Mês: outubro 2016



Professores da rede estadual suspendem greve e aulas retornam amanhã

Assembléia da APP Sindicato dos Professores. Curitiba, 31/10/2016 Foto: Brunno Covello

Assembléia da APP Sindicato dos Professores. Curitiba, 31/10/2016 Foto: Brunno Covello

Os professores da rede estadual do Paraná suspenderam a greve em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira (31), com isso as aulas devem ser retomadas a partir desta terça-feira (1) em todos os colégios do Estado. Em Londrina, 60% dos professores da rede estadual estavam em greve. 

De acordo com o presidente da App-Sindicato Londrina, Márcio André Ribeiro, o fim da paralisação foi uma das condições estabelecidas pelo governo para retomar a negociação salarial com a categoria. “Como houve um pequeno avanço nas negociações, a categoria optou por apostar na mesa de negociações e tentar concretizar a pauta de reivindicações retornando para as atividades. Apesar disso, permanecemos em estado de greve, o que significa que qualquer retrocesso nas negociações nos possibilita a reavaliação do retorno à greve”, informou. 

A greve foi ocasionada pela sinalização do governo do Estado em não cumprir com o acordo de reposição salarial prometida no ano passado como prerrogativa para a suspensão da paralisação de 2015. Na ocasião, o reajuste do funcionalismo paranaense aconteceria em janeiro de 2017, no entanto, o governo propôs emendas à lei firmada no passado que, na prática, suspenderiam o acordo. 

Com a greve deflagrada no último dia 17, governo do Estado e sindicato iniciaram as negociações que, por ora, seguem sem acordo. A emenda suspendendo a reposição salarial, no entanto, foi retirada de pauta pelo governo, que estabeleceu a suspensão da greve como uma condição para permanecer em negociação. (COM INFORMAÇÕES DO PORTAL BONDE)

Comente aqui


Eleições 2016: 18 deputados federais são eleitos e deixarão Câmara

Dos 80 deputados federais que concorreram nas eleições municipais deste ano, 18 foram eleitos e deixarão a Câmara dos Deputados nos próximos meses. Desses, 14 assumirão as chefias dos Executivos locais e quatro as vice-prefeituras.

O número de deputados eleitos no pleito municipal deste ano é menor que o verificado na eleição municipal de 2012, quando 26 deputados se elegeram prefeitos. Na ocasião, 87 concorreram ao cargo.

Na disputa em segundo turno, dos 16 concorrentes, seis foram eleitos prefeitos: Nelson Marchezan Júnior (PSDB), Porto Alegre; Luís Carlos Busato (PTB), Canoas (RS); Duarte Nogueira (PSDB), Ribeirão Preto (SP); Max Filho (PSDB), Vila Velha (ES); Washington Reis (PMDB), Duque de Caxias (RJ); Anderson Ferreira (PR), Jaboatão dos Guararapes (PE). Dois se elegeram vices: Marcos Rotta (PMDB), Manaus (AM); e Moroni Torgan (DEM), Fortaleza (CE).

Outros dez deputados já tinham sido eleitos no primeiro turno, sendo oito a prefeitos: Marcelo Belinati (PP), Londrina (PR); Odelmo Leão (PP), Uberlândia (MG); Dr. João (PR), São João do Meriti (RJ); Edinho Araújo (PMDB), São José do Rio Preto (SP); Fabiano Horta (PT), Maricá (RJ); Fernando Jordão (PMDB), Angra dos Reis (RJ); Moema Gramacho (PT), Lauro de Freitas (BA); e Arnon Bezerra (PTB) em Juazeiro do Norte (CE). A vice foram eleitos Bruno Covas (PSDB), São Paulo; e Manoel Júnior (PMDB), João Pessoa.

Senado

No Senado, apenas o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) foi eleito prefeito ontem (30), em segundo turno. Ele vai assumir a prefeitura do Rio de Janeiro. Assumirá a vaga dele, o suplente Eduardo Lopes, também do PRB. A senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) também disputou a eleição municipal, mas foi derrotada na capital paulista.

Comente aqui


Apenas uma mulher é eleita no segundo turno

Apenas uma das 57 cidades que tiveram segundo turno hoje (30) elegeu uma mulher para a prefeitura. As candidatas eram minoria nas disputas nesta etapa do pleito, com apenas seis representantes. Dessas, apenas Raquel Lyra (PSDB) teve êxito nas urnas neste domingo, em Caruaru (PE). Ela venceu o peemedebista Tony Gel e será a primeira mulher a governar o município pernambucano.

De acordo com levantamento feito pela Agência Brasil, apenas 5,3% dos 114 políticos que concorreram ao segundo turno eram mulheres. As capitais Florianópolis e Campo Grande, que também tinham mulheres na disputa, viram Gean Loureiro (PMDB) e Marquinhos Trad (PSD) derrotarem, respectivamente, Angela Amin (PP) e Rose Modesto (PSDB). No primeiro turno, Teresa Surita (PMDB) foi a única candidata vitoriosa em uma capital, na roraimense Boa Vista.

Em Canoas (RS), o candidato Busato (PTB) conseguiu virar a disputa em 2 de outubro e venceu Beth Colombo (PRB). Os eleitores da mineira Juiz de Fora preferiram colocar na prefeitura Bruno Siqueira, que concorria com a petista Margarida Salomão. Já em Guarujá (SP), o candidato Dr Valter Suman (PSB) derrotou Haifa Madi (PPS) por uma margem pequena de votos: a diferença entre os dois foi 2.600 eleitores.

Comente aqui


PSDB conquistou 14 prefeituras no 2º turno; PT perdeu nas 7 cidades que disputou

O segundo turno das eleições municipais mostrou crescimento do PSDB e queda do PT na conquista de prefeituras.

O desempenho petista no segundo turno confirmou a tendência de queda que já havia sido apontada no primeiro turno. O partido não elegeu nenhum dos sete candidatos com os quais disputou hoje (30). Na região do ABC, onde nasceu o partido, nenhum dos dois candidatos conseguiram vitória.

No Recife, única capital em que disputou a prefeitura no segundo turno, o PT viu o atual prefeito Geraldo Júlio (PSB) vencer João Paulo (PT) por uma grande margem de votos, quase 200 mil. Já na gaúcha Santa Maria, a disputa foi apertada: o petista Valdeci Oliveira perdeu para o tucano Pozzobom por apenas 226 votos.

Candidatos petistas também disputaram em Mauá (SP), Anápolis (GO), Juiz de Fora (MG) e Vitória da Conquista (BA). 

PSDB

Por outro lado, o maior rival do Partido dos Trabalhadores, o PSDB conseguiu eleger 14 das 19 prefeituras que disputou em segundo turno. Os tucanos concorreram em oito capitais e venceram em cinco delas: Porto Alegre (RS), Belém (PA), Maceió (AL), Porto Velho (RO) e Manaus (AM).

Além disso, embora tenham sido derrotados em Belo Horizonte (MG), residência eleitoral do presidente do partido, senador Aécio Neves, os tucanos tiveram bom desempenho no ABC paulista. Em São Bernardo do Campo (SP), cidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Orlando Morando (PSDB) ganhou com 59% dos votos válidos.

Em Santo André, Paulo Serra (PSDB) teve 78% dos votos, enquanto o petista Carlos Grana alcançou apenas 21%. Os tucanos levaram ainda Ribeirão Preto, cidade do ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci, com Duarte Nogueira sendo eleito por 56% dos votos válidos.

PMDB

Já o PMDB, maior partido do país, elegeu prefeitos de três das seis capitais que disputou: Goiânia (GO), com Iris Rezende sendo eleito prefeito pela quarta vez; Florianópolis (SC), com Gean Loureiro; e Cuiabá (MT), com Emanuel Pinheiro.

No total, o partido levou oito das 15 cidades que disputou no segundo turno. Em Macapá (AP), residência eleitoral do ex-presidente da República e uma das principais lideranças peemedebistas, José Sarney, o partido perdeu a disputa da prefeitura para a Rede.

Comparação com 2012

Em 2012, quando a ex-presidenta Dilma Rousseff ainda governava, o desempenho do PT nas eleições municipais foi muito superior ao de agora. O partido tinha eleito, naquele ano, 630 prefeitos em primeiro tuno, e levou 21 para o segundo turno. Desses, oito foram eleitos.

Mantendo a tendência de crescimento já apresentada no primeiro turno desta eleição, o PSDB continuou em trajetória ascendente neste segundo turno em relação a 2012. Nas últimas eleições, o partido elegeu 686 prefeitos em primeiro turno e enviou 17 para o segundo turno, tendo eleito oito prefeitos na segunda fase. Este ano, foram eleitos 14 dos 19 candidatos tucanos que disputaram o segundo turno.

Nas eleições municipais passadas (2012), o PMDB elegeu 1.015 em primeiro turno e disputou com 16 candidatos o segundo turno, elegendo mais seis. Agora, o partido disputou o segundo turno com 15 candidatos e conquistou oito prefeituras.

Comente aqui


Prefeitos eleitos hoje: Greca em Curitiba; Maia em Maringá e Rangel em Ponta Grossa

img_1_3_5863

Rafael Greca volta a ser prefeito da Capital do Paraná

O candidato Rafael Greca (PMN) foi eleito prefeito de Curitiba neste domingo (30). Ele obteve 461.736 votos (53,25% dos válidos), contra 405.315 (46,75%) de Ney Leprevost (PSD). Do total de votos, quase 16% foram de brancos ou nulos. Dos 1.289.204 eleitores da capital, 20% não compareceram às seções de votação.

Rafael Valdomiro Greca de Macedo é curitibano e tem 60 anos. Foi prefeito de Curitiba de 1993 a 1996. Greca é economista e engenheiro urbanista. Além disso, é escritor, poeta, editor e pesquisador da história e é membro da Academia Paranaense de Letras.

Em Maringá, o ex-presidente da Câmara Municipal, Ulisses Maia (PDT) venceu Silvio Barros (PP) na disputa pela prefeitura. O candidato conseguiu seu primeiro mandato com 118.635 votos (58,88% dos válidos), ante 82.868 (41,12%) de Barros. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 19,61% dos 261.716 eleitores não compareceram às seções de votação. Em compensação, o número de brancos e nulos foi baixo, totalizando 8.898 (4,23%).

Em Ponta Grossa, Marcelo Rangel (PPS) conseguiu se reeleger prefeito neste domingo (30). Com 98.058 votos (55,38% dos válidos), o atual líder do executivo superou o deputado federal Aliel Machado (Rede), que obteve 79.008 (44,62%). Dos 222.716 eleitores de Ponta Grossa, 12,13% não compareceram às seções de votação. Brancos somaram 6.402 (3,27%) e nulos foram 12.238 (6,25%).

Comente aqui


Concurso para escolha do Secretário de Educação é destaque na mídia nacional

size_960_16_9_londrina2

Imagem de Londrina que ilustra a reportagem da revista Exame.

A inovação do prefeito eleito Marcelo Belinati em escolher o Secretário de Educação por meio de um concurso está repercutindo fortemente no país.

Neste final de semana, o concurso foi destaque nacional na revista EXAME.

Com o título de “Esta cidade terá concurso para eleger secretário da Educação”, a revista escreve que Marcelo Belinati (PP-PR), em pelo menos um cargo, irá abrir mão das trocas de favores que marcam a designação de nomes para o alto escalão do comando municipal e fará um processo seletivo para escolher o seu secretário municipal de Educação”.

A notícia da escolha do Secretário de Educação já havia sido matéria nacional na revista ISTO É;  no portal de notícia da Record, o R7, além de outros veículos. Aliás, o primeiro veículo a publicar foi a Folha de São Paulo. 

Para acessar a matéria na revista Exame clique aqui

Comente aqui


Luz amarela: Prefeitura não pagou parcela do 13º no Dia do Servidor

Informa o jornalista Fábio Silveira, que a prefeitura “quebrou” a tradição de pagar a primeira parcela do 13º salário para o funcionalismo municipal no dia 28 de outubro, no Dia do Servidor Público, o que acendeu a luz amarela na categoria. Apesar de a lei estabelecer que a primeira parcela seja paga até o dia 30 de novembro e a segunda até 20 de dezembro, a prefeitura historicamente antecipa a primeira parcela. Isso não configura um atraso, apenas uma mudança com relação aos anos anteriores.

O caso é que a mudança no pagamento joga lenha na fogueira do temor de atraso de salários, que é uma questão que vem sendo discutida entre os servidores – e desmentida pela administração municipal – desde o começo do segundo semestre, por conta dos números preocupantes das finanças municipais.

Procurado pelo Baixo Clero, o prefeito Alexandre Kireeff (PSD) afirmou que “a programação esse ano é de pagamento nas datas oficiais”. “Foi feita essa programação no início do ano, sem antecipação. Quando foi feito adiantado, foi avisado antes. Neste ano, a orientação é  minha, pois cortando despesas, horas extras , comissionados , contratos e tantas outras medidas de contenção de gastos, o pagamento antecipado do décimo terceiro salário a servidores destoaria da estratégia geral de enfrentamento às frustrações de receita”, completou o prefeito.

Kireeff lembrou que os salários de outubro foram pagos ontem, antes do último dia útil do mês, que cai na segunda-feira.

Comente aqui


Com novas regras, doações de campanha caíram de R$ 6,4 bi para R$ 2,4 bi

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, disse, em entrevista na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), hoje pela manhã, que de 2012 para 2016 as doações de campanha caíram de R$ 6,4 bilhões para R$ 2,4 bilhões,  ao comentar  as novas regras eleitorais que proíbem a doação de empresas para candidatos.

O presidente do TSE disse que houve reclamações do encurtamento do tempo de campanha e também sobre as doações de empresas, mas que agora caberá ao Congresso Nacional se debruçar sobre a reforma política eleitoral e o modelo a ser adotado para as próximas eleições.

 

Comente aqui


Segundo turno é disputado por 21 partidos

Informa Ivan Richard – Repórter da Agência Brasil, que o comando do Executivo municipal nas 57 cidades onde será realizado hoje (30) o segundo turno será disputado por 21 partidos. Principal vencedor do primeiro turno, o PSDB é a legenda com maior número de políticos na disputa, 19 ao todo. O PMDB, sigla que comanda o maior número de prefeituras (1.028), tem 15 filiados concorrendo.

Em terceiro, aparece o PSB, com dez candidatos concorrendo neste segundo turno, seguido pelo PDT, com oito, e PT, PPS e PSD, com sete cada. O PRB tem chance de chegar ao comando de seis prefeituras, o PR, cinco, o PTB, DEM e PV, quatro.

O PSOL e a Rede disputam o segundo turno em três cidades cada e o Solidariedade em duas. A disputa nas 18 capitais onde haverá segundo turno ocorre entre 17 partidos e o PSDB também é a legenda com maior número de candidatos na disputa, com oito.

Comente aqui


Depois de SERRA, ALCKMIN, o “SANTO”, cai na delação da ODEBRECHT

images-cms-image-000522214

Informa, o 247, que não está fácil a vida dos tucanos. Um dia depois de vir à tona a denúncia de que José Serra recebeu da Odebrecht R$ 23 milhões em propina por meio de uma conta na Suíça, o fogo é disparado contra outro cacique do PSDB que visa a presidência da República.

Reportagem da revista Veja neste fim de semana aponta que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), também é citado na delação da maior empreiteira do País e confirma que Alckmin é o “Santo” das planilhas da construtora.

A ele, foram pagos R$ 500 mil em duas parcelas, a pedido de um diretor de contrato da Odebrecht que era responsável pelas obras na Linha 4 do Metrô, de acordo com planilha obtida pela Polícia Federal na 35ª fase da Operação Lava Jato.

O documento aponta repasse de propina da Odebrecht a governos de vários partidos e todas as esferas em diversas obras no Brasil, entre elas o aeroporto Santo Dumont, no Rio de Janeiro, que é governado pelo PMDB, e o Rodoanel e o Metrô em São Paulo.

No início de outubro, a revista Carta Capital já havia sugerido que “Santo” fosse o governador. Na ocasião, a revista cobrou a Lava Jato pelo fato de que, desde março, quando o codinome apareceu pela primeira vez, como beneficiário na obra da duplicação da Rodovia Mogi-Dutra, “já foram deflagradas dez fases da Lava Jato e a Polícia Federal ainda não conseguiu identificar qualquer um dos codinomes mencionados”.

Comente aqui