Mês: novembro 2017



Novembros

Por Wilame Prado

Novembros são excêntricos
Pesam toneladas de essência
São decisivos como os pênaltis
Errantes como canhotos,
nos pênaltis
Não são meses
…seculares, milenares…
Fodem no tarô, traem na rotina
Chove, e faz sol (e faz arco-íris)
casamento de espanhol
Sabe-se da doença
Anuncia-se matrimônio
Divórcios, então
Teste deu positivo
Conta está no negativo
Multas remetidas
Cartas nunca recebidas
Aniversários sem convidados
Aniversários jamais anunciados
Aniversários nos finados
Peçonhentos ambulantes
signo dos amantes
Saiu na pesquisa
Andarilhos são de escorpião
em sua maioria
Um mês qualquer
mês de bola, samba e vodka
ventou absurdamente
no dia onze do onze
a árvore caiu
na casa atingiu
ninguém se feriu
soltaram os bichos do canil
piedade nunca existiu
novembros, vão pra puta que pariu
no dia doze do onze
não ventou absurdamente
varrição das besteiras da mente
dia após dia
sempre em frente
fez sol, havia esperança
de consertar a mente da gente
pé pelado no asfalto quente
o suor escorrendo da testa
miragem nos faz sonhar
existir, até sorrir
engano, erro, inocência, seu demente
ainda há todo um mês pela frente
novembros são todos os meses
de que se possa imaginar
em vida existente
o sepultamento se deu
em trinta de novembro
daquele ano vigente
Nem vai notar que,
ainda bem,
dezembros também são sempre
ineloquentes.

Comente aqui