensamente na congregação de seus representados e luta pelos direitos dos profissionais, por melhores condições de vida e trabalho e pelo fortalecimento da democracia e suas instituições.
Bandeira fundamental da entidade é também a luta pelo desenvolvimento do País com inclusão social. Tal objetivo está presente no projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, lançado em setembro de 2006, em São Paulo, durante o VI Conse (Congresso Nacional dos Engenheiros), e atualizado por ocasião do VII Conse, em 2009.

Serviço

O que: Seminário Sistema Ferroviário Brasileiro – Diagnósticos e Propostas
Quando: sexta-feira, dia 25 de abril de 2014, de 9h às 18h
Onde: Auditório da Federação do Comércio (Fecomércio)
Endereço: Rua Marques de Abrantes, nº 99 – Flamengo – Rio de Janeiro (RJ)

Informações e inscrições

Seminário gratuito 

Autoridades

Luiz Fernando de Souza (Pezão) – Governador do Estado do Rio de Janeiro
Murilo Celso Pinheiro – Presidente da FNE
Orlando Diniz – Presidente da Fecomércio

Palestrantes

Marcelo Perrupatto (Consultor de Transporte e Logística, ex-secretário de Política Nacional de Transportes do Ministério dos Transportes) – O futuro da ferrovia no Brasil
Carlos Monte (Consultor da FNE) – As obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)
Francisco Costa (Secretaria Nacional de Política dos Transportes) – Museu Nacional Ferroviário

Coordenadores

Carlos Bastos Abraham – Vice-presidente da FNE
Fernando Palmezan Neto – Coordenador do projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”
Clarice Aquino Soraggi – Diretora regional Sudeste da FNE
Luiz Euler Mello – Presidente da Associação de Engenheiros Ferroviários (Aenfer)

Mesa-redonda

Ministério dos Transportes/Secretaria de Política Nacional de Transportes (MT/SPNT)
Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT)
Associação Nacional de Transportes Ferroviários (ANTF)
Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)

Fonte: Anny Cassimira

In Press Oficina
www.inpressoficina.com.br

Comente aqui


Mobilidade urbana: a teoria x a prática

 Fernando Medeiros

Por Fernando Medeiros

Uma coisa é fato e não há como ignorar. Algo precisa ser feito para tornar o trânsito viável nas grandes cidades brasileiras em termos de mobilidade. A teoria mais básica diz que se as pessoas trocarem o carro pelo transporte coletivo, o trânsito certamente melhorará e até o transporte público ficará mais eficiente.

Ocorre porém, que na maioria das grandes cidades, a infraestrutura não cresceu na mesma proporção que a população e os usuários de transportes públicos e, como consequência, a capacidade instalada desses meios estão operando muito acima dos limites. Aí vem uma pergunta: como motivar as pessoas a trocarem os carros e todo o seu conforto por um meio de transporte que mal comporta seus usuários atuais? Sem uma estruturação rápida e eficiente dos meios de transportes coletivos, essa troca simplesmente não irá acontecer.

A Política Nacional de Mobilidade Urbana, que foi sancionada em janeiro de 2014 caminha exatamente nesta direção. Isto é, dá prioridade aos meios de transportes não motorizados e ao serviço público de transporte coletivo. Também deixa aberta a possibilidade de cobrança do pedágio urbano, justamente para haver um mecanismo que pressione o usuário de carro a migrar para o transporte coletivo. Na prática: vai ficar mais caro utilizar o carro, o poder público passará a ter uma nova fonte de receita e as pessoas continuarão no conforto dos seus veículos.

Como alternativa, a Política Nacional contempla a utilização de veículos não motorizados, entenda-se bicicletas. Na teoria esta alternativa é excelente, pois é politicamente correta e vai ao encontro das demandas ambientais atuais. No entanto, mais uma vez, a prática se confronta com a teoria.

Espero algum dia ver a bicicleta fazendo parte harmonicamente do trânsito das grandes capitais e servindo como uma das alternativas para a mobilidade, porém esta realidade está muito longe da prática. Hoje, o uso de bicicletas como meio de transporte em massa ainda é inviável por questões como distância, geografia e velocidade.

Naturalmente não há uma solução simples e pontual. São necessárias várias medidas e o conjunto delas é que nos aproximará de soluções, mas gostaria de propor uma reflexão, e mais uma vez, confrontando a teoria com a prática.

Na teoria, o estímulo do uso de motocicletas não está contemplado como alternativa para a mobilidade urbana por conta dos aspectos negativos lançados sobre a imagem das motocicletas e de seus usuários. Mas, sabemos que na prática a motocicleta é uma das soluções. Um bom exemplo disso é que quando queremos que alguma encomenda chegue rápido ou quente ao nosso destino, chamamos um motoboy.

Falar neste tema sem contemplar o uso da motocicleta como alternativa viável para a mobilidade urbana é tratar o assunto pela metade ou desprezar uma importante alternativa de solução. A motocicleta já é uma realidade imutável, crescente e necessária. A partir do momento que este veículo for considerado como parte da solução e não do problema, os aspectos de risco do seu uso serão tratados com mais seriedade e, certamente, os resultados serão relevantes para a evolução da nossa sociedade.

Fernando Medeiros é diretor executivo da ASSOHONDA.

Sobre a ASSOHONDA:
www.assohonda.org.br
Fonte: InformaMídia Comunicação
Juliana Colognesi – Morgana Almeida

Comente aqui


Conferência Nacional de Logística discute eficiência frente aos crescentes desafios de mobilidade urbana

Edição de 2013 da Conferência Nacional de Logística discutirá eficiência
2LikePhotoStudio


Evento, que se realiza de 17 a 19 de setembro, terá participação do presidente da EPL, Bernardo Figueiredo para falar das iniciativas governamentais em logística e infraestrutura, especialmente pós Copa e Olimpíadas.

São Paulo, agosto de 2013 – Em um sistema logístico altamente sobrecarregado como o do Brasil, ser eficiente é sinônimo de competitividade. A busca pela eficiência logística e excelência na gestão de resultados é o tema da XVII Conferência Nacional de Logística, principal encontro do setor, que será realizado de 17 a 19 de setembro, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP), promovida pela ABRALOG – Associação Brasileira de Logística.

“Em três dias de evento vamos construir um cenário no qual vão ser projetadas e discutidas a logística que se faz hoje no Brasil, a logística que queremos ver implantada e os caminhos que temos de trilhar para isso. Nossa Conferência ocorrerá durante a Movimat, maior vitrine da logística do País, que congrega também a Transporte & Logística Brasil e a VUC Expo, eventos organizados pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, nossa grande parceira. Assim, a XVII CNL está rodeada do que há de melhor no País: conteúdo de quem faz a logística nacional e fornecedores de produtos e serviços para esse amplo mercado que cresce, e cresce muito, mesmo durante a adversidade mundial deste momento”, afirma o presidente da ABRALOG, Pedro Francisco Moreira, que avalia o momento do setor como sendo especial, apesar dos percalços decorrentes dos gargalos de infraestrutura do País.

“Nos últimos anos, grande parte das empresas do setor tem crescido na velocidade de até 20% ao ano, e esse é um resultado excelente, em meio à crise econômica mundial que também nos afeta bastante. A infraestrutura, claro, atravanca, mas mesmo assim as empresas do segmento e as empresas que tomam serviços logísticos, juntas, têm superado essa situação com o uso de talento, inovação e tecnologia”, analisa o presidente da ABRALOG.

Além de temas específicos, como logística urbana e gestão end-to-end, gestão de supply chain, condomínios logísticos, tecnologia e automação, otimização de processos, logística reversa, otimização de perdas e operação cross-docking, a Conferência discutirá o setor em um contexto mais macro com a participação do presidente da Empresa Brasileira de Planejamento Logístico (EPL), Bernardo Figueiredo, estatal criada há um ano para gerenciar os projetos de infraestrutura no país. Os participantes da Conferência poderão esclarecer suas dúvidas sobre futuras iniciativas e investimentos do Governo Federal em logística e infraestrutura, com foco em ações Pós-Copa do Mundo e Olimpíadas. “Esse será um dos pontos altos do evento, e, mais importante, a oportunidade de os logísticos conversarem pessoalmente com o presidente da EPL. Os recentes pacotes governamentais passando o bastão da construção dessa infraestrutura para a iniciativa privada são indícios de que agora os obstáculos podem estar sendo ultrapassados. A EPL está pensando e estruturando o planejamento integrado da logística no País. A estatal surgiu para fazer funcionar a multimodalidade, interligando rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias”, explica Moreira.

Compõem ainda a programação da Conferência mesas redondas sobre multimodalidade e mão de obra para analisar as alternativas à falta de profissionais capacitados, situação potencializada pela chamada “Lei do Motorista”, que vem encarecendo o transporte no Brasil.

Apresentarão os temas, melhores práticas e casos práticos executivos de grandes empresas, como Ambev, HP Brasil, Drogaria Araújo, Danone, Grupo Casino França, GE Healthcare, Bosch, entre outros.

“A grade de programação da Conferência foi formatada para debater o papel dos profissionais e das empresas sobre o que podem e devem esperar da logística a curto e médio prazos, e como usar a logística para ter sucesso e resultados expressivos. Em três dias vamos realizar uma grande viagem à logística e cadeias de suprimento, discutindo tecnologia, automação, tendências tecnológicas, modelos de gestão, condomínios logísticos, e-commerce, sustentabilidade. Quem entrar na primeira palestra e participar de todas as demais, terá visto como está hoje a logística do Brasil num enredo que tem começo, meio e fim. Mas, quem assistir alguns dos blocos, de acordo com seu interesse imediato, vai se informar e receber conteúdo, sem deixar de ter a visão nítida do enredo como um todo. Diria que a XVII CNL tem a pretensão de detalhar a logística que temos e a aquela que efetivamos queremos ter para sermos eficientes”, aposta o presidente da ABRALOG.

França como país convidado

País convidado da edição de 2013 da Conferência Nacional de Logística, a França será o destaque da programação do primeiro dia do evento. “A França tem grande tradição em logística e realiza uma das maiores mostras mundiais do segmento, o Salão Internacional de Transporte e Logística – SITL, ao qual comparecemos neste ano. O conhecimento francês e o grande número de empresas daquele país presentes em nosso mercado nos motivaram a fazer da França o país convidado da XVII CNL”, justifica o presidente da ABRALOG. “Durante o evento será traçado um panorama dos investimentos da França no mercado brasileiro de logística e na sequência empresas francesas instaladas no Brasil mostrarão porque vieram para cá e o que estão fazendo, como enfrentam as limitações de infraestrutura, como disseminam aqui as boas práticas logísticas de suas matrizes, de que forma se deu, digamos, a ‘tropicalização’ dessa cultura logística, tudo isso vindo de empresas de grande reconhecimento internacional”, conta Moreira.

“Nossa preocupação com a mobilidade urbana é anterior a episódios, como manifestações que bloqueiam centros urbanos e paralisações de caminhoneiros. Por isso, falaremos muito na Conferência a respeito da distribuição de mercadoria nos grandes centros, inclusive insistindo bastante na experiência francesa. As palestras vão jogar luz sobre os prejuízos desses episódios, falarão sobre restrição de tráfego de caminhões, a falta que a multimodalidade faz não só nessa situação, mas, principalmente, em termos de Brasil, em termos de eficiência”, explica o presidente da ABRALOG.

Pesquisa sobre perfil do profissional e premiação

Ao final da Conferência serão divulgados os resultados da IV Pesquisa Perfil do Profissional de Logística no Brasil, levantamento inédito que mapeia quem é, o que faz e para onde caminha o segmento profissional que mais cresce no País, e do XI Prêmio ABRALOG de Logística, premiação que reconhece empresas usuárias (embarcadores, indústrias, redes de varejo, atacadistas e distribuidores) que se destacaram por encontrar soluções em projetos para as cadeias de suprimento.

Programação XVII Conferência Nacional de Logística

17/09/2013

HORÁRIO TEMA PALESTRANTE
8h45 Abertura solene da conferência   com a presença de autoridades  
9h –   9h30 A França investindo no mercado brasileiro:   Dados do setor que apontam a logística no Brasil como fonte de oportunidades   para estrangeiros Jean- François Ambrósio – Conselheiro   Infraestrutura e Transporte – UBIFRANCE BRASIL
9h30   – 10h Coffee Break e Networking  
10h –   11h CASE LOGÍSTICA URBANA E GESTÃO END-TO-END – Conheça a experiência da Franprix, empresa   do Grupo Casino França, na garantia da eficiência na logística urbana e   excelência na gestão de resultados Laurent Kamiel – Diretor – FRANPRIX –   Grupo Casino França
11h –   12h30 EXCELÊNCIA NA GESTÃO DE SUPPLY CHAIN – Saiba Como a Parceria entre as empresas MWM   e ID Logistics superou as expectativas iniciais em capacidade de armazenagem   e conquistou o conceito máximo em organização, metodologia e rastreabilidade Igor Stocker – Gerente de Projetos – ID   LOGISTICS
12h30   – 13h Abertura solene das Feiras   Movimat, Transporte & Logística Brasil e VUC Expo  
13h –   14h Intervalo para almoço e visitação às feiras  
14h –   15h30 PAINEL CONDOMÍNIOS LOGÍSTICOS – Real Estate: Tendências para o mercado   brasileiro de condomínios logísticos Jeffer   Ogera –   Arquiteto e Gerente de Projeto – AGENCE FRAN

Leo   Barlatier –   Diretor – BARJANE

Marcel   Monacelli – Arquiteto – MARCEL MONACELLI ARQUITETURA

15h30   – 16h Coffee Break e Networking  
16h –   17h30 MESA REDONDA MERCADO LOGÍSTICO BRASILEIRO – Discuta os desafios e oportunidades para o   mercado logístico brasileiro frente às experiências e avanços internacionais Palestrantes   do primeiro dia de conferência

18/09/2013

HORÁRIO TEMA PALESTRANTE
8h45   – 9h Abertura   da Conferência pelo presidente da mesa  
9h –   10h CASE E-COMMERCE – Como garantir a eficiência logística nos   processos de E-commerce com foco em velocidade nos processos, baixo tempo de   resposta e serviços pós-venda de alto nível.  
10h –   10h30 Coffee Break e Networking  
10h30   – 11h30 CASE OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS – Estudo de caso da GE Healthcare na otimização   de processos, que permitiu maior eficiência no controle de estoques de peças   em disponibilidade contínua. Herman   Amaral – Service Manager – GE Healthcare
11h30   – 12h30 CASE DISTRIBUIÇÃO URBANA – Avalie as alternativas da Ambev para   garantir a agilidade e eficiência na distribuição urbana de seus produtos,   viabilizando o abastecimento e reposição de mercadorias frente a desafios   como trânsito e legislação local Rodrigo Otávio – Diretor AMBEV
12h30   – 14h Intervalo para almoço e visitação às feiras  
14h –   15h CASE LOGÍSTICA REVERSA – Entenda a operacionalização da logística   reversa da HP Brasil e conheça as adequações necessárias para garantir a   excelência na gestão de resultados Kami Saidi – Diretor de   Sustentabilidade – HP BRASIL
15h –   16h INICIATIVAS DO GOVERNO – Esclareça suas dúvidas sobre futuras   iniciativas e investimentos do Governo Federal em logística e infraestrutura,   com foco em ações Pós-Copa do Mundo e Olimpíadas. Bernardo Figueiredo – Presidente – EPL –   EMPRESA DE PLANEJAMENTO E LOGÍSTICA
16h –   16h30 Coffee Break e Networking  
16h30   – 18h MESA REDONDA MULTIMODALIDADE – Alternativas e soluções para empregar a   intermodalidade e as plataformas logísticas nos processos da sua empresa,   garantindo maior eficiência nos processos. Anselmo   Riso –   Diretor – BOSCH

Celso   Queiroz –   Diretor – MTO LOGÍSTICA

Nicolas   Derouin –   Diretor Geral – ID LOGISTICS

Rodrigo   Vilaça –   Presidente – ANTF

19/09/2013

HORÁRIO TEMA PALESTRANTE
8h45   – 9h Abertura   da Conferência pelo presidente da mesa  
9h –   10h PAINEL TECNOLOGIA E AUTOMAÇÃO: WMS, VOICE PICKING E RFID – saiba mais sobre a utilização e aplicação   das principais tendências tecnológicas que beneficiam os processos de   intralogística: WMS – Warehouse Management System, Voice Picking e RFID Helcio Lenz – Diretor de Logística –   OTIMIS SUPPLY CHAIN
10h –   10h30 Coffee Break e Networking  
10h30   – 12h PAINEL OTIMIZAÇÃO DE PERDAS – Otimização de perdas de espaço, recursos e   tempo proporcionando maior eficiência nos processos de armazenagem,   movimentação e reposição –   Estudo de caso Drogaria Araújo Eduardo   Banzato –   Diretor – IMAM/Conselheiro – ABRALOG

Marcelo   Viana Vargas –   Gerente de Projetos – DROGARIA ARAÚJO

12h30   – 14h Intervalo para almoço e visitação às feiras  
14h –   15h OPERAÇÃO CROSS-DOCKING  
15h –   16h30 MESA REDONDA: MÃO DE OBRA – Alternativas para minimizar o impacto da   falta de mão de obra especializada e da influência da Lei do Motorista na   eficiência logística das empresas Douglas   Tacla –   VP Transportes e Operações – DHL SUPPLY CHAIN

Carlos   Montagner –   Diretor de Supply – DANONE BABY

Manoel   Sousa Lima Jr. –   Presidente – SETCESP

Ramon   Alcaraz –   Diretor – FADEL TRANSPORTES

16h30   – 16h45 Coffee Break e Networking
  •    
16h45   – 17h30 Apresentação da 4ª Pesquisa   ABRALOG sobre o Perfil do Profissional de Logística no Brasil
17h30   – 18h Prêmio ABRALOG de Logística

Mais informações:

XVII Conferência Nacional de Logística

28ª Movimat – Feira Internacional de Intralogística

TRANSPORTE & LOGÍSTICA BRASIL by STIL
VUC EXPO 2013 – www.vucexpo.com.br
Data: 17 a 19 de setembro
Horário: das 14h às 20h
Local: Expo Center Norte – São Paulo (SP)

Programação completa da CNL em http://www.expomovimat.com.br/Conferencia/Agenda/Programacao-Completa/

Sobre a Reed Exhibitions Alcantara Machado
Criada em 2007, a Reed Exhibitions Alcantara Machado é resultado da joint-venture entre a maior promotora de feiras do mundo, a Reed Exhibitions, presente no Brasil desde 1997, e a maior da América Latina, a Alcantara Machado Feiras de Negócios, fundada em 1956 e líder no mercado latino americano. Com eventos nos setores mais ativos da economia, no biênio 2010-2011 a empresa realizou somente Brasil mais de 56 grandes Feiras de Negócios e Consumo, ocupando assim o 1º lugar em quantidade de eventos, volume de visitantes e compradores, e metragem total de expositores, dentre as empresas associadas à UBRAFE (União Brasileira dos Promotores de Feira).
Sobre a Reed Exhibitions
A Reed Exhibitions é a principal organizadora de eventos do mundo, reunindo mais de 6 milhões de profissionais ao redor do planeta, gerando bilhões de dólares em negócios. Hoje, os eventos da Reed estão presentes em 35 países, distribuídos pelas Américas, Europa, Oriente Médio e Ásia e organizados por 35 escritórios próprios que empregam mais de 2.500 funcionários.
A Reed Exhibitions pertence à Reed Elsevier Group, uma companhia listada entre as TOP 100 da Bolsa de Valores de Londres, e que apresentou em 2010 um total de £6,071Bi e resultados ajustados de £1,706 Bi. O Grupo Reed Elsevier é líder na geração de soluções de informação profissional nos setores Científico, Médico, Legal, Análise de Riscos, de Negócios em Geral.
Para mais informações:
www.reedalcantara.com.br

Fonte:
Attuale Comunicação

Mariele Previdi – Rodrigo Tomba

Gerência de Comunicação – Reed Exhibitions Alcantara Machado
Antonio Alves – Monise Hernandez – Marcelle Rodrigues

Comente aqui


Mobilidade Urbana atrai Multinacional a fabricar elevadores veiculares elétricos no Brasil

Sociedade Brasileira prioriza o Transporte Público a fim de que seja de boa qualidade, traga conforto e preço justo aos passageiros

Nos últimos dias, um dos assuntos mais comentados e que levou milhões de manifestantes às ruas de vários estados do Brasil é o Transporte Público. Quem não quer ter o conforto do ônibus parecido com o dos carros? Mas, o que se vê no momento é uma realidade bastante distante do que os ônibus, por exemplo, oferecem. E a situação é ainda pior para as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

As reclamações atingem desde horários indefinidos dos ônibus, superlotações, freadas bruscas, passageiros em pé, até a falta de segurança e o preço exorbitante das passagens.

Mediante esses fatores e prestando atenção à falta de acessibilidade, que é o maior problema que os cadeirantes enfrentam no dia a dia para realizar as atividades cotidianas e ter uma vida social de qualidade, a Palfinger, líder em tecnologia e fabricação de sistemas de acessibilidade, traz ao mercadol o elevador veicular elétrico Palfinger, que tem o objetivo de beneficiar pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, como gestantes, idosos, obesos, além de motoristas e cobradores de ônibus, devido a sua facilidade operacional. Seu manuseio é simples, fator que previne acidentes e gera maior segurança.

O equipamento é leve, o que contribui para a otimização do consumo de combustível, pneus, freios, lubrificantes e suspensão, que além de gerar economia não polui o ambiente. “Cabe destacar que por ser elétrico, o produto é ecologicamente correto, pois não gera resíduos”, diz Aurélio Dal Zotto Boff, Gerente de Unidade de Negócio – Elevadores Veiculares Palfinger.

A empresa mostrará a novidade do elevador veicular Palfinger, o Sistema de Diagnóstico que facilita a rápida identificação de problemas em caso de pane. O sistema possibilita, em caso de necessidade de manutenção, fazer um diagnóstico do produto para detectar um possível problema antes mesmo do técnico desmontar o equipamento.

Hoje, o elevador veicular Palfinger já está circulando no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Pernambuco e São Paulo. A cadeirante Cassandra Gomes Ramos, servidora pública municipal de Caxias do Sul – RS, é usuária do elevador Palfinger e aprova por ele ser silencioso e ter uma estrutura maior, gerando mais segurança que os outros.

“Eu uso o elevador Palfinger desde a fase de teste. Foram feitos alguns ajustes no elevador para melhor. Alguns colegas cadeirantes também aprovaram o equipamento. O objetivo é que o elevador seja acionado pelo motorista com facilidade e transportar as pessoas com deficiência com segurança, também é importante não atrapalhar o corredor de ônibus nem atrasar os demais passageiros”, conta Cassandra.

Em São Paulo, há 15 mil ônibus e cerca de 4 mil adaptados. No município do Rio de Janeiro, da frota de 8,8 mil, 2 mil estão adaptados, segundo o sindicato das empresas de ônibus. Números representativos para um país que precisa correr contra o tempo, já que o Brasil sediará a Copa de 2014 e precisa atender o decreto publicado em 2004, determinando que 100% da frota nacional deverá estar totalmente acessível a cadeirantes até 2014.

A Palfinger estará em um dos eventos mais importante que trata a Mobilidade Reduzida, tema bastante oportuno para o momento do Brasil, na Transpúblico 2013 – feira que reúne uma exposição de fornecedores do setor de transportes – nos dias 3, 4 e 5 de julho

Novo vídeo de aplicação do elevador veicular Palfinguer: http://www.youtube.com/watch?v=oslxrvJnu0A

Palfinger – Endereço do Estande: G23A.

Serviço

MADAL PALFINGER S/A

Rua Flávio Francisco Bellini, 350 – Bairro Salgado Filho

CEP: 95098-170 – Caxias do Sul – RS

Tel.: +55 54 3026-7000  –  Fax: +55 54 3026-7001

www.madalpalfinger.com

Transpúblico 2013 e Seminário Nacional NTU

Transamérica Expo Center

Endereço: Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro

São Paulo – SP – Brasil 04757-020

Tel.: +55 (11) 5643-3000        Fax.:+55 (11) 5643-3013

Fonte:

FACTO JORNALISMO EMPRESARIAL

Grazia Nicosia – Débora Martins – Sasha Cruz

Facebook: www.facebook.com/factoai

www.factocomunicacao.com.br

 

Comente aqui


Ford e Schaeffler apresentam o Fiesta eWheelDrive, novo conceito de mobilidade urbana

A Ford apresentou na Europa o conceito eWheelDrive, desenvolvido em parceria com a Schaeffler sobre a plataforma do New Fiesta para a pesquisa de novas soluções de mobilidade urbana, com foco na criação de carros menores, mais ágeis e fáceis de estacionar. O veículo, impulsionado por motores elétricos independentes em cada uma das rodas traseiras, oferece um espaço sob o capô que é ocupado pelo motor e transmissão nos carros convencionais, ou por um motor central nos modelos elétricos.

Essa tecnologia pode contribuir no futuro para o desenvolvimento de um carro para quatro pessoas que ocuparia o mesmo espaço de um carro atual de dois lugares. O sistema de direção do eWheelDrive também permitiria ao veículo se mover lateralmente nas vagas de estacionamento – uma grande inovação nas cidades cada vez mais populosas e congestionadas.

“É empolgante trabalhar nesse projeto junto com a Shaeffler, porque ele abre novas possibilidades para o desenvolvimento de veículos com emissões zero, de conteúdo eficiente e excepcional dirigibilidade”, diz Pim van der Jagt, diretor de Pesquisa e Engenharia Avançada da Ford Europa.

Com os motores acoplados nas rodas, os componentes necessários para a direção, desaceleração e assistência ao motorista ficam instalados em uma unidade integrada ao cubo das rodas – incluindo o motor elétrico e sistemas de freio e refrigeração. Um vídeo sobre o conceito, em inglês, pode ser visto neste link: http://www.youtube.com/watch?v=yfs5z0Lg1Xc.

“Esse sistema de tração altamente integrado permite repensar o carro urbano, sem restrições, e pode ser um fator chave em novas plataformas e conceitos de veículos para o futuro”, diz Peter Gutzmer, chefe técnico da Schaeffler.

A Ford se juntou ao projeto liderado pela Schaeffler, fabricante e fornecedora líder de componentes automotivos com sede na Alemanha, para pesquisar o potencial de futuros veículos que possam oferecer também emissões zero e mais espaço para outras finalidades, como zonas adicionais de proteção.

Os motores elétricos integrados às rodas são vistos por muitos especialistas da indústria automotiva como uma tecnologia com grande potencial, em um mundo que se torna cada vez mais populoso e urbanizado. A projeção é que até 2050 o número de pessoas vivendo nas cidades aumente de 3,4 bilhões para 6,4 bilhões globalmente e a quantidade de carros seja quadriplicada.

“Nós temos desafios que terão de ser enfrentados com tempo, ideias e investimento”, diz Sheryl Connelly, gerente de tendências globais da Ford. “É começando a pensar agora em novas soluções, com projetos de pesquisa como o eWheelDrive, que vamos garantir um futuro de opções e não de restrições.”

A Ford vai trabalhar agora junto com a Schaeffler, Continental, RWTH Aachen e a Universidade de Ciências Aplicadas de Regensburg para desenvolver, até 2015, duas unidades do chamado projeto MEHREN (Multimotor Electric Vehicle with Highest Room and Energy Efficiency), veículo elétrico multimotor com maior espaço e eficiência energética. O objetivo é aumentar a integração dos motores nas rodas, com foco em fatores como controle dinâmico do veículo, frenagem, estabilidade e prazer de dirigir.

Fonte: (29/04/2013) Imprensa Ford

 

Comente aqui