Mês: agosto 2017



Prefeito Marcelo discute a situação da Caapsml com o Ministério da Previdência

O prefeito Marcelo Belinati está em Brasília e conforme post em sua rede social facebook, ontem, teve reunião com técnicos do Ministério da Previdência buscando solução para a dívida da prefeitura com a CAAPSML que passa de 2,6 Bilhões de reais (dados de janeiro de 2017 quando assumiu a prefeitura).

Segundo Marcelo, o desafio é encontrar um caminho que garanta a aposentadoria dos servidores públicos municipais e ao mesmo tempo não comprometa as finanças da prefeitura a ponto de prejudicar investimentos em áreas essências para a população como saúde e educação.

A partir do ano que vem a prefeitura terá que fazer obrigatoriamente aportes financeiros para a CAAPSML que podem chegar a 80 milhões de reais e vai crescendo anualmente até quitar a dívida nos próximos 35 anos.

Há muitos e muitos anos se sabia disso, e como tantas outras questões em Londrina que foram empurradas com a barriga ao longo dos anos sem se buscar uma solução definitiva agora estão caminhando para uma definição.

 

Comente aqui


Londrina chega aos 558 mil habitantes, segundo IBGE

Londrina está com 558.439 habitantes, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados nesta quarta-feira (30). São 5.046 pessoas a mais em relação ao ano passado. Em 2010, a estimativa era de 506.701 habitantes.

Conforme a estimativa divulgada para este ano, há 263.642 mulheres e 243.059 homens em Londrina. Em relação à alfabetização, a estimativa do IBGE é que 447.561 pessoas residentes no município são alfabetizadas.

O município permanece na 18ª colocação no ranking de cidades com mais de 500 mil habitantes, com exceção das capitais. Neste ranking, assim como no ano passado, Londrina permanece atrás de Joinville (SC) e Juiz de Fora (MG).

Sergio Ranalli/Grupo Folha

Sergio Ranalli/Grupo Folha

Londrina continua como a segunda maior cidade do Paraná. Em seguida, está Maringá, também da região Norte do estado, com 406.693 habitantes e, em terceiro, está Ponta Grossa com população de 344.332.Curitiba está com 1.908.359 de habitantes em 2017. No ano passado, a estimativa populacional foi de 1.893.997. E permanece como a oitava maior cidade do Brasil.

Com menos de 1.500 habitantes, um município do Paraná aparece em 14º lugar no ranking. Jardim Olinda tem a população estimada de 1.396 habitantes. O município fica na região Noroeste do estado.

Brasil

O IBGE estima que o Brasil tenha 207,7 milhões de habitantes e uma taxa de crescimento populacional de 0,77% entre o ano passado e este ano. Em 2016, a estimativa populacional no Brasil era de 206.081.432 habitantes.

O município de São Paulo continua sendo o mais populoso do Brasil, com 12,1 milhões de habitantes. Em seguida, está o Rio de Janeiro, com 6,5 milhões de habitantes, Brasília e Salvador aparecem no ranking quase empatadas, com cerca de 3 milhões de habitantes. Fonte: portal BONDE

Comente aqui


Conjunto Ouro Branco completa 50 anos e recebe mutirão da Prefeitura

Nesta quinta e sexta-feira (31 de agosto e 1 de setembro), a partir das 9 horas, a Prefeitura de Londrina, em parceria com o governo do Estado irá promover mais uma edição do mutirão de serviços “Movimenta Londrina”. Será no Parque Ouro Branco, região sul, em comemoração aos 50 anos do bairro, celebrado em setembro. O ponto de encontro será na praça localizada na rua Flor do Campo com a rua Flor dos Alpes, em frente à Igreja Católica.

O objetivo do trabalho é otimizar as ações e mão de obra, concentrando-as em uma única região de uma só vez, com a consequente redução de custos para estes serviços de manutenção. O chefe de Gabinete da Prefeitura e coordenador do “Movimenta Londrina”, Bruno Ubiratan, ressaltou que os mutirões promovem a aproximação do poder público com a comunidade. “A execução destes serviços, muitos deles essenciais e que há tempos não eram efetuados, reflete a visão da atual administração municipal, de implantar um novo tempo em Londrina, com prestação de serviços públicos de qualidade para toda a população”, afirmou.

Dentre os serviços que serão realizados no local estão tapa-buracos, desentupimento de bueiros, melhorias na iluminação pública,  pela Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação; distribuição de mudas de árvores, poda, capina e roçagem de prédios públicos, unidades escolares e de saúde, pela Secretaria Municipal do Ambiente (SEMA); capina e roçagem de avenidas e praças, limpeza, varrição, orientação sobre a separação dos materiais reciclados e sinalização viária, que compreende pintura nos cruzamentos, colocação de placas de trânsito e execução de projetos de sinalização, desenvolvidos pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL), por meio da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

A Secretaria de Saúde irá orientar a população sobre o Aedes aegypti e as doenças provocadas por ele, como dengue, zika vírus e febre chikungunya, prestar serviço de aferição de pressão arterial e medição de HGT, além de orientar a comunidade sobre saúde bucal. Participarão também orientadores físicos, desenvolvendo atividades físicas com idosos.

Também estarão presentes, prestando outros serviços à comunidade, a Administração de Cemitérios e Serviços Funerários de Londrina (Acesf), a Sercomtel Iluminação e Telecomunicações, as secretarias municipais de Defesa Social, Assistência Social, Cultura, Políticas para as Mulheres, Fundação de Esportes de Londrina (FEL) e Companhia de Habitação de Londrina (Cohab). Do governo do Estado deverão estar presentes a Política Militar, Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Companhia Paranaense de Energia (Copel), 17ª Regional de Saúde e Corpo de Bombeiros.

Durante o mutirão, a população também poderá fazer o descarte de equipamentos eletrônicos, por meio da ONG E-Lixo, como televisores antigos, cabos, fios, baterias de celular, placas de computador e outros equipamentos eletrônicos.  Fonte: NCOM

Comente aqui


ALEP aprova, em 1ª discussão, a venda de cerveja em estádios de futebol

A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) aprovou nesta segunda-feira (28), em primeira discussão, a venda e o consumo de cerveja e chope em estádios ou arenas esportivas do estado. O placar foi de 23 votos favoráveis, 16 contrários e uma abstenção.

O projeto, no entanto, recebeu emendas e, por isso, retorna para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, para ser analisado novamente. Depois de revisado, segue para votação em segunda discussão, quando pode ser definitivamente aprovado no Legislativo.

O projeto prevê que a venda e o consumo de cerveja ou de chope nos estádios ou arenas desportivas sejam permitidos desde a abertura dos portões para acesso do público até o término do evento.

O texto também deixa claro, em seu artigo 3º, que as únicas bebidas alcoólicas que poderão ser vendidas e consumidas nos recintos esportivos sejam a cerveja e o chope, sendo proibida a venda e o consumo de outras espécies de bebidas alcoólicas, destiladas ou fermentadas.

Deputados vão analisar novamente o projeto (Foto: Alep/Divulgação)

Deputados vão analisar novamente o projeto (Foto: Alep/Divulgação)

A comercialização e o consumo somente poderá ser feito em copos plásticos descartáveis, admitido o uso de copos promocionais de plástico ou de papel. Ainda conforme a proposta, caberá ao responsável pela gestão do recinto esportivo definir os locais nos quais a comercialização de bebida alcoólica será permitida.

A entrada de pessoas nos estádios portando qualquer tipo de bebida alcoólica é também proibida, assim como é proibida expressamente a venda de bebida alcoólica a pessoas menores de 18 anos, podendo o fornecedor ou pessoa física responsável por tais condutas responder civil e criminalmente. Fonte G1

Comente aqui


Casal é autuado pela CMTU por descarte irregular no Morro do Carrapato

Informa o NCOM, que em nova fiscalização contra o descarte irregular de resíduos em Londrina, a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) autuou um casal pelo despejo clandestino de tecidos e plásticos em área pública. A ação, que contou com apoio da Secretaria Municipal do Ambiente (Sema), da Guarda Municipal (GM) e da Força Verde, ocorreu na manhã do último sábado (26), no Morro do Carrapato, região leste de Londrina.

Segundo a coordenadora de fiscalização da companhia, Josiane Correia, os agentes à paisana patrulhavam a rua Ernesta Galvani dos Santos quando houve o flagrante. “Um homem e uma mulher estavam retirando do porta-malas do automóvel uma série de resíduos. Após a abordagem, eles foram impedidos de continuar e ainda tiveram de recolher o que já estava no chão”, contou.

Josiane explicou que os infratores foram autuados segundo o Código de Posturas do Município (Lei nº 11.468/2011), que proíbe o descarte irregular de resíduos em espaços públicos e particulares da cidade. “Lavramos o auto e agora o valor da multa será determinado pelo diretor de Operações da CMTU. As circunstâncias do caso serão analisadas e, a depender do entendimento, o valor da sanção pode chegar a R$ 3 mil”, frisou.

De acordo com a coordenadora, o casal tentou justificar a atitude informando que o material jogado seria queimado. No entanto, também esta prática é nociva ao meio ambiente, uma vez que prejudica o solo, a atmosfera e pode resultar em incêndios de grandes proporções. Por causa do disso, além da autuação da companhia, os dois cidadãos também foram notificados pela Sema.

Josiane ressaltou que as operações de fiscalização têm ocorrido com frequência, em diversas regiões e bairros do município. “Londrina dispõe do Ponto de Entrega Voluntária para a disposição de entulho, galhos de árvore, sofás, colchões e móveis em madeira. Nossa autuação visa fechar o cerco contra os poluidores para, gradativamente, instaurar entre a população uma cultura de responsabilidade e civilidade em relação ao lixo que cada um produz. Estamos fiscalizando muitos pontos diferentes e, portanto, quem insiste na prática ilegal está sujeito à penalidades previstas em lei”, destacou.

Os moradores podem auxiliar a CMTU na fiscalização. Para repassar informações sobre o despejo clandestino de detritos, o denunciante pode entrar em contato com pelo número 3379-7900. O atendimento funciona de segunda a sexta- feira, das 8h às 17h. Além da companhia, também a GM atua na fiscalização. A corporação atende no número 153, 24 horas por dia.

Comente aqui


Taxa de feminicídios no Brasil é a quinta maior do mundo

Rio de Janeiro - Mulheres fazem caminhada em solidariedade às manifestações feministas na América Latina, que tem países com alta taxa de feminicídio, segundo a ONU (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Apenas na última semana, foram registrados pelo menos cinco casos de mulheres assassinadas por seus companheiros ou ex-companheiros só em São Paulo. Dado alarmante que reflete a realidade do Brasil, país com a quinta maior taxa de feminicídio do mundo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de assassinatos chega a 4,8 para cada 100 mil mulheres. O Mapa da Violência de 2015 aponta que, entre 1980 e 2013, 106.093 pessoas morreram por sua condição de ser mulher. As mulheres negras são ainda mais violentadas. Apenas entre 2003 e 2013, houve aumento de 54% no registro de mortes, passando de 1.864 para 2.875 nesse período. Muitas vezes, são os próprios familiares (50,3%) ou parceiros/ex-parceiros (33,2%) os que cometem os assassinatos.

Com a Lei 13.140, aprovada em 2015, o feminicídio passou a constar no Código Penal como circunstância qualificadora do crime de homicídio. A regra também incluiu os assassinatos motivados pela condição de gênero da vítima no rol dos crimes hediondos, o que aumenta a pena de um terço (1/3) até a metade da imputada ao autor do crime. Para definir a motivação, considera-se que o crime deve envolver violência doméstica e familiar e menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Para a promotora de Justiça e coordenadora do Grupo Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (GEVID) do Ministério Público do Estado de São Paulo, Silvia Chakian, a lei do feminicídio foi uma conquista e é um instrumento importante para dar visibilidade ao fenômeno social que é o assassinato de mulheres por circunstâncias de gênero. Antes desse reconhecimento, não havia sequer a coleta de dados que apontassem o número de mortes nesse contexto.

Apesar dessa importância, a promotora alerta que a lei é um ponto de partida, mas sozinha será capaz de acabar com crimes de feminicídio. “Como um problema bem complexo de causas sociais que estão relacionadas a aspectos da nossa sociedade – ainda tão patriarcal, machista e conservadora – não existe uma fórmula mágica, é necessário um conjunto integrado de ações”, defende.

Lei Maria da Penha

A implementação integral da Lei Maria da Penha é o primeiro ponto desse rol de medidas que devem ser tomadas pelo Estado. Reconhecida mundialmente como uma das melhores legislações que buscam atacar o problema e elemento importante para a desnaturalização da violência como parte das relações familiares e para o empoderamento das mulheres, a lei ainda carece de implementação, especialmente no que tange às ações de prevenção, como aquelas voltadas à educação, e à concretização de uma complexa rede de apoio às mulheres vítimas de violência, na avaliação da promotora Silvia Chakian.

“A gente não vai avançar na desconstrução de uma cultura de discriminação contra a mulher, que está arraigada na sociedade, nas instituições e em nós mesmas, sem trabalhar a dimensão da educação”, alerta.

De acordo com a promotora, a rede de atendimento, de atenção e de proteção às mulheres que vivenciam situações de violência pode ser definidora do rompimento desse ciclo, porque ela deveria fornecer apoio multidisciplinar, inclusive psicológico e financeiro, para que a mulher possa tomar a decisão de romper a relação abusiva e tenha condições de se manter fora dela.

“Onde não há delegacia especializada, centro de referência, casa abrigo e outras instituições de apoio, essa mulher vai sofrer calada, dentro de casa, sem conseguir buscar ajuda”, afirma. Como o fato extremo do assassinato é, em geral, uma continuidade de violências perpetradas antes, a existência desses mecanismos de auxílio pode interromper o ciclo de violações, antes que a morte ocorra. “Os feminicídios são tragédias anunciadas, por isso, essas são evitáveis”, alerta Chakian.

Outras formas de combater essa realidade dramática é aprimorar as condutas dos profissionais envolvidos nos processos de investigação e julgamento de crimes de feminicídio. Nesse sentido, em 2016 o governo brasileiro, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) e a ONU Mulheres publicaram as Diretrizes Nacionais para Investigar, Processar e Julgar com Perspectiva de Gênero as Mortes Violentas de Mulheres – Feminicídios.

O documento detalha, por exemplo, quando e como a perspectiva de gênero deve ser aplicada na investigação, processo e julgamento de mortes violentas de mulheres, além de formas de abordagem das vítimas e informações sobre os direitos delas. O documento destaca ainda ações que podem ser desenvolvidas pelo Ministério Público e pelo Poder Judiciário, de modo que a justiça incorpore a perspectiva de gênero em seu trabalho e para que sejam assegurados os direitos humanos das mulheres à justiça, à verdade e à memória.

Comente aqui


Cida comemora indicação como melhor para governar o Paraná

Informa o jornalista Fábio Campanha, que nos arraiais de Cida Borghetti comemora-se o resultado de enquete que a coloca como a melhor preparada para governar o Paraná. O site XV-Curitiba perguntou, durante dois dias: Se as eleições fossem hoje, quem melhor governaria o estado do Paraná?

O nome mais votado foi o da vice governadora Cida Borghetti com 33% dos votos. O atual secretario de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, vem atrás de Cida Borghetti com 24% dos votos, seguido de Osmar Dias com 12% dos votos. Roberto Requião alcançou 6%, Glesi Hoffmann e Bernardo Pilotto alcançaram apenas 2%.

A votação foi encerrada com 1968 votos.

1 Comentário


Consultoria e Plano de Recuperação darão sustentabilidade à empresa, aposta Sercomtel

Informações da assessoria de imprensa

A Sercomtel Telecomunicações avaliou como dentro do previsto o resultado da reunião realizada nesta quinta-feira, 24, à tarde, pelo Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que decidiu pela instauração de processo para a apuração, em caráter definitivo, da capacidade econômico-financeira da empresa para manter a prestação do Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC).

Desde maio deste ano, a Agência Reguladora já vinha realizando um monitoramento mais rígido em relação ao período de 2012 até 2015. A Sercomtel, inclusive, já havia atendido à exigência do órgão e apresentado um Plano de Recuperação.

“O resultado veio exatamente dentro do que prevíamos, porque a Anatel já havia deixado claro que estava insatisfeita com as contas desde 2009 e, mais especificamente, no período compreendido entre 2012 e 2015. Quando assumimos em janeiro deste ano, tivemos o cuidado de, primeiro tomar pé cautelosamente de todos os números, e, em seguida, fizemos um alerta sobre a situação financeira da empresa. À época fomos criticados por isso, mas entendo que a transparência é sempre a melhor escolha”, esclareceu o presidente da Sercomtel, Luis Carlos Adati.

De acordo com Adati, a decisão de prosseguir com o monitoramento rígido, sem partir para uma medida mais drástica, é resultado de reuniões de trabalho em que foi apresentado o Plano de Recuperação, já com várias medidas em execução, e também da proposta de realização de uma Consultoria de nível internacional, com expertise em mercado de telecomunicações.

“Posso dizer que houve um voto de confiança diante de um cenário mais drástico que poderia se impor. Esperamos que a Consultoria traga um novo olhar sobre procedimentos internos e nos ajude a construir caminhos que levem à troca de modelos de negócios, que precisam estar muito mais voltados para a tecnologia do que à própria telefonia. Com tudo sincronizado, acreditamos que a Copel terá condições de fazer os aportes de capital tão necessários”, salientou.

O presidente da Sercomtel detalha que, desde janeiro, quando assumiu a companhia, deu início a um trabalho árduo de revisão e reconstrução de ações e custos da empresa. “Começamos por revisar os contratos de cada fornecedor, checamos as alternativas comerciais, os detalhes das operações, as questões trabalhistas, fiscais. Enfim, mergulhamos fundo nos problemas encontrados e já implantamos mudanças, que englobam a revisão de contratos e de processos”, acrescentou.

Atendimento aos clientes

Na prática, nada muda para os clientes da Sercomtel por conta do monitoramento da Agência. A qualidade dos serviços da telefonia fixa foi referendada pela própria Anatel no quesito qualidade da telefonia fixa.

Em abril deste ano, a Anatel divulgou os resultados da Pesquisa de Satisfação e Qualidade de 2016 e a Sercomtel foi a operadora mais bem avaliada pelos consumidores no quesito satisfação com os serviços. “Inclusive estamos com campanhas de sucesso no ar, que tem tido ótimo retorno pelo custo-benefício: a Box Promo Mais e a Super Pré-internet“, disse Adati.

 

Comente aqui


Resultado da reunião da Anatel sobre a análise das contas da Sercomtel até o ano de 2015

Vale lembrar que as contas analisadas compreendem o período de 2012 a 2015.
É importante ressaltar que a deliberação da ANATEL indica que não foi iniciado o processo de caducidade da Sercomtel.  Confira a íntegra da decisão da ANATEL, que será abordada amanhã pelo presidente Luiz Carlos Adati.

Relatório:

Em sua 832ª Reunião, realizada nesta data, o Conselho Diretor da Agencia Nacional de Telecomunicações – Anatel deliberou, por maioria, no âmbito de processo de acompanhamento econômico-financeiro especial, a adoção de novas medidas em relação à Sercomtel S/A Telecomunicações, na sequência do monitoramento em curso desde 2012.

A partir de informações coletadas e análises elaboradas pelas áreas técnicas da Agência, identificou-se cenário econômico-financeiro de notável complexidade, o qual denota a necessidade de soluções de curto prazo para a manutenção da prestação dos serviços de telecomunicações pela empresa, especialmente do Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC), operado mediante concessão, em regime público.

Com fundamento no voto do relator da matéria, conselheiro Igor de Freitas, foi decidida a instauração de processos para a apuração, em caráter definitivo, da capacidade econômico-financeira de a Sercomtel cumprir sua obrigação, como concessionária, de prestar o STFC de forma contínua, bem como de prestar o Serviço Móvel Pessoal (SMP) e de Comunicação Multimídia (SCM), de modo a atender à regulamentação setorial. Deverá ser decidida, ao final, a continuidade ou a extinção de suas outorgas, precedida de procedimento administrativo instaurado pela Agência, em que se assegure a ampla defesa da concessionária. Ao longo desses processos, restará garantida à prestadora a oportunidade de demonstrar uma eventual alteração de seu quadro financeiro.

Além dessa medida, aprovaram-se restrições mais rígidas quanto à alienação e oneração dos bens móveis e imóveis do patrimônio da Sercomtel. Em paralelo, criou-se grupo interno para avaliar e propor ações complementares, que se façam necessárias para garantia dos direitos dos usuários dos serviços por ela prestados.

A atuação da Agência tem como objetivo cumprir sua missão institucional, intervindo de forma tempestiva para reduzir riscos de descontinuidade ou de deterioração dos serviços prestados pela Sercomtel.

Os conselheiros Leonardo de Morais e Aníbal Diniz foram vencidos parcialmente quanto às medidas propostas pelo relator. Acompanharam o relator o presidente do Conselho Diretor Juarez Quadros e o conselheiro Otavio Rodrigues.

Fonte: http://www.anatel.gov.br/institucional/component/content/article?id=1719

Comente aqui


Prefeitura de Londrina revitaliza Centro Esportivo Maria Cecília

Fotos e Texto: NCOM

maria.cecilia.DPA Prefeitura de Londrina, por meio da Fundação de Esportes de Londrina (FEL), iniciou no mês passado a revitalização do Centro Esportivo Maria Cecília, na região norte. A primeira ação foi recuperar as piscinas, que, agora, estão em processo de enchimento. As quadras também estão recebendo melhorias, como limpeza e pintura, que serão finalizadas na próxima sexta-feira (25).

O objetivo das revitalizações, além de qualificar e ampliar o atendimento à população, é receber os Jogos da Juventude do Paraná – Final A, que acontece de 20 a 29 de outubro. As quadras do Maria Cecília receberão as partidas da modalidade de voleibol feminino.   Os próximos passos para a revitalização são marcados pelas melhorias em torno das piscinas, cercar e iluminar o campo e melhorar o espaço ao redor do complexo.

Nas quadras do Maria Cecilia são oferecidas aulas de handebol, futsal, atletismo, ginástica/alongamento, treinamento funcional e caminhada. Já as piscinas estarão disponíveis a partir da primeira quinzena de setembro, atendendo aulas de hidroginástica e natação, que, devido ao frio, estão pausadas.

A FEL, órgão responsável pela administração Centro Esportivo Maria Cecília, também está atuando na revitalização de outras quadras da cidade, como a da Vila Nova, que foi entregue no dia 18 de outubro.

maria.cecilia.D2Segundo o diretor presidente da FEL, Fernando Madureira, é importante viabilizar formas de acesso ao esporte. “Para fazer com que a comunidade vá para o Centro e tenha interesse pelo esporte, o espaço tem que estar agradável, adaptável e que tenha material. A Fundação está deixando o espaço apto, com muita diversificação de esporte e com materiais acessíveis e disponíveis à comunidade e, também, à disposição para quem queira apresentar projetos esportivos”, informou.

As inscrições para atividades desenvolvidas no complexo podem ser feitas pessoalmente, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, no Centro Esportivo Maria Cecília, na Rua Luiz Brugin, 615. Mais informações, pelo telefone (43) 3337-1142.

Vagas disponíveis

Treinamento funcional
Público: adultos (18 – 40 anos)
Horário: 15h às 16h
Dias: Terça e quinta-feira

Futsal feminino
Público: jovens/adultos (14 – 30 anos)
Horário: 14h às 15h
Dias: Terça e quinta-feira

Futsal masculino
Público: infantil (9 – 12 anos)
Horário: 14h às 15h
Dias: Quarta e sexta-feira

Atletismo
Público: infantil (9 – 13 anos)
Horário: 16h às 17h
Dias: segunda, terça e quinta-feira

Ginástica e Alongamento
Público: Idosos
Horário: 16h às 17h
Dias: Quarta e sexta-feira

Hidroginástica *Turmas divididas por dias e horários
Público: Adultos e Idosos
Manhã: Terça a sexta-feira
Horário: 10h30 às 11:20
Tarde: Terça e quinta-feira – Horários: 13h às 13h50 – 14h às 14h50 – 15h às 15h50
Quarta e sexta-feira – Horário: 13h às 13h50

Natação *Turmas divididas por dias e horários
Público: Adolescentes
Manhã: Terça a sexta-feira – Horário: 10h30 às 11:20
Tarde: Terça a sexta-feira Horários: 13h às 13h50 – 14h às 14h50 – 16h às 16h50

Comente aqui