Para consertar sorrisos

Cena de “In Conserto”, espetáculo em cartaz na sexta aqui em Maringá. Foto: Gustavo Gracindo

Cena de “In Conserto”, espetáculo em cartaz na sexta aqui em Maringá. Foto: Gustavo Gracindo

Por Wilame Prado

Quando perguntam a profissão de João Carlos Artigos, ele responde: “palhaço”. Arranca risos, às vezes, mas fala sério. Aliás, diz, leva bem a sério as palhaçadas com que costuma arrancar gargalhadas da plateia. “Sou palhaço 24 horas por dia. A arte do palhaço é fazer sorrir, provocar emoções em cima do palco. O desafio é saber jogar em cima do palco, fazer a plateia acreditar que aquilo é vida, que aquilo que está acontecendo é como se fosse a primeira vez. Meu trabalho é fazer sorrir, e isso eu levo a sério”, diz o ator profissional carioca.

Ele e os palhaços Fábio Freitas e Shirley Britto, da Companhia Teatro de Anônimo (Rio de Janeiro), apresentam em Maringá o espetáculo “In Conserto” hoje, na Oficina Teatro da UEM, às 20h30. Rasgadamente cômico, o espetáculo apresenta as tentativas frustradas da trupe em apresentar o concerto musical “Ópera Desastrada”. Na cena, os palhaços mostram um pouco do seu lado musical, cantando e tocando sanfona, pandeiro e cornetas. “Como músicos, somos ótimos palhaços”, brinca Artigos.

A entrada para o espetáculo é franca, e o espetáculo chega pelo projeto Palco Giratório, iniciativa do Sesc nacional que leva para praticamente todo o País diferentes linguagens cênicas por meio de espetáculo e oficinas de teatro. A oficina “O Jogo Como Técnica”, da Teatro de Anônimo, acontecerá, também gratuitamente, às 14 horas de sábado, no Sesc. Os interessados em participar da oficina devem ligar no Sesc (3262-3232) para se inscreverem.

“A oficina é direcionada a artistas cênicos de modo geral. A gente vai focar em um elemento primordial para qualquer ator, que é saber jogar, brincar em cima do palco, com responsabilidade. Não existe nada mais sério do que nossa capacidade de saber brincar e recriar vida em cima do palco”, diz Artigos.

PALCOS EM TODO O PAÍS
O Palco Giratório percorre 22 Estados com espetáculos que se destacam pela diversidade cultural das companhias de teatro selecionadas. As peças, sempre com entrada franca, circulam nos pequenos e grandes centros promovendo a circulação de linguagens, estética e temas regionais.

Em 2014 o Palco Giratório traz 20 companhias, que desenvolvem ações e pesquisas em artes cênicas, além da produção teatral nas cidades e oficinas que funcionam como extensão dos espetáculos, oportunidade que a própria plateia ganha espaço para atuar.

PARA VER
IN CONSERTO
Às 20h30 de hoje,
no Teatro de Oficina da UEM
Entrada franca
No sábado (14h) acontece
oficina técnica com a Cia Teatro de Anônimo (RJ) no Sesc

*Reportagem publicada quarta-feira (1º) no caderno Cultura

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.