Se o salário não for pago, ASSUEL vai para a greve

Com informações do Jornal de Londrina

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Técnico-Administrativos da Universidade Estadual de Londrina (Assuel), Marcelo Seabra, não descarta uma greve geral de todos os servidores estaduais caso os salários de janeiro não sejam pagos. A data limite para esta decisão é esta sexta-feira (30), último dia útil do mês e data final para que os salários sejam creditados.

“Nós cumprimos com a nossa obrigação, de prestar um serviço ao público com qualidade e eficiência. O mínimo que esperamos é que o governo cumpra com a obrigação dele, que é pagar os salários. Se isso não for feito, vamos convocar uma reunião de emergência com representantes de outras categorias e avaliar as medidas a serem tomadas, inclusive uma paralisação de servidores de todas as áreas”, declarou. “Já passamos por períodos difíceis, inclusive com uma greve de seis meses. Mas em 20 anos de UEL nunca tinha visto uma situação como esta, com atraso e suspeita de calote dos pagamentos”, desafabou Seabra.

Sobre a falta de pagamento do terço de férias, Seabra confirmou que vai acionar novamente a Justiça. Para garantir o benefício, a Assuel conseguiu uma liminar que obrigava o pagamento ainda em janeiro. Ao ser julgada, a medida foi cassada sob a justificativa de que o governo do Estado arcaria com a despesa.

“Quem tirou férias em dezembro, devia ter recebido em novembro. Quem tirou férias em janeiro, devia ter recebido em dezembro. Se esse terço fosse pago ainda em janeiro estaria atrasado, mas pelo menos os servidores teriam recebido. Sem esse pagamento, a defesa do governo na Justiça cai por terra, e por isso vamos acionar novamente o estado”, confirmou.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.