Richa e secretários estaduais não vão abrir mão do reajuste de seus salários

Fonte: Gazeta do Povo

PIMENTA NOS OLHOS DOS OUTROS É REFRESCO, GOVERNADOR

Em meio a uma grave crise de caixa, à contenção de gastos e ao aumento de impostos, o governador Beto Richa (PSDB) e os secretários estaduais não abrirão mão do reajuste de seus salários. Desde o dia 1.º de janeiro, o salário de Richa foi automaticamente aumentado de R$ 29,4 mil para R$ 33,7 mil – o teto do funcionalismo público. Os secretários passaram a receber mensalmente R$ 23,6 mil cada um. Governadores de pelo menos outros dois estados abriram mão dos reajustes de seus salários neste início de ano.

Como a Lei Estadual n.º 15.433/2007 prevê que o salário do governador do Paraná tem de ser igual ao vencimento dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), reajustado no mês passado pelo Congresso, Richa tem direito ao aumento. Ele também terá o maior salário entre todos os governadores do país, pois a remuneração no STF é o teto do funcionalismo público.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), por exemplo, passará a ganhar neste mês R$ 21,6 mil (o salário anterior era de R$ 20,6 mil), menos do que recebe um secretário no Paraná.

A Lei n.º 15.433/2007 determina ainda que o vencimento do vice-governador (cargo hoje ocupado por Cida Borghetti) tem de ser de 95% do salário pago ao governador. Já os secretários estaduais recebem o equivalente a 70% do subsídio do chefe do Executivo. Ou seja, o reajuste do STF provoca um efeito-cascata em todo o 1.º escalão do Paraná. Por esse motivo, além de Richa, a mulher dele, Fernanda, e o irmão, Pepe Richa, também começaram 2015 com aumento em seus salários, já que ambos são secretários estaduais.

BETO RICHA DEVERIA SEGUIR OS EXEMPLOS DE JOSÉ IVO SARTORI, GOVERNADOR DO RIO GRANDE DO SUL E DE RICARDO COUTINHO, GOVERNADOR DA PARÁIBA, QUE VETARAM O REAJUSTE DOS SEUS SALÁRIOS. 

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.