Pelega crônica



Reencontros no Cine Bar da Avenida Brasil, ou o estranho fechamento do Bar do Jair, na Vila Bosque, em pleno clássico dominical

Por Wilame Prado

Naquele domingo de temperaturas amenas, a Vila Bosque, bairro que se confunde com a Zona 2 em Maringá, acordou estranha. Tudo bem: assistiríamos a programas temáticos na TV, comeríamos frango com macarrão no almoço e não suportaríamos mais esperar pela hora do jogo. Tudo normal. Ainda mais em dia de clássico: Santos e Palmeiras, ambas as equipes em momentos de futebol apático, de pouca genialidade e de muita preguiça. Não importa: clássico é clássico e vice-versa.

As anormalidades começaram a ser enxergadas pelos homens das mais diferentes faixas etárias naquele bairro maringaense por volta de trinta minutos antes das 16h, retumbante horário da bola começar a ser rolada. A estranheza principal se deu com as portas metálicas vermelhas, do vermelho Bar do Jair, que pintaram a Avenida São Paulo (antiga Avenida Gurucaia) de tons melancólicos mesmo com a suposta vibração que a cor quente poderia causar. Onde assistiríamos ao jogo exibido apenas pelo luxuoso e para poucos “Pagar-Para-Ver”?

Sem as cadeiras vermelhas distribuídas na calçada respeitando o vão dos pedestres, sem o simpático garçom Tevez tirando sarros dos dois times em plena exaltação clubística e antiética em prol do Corinthians e sem a tiração de sarro do cobrador da Viação Garcia e sua declarada paixão pelo Santos Futebol Clube, aquele domingo só poderia ser considerado estranho. Estranhamente, um vento fraco transportando folhas, poeiras e sujeiras fazia-nos crer que Maringá havia sido abandonada pelos seus bravos moradores, incluindo o Jair e o seu filho, o Tevez, com seus aparelhos televisores, seus pacotes do PFC e suas cervejas geladas, seus conhaques quentes.

O semáforo abria e fechava involuntária e desnecessariamente pelas bandas daquela vila, todos cabisbaixos, muitos admitindo recorrer aos rádios de pilha, outros se recusando a apenas ouvir ao jogo e se limitando a ver o Campeonato Paranaense pela RPC, quando, de repente, eis que a lembrança coletiva é acometida com a assertiva de que existe vida além do Bair do Jair, de que há mundo além da Vila Bosque e que, provavelmente, todos deviam ter ido mesmo é para a Avenida Brasil, grande via maringaense.

Botecos geralmente vermelhos (a padronização imposta por marcas de cervejas nos bares da cidade acabou com a estética “pé sujo” dos estabelecimentos e ceifou parte de suas almas) daquela avenida grandiosa e cheia de Outono prontamente foram pintados de verde. Palmeirenses são menos discretos, ainda mais quando se propõem a usar a camisa verde limão do time de Parque Antarctica. Alguns santistas – a minoria – também se vestem heroicamente com o manto alvinegro sagrado. Mas são discretos, só querem ver gols, dribles e vitórias.

Naquele domingo estranho, chuvoso e completamente vazio, pelo menos na Vila Bosque maringaense, as chamas da alegria e do entretenimento que só o futebol consegue trazer para as massas foram reacesas na Avenida Brasil, no tradicionalíssimo Cine Bar, também vermelho. Além da tela pequena da TV – direcionada para um menos importante Corinthians e Guarani –, um telão recobrava a dignidade que outrora faltara a palmeirenses e santistas, em uma busca ensandecida por estabelecimentos onde, além da cerveja, além do espetinho, além do torresmo, além do ovo rosa, doses cavalares de alegria vinham na bandeja do garçom traduzida em transmissão futebolística.

Grande palco de encontros e reencontros aquela imensa Avenida Brasil! Como não poderia ser diferente, órfãos do Bar do Jair se viram e cumprimentaram-se no Cine Bar. O Zé, com sua voz enroscada, rouca e miúda, após um empate humilhante sem gols, resolveu contar para o W. um pouco da sua vida, suas desventuras entre Maringá e a grande São Paulo, da aposentadoria, da lojinha de departamento e, claro, também indagar o misterioso cerrar de portas, em pleno domingo de clássico, do vermelho Bar do Jair.

2 Comentários


Rogério Ceni é chato pra cara…

Rogério Ceni é um chato. Dias depois de culpar o técnico Leão pela fase ruim que o São Paulo Futebol Clube enfrentou no início do ano, mais uma vez protagoniza polêmica ao questionar decisões do técnico Ney Franco, em péssima partida na noite de quarta-feira (24), que terminou sem gols para os dois lados, mesmo o LDU de Loja tendo um goleiro menor do que eu, com 1,72m.

Quem aguenta o Rogério Ceni? Critica ex-técnico, quer mandar mais que o técnico atual e, se não for de seu gosto, faz questão de micar a contratação de determinado técnico. Dizem que ele não deixou o Cuca ser contratado tempos atrás.

Ceni é um jogador de futebol híbrido. Atua em duas funções: como goleiro e batedor de bolas paradas. Vai melhor quando está longe da pequena área. Bate melhor faltas do que defende seu gol. A idade atrapalha, mas é de reconhecimento público que, em toda sua carreira, nunca foi dos mais brilhantes arqueiros. No máximo, um terceiro goleiro da seleção. No máximo, o titular do SPFC por décadas.

Campeão e líder nato, Rogério é um poeta quando calado. E ajuda muito seu time batendo pênaltis, cobrando faltas e ficando quieto quando precisa. Aquela imagem corporativa do clube paulistano ficou para trás. A bagunça do futebol brasileiro também invadiu as salas administrativas do SPFC. E isso acaba dando permissões a jogadores que se acham no direito de questionar técnico, como faz Rogério Ceni, como um ainda moleque chamado Neymar um dia fez com o brilhante professor Dorival Jr.

Mas ninguém vai dizer em rede nacional que “estamos criando um monstro” só porque o chato do Rogério Ceni questionou o bom técnico Ney Franco. Esse monstro já está criado e barbado. Assim como eu, um milhão de pessoas hoje estão reforçando aquilo que um dia o sábio e engraçado Milton Leite falou sem saber que seu áudio tinha vazado ao vivo em rede nacional: “O Rogério Ceni é chato pra caralho”.

51 Comentários


Final da Libertadores ou morte (dispensa)

O mar secou? A praia virou lixão? O esgoto negro invadiu o azul da cor do mar? A areia pesou para os pés dos nossos guerreiros? O que aconteceu com os bravos escolhidos para vestir o manto alvo que tanto já fez a vez da elegância santista enquanto o deus do futebol e outros que fizeram parte do reino dos céus desfilavam no gramado verde em décadas passadas? Cadê a genialidade, Neymar? Perdeu o tom, maestro Ganso? E por que logo em jogo histórico como este – semi de Libertadores contra o maior rival – Juan e outras mentiras futebolísticas resolveram ser desmascaradas? Ficaria muito feio o goleiro titular da Seleção Brasileira olímpica ocupar merecidamente o lugar de Aranha no banco de reservas? Não tenho muitas respostas paras as perguntas que ficaram no ar depois de lamentável jogo.

Senão, admitamos: o Corinthians joga mal há muito tempo, mas conquista resultado. Ontem o Santos conseguiu superar o time de Parque São Jorge, em erros. Não é jogando o capacete da PM ou apagando as luzes que a Vila Belmiro se engradece a ponto de, assim como antes, ser comparada ao caldeirão de La Bombonera. Creio que, depois das coisas de ontem, jogos decisivos do Santos acontecerão mesmo só na capital paulista.

Crise no CT Rei Pelé! Pressão! É disso que o time do Santos precisa. Acostumou-se às vitórias. Mas tem perdido muito ultimamente. Tem jogado mal. Muricy deve estar tomando um tarja preta muito forte para conquistar tanta calmaria. Não se pode admitir ver um time com tanta desmotivação em jogo tão grandioso que se pretende ser um Santos e Corinthians na semifinal da Taça Santander Libertadores da América.

Não precisamos jogar os ovos e nem quebrar os vidros dos automóveis dos jogadores. Não precisamos pichar os muros e nem invadir o treino para dar de dedo na cara da comissão técnica. Precisamos, Nação Santista, apenas ajudar o elenco e técnico a entenderem que o Santos é maior, é melhor, pode e consegue jogar mais na próxima quarta-feira no Pacaembu. Basta querer! Metade do elenco e o técnico Muricy Ramalho devem sair da posição de conforto e entender que é vida ou morte, a final da Liberta conquistada ou a dispensa de muitos do grupo.

1 Comentário


Neymar salva o espetáculo

Como eu sempre falo: título é consequência, o bacana do futebol é o poder de entretenimento, o de passar 90 minutos assistindo um bom jogo de bola.

E mais uma vez Neymar salvou o espetáculo em jogo entre Santos e Botafogo-SP, na noite desta quinta-feira (9).

Os corintianos ao meu lado, na lanchonete da quadra onde jogamos bola, estavam contentes. Palmeirenses mandavam mensagem zoando o Neymar. E já ultrapassavam os 30 minutos do segundo tempo e o Santos continuava sem encaixar um bom ataque, perdendo por 1 x 0.

Mas a magia e o bom futebol voltaram a reinar. Igual ao centésimo gol, o de número 101 do Neymar foi de cabeça, em cruzamento feito por Ganso. Desequilibrou! Logo em seguida um pênalti bem batido e, depois, show. É só ver os vídeos no youtube dos outros dois golaços. Final: Santos 4 x 1 Botafogo.

Os corintianos ficaram quietos e tentaram criticar minha camisa, criticar minha alegria, criticar o cabelo do Neymar. Os palmeirenses foram dormir magoados, celulares desligados. E a nação santista fechou a noite novamente sentindo prazer em assistir a uma partida de futebol.

Ps.* Tenho percebido que muitos corintianos e palmeirenses assistem mais aos jogos do Santos do que os dos próprios times que torcem. Eles gostam mesmo é de criticar e não de se divertirem assistindo a um bom jogo de bola. Talvez seja pelo fato de que os times pelos quais torcem nem sempre fazem partidas prazerosas de se assistir.

1 Comentário


Com 11.700 gols, Santos é o time que mais fez gol no mundo

Em 99 anos de história, o Santos atingiu no domingo (7) a marca de 11.700 gols feitos. O artilheiro Borges foi o autor do último gol do Peixe, em vitória magra contra o Ceará.

Tudo começou com Arnaldo Silveira, no dia 15 de setembro de 1912, totabilizando 36.120 dias de história de atuações do Peixe no Brasil e no mundo. Calcula-se que, neste período, o Santos tenha jogado 5.536 jogos.

Segundo o site oficial do clube, nenhum clube no mundo atingiu esta marca. Mais uma vez, o Peixe merece os parabéns! E o feito de Borges pode servir como talismã para este jogador, que deverá ainda dar muitas alegrias ao Santos, neste Brasileirão, no Mundial Interclubes, na Libertadores do ano que vem e o que vier mais.

13 Comentários


Ganso e Neymar na Libertadores do PES 2012

A Konami lançou um vídeo revelando alguns detalhes do Pro Evolution Soccer 2012 – jogo que, ao lado do Fifa, divide fãs por todo o mundo que curtem jogar futebol no Playstation ou no Xbox.

A previsão é que a versão 2012 do jogo seja lançada em setembro e que chegue no Brasil até outubro. E para os santistas de plantão, o jogo terá um gostinho especial, pois contará com o Santos Futebol Clube oficial jogando a Taça Libertadores da América.

No vídeo que já está circulando na rede, os únicos clubes sul-americanos que aparecem são o Santos e o Peñarol – finalistas da Liberta 2011. E, no detalhe, mostra o Neymar comemorando um gol junto com o Paulo Henrique Ganso vestindo a camisa 10 com a coroa no meio do número. Show de Bola! VÊ!

9 Comentários


Palmeiras e Corinthians será no Prudentão

Aqui no interior do Paraná têm muitos torcedores corintianos, palmeirenses, santistas e são-paulinos. São os pés vermelhos aqui destas plagas que sempre acabam contribuindo para que o Prudentão fique lotado quando os times da capital paulista joguem lá em Presidente Prudente, distante menos de 200 quilômetros de Maringá.

Pois bem. Para a alegria do “bando de louco” e dos porcos, Palmeiras e Corinthians fecharão a primeira rodada do Brasileirão com partida a ser guerreada lá naquele buracão, nos fundós de Prudente, onde está o Prudentão, dia 28 de agosto, um domingão. Lembro com detalhes do local porque fui assistir à goleada santista no início do ano contra o hoje extinto Grêmio Prudente. Elano, naquela época, batia pênaltis com perfeição. Mas isso é outro papo.

O Palmeiras terá 100% da renda do jogo. Apenas 10% dos ingressos serão ofertados aos corintianos. Com capacidade para 46 mil torcedores, nesse caso menos de 5 mil ingressos estariam disponibilizados ao alvinegro paulista. A dica aos maringaenses é já correr atrás das excursões para evitar estrada e busca por ingressos na hora do jogo. Se fosse jogo do Peixe, eu indicaria o Zé Branco, que serve uma comida deliciosa ali na Brasil, quase no Maringá Velho, e sempre organiza excursões para os jogos do Santos.

1 Comentário


Renan perde titularidade para terceiro goleiro do Corinthians

Nos últimos anos, o Corinthians vem sofrendo para encontrar um bom goleiro. Felipe, as vezes catava tudo e as vezes não catava nem borboletas. Acho Júlio Cesar fraquinho e, quando noticiaram a contratação do jovem Renan, 20 anos, pensei que o ex-arqueiro do Avaí rapidamente ganharia a titularidade. Ledo engano.

Foi preciso um dedo quebrado do goleiro titular para o “barriga verde” finalmente sentir o que é ser um goleiro tendo pelas costas uma torcida grande, apaixonada e, muitas vezes, ignorante. Mas ignorância maior, pelo jeito, vem mesmo pelo lado da comissão técnica, que pode escalar no lugar de Renan para esta rodada o terceiro goleiro, o desconhecido e mais inexperiente ainda Danilo Fernandes. É esperar pra ver.

Renan catou tudo e mais um pouco pelo Avaí. No Corinthians, demonstrou pouca personalidade e insegurança. Mas poderia melhorar e ser um dos grandes goleiros do Brasil. Agora, com esse soco no estômago (ser trocado pelo terceiro goleiro) sem nem direito completar uma sequência de jogos, o jovem poderá se abalar ainda mais e amargurar de vez a reserva do Júlio Cesar, que já deve estar com o dedo quase curado.

1 Comentário


Ronaldo pode jogar Brasileirão e Paulista pelo Corinthians

Se o Pelé pode, o Ronaldo também pode! É isso o que pensa o presidente do Corinthians, Andres Sanchez, que cogita a possibilidade de inscrever o Fenômeno em jogos do Brasileirão e do Campeonato Paulista.

Todos lembramos bem do último jogo do consagrado camisa 9, em despedida pela Seleção Brasileira. O gordinho tem um faro de gol, chamou a responsabilidade no jogo e, por pouco, não marcou dois gols, em excelentes passes de Neymar e Robinho.

Ao mesmo tempo, todos que assistiam à sua despedida no Pacaembu, vendo-o ofegante e imensamente gordo (mais do que os tios do veteranos que jogam em campinhos suíços em Maringá e região), o sentimento foi de dó. Dava pena de ver um atleta tão genial e inteligente totalmente entregue às limitações do corpo.

Aquela camisa amarela do Brasil esticada tamanho GG será uma imagem que ficará marcada para toda a história do futebol. As últimas imagens divulgadas de Ronaldo sem camisa, de férias com a família, mostra que sua barriga só que cresce.

Se o Corinthians escalar o Fenômeno em qualquer jogo válido pelos campeonatos disputados aqui no Brasil, certamente o clube vai lucrar com venda de ingressos. Gordo ou magro, todos queremos ver um craque de bola desfilar pelo gramado verde. O desafio será para a Nike, que precisará bolar um tamanho especial de camisa para servir no “atleta”. Pelé, no auge dos seus 70 anos, deve aguentar uns dez minutos a mais de bola do que Ronaldo.

Comente aqui


Fred e Rafael Moura entortam mais de 60 drinks

Felizes com um possível início de boa fase no Fluminense, os jogadores Fred e Rafael Moura beberam mais de 60 caipisaquês em um bar no Arpoador, no Rio de Janeiro.

Flagrados por torcedores do Fluminense, os “atletas” bons também de copo fecharam a conta no boteco e mentiram ao dizerem que estariam indo pra casa dormir o sono dos justos, afinal hoje tem jogo! Testemunhas afirmaram que Fred e Rafael Moura foram mesmo é pra Barra da Tijuca, com seus velozes carros.

As informações foram divulgadas hoje pelo jornal carioca Extra, que teve acesso à conta dos jogadores e confirmou que os dois, acompanhados de outros dois amigos e quatro mulheres lindas, tomaram os mais de 60 drinks em questão de horas, entre 0h e 2h da matina. Será que é boa essa tal de caipisaquê?

Comente aqui