Finais



Dobradinha de títulos ou anotações sobre duas finais na TV

Por Wilame Prado

-Domingo de finais: Ituano Futebol Clube x Santos Futebol Clube; e Londrina Esporte Clube x Maringá Futebol Clube. Anoto no caderninho.

-Opto pelo time do coração.

-Mas gritos dos vizinhos me obrigam a mudar o canal: tiro da final do Campeonato Paulista para a final do Campeonato Paranaense.

-Se Londrina x Maringá estão merecidamente na final pela bola jogada, isso não repercute nos estádios. O que é pior? O pasto do Estádio do Café ou os postes andrógenos de iluminação no Estádio Regional Willie Davids?

-Penso no dilema dominical para os santistas que torcem para o Maringá e para os maringaenses que torcem para o Santos: Band ou Globo? Paraná ou São Paulo? Pizza ou dogão?

-Em Maringá e região, a torcida do Santos é a segunda maior. O fato foi revelado pela Paraná Pesquisa, em dezembro de 2012. Na região, 10% se declararam santistas. Em Maringá, 12,4%.

-O Santos de Oswaldo de Oliveira parece ser um time que tem perfil tático definido, jogadas ensaiadas e ofensividade desavergonhada: no escrete alvinegro praiano, 20 atletas selecionados para a final, sendo sete atacantes, ou 35% do total. Nos 90 minutos, seis deles tiveram o privilégio de vestir o manto dentro das quatro linhas, mas nenhum transformou em gol as parcas chances do time santista.

-Ao contrário do bom defensor Ituano – que nem pode ser chamado de retranqueiro porque marca bem, mas toca bem a bola no ataque também –, time responsável por um dos gols mais bonitos do Campeonato Paulista, com a triangulação a la Barcelona envolvendo Jackson, Esquerdinha e Cristian. Para poucos, aquela calma do camisa 10 da cidade onde tudo é grande. Para poucos, a precisão do chute daquele que poderá ter sido o autor do gol do título paulista.

-O barulho da bola fogueteando a rede lateral do gol defendido por Aranha ensurdeceu santistas de toda a nação, em especial os santistas torcedores do Maringá FC, que imediatamente trocaram de canal.

-Preocupo-me com o que vejo em outro canal: 1×0 para o Tubarão londrinense. Mais uma ou duas zapeadas nos canais, e o Maringá FC, que deverá ser eternizado como a Zebra no jogo dos animais que simbolizam times de futebol (parecemos crianças, não?), empata bravamente a partida. Daquele jeito mesmo: com o Cristiano, aos trancos e com a raça insuperável, caindo, levantando e chutando forte para o gol e com um Gabriel Barcos, oportunista como um pirata, estufando as redes do adversário.

-O segundo tempo entre Ituano x Santos, prefiro não comentar. Nada de muito importante aconteceu, a não ser um chapéu pomposo de Jackson, do time de Itu, para cima de Gabriel, do time de Santos. O alvinegro praiano perdeu, na bola e na tática, e terá uma semana inteira para esfriar a cabeça e pensar numa fórmula capaz de furar o esquema defensivo do Ituano. Não será fácil.

-O destaque, em se tratando de segundo tempo, fica mesmo no outro canal, no jogo bem mais próximo, disputado em Londrina, a 100 quilômetros daqui. E por falar em distâncias, foi de muito longe o canhão executado pelo meia Baiano – reserva sempre pronto para assumir o front no campo de batalha – e que calou os mais de 20 mil londrinenses empatando o clássico.

-Em se tratando de pescaria, o mar não foi para peixe neste domingo de final de campeonato ao quadrado. O Tubarão saiu mansinho do Estádio do Café, e a Zebra mais forte que nunca. Já a Baleia ficou pequena frente à grandeza dos ituanos.

-Muitos querem, seja nos arredores do Willie Davids, seja nas proximidades do Pacaembu, comer sardinha no almoço do próximo domingo. Então prevejo: os santistas torcedores do Maringá FC e os maringaenses fanáticos pelo Santos Futebol Clube ficam indecisos quanto ao cardápio, mas continuam otimistas e resolvem pedir dobradinha para o garçom, na panela uma mistura de conquistas – metade Paulistão e metade Paranaense.

*Crônica publicada terça-feira (8) na coluna Crônico, no caderno Cultura (O Diário do Norte do Paraná)

Comente aqui


Besni patrocina Santos na final do Paulistão

Para a final do Campeonato Paulista contra o Corinthians, que acontece nos dois próximos domingos (8 e 15 de maio), o Santos fechou mais um patrocínio. A marca Besni estará estampada no shorts dos atletas nos dois jogos da grande final.

A informação do patrocínio exclusivo para as finais foi dada pelo assessor do Santos, logo após coletiva de imprensa do técnico Muricy Ramalho.

Besni é uma rede que conta com 31 lojas, localizadas nos principais corredores comerciais e shoppings da cidade São Paulo, grande São Paulo e Baixada Santista.

Comente aqui