Eu recomendo!



Messi quis uma bicicleta e conquistou o mundo

“Não sabemos aonde chegará Lionel Messi. Só sabemos que não há zagueiros nem trincos de portas que sejam capazes de detê-lo.

Quando uma criança quer uma bicicleta, é capaz de muitas coisas. Quando um homem joga feito o menino que quer uma bicicleta, é o melhor jogador de futebol do mundo.”

Leia o perfil de Lionel Messi traçado em ótimo ensaio de Juan Villoro, pela Ilustríssima.

Comente aqui
 

Os 7 pecados capitais do Palmeiras

Por Fabio Chiorino*

Dependendo da combinação de resultados do próximo final de semana, o Palmeiras, a três rodadas do final do torneio, já poderá estar entre os rebaixados do Campeonato Brasileiro de 2012. Confira os 7 pecados capitais que levaram o alviverde novamente a um cenário desesperador, algo recorrente na última década.

Leia na íntegra o texto do jornalista Fabio Chiorino, no site Esporte Fino.

Comente aqui


O limite físico de Neymar está em jogo*

Por Fabio Chiorino

Onze minutos de jogo. Uma bola espirrada da defesa para o ataque encontrou Neymar. E o menino, mais uma vez, espantou a todos. Driblou três jogadores com aquela peculiar facilidade que nos faz perguntar se não está a enfrentar juvenis. Bola por baixo das pernas de um, corte seco em mais dois e gol do Santos. Neymar cravava mais uma placa, ao completar 200 jogos vestindo a camisa do Peixe.

Enfim, qual o limite de Neymar?

*Termine de ler o lúcido artigo do jornalista Fabio Chiorino lá no site Esporte Fino.

Comente aqui
 

Sobre leitura, imprensa e outras questões de Borges

“Ele me disse:

– Agora você vai ver uma coisa que nunca viu.

Estendeu-me com cuidado um exemplar da Utopia de More, impresso na Basileia em 1518, no qual faltavam folhas e lâminas.

Não sem fatuidade repliquei:

– É um livro impresso. Em casa haverá mais de dois mil, embora não tão antigos nem tão preciosos.

Li em voz alta o título.

O outro riu.

Ninguém consegue ler dois mil livros. Nos quatro séculos que vivo não terei passado de meia dúzia. Além disso, não é importante ler, mas reler. A imprensa, agora abolida, foi um dos piores males do homem, já que tendeu a multiplicar até a vertigem textos desnecessários.

-No meu curioso ontem – respondi -, prevalecia a superstição de que entre cada tarde e cada manhã acontecem fatos que é uma vergonha ignorar. O planeta estava povoado de espectros coletivos, o Canadá, o Brasil, o Congo Suíço e o Mercado Comum. Quase ninguém conhecia a história prévia daqueles entes platônicos, mas, sim, os mais ínfimos pormenores do último congresso de pedagogos, a iminente ruptura de relações e as mensagens que os presidentes mandavam, elaboradas pelo secretário do secretário com a prudente imprecisão que era própria do gênero.

Tudo isso era lido para o esquecimento, porque em poucas horas era apagado por outras trivialidades”….

…”As imagens e a letra impressa eram mais reais que as coisas. Somente o publicado era verdadeiro. Esse este percipi (ser é ser percebido) era o princípio, o meio e o fim de nosso singular conceito do mundo. No ontem que me tocou, as pessoas eram ingênuas; acreditavam que uma mercadoria era boa porque assim o afirmava e repetia o seu próprio fabricante. Também eram frequentes os roubos, embora ninguém ignorasse que a posse de dinheiro não dá maior felicidade nem maior tranquilidade”.

*Trechos do conto “Utopia de um homem que está cansado”, extraído do “Livro de Areia” (Coleção Folha, página 72), de Jorge Luis Borges. Não dá nem para comentar a lucidez dessas palavras de Borges. O próprio, no epílogo do livro, escreveu: “‘Utopia de um homem que está canasado’ é, a meu ver, a peça mais honesta e melancólica da série”. Um dos melhores contos que já li. Recomendo!

Comente aqui


A boa da semana: Ovomaltine de caixinha

Já até pensei em criar um blog falando só sobre os produtos que levam a marca Ovomaltine. Paixão antiga, de criança. Tem o sorvete de Mc, o milk-shake do Bob´s, ovo de páscoa e o achocolatado que deixa aquelas bolinhas de chocolate crocantes em cima do leite. O único produto que eu não gostei do Ovomaltine foi uma potinho contendo uma pasta cremosa de avelã (tipo Nutella) sabor Ovomaltine. Cara, tinha gosto de manteiga, ruim pra caramba!

Mas eis que, via email, chega-me o release com a melhor notícia da semana: agora tem Ovomaltine de caixinha de 180ml, tipo Todynho. Bom também! Segundo a assessoria de imprensa dos caras, além do sabor único de Ovomaltine, a caixinha traz 180 ml do produto enriquecido com 10 vitaminas e quatro minerais – Ferro, Zinco, Iodo e Manganês. Bacana hein!

E tem mais: “A tecnologia das embalagens cartonadas da Tetra Pak mantém os produtos frescos, saborosos e nutritivos, sem a necessidade de refrigeração. A praticidade da embalagem também é ideal para o público infantil, já que pode ser levada para qualquer lugar”. Anotou, mãe que está preparando a lancheira do filho?

A bebida, ainda de acordo com o release, é para um público-alvo de crianças entre 4 e 10 anos. Portanto, se assim como eu, tens 11 anos ou mais de idade, não pega bem sair por aí tomando Ovomaltine de caixinha no meio da rua? Uma ova! Leia mais: “o produto também é lançado como opção para jovens e adultos que querem uma bebida láctea saborosa e que os acompanhe na rotina agitada, com sabor muito próximo ao de Ovomaltine misturado ao leite” – ufa!

Mais sobre a fórmula especial do Ovomaltine
Para chegar à fórmula especial, desenvolvida com exclusividade para atender ao paladar do brasileiro, foram realizadas pesquisas junto a consumidores e o resultado não poderia ser melhor: a aceitação do público surpreendeu com 83% dos consumidores mostrando intenção de compra após experimentarem o Ovomaltine pronto para beber.

A pesquisa foi realizada com crianças e mães de São Paulo – as mães relataram o que mais agradou: “além do sabor único de Ovomaltine, o fato de o produto ter 10 vitaminas e quatro minerais”.

“Ovomaltine é uma marca que possui grande versatilidade e isso possibilita sua penetração em diversas categorias. O ‘Ovomaltine na caixinha’ representa uma extensão natural para a marca, já que agora vamos oferecer nosso principal produto de uma maneira mais conveniente, pronto para beber”, ressalta Daniela Paula, Diretora de Marketing de Ovomaltine para Mercados Internacionais.

Desde 1904 fazendo a alegria da molecada
Ovomaltine foi criado no ano de 1904 em Berna, na Suíça, pelo Dr. Albert Wander. A partir do extrato do malte, ele desenvolveu um complemento alimentar para as crianças que tinham carência nutricional. Nomeou então o produto de Ovomaltine, uma combinação dos termos “ovum” (ovo, em latim) e “malt” (malte, em francês).

Em poucos anos, o diferenciado sabor do malte e valor nutritivo fizeram com que o produto se espalhasse por todo o mundo. Atualmente Ovomaltine pertence à Associated British Food (ABF), uma das maiores companhias alimentícias da Europa.

3 Comentários


Filme que realmente dá um nó na garganta

Eu conheci o diabo na terra assistindo as peripécias de Francis Brady (Eamonn Owens), o menino demoníaco de 11 anos protagonista do filme “Nó na Garganta” (The Butcher Boy, Irlanda/Inglaterra/EUA, 1997).

Filmaço. Forte, nada previsível e que traça de maneira fantasiadamente crua a história de alguém que sofre na infância com um pai bêbado, uma mãe doida e, mais do que tudo isso, o abandono de seu único e verdadeiro amigo Joe (Alan Boyle). Perder um amigo é foda. Perder o único amigo é mais foda do que ter um pai bêbado e uma mãe doida.

Certamente o genioso Francis encontra um inimigo para toda a desgraça que é sua vida. E vê como responsável pela merda toda a burguesa senhora Nugent, mãe de um nerd que não se mistura com a ralé. E como Francis é mal. Não o chamem de porco, que ele encarna! Quando vira ajudante de açougueiro, aprende a manusear a faca e o machado. Sanguinário e amigo dos porcos, um porco!

Os costumes religiosos, as revoltas juvenis, os padres pedófilos e outros detalhes do filme lembram muito as descrições literárias de John Fante, em seus livros confessionais onde narra os dramas de Arturo Bandini, um descendente de italiano vivendo as décadas de 1920 e 1930 nos EUA. “Nó na garganta”, porém, passa-se na Irlanda, grande parte em um pequeno vilarejo rural. Filme bom e, por isso mesmo, muito triste.

Comente aqui


As mulheres de todos os tamanhos de Wiskow

Desenho de Wiskow

10 centímetros (Conto de Wiskow)

Foi de repente que aquela coisinha surgiu do nada. Muito estranho. Primeiro pensei que fosse uma mariposa ou algo parecido, mas então a “coisa” começou a me chamar. Foi quando me aproximei e então pude ver melhor. Era uma inacreditável e magnífica mulher minúscula. A mulher mais linda que eu já havia visto. E o corpo, O CORPO era UMA COISA ESTUPENDA.

Tão sinuoso, cheio de curvas e carnes que você ficava parecendo um garotinho. Usava um desses vestidinhos curto, muito curto. Peitos perfeitos e muito firmes que apontavam para você dentro de uma camiseta colada ao corpo, cortada de uma maneira que a barriguinha ficasse à mostra. Tinha pernas torneadas e uma bela bunda. Tudo perfeito demais se não fosse o fato dela ter ASAS. A mini-mulher tinha um par de asas transparentes grudadas nas costas. Além, claro, de medir apenas uns dez centímentos de altura. Então eu fiquei olhando aquela coisa maravilhosa e bizarra, sem saber o que dizer. Ela abriu a boquinha linda, o rosto lindo e soltou as palavras.
– Assustado? Os homens sempre ficam assustados na presença de mulheres?
– Algumas me assustam.
– Eu, te assusto?
– Você não é bem o tipo de mulher que encontro pelas esquinas.
– hahahaha. – Sabe quem eu sou?
– Não.
– Sua leitora. Sua leitora mais fiel.
– … Minha leitora?!
– Claro, porque não?
– Tudo bem. Desde quando?
– Desde sempre, mas só agora resolvi aparecer para você – disse ela, a mulher de 10 centímetros de altura. A mulher mais linda e com o corpo que era realmente um negócio de boa.
– Acho que sou o cara que possui a leitora mais interessante do planeta.
– Quem sabe! Talvez eu seja a sua única e real leitora. Acho você o melhor de todos, já foi melhor e por isso eu apareci. – Você está perdendo a mão. Você não é mais o mesmo, talvez precise de uma mulher como eu.
– Talvez. Talvez eu precise parar.
– Vocês nunca param – disse ela, e então bateu as asas e posou em minha mão. Linda. Era uma tortura. O corpinho ali, muito sensual. Examinei-a de cima a baixo.
– Devo estar ficando louco – eu disse.
– Você não viu nada – ela respondeu e num piscar de olhos sumiu.

*

Emerson Wiskow, o criador da arte do cabeçalho do meu blog, oferece aos leitores belos textos e desenhos, como os de cima, em seu blog, que sempre recomendo, “Cavalos não correm deitados”.

1 Comentário


Blog oferece 3 camisas do Grêmio Maringá

Quem é que não quer vestir uma bela camiseta como a do Grêmio Maringá e assim poder torcer para o clube devidamente uniformizado? O blog  “O esquema é rápido”, dos meus amigos, graduandos em Jornalismo, William Kayser, Bruno Gerhard, Carlos Emori Junior e Paulo André Zarpellon, chega agitando a blogosfera maringaense  e vai presentear três camisas do Grêmio Maringá para os três que responderem melhor porque merecem ganhá-las.

Só pela chance de vestir o manto sagrado, a visita ao blog já é válida! Além disso, “O esquema é rápido” também oferece ao leitor uma pancada de informações sobre esporte, principalmente sobre as competições esportivas de Maringá e região. É por essas e outras que eu recomendo o blog “O esquema é rápido”!

5 Comentários