Mês: julho 2016



Domingo de convenções partidárias em Londrina

Além do apoio do PTB ao deputado Marcelo Belinati, o domingo de convenções partidárias em Londrina, definiu pelo terceiro candidato à Prefeitura. Se trata do empresário Valter Orsi, que que já foi presidente da Associação Comercial por duas vezes, além de presidir o Sindimetal Londrina e outras entidades, que aprovado pelo PSDB.

Além de Orsi, Paulo Silva do Psol e André Trindade pelo PPS já passaram pelas convenções partidárias.

O ex-vereador Jaci Aguiar que era pré-candidato não conseguiu se firmar e a coligação PTN-PTC-PSDC-PCdoB, em convenção hoje, deixou em aberto a coligação majoritária.

E o PSD, conforme a nota da assessoria, homologou o apoio à candidatura de Márcio Stamm, pré-candidato do PSB e ex-chefe de gabinete do prefeito Alexandre Kireeff, à Prefeitura de Londrina. Segundo o presidente do partido, Christian Schneider as coligações e a decisão sobre o nome do vice- prefeito para a chapa, que tem como majoritária o nome de Stamm, será definida nesta quinta-feira, dia 4 de agosto, durante a convenção do PSB. A expectativa é que o PSD apresente um nome para a vice-prefeitura e que os partidos coligados sejam o PSB, PSD, DEM e PSC.

Comente aqui


Fascistas agridem Letícia SABATELLA: “Sua puta!”

Fonte 247:  A atriz Letícia Sabatela foi agredida neste domingo (31) em Curitiba quando parou para conversar com uma pessoa próximo de onde se concentrava um grupo que participaria logo depois de um protesto pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff. A agressão foi filmada pela atriz e publicada no Instagram (leticia_sabatella).

images-cms-image-000510224

No vídeo divlugado pela atriz ouve-se gritaria e uma profusão de insultos como “sem-vergonha, “acabou a mamata”, “sua puta”, “chora, petista”, “nossa bandeira jamais será vermelha”, e “vai embora, tira ela daí”. Letícia limitou-se a dizer que a turma de agressores não era democrática.

Na postagem, ela desabafa: “Não fui provocar ninguém , passava pela praça antes de começar a manifestação e parei pra conversar com uma senhora. Meu erro. Preocupa esta falta de democracia no nosso Brasil. Eles não sabem o que fazem.”

Aqui a postagem e o vídeo da atriz.

O ato na capital paranaense fez parte da mobilização nacional organizada pelo Movimento Vem Pra Rua, em apoio ao impeachment. A cena da agressão foi gravada em frente ao Teatro Guaíra, na Praça Santos Andrade.

Em contrapartida, nos próximos dias, o local receberá o evento nacional “Circo da Democracia”, que irá reunir artistas, políticos, ativistas e intelectuais do Paraná e de todo o Brasil em defesa da democracia e contra o golpe institucional em curso.

O palco do evento já está montado na praça e organizadores pedem reforço para que não seja atacado por manifestantes da direita.

No início da noite, a senadora Vanessa Graziotin (PCdoB-AM) publicou no seu Twitter uma mensagem em solidariedade a Letícia: “Em nossa democracia não há espaço para violência. Nossa solidariedade à atriz Letícia Sabatella atacada em Curitiba”.

No post, há fotos com pedidos de identificação dos agressores.

Comente aqui


Temer reitera que não será candidato à reeleição

Michel_Temer_planalto_3_(cropped)Informa a Agência Brasil, que o presidente interino Michel Temer reiterou hoje (31), em nota oficial, que não pretende disputar a reeleição em 2018, após declaração do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que Temer será “candidato natural” ao pleito.

“Fico honrado com a lembrança de meu nome como possível candidato em 2018. Mas reitero, uma vez mais, que apenas me cabe cumprir o dever constitucional de completar o mandato presidencial, se o Senado Federal assim o decidir. Não cogito disputar a reeleição”, disse Temer no comunicado divulgado no fim da manhã.

Segundo o presidente interino, os esforços de seu governo “estão voltados exclusivamente para garantir que o Brasil retome a rota do crescimento e seja pacificado”.

A declaração de Maia foi feita em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, publicada neste domingo. Para o presidente da Câmara, “se o Michel [Temer] for confirmado presidente, e o governo chegar a 50% de ótimo e bom, ele será o candidato do nosso campo, quer queira, quer não”.

Comente aqui


PTB vai com Marcelo Belinati em Londrina

Informa a assessoria de imprensa, que o Partido Trabalhista Brasileiro de Londrina (PTB) irá de Marcelo Belinati, do Partido Progressista (PP), para prefeito de Londrina, quando este confirmar a indicação na convenção do seu partido na próxima sexta-feira, dia 5. O PTB também formará aliança com o PP nas eleições para vereador, apresentando uma chapa com 21 candidatos, dos 29 que deverão compor a união.

IMG-20160731-WA0003

A indicação do PTB pela coligação foi tomada neste domingo (31) em convenção realizada de manhã na Associação Cristã de Moços, que inclusive foi prestigiada pelo presidente estadual da sigla, deputado federal Alex Canziani, pelo ministro da Saúde e deputado federal licenciado pelo PP, Ricardo Barros; e pelo próprio deputado federal Marcelo Belinati.

 Segundo a presidente do PTB local, a assistente social Nádia Moura, o diretório local realizou, ao longo das últimas semanas, intensas conversas pela deliberação, até porque o partido pensava em lançar candidatura própria (o nome do próprio Canziani), ao mesmo tempo que tem uma boa relação com a gestão municipal atual, através do prefeito Alexandre Kireeff (PSD), que é do grupo opositor ao do PP. Por ocasião das eleições de 2012, o PTB já havia apoiado o candidato pepista – o que não impediu os petebistas de comporem e contribuírem posteriormente com a gestão municipal de Kireeff.

 “Depois de intensas conversas aqui e ali, acho que o PTB de Londrina tomou a melhor decisão. Ao mesmo tempo, decidiu pelo melhor para as eleições proporcionais. Até os adversários tiram o chapéu para o PTB ao apresentarmos uma chapa de candidatos a vereador forte, poderosa, para enfrentar o pleito de outubro”, discursou. Nádia lamentou, porém, o fato de o partido ter sido obrigado a subtrair, por força da lei, nomes importantes de pré-candidatos por causa da composição e do número limitado de candidatos.

Para o presidente estadual do partido, deputado Alex Canziani, a eleição é apenas a primeira parte de um processo de gestão municipal, já que, depois de eleitos, os candidatos vitoriosos deverão se debruçar nas resoluções dos problemas municipais: “Alguns apenas falam e não constroem nada. Nós procuramos construir olhando para frente e fazendo parcerias importantes para viabilizar recursos e obras”, revelou o dirigente petebista, acreditando em mais investimentos na educação e na saúde.

O deputado federal pepista Marcelo Belinati, pré-candidato a prefeito, também discursou na convenção do PTB, e preferiu destacar a importância da “união das forças políticas” para o processo de transformação da cidade. Confirmando sua candidatura a prefeito na próxima semana, ele espera contar com parcerias a nível estadual e municipal, se for eleito, para alavancar projetos de desenvolvimento, em especial no incremento da industrialização. “Precisamos de coragem para fazer as coisas acontecerem”, salientou Marcelo Belinati.

Presente ao encontro petebista, o ministro Ricardo Barros enalteceu a forma de atuação do PP: “Nosso partido disputa eleição nas maiores cidades do país e quer, evidentemente, levar sua visão progressista para a sociedade. Esta maneira de administrar que o PP tem certamente atende a uma demanda da sociedade, e vai levar o seu programa de governo para frente”, destacou Barros, ao indicar o papel que terá o futuro candidato do partido a prefeito de Londrina.

Comente aqui


Sete candidatos já definidos para a eleição na cidade de São Paulo

Em São Paulo, O PMDB confirmou hoje (dia 30), a escolha da ex-prefeita e senadora Marta Suplicy como candidata do partido à prefeitura de São Paulo. A chapa será composta também por Andrea Matarazzo, candidato a vice-prefeito pelo PSD.

Hoje também o O PTB confirmou a escolha da presidente do PTB Mulher, Marlene Campos Machado, como candidata a vice-prefeita na chapa do candidato Celso Russomanno, do PRB.

Além de Marta e Russomano, outros cinco partidos já escolheram os candidatos para disputa da Prefeitura de São Paulo.

O atual prefeito, Fernando Haddad, concorre à reeleição pelo PT, tendo como companheiro de chapa o ex-secretário de Educação do município, Gabriel Chalita.

O PSDB confirmou o empresário João Doria e o deputado federal Bruno Covas como candidatos a prefeito e vice-prefeito.

Pelo PSOL, a deputada federal e ex-prefeita de São Paulo Luiza Erundina concorre à prefeitura, tendo como candidato a vice-prefeito o também deputado federal Ivan Valente.

O candidato da Rede Sustentabilidade é o vereador Ricardo Young. A ativista Carlota Mingolla completa a chapa, concorrendo ao cargo de vice-prefeita.

Pelo Solidariedade (SD), o candidato é o deputado federal Major Olímpio. O candidato a vice-prefeito é David Martins, presidente estadual do partido e dirigente da Força Sindical.

Comente aqui


Londrina já tem 2 candidatos a prefeito definidos

Informa a assessoria de imprensa, que  o Partido Popular Socialista (PPS) confirmou neste sábado (30), em convenção, a candidatura do professor e advogado André Trindade à prefeitura de Londrina, para as eleições municipais de outubro. O PPS ainda estuda possibilidade de coligação com outro partido para a definição do vice de André Trindade. Também foram homologadas 29 candidaturas a vereadores.

André Trindade é o segundo candidato a prefeito de Londrina confirmado até o momento. O primeiro foi o estudante de psicologia do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Paulo Silva.

Amanhã, tem as convenções do PSDB, que pode confirmar a candidatura a prefeito do ex-presidente da ACIL, o empresário Valter Orsi e do PTC-PTN-PSDC e PCdoB, cujo pré-candidato é o ex-vereador Jaci Aguiar.

Além destas duas convenções, ainda o domingo registra, no período da manhã,  a do PTB e do PSD, partido do prefeito Alexandre Kireeff.

As convenções terminam na próxima sexta-feira, 5 de agosto. 

Comente aqui


Julgamento final do impeachment começará em 29 de agosto, diz STF

Informa Felipe Pontes – Repórter da Agência Brasil, que o julgamento final do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff começará no dia 29 de agosto e tem previsão para durar uma semana, informou o Supremo Tribunal Federal (STF) neste sábado (30) por meio de nota.

O cronograma divulgado prevê que no dia 9 de agosto, uma terça-feira, seja realizada a primeira sessão plenária sobre o impeachment, sob coordenação do presidente do STF, Ricardo Lewandowski. A partir de então, defesa e acusação terão 48 horas para apresentar seus argumentos e o rol de testemunhas que participarão da fase final do processo.

Em seguida, será respeitado um prazo de dez dias estipulado pela Lei 1079/1950, que regulamenta o impeachment, para que possa ter início o julgamento definitivo. Com isso, a primeira data possível para o início do procedimento final seria 26 de agosto, uma sexta-feira.

Segunda a nota, um acordo entre Senado e STF fez com que essa primeira data possível fosse adiada para a segunda-feira seguinte, dia 29 de agosto. A previsão é de que o processo dure ao menos uma semana, mas o próprio Supremo afirma que poderão ocorrer atrasos por causa das discussões em plenário. O desfecho do processo de impeachment pode vir então a ser conhecido somente em meados de setembro. O que pode atrapalhar os planos do  presidente interino Michel Temer, que planeja, no mesmo período, sua primeira viagem internacional, para a China, caso seja confirmado no cargo.

Na próxima terça-feira, 2 de agosto, o relator Antonio Anastasia (PSDB-MG), lerá seu parecer final na Comissão Especial de Impeachment do Senado. A votação do relatório está marcada para dois dias depois.

Senadores contrários ao impedimento de Dilma preparam dois votos em separado e já pediram ao presidente do colegiado, Raimundo Lira (PMDB-PB), tempo para que ambos sejam lidos na comissão. 

Comente aqui


Governo do Estado terá que pagar indenização por massacre do dia 29 de abril

Informa a APP Sindicato, que no dia 11 de julho, o 15º Juizado Especial da Fazenda Pública de Curitiba deu causa ganha ao professor Arnaldo dos Santos, que juntamente com a Secretaria de Assuntos Jurídicos da APP-Sindicato, entrou com uma ação judicial contra o Estado do Paraná, por conta das agressões, físicas e morais, que sofreu no dia 29 de abril de 2015.

Essa é a primeira ação ganha, das abertas pela APP, contra o Estado que busca indenizar os(as) professores(as) e funcionários(as) de escola vítimas da truculência ocorrida naquele dia, atos abusivos e desproporcionais praticados pela Polícia Militar a mando do Secretário de Segurança, Fernando Francischini.

O professor Arnaldo, assim como muitos educadores(as), registrou um Boletim de Ocorrência no dia e precisou ser atendido no Hospital Universitário Cajuru, sendo afastado do trabalho para tratamento de saúde por 5 dias, ficando evidente a gravidade da agressão sofrida.

JOKA1711

Foto: Joka Madruga

O Estado ainda tentou alegar que os agentes estariam agindo dentro da lei, obedecendo ordens superiores e ainda, culpando os(as) educadores(as) por, mesmo cientes da possibilidade de uso de força policial permaneceram no lugar, assumindo assim o risco de se ferirem. O fato é que a Constituição Federal e a Convenção 87 de OIT preveem a proteção da liberdade sindical, sendo direito do(a) civil e servidores(as) manifestarem-se acercas de suas ideologias e direitos. Inclusive, o próprio Ministério Público do Paraná (MP-PR) ajuizou uma ação pública contra o governador Beto Richa (PSDB) por atos de improbidade administrativa, sendo apontado como um dos responsáveis pela operação policial realizada no Centro Cívico.

Os(as) educadores(as) estavam ocupando o espaço público da Praça Nossa Senhora da Salete, com o intuito de demonstrar sua posição de reprovação do PL 252, estando assim, com absoluto direito de manifestar sua opinião e ideais. Também ficou comprovado o uso de força física desproporcional e desarrazoada quando comparado com os(as) professores(as) e funcionários(as) de escola desarmados(as), sem oferecer perigo para os agentes e nem pretensão de ocupar o prédio da Assembleia Legislativa do Paraná.

Dessa forma, a juíza Letícia de Paula Eduardo Bonatto, alegou que o réu Estado do Paraná deve ser responsabilizado pela conduta de seus agentes, punindo-o pela supressão dos direitos fundamentais dos(as) cidadãos(ãs) e pelo uso arbitrário da violência, bem como o desestimulando a cometer novas condutas ilegais e violentas quando se deparar com manifestações. O professor Arnaldo receberá do Estado uma indenização em dinheiro por danos materiais e morais.

Para o Secretário de Assuntos Jurídicos da APP, professor Mário Sérgio Ferreira a questão da busca por indenização vai muito além do valor que cada professor(a) vai receber. “Essa condenação é para que o Estado veja que não se pode agir quando a população se manifesta, com essa violência. É necessário sim proteger o patrimônio público, mas ele também tem que proteger o cidadão, o cidadão que tem direito de se manifestar”, explica.

Comente aqui


Londrina tem a segunda tarifa do transporte coletivo mais cara do Paraná

Londrina tem a segunda tarifa do transporte coletivo mais cara do Paraná. Com o valor de R$ 3,60 fica atrás apenas de Curitiba, que é R$ 3,70. Confira os valores da tarifa em 13 cidades do Estado, elaborada e publicada pelo jornal Folha de Londrina, em sua edição de quinta-feira, 28 de julho.

Recordando que o prefeito Alexandre Kireeff concedeu cinco aumentos em três anos e meio de administração, que proporcionou a tarifa do ônibus em Londrina aumentar quase três vezes mais que a inflação no período. Enquanto a inflação foi de 21,84%, de acordo com o IGP-M, da Fundação Getúlio Vargas, os aumentos da tarifa totalizaram 63,63%.

image description

image description

Comente aqui


População é contra a proposta de privatizações do governo Federal

É o que diz o levantamento da Paraná Pesquisas que demonstrou a reprovação da maioria da população brasileira a mais uma política econômica do governo interino de Michel Temer.  

Perguntados se são a favor que privatizações de empresas públicas sejam feitas pelo governo Temer, 60,6% disseram ser contrários à medida. 33,5% apoiam as privatizações, enquanto 5,9% não emitiram opinião. 

Sobre a eventual privatização da Petrobras, maior empresa estatal do País, 63,3% se declararam contrários, enquanto 31,1% disseram apoiar a venda. 5,6% não opinaram. 

Em relação à venda da Empresa Brasileira de Correios e Telegráfos, o percentual de brasileiros contrários é de 62,4%. Por outro lado, 32,3% apoiam a privatização e 5,3% não souberam responder. 

A Paraná Pesquisas também questionou sobre privatização do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, questão que recebeu o maior percentual de reprovação: 67,5%. Outros 26,8% dos entrevistados disseram apoiar a venda dos bancos, enquanto 5,7% não emitiram opinião. 

Para este levantamento, o Instituto Paraná Pesquisas ouviu 2.020 pessoas maiores de 16 anos em 158 municípios brasileiros, entre os dias 20 a 23 de julho. Para acessá-lo na íntegra, clique aquBRJulho16 – Privatizações

Comente aqui