Mês: dezembro 2015



Feliz 2016!

2015 é um ano que não terminará, pois em 2016, diversas ações que começaram este ano, terão desdobramentos.

Me refiro a descoberta, em Londrina, de um dos maiores escândalos de corrupção da história do Paraná. Após meses de investigação, o Ministério Público (MP) e o Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deflagraram, em março, a chamada Operação Publicano, que já conta com quatro fases e está longe de acabar.

Está longe de acabar as demais ações do GAECO, referente a operação Voldemort, que investigou fraude em uma licitação para o conserto de carros oficiais do governo do Paraná; e a o megaesquema de exploração sexual de adolescentes, enquadrou empresários conhecidos, ex-agentes públicos e homens que, até então, eram considerados “cidadãos de bem” nas rodas de amigos, colegas de trabalho e familiares.

Falo da Lava Jato, que foi deflagrada em março de 2014, passou por este ano e ainda tem muita lenha para queimar na investigação da corrupção em contratos da Petrobras.

Me refiro ao governo Dilma, cuja cassação do mandato ainda vai consumir vários meses de 2016.

A cassação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, também terá novos capítulos este ano.

A economia do país ainda terá consequências de 2016. A crise economica ainda arrastará por longos meses este ano, dizem economistas.

Portanto, 2016 é um ano de muitas decisões que influenciarão nossas vidas. E principalmente, em outubro quando iremos as urnas para decidir os rumos das cidades, elegendo prefeitos e vereadores.

Boa sorte! E que tenhamos tudo o que o chargista da Folha de São Paulo, Jean Galvão, projetou. Feliz 2016!

15363509

Comente aqui


BIS DE AÉCIO NA LAVA JATO TESTARÁ CRITÉRIO DE JANOT

FONTE: brasil247

Nesta quarta-feira, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) apareceu pela segunda vez na Operação Lava Jato; na primeira, quando foi citado pelo doleiro Alberto Youssef como responsável pela montagem de um ‘mensalão’ em Furnas, durante o governo FHC, o procurador-geral Rodrigo Janot pediu o arquivamento do seu caso; agora, a denúncia é mais recente: um entregador de dinheiro de Youssef diz ter levado R$ 300 mil a um diretor da UTC, para que este depois repassasse a propina ao senador tucano, em 2013; agora, Janot, que prometeu bater “tanto em Chico como em Francisco”, poderá pedir um segundo arquivamento ou terá a oportunidade de esclarecer o caso ouvindo o “Miranda da UTC”, que mencionou o presidente nacional do PSDB

images-cms-image-000474725

Minas 247 – Numa de suas delações premiadas, feitas em 2014, o doleiro Alberto Youssef, afirmou que seu padrinho na política, o ex-deputado José Janene, do PP, dividiu uma diretoria em Furnas com o senador Aécio Neves. Por meio dessa diretoria, ocupada pelo tucano Dimas Toledo, pagou-se, durante o governo FHC, um mensalão a diversos deputados federais.

Na delação, Youssef afirmou que ia constantemente a Bauru (SP) receber recursos da ordem de US$ 100 mil mensais em nome de Janene – o dinheiro era pago por meio da Bauruense, uma fornecedora de Furnas. Ele afirmou ainda que Aécio seria beneficiário desse esquema. As afirmações foram feitas tanto na delação (leiaaqui) como no Congresso (leia aqui).

Essa denúncia só veio a público quando o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, decidiu pediu o arquivamento da investigação relacionada a Aécio. Nela, Janot fez uma ressalva. Disse que o caso poderia ser reaberto se surgissem novas evidências relacionadas ao tucano.

Nesta quarta-feira, o nome de Aécio apareceu numa segunda delação. Desta vez, do maleiro Carlos Alexandre de Souza Rocha, que entregaria dinheiro em nome de Youssef. Rocha afirmou ter levado um pacote de R$ 300 mil para um diretor da empreiteira UTC no Rio de Janeiro, chamado de “Miranda”, que teria como destinatário final o senador tucano.

Chico e Francisco

Diante da nova acusação, que Aécio diz ser “fantasiosa”, o procurador Janot será pressionado por parlamentares governistas a reabrir o caso sobre o tucano. Até porque ele próprio sinalizou que seu lema, no comando do Ministério Público seria “pau que bate em Chico também bate em Francisco”.

Um caminho óbvio e natural de investigação foi indicado pelo jornalista Fernando Brito, editor do Tijolaço. “Miranda, que é apontado pelo próprio Ministério Público como o responsável pelos “acertos” de propina com o PMDB na obra de Angra 3, seria, por óbvio, o próximo passo de qualquer investigação séria. Mas Miranda, ao que se saiba, não foi preso nem deixado mofar na cadeia até que entregasse os chamados ‘agentes políticos’, é claro”, diz ele (leia aqui).

Ontem, em seu Facebook, Aécio postou a seguinte mensagem: “O que vai nos tirar dessa crise é a solidez das nossas instituições. O PSDB está ao lado da Justiça brasileira, do Ministério Público, da Polícia Federal e do Congresso Nacional, na defesa da democracia e do retorno da ética como instrumento de ação política”.

A bola, agora, está com Janot.

1 Comentário


Governo quita ‘PEDALADAS’ e derruba principal argumento do pedido de impeachment

O atraso nos repasses para bancos públicos é o principal argumento do pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. As informações são de Mariana Branco – Repórter da Agência Brasil

O Tesouro Nacional informou hoje (30) que a União pagou R$ 72,375 bilhões em passivos junto a bancos públicos e ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Do total, R$ 55,572 bilhões se referem a passivos de 2014 e R$ 16,803 bilhões a obrigações de 2015.

O Tesouro explicou que fez os pagamentos seguindo entendimento do Tribunal de Contas da União (TCU).

Do volume em pagamentos, R$ 70,9 bilhões são recursos da conta única do Tesouro. Destes, R$ 21,1 bilhões são recursos de emissões de títulos realizadas anteriormente, sem necessidade de emitir novos títulos. Os R$ 49,8 bilhões restantes vieram de outras fontes da conta única.

Além disso, o Tesouro informou que cerca de R$ 1,5 bilhão, devido ao Banco do Brasil, será acertado por meio da emissão direta de títulos, sem necessidade de realização de novos leilões. O secretário do Tesouro Nacional, Otávio Ladeira, concede entrevista esta tarde para falar sobre o pagamento dos repasses atrasados. 

Comente aqui


Aécio Neves recebeu propina de diretor da UTC, diz delator

 

FONTE: PRAGMATISMO POLÍTICO
Em delação premiada, entregador de dinheiro do doleiro Alberto Youssef diz que Aécio Neves recebeu quantia em espécie de diretor da UTC Engenharia. Dinheiro teria sido entregue ao senador no Rio de Janeiro

Aécio Neves corrupção dinheiro UTC
Trecho da delação premiada (esq) do entregador de dinheiro do doleiro Alberto Youssef

Em delação premiada homologada pelo STF, Carlos Alexandre de Souza Rocha, entregador de dinheiro do doleiro Alberto Youssef, afirmou que levou R$ 300 mil no segundo semestre de 2013 a um diretor da UTC Engenharia no Rio de Janeiro, que lhe disse que a soma iria ao senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Rocha, conhecido como Ceará, diz que conheceu Youssef em 2000 e, a partir de 2008, passou a fazer entregas de R$ 150 mil ou R$ 300 mil a vários políticos.

Ele disse que fez em 2013 “umas quatro entregas de dinheiro” a um diretor da UTC chamado Miranda, no Rio.

Também em depoimento, o diretor financeiro da UTC, Walmir Pinheiro Santana, confirmou que o diretor comercial da empreiteira no Rio chamava-se Antonio Carlos D’Agosto Miranda e que “guardava e entregava valores em dinheiro a pedido” dele ou de Ricardo Pessoa, dono da UTC.

Nem Pessoa, também delator na Lava Jato, nem Santana mencionaram repasses a Aécio em seus depoimentos. A assessoria do senador chamou a citação de Rocha de “absurda”.

Em uma das entregas, que teria ocorrido entre setembro e outubro daquele ano, Rocha disse que Miranda “estava bastante ansioso” pelos R$ 300 mil. Rocha afirmou ter estranhado a ansiedade de Miranda e indagou o motivo.

O diretor teria reclamado que “não aguentava mais a pessoa” lhe “cobrando tanto”. Rocha disse que perguntou quem seria, e Miranda teria respondido “Aécio Neves”, sempre segundo o depoimento do delator.

“E o Aécio Neves não é da oposição?”, teria dito Rocha. O diretor da UTC teria respondido, na versão do delator: “Aqui a gente dá dinheiro pra todo mundo: situação, oposição, […] todo mundo”.

O comitê da campanha presidencial do tucano em 2014 recebeu R$ 4,5 milhões da UTC em doações declaradas à Justiça. A campanha de Dilma recebeu R$ 7,5 milhões.

Rocha disse ter manifestado estranheza sobre o local da entrega ser o Rio de Janeiro, já que Aécio “mora em Minas”. Miranda teria respondido que o político “tem um apartamento” e “vive muito no Rio de Janeiro”.

O delator disse que não presenciou a entrega do dinheiro ao senador e que ficou “surpreso” com a citação.

Rocha prestou o depoimento em 1º de julho. Em 4 de agosto, foi a vez de Santana também dar declarações.

Embora tenha dito que Miranda não tinha “nenhuma participação no levantamento do dinheiro para formar o caixa dois” da construtora UTC, Santana observou que “pode ter acontecido algum episódio em que o declarante ou Pessoa informaram a Miranda quem seriam os destinatários finais da entrega”.

A assessoria de Aécio Neves disse que considera “absurda e irresponsável” a citação a seu nome.

Corrupção de Furnas

Durante depoimento à CPI da Petrobras em agosto deste ano, o doleiro Alberto Yousseff afirmou que Aécio Neves recebeu dinheiro da corrupção de furnas, subsidiária da Eletrobras.

“Eu confirmo (que Aécio recebeu dinheiro de corrupção) por conta do que eu escutava do deputado José Janene, que era meu compadre e eu era operador dele”, disse o doleiro.

Comente aqui


Em São Paulo, tarifa vai a R$ 3,80 a partir de 9 de janeiro

Informações de Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil

A partir de 9 de janeiro, a tarifa de ônibus, metrô e trem na capital paulista será reajustada. Passará de R$ 3,50 para R$ 3,80. A confirmação foi feita hoje (30) pela Secretaria Municipal de Transportes, responsável pelos ônibus municipais, e pela Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos, responsável pelo transporte dos metrôs e trens estaduais.

O reajuste ficou abaixo da inflação acumulada desde o último reajuste, em 6 de janeiro de 2015. A inflação foi 10,49%, enquanto o aumento das tarifas é 8,57% para o bilhete unitário. A tarifa de integração entre ônibus e trens passará de R$ 5,45 para R$ 5,92. Os bilhetes temporais 24 horas, madrugador, da hora, semanal e mensal terão seus preços mantidos.

De acordo com as secretarias, “mais da metade dos usuários do sistema de transportes (53%) não será impactada pela mudança na tarifa unitária porque são beneficiários de gratuidades, usam bilhetes temporais, que não terão aumento, ou são trabalhadores que  pagam o limite legal de 6% do salário para o vale-transporte”.

Comente aqui


E a taxa de iluminação de Londrina?

Com o aumento na tarifa do transporte coletivo em 10,8%, anunciado hoje pela CMTU, o prefeito Alexandre Kireeff  reajustou em dezembro, as três principais tarifas de serviços administrados pela Prefeitura.

Além do ônibus, o IPTU foi reajustado em 10,71%.

A taxa de iluminação pública, presente na conta de luz de todos os londrinenses, foi aumentada em 121,73%, índice conforme a administração municipal corresponde a inflação de dezembro de 2002 para cá. A partir de 1º de janeiro, o Custeio do Serviço de Iluminação Público (Cosip) passará de R$ 22,40 para R$ 48,20.

Este brutal aumento na tarifa de iluminação pegou de surpresa a todos e foi comunicado apenas pelo Jornal Oficial. Falta justificativa para ele, ou seja, ironicamente, falta luz, transparência nesta decisão.

Afirmo isto porque, em janeiro de 2013, quando tomou posse, havia aproximadamente, segundo algumas fontes, R$ 55 milhões no caixa do COSIP, recursos que são destinados apenas para investimentos na iluminação pública.  

Passados três anos da administração e um da criação da Sercomtel Iluminação, se desconhece o valor que tem ainda no caixa da COSIP?

É preciso que o prefeito Alexandre Kireeff apresente estes números, para clareza no debate e na justificativa do aumento da taxa da iluminação, porque conforme seu decreto 1.676, de 17 de dezembro de 2015, foi considerado a necessidade de manutenção do equilíbrio financeiro e da capacidade do Município investir na área de iluminação pública.

Entendo que se precisa de equilíbrio é porque tem algo desequilibrado e se falta capacidade para investir é porque faltam recursos.  Aguardemos a resposta.

1 Comentário


Kireeff sobe pela 5ª vez e a tarifa do ônibus em Londrina será de R$ 3,60

O presidente da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), José Carlos Bruno de Oliveira, em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (30), anunciou o novo preço da tarifa de ônibus de Londrina: a partir de sexta-feira, dia 1º de janeiro de 2016, o londrinense vai passar a pagar R$ 3,60 pela passagem no transporte coletivo.

Atualmente, o londrinense paga R$ 3,25 para andar de ônibus na cidade e o aumento anunciado  é de 10,8%, ou seja, R$ 0,35 a mais na tarifa.

É o quinto aumento da tarifa nos três anos do governo do prefeito Alexandre Kireeff. Ele recebeu a Prefeitura em 1 de janeiro de 2013, com a tarifa em R$ 2,20. Em fevereiro daquele ano, aumentou para R$ 2,45. No dia 30 de dezembro de 2013, reajustou para R$ 2,65. No ano seguinte, a tarifa  foi para R$ 2,95. Neste ano, foram dois aumentos: em abril, para R$ 3, 25 e hoje para R$ 3,60.

Conforme o portal BONDE, a CMTU após estudos realizados na planilha de custos do sistema apontavam para um reajuste na tarifa para R$ 3,56. Porém a Prefeitura arredondou para cima o valor para R$ 3,60, como fizera no último aumento em abril.

Comente aqui


Leonel de Moura Brizola se torna Herói da Pátria

A presidenta Dilma Rousseff sancionou lei aprovada pelo Senado que inclui o fundador do PDT Leonel Brizola no Livro dos Heróis da Pátria, que homenageia brasileiros que se destacaram na defesa e construção da história nacional. A lei foi publicada hoje (29) no Diário Oficial. O livro, com páginas de aço, fica exposto no Panteão da Pátria, na Praça dos Três Poderes, em Brasília.

brizdilma

A homenagem foi proposta pelo então deputado Vieira da Cunha (PDT-RS), atual Secretário de Educação do Rio Grande do Sul.

Fundador do PDT, Leonel de Moura Brizola nasceu em 1922, em Carazinho, no Rio Grande do Sul, e morreu no Rio de Janeiro, em 2004. Foi o único político brasileiro a governar dois estados diferentes: o Rio Grande do Sul e o Rio de Janeiro. Também foi prefeito de Porto Alegre, deputado estadual e deputado federal. 

Em 1961, governador no Rio Grande do Sul, Brizola não aceitou a tentativa de golpe militar para impedir a posse do vice-presidente constitucional, João Goulart, levantando o Rio Grande do Sul em armas e, como líder do Movimento da Legalidade, posteriormente, todo o Brasil. Brizola, através das ondas de rádio da Cadeia da Legalidade que reuniu espontaneamente mais de 100 emissoras de rádio por todo o Brasil, venceu os golpistas na batalha da opinião pública – antes de vencê-los militarmente, quando os militares do III Exército, na época o mais poderoso do país, aderiram à Legalidade.

Brizola, teve participação expressiva também na luta contra a ditadura militar e, após o golpe de 1964 e por conta disto foi obrigado a passar 15 anos no exílio no Uruguai, nos Estados Unidos e na Europa, até voltar ao Brasil com a Anistia, quando fundou o PDT.

Antes, por intervenção do general Golbery do Couto e Silva com a ajuda do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), perdeu a silga do PTB para Yvete Vargas, sendo obrigado a fundar o Partido Democrático Trabalhista (PDT) que reuniu na época os verdadeiros herdeiros do Trabalhismo de Getúlio Vargas.

Brizola foi candidato à Presidência da República por duas vezes e candidato à vice na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva na eleição de 1998, quando perderam para Fernando Henrique Cardoso – que se reelegeu presidente após comprar votos de deputados federais para a aprovação da emenda da reeleição – em escândalo jamais investigado ou apurado.

O nome de Brizola vai aparecer no livro ao lado de nomes como Tiradentes, Zumbi dos Palmares, Dom Pedro I, Duque de Caxias, Alberto Santos Dumont, Chico Mendes, Getúlio Vargas, Heitor Villa Lobos e Anita Garibaldi, entre outros.

Comente aqui


Sai hoje o aumento na tarifa do transporte coletivo em Londrina

A Prefeitura de Londrina, anuncia daqui a pouco, às 10h30, em um entrevista coletiva do presidente da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), José Carlos Bruno de Oliveira, o novo valor da tarifa do transporte coletivo em Londrina. O aumento passa a valer a partir de sexta-feira, dia 1º de janeiro de 2016.

Atualmente, o londrinense paga R$ 3,25 para andar de ônibus na cidade. O último aumento determinado pela prefeitura é de abril deste ano, quando a passagem, de R$ 2,95, subiu R$ 0,30. 

Comente aqui


Salário mínimo sobe para R$ 880 em 1º de janeiro

A partir do dia 1º de janeiro de 2016, o salário mínimo será de R$ 880. O valor foi definido em decreto assinado hoje (29) pela presidenta Dilma Rousseff, que será publicado no Diário Oficial da União de amanhã (30).

O aumento do salário mínimo será de 11,6%, já que, atualmente, o valor é de R$ 788. “Com o decreto assinado hoje pela presidenta Dilma Rousseff, o governo federal dá continuidade à sua política de valorização do salário mínimo, com impacto direto sobre cerca de 40 milhões de trabalhadores e aposentados, que atualmente recebem o piso nacional”, diz nota divulgada pelo Palácio do Planalto.

A proposta de Orçamento aprovada pelo Congresso Nacional previa um salário mínimo de R$ 871. Apesar da crise econômica, a presidente Dilma manteve a política de reajustes reais do salário mínimo.

Com informações da Agência Brasil e portal Brasil 247

Comente aqui