Reflexões sobre depressão e suicídio

Artigo semanal da psicóloga Mariana Caldeira Hugo

Como falamos na semana passada, lidar com as emoções não é uma tarefa fácil e como vamos agir após determinada emoção é de extrema importância.

Existem situações onde as pessoas nos cumprimentam já perguntando como estamos e a resposta é automática. SIM, TUDO!!!

Não pensamos, apenas dizemos. Muitas vezes estamos nos sentindo destruídos, com algum problema sem solução, porém não queremos compartilhar.

Quem nunca agiu assim????

Nos dias de hoje, com as redes sociais, mostrar que está tudo bem, se apresentar feliz e realizado tem se tornado cada vez mais necessário.

Há uma auto cobrança das pessoas em demonstrar algo que muitas vezes não é real.

Já do lado oposto temos aqueles que em situações aversivas, desagradáveis, tristes, se entregam, pensam em desistir, perdem até a vontade de viver.

Hoje eu quero falar das consequências de quando lidamos essas emoções. Nas duas situações podem ocorrer sérias consequências como: uso abusivo de álcool e drogas, transtornos ( alimentares, ansiedade, bipolaridade), fobias sociais, depressão e até suicídio.

Segundo a OMS, o número de pessoas com depressão chegou a 322 milhões em 2015. Aquele que sofre com depressão apresenta uma tristeza permanente, perda de interesse pelas atividades que costumava desfrutar, acompanhadas da incapacidade de realizar tarefas diárias, sentimento de culpa, falta de auto estima e sensação de cansaço.

Quando falamos em suicídio, os dados são ainda mais graves já que aproximadamente 800 mil pessoas morrem por este motivo a cada ano, sendo a segunda causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. A gravidade deste tema, demonstra a necessidade se compartilhar mais, é preciso falar mais sobre isso.

Quando pensamos em depressão é importante acabar com o mito de que “SOU” depressiva (o), podemos mudar para “ESTOU” em processo depressivo, isso significa que é possível mudar, se sentir melhor. Não existe tristeza eterna.Precisamos buscar ajuda quando necessário e falar sobre o que estamos sentindo.

Viver intensamente os momentos bons e os ruins também se faz necessário, isso é crescimento, conhecimento e experiências.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.