Mais um passo importante na conquista do novo aeroporto com ILS

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, esteve nesta semana em Brasília, onde se reuniu com o diretor de Serviços e Suporte Jurídico da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Eduardo Roberto Stuckert Neto, e com o superintendente de Assuntos Regulatórios e Societários, Alexandre Canedo. Durante a visita, foram apresentados os trâmites referentes à ampliação do Aeroporto Governador José Richa.

O processo visa a ampliação de mais de 600 metros da pista do aeroporto, permitindo que a capacidade de embarque e desembarque de passageiros seja triplicada. Além disso, termo de convênio firmado entre o Município e a Infraero prevê a instalação de Sistemas de Pouso por Instrumentos categoria 1 (ILS CAT 1), para melhorar a operabilidade do sistema de tráfego aéreo.

A Prefeitura de Londrina já iniciou a desapropriação de 54 lotes no entorno do aeroporto. Atualmente, 36 destes lotes já estão registrados em nome do Município, e outros seis processos estão em andamento em cartório. Apenas 12 lotes aguardam decisão judicial para a desapropriação.

A expectativa é que, ainda neste semestre, sejam concluídas as desapropriações, para que, em seguida, o Município repasse os imóveis à União, e a Infraero execute os processos de ampliação do Aeroporto.

O diretor de Desenvolvimento do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Atacy de Melo Junior, acompanhou o prefeito durante a visita em Brasília. Segundo Junior, o Município tem interesse em agilizar o processo de desapropriação, já que as obras são essenciais para o desenvolvimento da cidade. “Estamos trabalhando para concluir esse processo o mais rápido possível, e finalizar a desapropriação destes últimos lotes. Esperamos que, dentro deste primeiro semestre, a gente consiga finalizar essa etapa do processo”, ressaltou.

Para Junior, a reunião na Infraero teve como objetivo antever quais os próximos passos. “Solicitamos que a entidade contemple o projeto e sua execução, incluindo a reserva de recursos, para que o processo tenha uma imediata continuidade. Destacamos a importância do aeroporto não só para Londrina, mas toda a região metropolitana, apresentando o número expressivo de usuários. Assim, buscamos reforçar o compromisso e comprometimento da Infraero em executar sua contrapartida com a entrega dos lotes para a União”, completou.

Recursos – Entre melhorias e obras de ampliação do Aeroporto serão investidos cerca de R$200 milhões pelo governo federal. A partir de 2009, a Prefeitura investiu R$51.071.569,80, sendo R$15.986.865,00 de recursos a fundo perdido obtidos com o governo do Estado, e R$35.084.704,80 de financiamento junto à Agência de Fomento do Paraná.

Sobre – O Aeroporto Governador José Richa está localizado no Jardim Albatroz, região leste da cidade, e movimenta, diariamente, uma média de 2.935 passageiros, 73 voos e 5.270 quilos de carga aérea.

Segundo a Infraero, durante muitos anos, o Aeroporto de Londrina foi o terceiro campo mais movimentado do país. Sua história teve início em 1949, porém apenas em 1956 houve a inauguração da estação de passageiros. Hoje, conta com uma área bruta locável de 821,15 metros quadrados, distribuídos em térreo e primeiro pavimento, e o pátio de aeronaves abrange 40.293 metros quadrados. Informações do NCOM

Comente aqui


Para procurador, operação mostra razão do alto preço do pedágio no Paraná

Fonte: Rádio Paiquerê

pedagio jataizinho Foto Gazeta do Povo

Foto: Gazeta do Povo

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira (22) a 48ª fase da Operação Lava Lato, batizada de Integração. Foram cumpridos seis mandados de prisão temporária e 55 de busca e apreensão no Paraná, São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro. No Paraná, foram presas duas pessoas em Londrina, além de diversos mandados de busca foram cumpridos na cidade e em Ibiporã e Jataizinho. Em Curitiba. a verificação aconteceu na Casa Civil, que fica no prédio do Palácio do Iguaçu.

A operação investiga fraudes em contratos envolvendo rodovias federais no Estado do Paraná, mais precisamente aqueles ligados a Triunfo Econorte. Em entrevista coletiva na sede da PF em Curitiba, o procurador Carlos Fernandes Santos Lima afirmou que houve pagamentos de empresas de fachadas, com desvios de valores justificados depois como despesas. No caso da Econorte, elas foram deduzidas, gerando fraude tributária. A Rio Tibagi, com sede em Jataizinho, destinava dinheiro a estas empresas de fachada por serviços que não eram prestados.

Segundo Diogo Castor de Mattos, procurador da Lava Jato, os fatos descobertos, e que vinham sendo investigados há dois anos, mostram a razão pela qual as tarifas de pedágio do Paraná estão entre as mais caras do Brasil. “A tarifa é extremamente alta e boa parte é desviada para propósito que não o interesse público”, ressaltou. “É a tentativa de investigar uma ferida aberta no estado do Paraná que são as altas tarifas”, acrescentou o procurador Carlos Fernandes Santos Lima. Nas investigações foi detectado o uso das estruturas de lavagem de dinheiro reveladas na Lava Jato para operacionalizar os recursos ilícitos pagos a agentes públicos, principalmente por meio dos operadores financeiros Adir Assad e Rodrigo Tacla Duran, ambos investigados na operação.

O Ministério Público Federal (MPF) sustenta que a Econorte recebeu cerca de R$ 2,3 bilhões de tarifas pagas pelos usuários entre 2005 e 2015. Porém, deste total, pelo menos R$ 63 milhões foram repassados para empresas de fachada ou sociedades cuja prestação de serviço ou entrega de produtos não foi confirmada. As perícias técnicas realizadas pelo órgão também apontaram superfaturamento nos valores das obras das concessionárias. O valor desviado passa dos R$ 100 milhões.

Comente aqui


Lava Jato diz que diretor do DER recebeu propina para aumentar pedágio no Paraná

A 48ª fase da Operação da Lava Jato, batizada de Integração, deflagrada nesta quinta-feira  (22), tem, entre os seis presos, o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem no Paraná (DER/PR), Nelson Leal. As suspeitas são de que o diretor tenha recebido propina da concessionária Econorte, do grupo Triunfo, para aprovar aditivos que resultaram no aumento da tarifa de pedágio cobrada na rodovia que constitui o chamado Anel de Integração.

Segundo os investigadores, Nelson Leal adquiriu “de forma oculta” um apartamento de luxo em Balneário Camboriú, em Santa Catarina, no valor de R$ 2,5 milhões. Deste total, “aproximadamente R$ 500 mil foram pagos em espécie ou com recursos cuja origem não foi identificada nas contas do investigado”, informou o procurador Diogo Castor de Mattos, do Ministério Público no Paraná. Leal teria sido beneficiado também com o pagamento do aluguel de um iate de luxo.

O DER é subordinado à Secretaria de Infraestrutura do estado, que tem à frente o irmão do governador Beto Richa, José Richa Filho. Até o fechamento desta reportagem, a secretaria aguardava posicionamento da área jurídica para se manifestar sobre o ocorrido.

Outro denunciado pelo Ministério Público Federal no Paraná é o assessor da Casa Civil do estado Carlos Felisberto Nasser, que não foi preso por causa da idade avançada. De acordo com a assessoria do governo do Paraná, Nasser, que tem cerca de 80 anos, ocupava um cargo de terceiro escalão em departamento que coordena ações políticas voltadas ao relacionamento com prefeituras e órgãos públicos.

Em entrevista coletiva, o procurador Diogo Castor de Mattos disse que está investigando “aditivos dos quais participam vários servidores públicos” do estado do Paraná, o que deve expandir o caso para outras concessionárias que atuam no estado. Segundo o investigador, “até o momento, não há indicativo de que o governador Beto Richa tenha participado de forma ativa” dos ilícitos.

Investigações feitas em novembro de 2016 pelo MP indicaram que o grupo ligado à concessionária responsável pelo Anel de Integração usou operadores financeiros já investigados pela Lava Jato – no caso, Rodrigo Tacla Duran e Adir Assad. Os operadores auxiliavam o grupo na produção de dinheiro em espécie ou na operacionalização de pagamentos de propina no exterior por intermédio de movimentação entre contas offshores.

A Econorte depositou mais de R$ 1 milhão em favor de Tacla Duran entre 2012 e 2014. Na época, foi comprovado que tais valores foram repassados sem que qualquer tipo de serviço tivesse sido prestado. Outras empresas relacionadas ao Grupo Triunfo depositaram mais R$ 5 milhões na conta de Rodrigo Tacla Duran, além de  R$ 26 milhões para empresas de fachada do operador financeiro Adir Assad.

Ainda conforme o Ministério Público, dados da quebra de sigilo bancário judicialmente autorizada demonstraram que, entre 2005 e 2015, a concessionárias recebeu aproximadamente R$ 2,3 bilhões provenientes de tarifas pagas pelos usuários. Deste total, R$ 343 milhões foram repassadas a uma subsidiária em contratos de conservação de rodovias, que enviou R$ 110 milhões à holding do grupo, e “pelo menos R$ 63 milhões a empresas de fachada ou sociedades cuja prestação de serviços ou entrega de produtos não foi comprovada, acrescentou o MP.

Fraude tributária

procurador da República, Carlos Fernando dos Santos Lima (Arquivo/Rovena Rosa/Agência Brasil)

Segundo o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, o caso envolvendo a concessão da rodovia à iniciativa privada representa um “claro indicativo de que privatizações não necessariamente levam ao fim da corrupção”, uma vez que há “sérios indícios de pagamentos e desvios que chegam a servidores públicos”.

Ele acrescentou que as despesas apresentadas pela Econorte geraram fraude tributaria, o que foi confirmado pelo auditor fiscal da Receita Federal Roberto Leonel.

“Uma das concessionárias pagou despesas a uma subsidiaria que, na verdade é uma empresa irmã. Toda a receita dessa empresa vinha dessa concessionária que atendia praticamente 70% de toda despesa operacional. Isso resulta na redução do lucro tributável”, disse o auditor da Receita durante a entrevista à imprensa.

Em nota divulgada pela Secretaria de Comunicação, o governador Beto Richa informou que já determinou “pronta instauração de processo de investigação para esclarecimento de eventuais irregularidades apontadas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal”. A investigação será conduzida pela Controladoria- Geral do Estado.

De acordo com a nota, tanto os contratos quanto os aditivos relacionados ao chamado Anel de Integração foram conduzidos pelo DER, e todos terminaram submetidos ao crivo da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná, que homologou seus termos.

“Quanto aos fatos que envolvem o sr. Carlos Nasser, [o governo do Paraná] esclarece que ele exercia a função de assessor político junto à Casa Civil, cargo de terceiro escalão, sem qualquer vínculo com o Gabinete do Governador.  Em razão disso, o governador determinou o seu imediato afastamento do cargo, até a apuração completa dos fatos”, concluiu a nota.

Comente aqui


CMTU implanta nova sinalização em trecho da rua Faria Lima

obras.faria.lima.VP

A Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) iniciou nesta quinta-feira (22) a implantação de novas placas, pinturas viárias e a colocação de tachões refletivos na rua Prefeito Faria Lima, entre o Aterro do Igapó e o Lago III. A ação ocorre simultaneamente às intervenções que estão sendo realizadas pela Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação (SMOP) na via, envolvendo serviços de recape asfáltico, limpeza e recuperação de bueiros, além da introdução de barreiras “New Jersey” ao longo do trecho revitalizado. A expectativa é que o término do serviço seja nesta sexta-feira (23).

O trabalho da companhia tem por objetivo garantir a segurança dos pedestres que circulam pela região para ir e voltar do trabalho e, principalmente, praticar atividades físicas. Além disso, visa forçar a redução da velocidade e alertar os condutores sobre a presença de resguardos sobre a ponte, no sentido UEL – centro de Londrina.

obras.faria.lima.V2O diretor de Trânsito da CMTU, Hemerson Pacheco, explicou que a sinalização vem para contemplar, prioritariamente, a proteção dos pedestres, mas também para assegurar boas condições de mobilidade e segurança aos motoristas. “As novas pinturas vão contemplar um trecho de aproximadamente 200 metros entre as ruas Professor Joaquim de Matos Barreto e Bento Munhoz da Rocha Neto. Apesar de ter uma extensão relativamente curta, a parte restaurada da via vai receber diversas intervenções”, contou.

Semelhante aos blocos de concreto utilizados na rua Charles Lindenberg, na região leste, instalados na via durante o período de restrição do trânsito em função dos estragos causados pelas chuvas do final de 2016, os anteparos pré-fabricados fixados pela SMOP atuam como divisor de fluxo e trincheira protetora.

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), os dispositivos de proteção, rígidos e contínuos, têm forma, resistência e dimensões capazes de fazer com que veículos desgovernados sejam reconduzidos à pista sem redução brusca de velocidade e nem perda de direção.

Os aparatos funcionam de forma que, em casos de colisões, estas aconteçam com o mínimo de danos ao automóvel, seus ocupantes e à própria barreira, de modo que os acidentes não sejam agravados por saídas de pista, colisões secundárias contra árvores ou postes e batidas frontais com carros trafegando em sentido oposto, por exemplo.

De acordo com o secretário municipal de Obras e Pavimentação, João Verçosa, os trabalhos de recape asfáltico neste trecho da rua Faria Lima, iniciados na última segunda-feira (19), já foram concluídos, assim como os serviços de limpeza e recuperação de bueiros. “A instalação das barreiras “New Jersey”, que ocorre no trecho revitalizado, deve ser finalizada nesta sexta-feira (23), junto aos procedimentos de sinalização viária que estão sendo feitos pela CMTU. Todas essas melhorias tornarão mais segura a passagem de pedestres por essa parte da via, que tem grande fluxo de veículos”, disse.

obras.faria.lima.V3Também estão previstos serviços de poda de árvores na área desta nova faixa para a passagem de pedestres construída na Faria Lima. Os trabalhos devem ser feitos nesta sexta-feira (23) pela Secretaria Municipal do Ambiente (Sema). “O objetivo é fazer o levante das árvores que estão muito baixas para que as pessoas possam caminhar naquela localidade sem problemas”, informou o Diretor Operacional da Sema, Paulo Roberto Guilherme.

Sinalização – Os trabalhos da CMTU ainda incluem a demarcação de legendas de aproximação com os dizeres “cuidado”, “atenção” e “devagar”, a pintura de marcas de canalização para direcionamento do tráfego, além da colocação de uma “yellow box” – encarregada de proibir a parada de veículos em cruzamentos – e de tachões refletivos, que facilitam a visualização da faixa de rolamento em situações de baixa visibilidade.

O diretor de Trânsito da CMTU, Hemerson Pacheco, informou ainda que, no trecho revitalizado, a velocidade máxima permitida cairá de 50 km/h para 30 km/h. Tudo para reduzir ao máximo as chances de colisões e, sobretudo, atropelamentos. “Após o término da ação, a CMTU vai intensificar as ações com radares móveis no local. A intenção é que, numa via bastante movimentada, que dá acesso à maior universidade do município e a vários condomínios e áreas de lazer, a circulação de pedestres, condutores e motociclistas ocorra de forma harmônica, com agilidade e segurança para todos”, afirmou.

Texto: NCOM – Fotos: Vivian Honorato

Comente aqui


Obras encaminha licitação para a pavimentação da estrada de Guairacá

A Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação (SMOP) encaminhará nesta quinta-feira (22), à Secretaria Municipal de Gestão Pública, o processo de licitação para contratar a empresa que fará a obra de pavimentação de pedras da estrada do patrimônio de Guairacá. As obras neste local incluirão serviços de terraplanagem e colocação das pedras irregulares. O prazo para os trâmites licitatórios é de até 90 dias, contados a partir do início do processo.

A obra será realizada por meio de convênio com a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (SEAB), que investirá cerca de R$1,5 milhão nos serviços. Como contrapartida, a Prefeitura de Londrina utilizará R$1,8 milhão de recursos próprios para a pavimentação da estrada. Dessa forma, deve ser investido um montante total de cerca de R$3,3 milhões.

De acordo com o secretário municipal de Obras e Pavimentação, João Verçosa, as obras irão contemplar um trecho de cerca de 6,38 quilômetros, que será feita na Estrada de Guairacá, que tem 7 metros de largura, compreendendo a ponte do Ribeirão Guairacá até a estrada de Paiquerê. “A Prefeitura está finalizando a documentação técnica para a licitação da obra, cuja execução deve ocorrer em um período de 10 meses, após o início da fase licitatória. As tratavivas com o governo estadual estão em dia e, dentro daquilo que está combinado, poderemos dar sequência aos trabalhos”, informou.

Verçosa também salientou que a obra, que é um desejo do prefeito Marcelo Belinati, está garantida e será plenamente executada para atender a um antigo desejo dos moradores da zona rural de Londrina.

A estrada de Guairacá é uma via de grande relevância para a população da região rural de Londrina, uma vez que comporta parte do fluxo de trânsito da região dos distritos, sendo utilizada para o acesso de moradores às sedes distritais, incluindo as vilas rurais, assentamentos e também para o escoamento da produção agrícola. Com informações do NCOM

Comente aqui


Prefeitura publica edital de licitação sobre o Plano de Mobilidade Urbana

Com o objetivo de atender à lei federal nº 12.587 e investir na Política de Planejamento Urbano, a Prefeitura de Londrina, por meio do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL), publicou na  última segunda-feira (19) o edital de concorrência nº 003/2018. Por meio desta licitação, o Município irá contratar uma empresa especializada em engenharia de transportes, tráfego e planejamento urbano, para realizar o Plano de Mobilidade Urbana Sustentável (PlanMob Londrina).

O edital prevê um prazo de 14 meses para concluir a execução dos projetos. A íntegra pode ser conferida na página de Licitações do Portal da Prefeitura de Londrina, por meio do link https://goo.gl/XBvgnP.

A diretora de Trânsito e Sistema Viário do IPPUL, Denise Maria Ziober, explicou que a realização da contratação da empresa vai além da necessidade de atender à legislação federal. “Sem o Plano de Mobilidade, o Município não obtém recursos federais ou estaduais para investimentos. Mas, mais do que cumprir a legislação, esse contrato visa elaborar um extenso levantamento de dados e informações da cidade de Londrina, através de uma pesquisa origem/destino (O/D) domiciliar. A cidade será dividida em 88 zonas de pesquisa, com entrevista em cinco mil domicílios, atingindo todos os moradores com idade acima de 10 anos”, afirmou.

Para continuar lendo acesse: http://www.londrina.pr.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=28723:prefeitura-publica-edital-de-licitacao-sobre-o-plano-de-mobilidade-urbana&catid=108:destaques

Comente aqui


Prefeito nomeia novos titulares na revisão do Plano Diretor

Informa a assessoria de imprensa, que o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, determinou a publicação de novo decreto, para oficializar a nomeação de quatro novos integrantes para a Equipe Técnica que prepara a revisão do Plano Diretor Participativo. A substituição de três dos quatro integrantes na prática  já havia acontecido automaticamente,  graças ao cuidado de uma cláusula do próprio decreto de instituição das equipes, com data de 9 de fevereiro deste ano, que veta a participação de representantes impedidos pela Justiça e indica suplentes já denominados por entidades. Ao todo, as equipes são formadas por 217 membros de diversas organizações, entre elas a UEL, UFPR, ACIL, Sindicato dos Jornalistas, SINSAÚDE, entre movimentos populares e ONGs.

Na equipe técnica municipal, o funcionário Matheus de Melo Barbosa, da secretaria de Obras,  substitui Ossamu Kaminagakura, que sofre afastamento também de suas funções como funcionário de carreira, por pedido do juiz da Segunda Vara Criminal. Ele foi indiciado na operação ZR3, do Gaeco, que investiga irregularidades cometidas em alterações de zoneamento nos anos de 2015 e 2016. O afastamento foi determinado pela Justiça e cumprido no dia 24 de Janeiro.

O funcionário comissionado IPPUL, José Vicente Alves do Socorro, que será substituído por Denise Ziober, também comissionada, está sendo afastado provisoriamente da Equipe Técnica. O afastamento dele não foi automático, já que não houve indiciamento, mas a administração municipal decidiu se antecipar, enquanto aguarda orientações mais precisas do Judiciário.

A vaga do empresário Luiz Guilherme Alho, indicado pelo Conselho Municipal da Cidade e também indiciado, será ocupada pelo suplente, o economista Rubens Bento. Já a vaga de Ignês Dequech ficara vaga, até que o Conselho indique suplente.

O Núcleo de Comunicação tem vasta documentação, que reforça a transparência dos trabalhos de instituição das equipes que preparam a revisão do Plano Direto, e se coloca à disposição para maiores informações.

Comente aqui


Por que uma multinacional de TI indiana escolheu Londrina para abrigar seu centro operacional no Brasil

É o título da matéria publicada pela Gazeta do Povo.

A Tata Consultancy Services (TCS), uma das líderes mundiais em soluções de negócios, consultoria e serviços de TI, começou 2018 colocando em prática seus planos de expansão ao anunciar um novo delivery center na cidade de Londrina, no Norte do Paraná. A empresa é o braço de tecnologia do gigante indiano Grupo Tata, que, com 150 anos de tradição, opera em mais de 100 países e possui empresas em diversos setores, como siderurgia, hotelaria, automotivo, entre outros. Só a TCS representa metade do valor do grupo.

Para ler a matéria completa acesse: http://www.gazetadopovo.com.br/economia/nova-economia/por-que-uma-multinacional-de-tiindiana-escolheu-londrina-para-abrigar-seu-centro-operacional-no-brasil-5a00xomd5d8yt6kkvx5zgjpw2?comp=whatsapp

Comente aqui


Prefeito Marcelo consegue mais recursos federais para Londrina

prefeito.ministro.DP

Informa Juliana Gonçalves, que o prefeito Marcelo Belinati, acompanhado de uma comitiva de londrinenses, foi recebido no final da tarde desta terça-feira (20), em Brasília, pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros. Na ocasião, foi anunciada a liberação de recursos para ampliação do Atendimento Interdisciplinar em Saúde da Criança, em Londrina.

O encontro teve a participação do promotor da 10ª Vara da Infância e da Juventude, Leonardo Nogueira da Silva; presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema (Cismepar) e prefeito de Prado Ferreira, Sílvio Antônio Damaceno; e do deputado federal Alex Canziani.

Na ocasião, foi apresentado ao ministro da Saúde o projeto “Fortalecendo o Futuro”, desenvolvido pela Vara da Infância e da Juventude do Ministério Público e Defensoria Pública, com apoio do Cismepar, da Prefeitura de Londrina e do Espaço Escuta. A iniciativa visa ampliar os atendimentos interdisciplinares realizados pelo Cismepar, com psicólogo, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, assistente social e terapeuta ocupacional; abrangendo também as crianças e adolescentes de Londrina em situação de risco.

Para o prefeito Marcelo Belinati, a implantação do projeto é um marco histórico para Londrina. “É uma grande conquista para a cidade, na atenção a essas crianças e adolescentes em situação de risco. Serão atendidas pelo programa as crianças que estão em abrigos ou com medida protetiva, que são os casos em que houve violência física, sexual, ou psicológica no lar. E elas precisam desse apoio”, ressaltou.

Marcelo agradeceu a atuação do promotor Leonardo Nogueira da Silva, do defensor público Gabriel Fiel Lutz, e do Cismepar no desenvolvimento do projeto. “E agradeço também ao ministro Ricardo Barros, que liberou um milhão de reais para dar esse atendimento multidisciplinar na área de saúde, com psicólogo, fisioterapeuta e demais profissionais atuando em conjunto para dar suporte às nossas crianças e adolescentes”, frisou.

Atualmente, a Vara de Infância e Juventude conta com 108 crianças em situação de abrigo aptas a participar do projeto “Fortalecendo o Futuro”. Segundo o promotor Leonardo Nogueira da Silva, as demandas que chegarem ao judiciário, envolvendo menores em situação de risco e desproteção social, serão repassadas ao Cismepar, para triagem e atendimento. “Esses recursos federais vão possibilitar a ampliação tão necessária. E se o projeto for executado com resolutividade, tem condição de ser ampliado para atender também demandas preventivas, evitando a que futuros casos precisem chegar até o judiciário”, apontou.

O deputado Alex Canziani, que colaborou na confecção do projeto, também agradeceu a disponibilidade do ministro da Saúde em receber a comitiva e atender a um pleito tão importante. “Tenho certeza de que esse serviço será um exemplo para o Paraná, e, futuramente, para o Brasil”, concluiu.

Com a sinalização do ministro Ricardo Barros, serão iniciados os trâmites administrativos. A previsão é que os valores sejam liberados já no primeiro semestre deste ano, através de portaria do Ministério da Saúde.

Também compareceram na reunião o prefeito de Centenário do Sul e presidente da Associação dos Municípios do Médio Paranapanema (Amepar), Luiz Nicácio, e o diretor-executivo do Cismepar, Luis Lino de Almeida Junior.

Foto: Rodrigo Nunes/MS

Comente aqui


PTB desiste de indicar Cristiane Brasil para o Ministério do Trabalho

O PTB anunciou hoje a desistência da indicação da deputada federal Cristiane Brasil (RJ) para o comando do Ministério do Trabalho. Em nota à imprensa divulgada hoje (20) no Twitter, o presidente nacional do partido e pai da deputada, Roberto Jefferson, atribuiu a retirada da indicação à “indecisão da ministra [do Supremo Tribunal Federal] Cármen Lúcia em não julgar o mérito neste primeiro semestre”.

Segundo a nota, a decisão do partido “visa a proteger a integridade de Cristiane e não deixar parada a administração do ministério”. O PTB ainda não anunciou o nome que substituirá Cristiane Brasil na indicação ao comando da pasta.

Atualmente, a pasta é comandada pelo secretário-executivo, Helton Yomura, que tem acumulado as duas funções.

A nomeação de Cristiane Brasil foi anunciada pelo presidente Michel Temer no dia 3 de janeiro, mas a deputada foi impedida de tomar posse por força de uma decisão liminar do juiz Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal de Niterói, proferida em 8 de janeiro.

O magistrado acolheu os argumentos de três advogados que, em ação popular, questionaram se a deputada estaria moralmente apta a assumir o cargo, após ter sido revelado pela imprensa que ela foi condenada pela Justiça do Trabalho a pagar mais de R$ 60 mil a um ex-motorista, em decorrência de irregularidades trabalhistas. Em seguida, a posse também foi suspensa por decisões da segunda instância da Justiça Federal no Rio de Janeiro e pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia.

Na semana passada, Cármem Lúcia definiu que cabe à Corte decidir sobre a posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho. Essa decisão, no entanto, não provocou mudança da indicação por parte do governo. Na quarta-feira (14), o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, reafirmou que o governo não desistiria do nome da deputada para a pasta do Trabalho.

Comente aqui