Autor: Zé Otávio



Hospital Universitário (HU) recebe novos equipamentos

evento.HU.VP

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati participou, na tarde desta quinta-feira (27), de cerimônia para entrega simbólica de equipamentos ao Hospital Universitário de Londrina (HU). A solenidade teve a presença da reitora da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Berenice Jordão, e da diretora-superintendente do HU, Elizabeth Silva Ursi.

Os equipamentos foram obtidos mediante emenda parlamentar no valor de R$ 1 milhão, indicada pelo prefeito Marcelo quando deputado federal. Dentre os itens adquiridos, há mesas cirúrgicas, focos cirúrgicos de teto, aparelhos de anestesia, monitores multiparâmetros, carros de maca avançados para transporte de pacientes cirúrgicos e aparelho eletroencefalógrafo. A maioria dos equipamentos comprados foi direcionada aos centros cirúrgicos do HU, além da Unidade de Tratamento Intensivo e Pronto Socorro.

Na solenidade, Marcelo destacou que um dos grandes desafios da administração municipal será a reestruturação da saúde pública na cidade. “Temos a melhor rede de saúde pública do país, com 54 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), duas unidades de pronto atendimento, hospitais nas regiões sul e norte, o Pronto Atendimento Infantil, entre outros. Mas, falta pessoal para atuar nessas unidades. E por isso, a população, e a própria estrutura de saúde pública, acabam sofrendo. Precisamos mudar essa realidade, e estamos fazendo inúmeras ações para isso”, frisou.

O prefeito ressevento.HU.V2altou que, por meio da sua experiência como médico, conhece de perto a realidade e as dificuldades que os hospitais da cidade enfrentam. “Não tenham dúvidas de que vamos avançar na questão da saúde em Londrina. Estamos usando uma metodologia, com diagnóstico dos problemas e planejamento com ações de curto, médio e longo prazo. E meu foco é na solução, por isso sei que vamos melhorar muito”, afirmou.

A reitora da UEL agradeceu ao prefeito pela emenda, que permitiu o convênio com o Ministério da Saúde para compra dos equipamentos. “É muito bom termos pessoas com essa sensibilidade, de conhecer a realidade dos nossos hospitais e destinar recursos públicos a eles. Pois não basta conhecer o problema, é preciso ter vontade política de dar soluções. E por essa postura, agradecemos ao prefeito Marcelo Belinati. Também parabenizo todos os nossos servidores que, mesmo diante de tantas dificuldades, se dedicam cada vez mais”, ressaltou.

Segundo a diretora-superintendente do HU, alguns dos equipamentos substituídos nos centros cirúrgicos já tinham mais de 20 anos de uso. “Hoje é um dia muito feliz no nosso hospital, e por isso agradeço a todos os servidores, docentes e demais presentes. Em especial, ao prefeito Marcelo, pela ação realizada quando era deputado federal, que permitiu substituir eqevento.HU.V5uipamentos que já não ofereciam a qualidade e segurança que nossos pacientes merecem”, disse.

Elizabeth explicou que a maioria dos equipamentos já foram adquiridos e instalados. Os demais devem ser recebidos pelo hospital nas próximas semanas. “Por isso agradecemos ao Marcelo, pois não há como mensurar ou quantificar o quão benéfico essa iniciativa será aos nossos pacientes”, contou.

Também compareceram na solenidade membros da diretoria do HU; o presidente do Londrina Conventions and Visitors Bureau, Arnaldo Falanca; o representante do superintendente do Hospital Evangélico, Reily Aranda; e servidores do HU.  Texto e fotos do NCOM. 

Comente aqui


Greve geral vai parar Londrina em protesto contra as reformas da Previdência, Trabalhista e Terceirização

Informações da assessoria de imprensa

O coletivo de sindicatos de Londrina, representando por mais de 30 categorias, promove amanhã, 28, o evento do Greve Geral, para protestar contra as reformas da previdência, trabalhista e terceirização, já sancionada pelo governo Temer.

O evento que será realizado em todo o Brasil, promete reunir milhares de trabalhadores indignados com o governo ilegítimo de Michel Temer que promove um retrocesso no país por meio do desmonte dos direitos dos trabalhadores conquistados ao longo das últimas décadas.

Em Londrina, as ações dos organizadores começam na madrugada com mobilizações em frente as garagens das empresas de transporte coletivo. As 10h será iniciada o evento na Avenida Leste/Oeste, em frente ao terminal urbano  com fechamento entre as ruas João Candido e São Paulo, onde haverá uma grande estrutura com caminhões de som para apresentações artísticas e discursos de lideranças. Ao meio dia, os participantes sairão em passeata, solicitando o fechamento das portas que estiveram abertas, indo até o Calçadão ( antigo coreto) onde o evento será finalizado.

“Londrina vai parar nesta sexta-feira, porque a população quer deixar claro que discorda das reformas e exigem que o governo recue das medidas que arrebentam com os trabalhadores. Vamos partir para cima dos nossos deputados para que votem contra as reformas”, declarou o presidente da Assuel Sindicato Marcelo Seabra.

Entre os setores que já anunciaram a paralização dos serviços estão as categorias de motoristas e cobradores do transporte coletivo, professores rede municipal e estadual de ensino, servidores e docentes da Universidade Estadual de Londrina, bancários, metalúrgicos, trabalhadores do vestuário, da saúde, das escolas particulares, polícia federal, construção civil,  empregados de entidades culturais recreativas, de assistência social, de orientação e formação, entre outros.

O evento também conta com apoio da arquidiocese de Londrina, por meio de Dom Manoel Francisco que convidou os coordenadores de igrejas, jovens, líderes e presbíteros para participarem da paralização. Outras instituições das mais variadas áreas já manifestaram seu apoio ao evento. A expectativa dos organizadores é que 20 mil pessoas participem da mobilização.

Comente aqui


Prefeito anuncia liberação de repasses para a Saúde em Londrina

Após visita realizada nesta semana ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, anunciou que obteve a liberação de recursos para a realização de melhorias em 15 Unidades Básicas de Saúde (UBSs). A quantia destinada será de, aproximadamente, R$2 milhões, que poderão ser repassados ainda no primeiro semestre. Os recursos vão contemplar pequenas reformas estruturais para correção de danos nas unidades.

Durante o encontro, que teve a participação do secretário estadual de Saúde, Michele Caputo Neto, o prefeito explicou ao ministro que está sendo realizado um planejamento com ações de curto, médio e longo prazo, na área de saúde pública. “Para isso criamos um grupo de trabalho com a participação de todos os hospitais terciários, como a Santa Casa, Hospital do Câncer, Hospital Evangélico, a 17ª Regional de Saúde, o Hoftalon, ou seja, todos aqueles que prestam serviços de saúde em Londrina.”, afirmou.

Dentre as dificuldades que a saúde pública enfrenta em Londrina, o prefeito ressaltou a falta de profissionais nas UBSs. “É preciso reestruturar as unidades básicas, mas o grande trabalho para melhorar a saúde pública de Londrina é conseguir recompor o quadro de funcionários para atender a população. Precisamos contratar 227 profissionais médicos, e mais outros para estruturar a saúde pública, o que custaria hoje perto de R$40 milhões. Mas, temos um déficit financeiro previsto para este ano de 120 milhões, e estamos economizando para corrigir, com muito custo. Então é importante que a cidade saiba dessa situação, pois o problema existe, e vamos todos nós, londrinenses, nos unirmos para buscarmos e encontrarmos a solução”, frisou.

Marcelo citou ainda que o ministro Ricardo Barros conquistou repasses anuais de cerca de R$20 milhões para o custeio da saúde pública do Município. “Essa visita foi com o intuito de expor ao ministro as dificuldades enfrentadas pelos hospitais terciários, e também pela atenção básica de saúde. Também pude dizer que estamos concluindo os estudos junto aos hospitais e a Secretaria Municipal de Saúde para, futuramente, procurá-lo e buscar seu auxílio. E ele se colocou à nossa disposição, como sempre fez”, destacou. Com informações do NCOM.

Comente aqui


Emenda parlamentar traz recursos à Maternidade Municipal de Londrina

Informa a assessoria de imprensa  da Prefeitura de Londrina, que na manhã desta quinta-feira (27), o vice-prefeito de Londrina, João Mendonça, recebeu, na Prefeitura, a visita do deputado estadual do Paraná Requião Filho, que anunciou a disponibilização de recursos financeiros para o Município. De acordo com o deputado há uma emenda parlamentar do senador Roberto Requião, com recursos financeiros na ordem de R$ 500 mil advindos do “Programa Estruturação de Unidades de Atenção Especializada em Saúde” do Ministério da Saúde.

O dinheiro será enviado do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Municipal de Saúde e deverá ser utilizado, exclusivamente, para a compra de equipamentos à Maternidade Municipal Lucilla Ballalai. “Hoje, estive conversando com o amigo João Mendonça, para falarmos da emenda de mais de meio milhão para a Maternidade Municipal, que o senador Roberto Requião colocou no orçamento da União para que Londrina possa atender melhor as suas mães e recém-nascidos. Além disso, eu como deputado tenho o dever de andar e conversar com as pessoas para entender o que está incomodando a população e farei isso em Londrina e nos municípios da região”, destacou.

Segundo Requião Filho, o pedido do recurso financeiro para a Maternidade foi feito no início deste ano, quando da abertura para emendas parlamentares. Nesta quinta-feira (27), durante a visita, foi feita a entrega oficial dos documentos à Prefeitura. Agora, caberá ao Município fazer seu cadastro, apresentar os projetos que serão utilizados para a aquisição de equipamentos e, posteriormente, dar início aos processos licitatórios. A expectativa é que até o final deste ano, os processos licitatórios sejam realizados.

Durante a visita, o vice-prefeito, João Mendonça, que representou o prefeito Marcelo Belinati que está em viagem a Brasília, explicou que recursos provenientes de emendas são sempre bem-vindos principalmente por serem uma forma de unir forças em prol do crescimento de Londrina. “Esses recursos para a Maternidade vêm ajudar na melhoria da saúde do Município e nós precisamos muito deles e das parcerias também, sejam elas com os vereadores, deputados estaduais ou federais ou senadores. É uma nova realidade que Londrina está vivendo e vem culminar com nosso estilo de trabalho, que é conviver bem com todos os segmentos”, finalizou o vice-prefeito.

Comente aqui


Prefeito cumpriu diversas agendas em Brasília

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, em audiência com o Ministro Kassab. Acompanharam o deputado Federal Alex Canziani e o presidente da Codel, Nado Ribeirete.

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, cumpriu agendas em Brasília. E foram muitas. Ontem esteve reunido com o Ministro da Saúde, Ricardo Barros e também com o Secretário Estadual de Saúde, Michele Caputo.

Marcelo expôs o planejamento e ações de curto-médio e longo prazos que está tomando para reestruturar a saúde pública de Londrina. “Ambos se comprometeram a ajudar e já foi anunciado algumas ações e liberação de recursos para melhorias do nosso sistema de saúde”, escreveu o prefeito em seu perfil no Facebook.

Hoje, Marcelo se reuniu com Ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab e com o Presidente da Telebras, Antônio Klinger Loss Leite. O deputado Federal, Alex Canziani, acompanhou a agenda. 

Conforme o presidente da Codel, Nado Ribeirete, que acompanhou o prefeito em Brasília, novidades estão sendo trazidas para Londrina.

Isto é muito positivo, porque a cidade precisa de recursos dos governos Federal e Estadual e a articulação que o prefeito Marcelo, que foi deputado Federal e conhece Brasília, está fazendo é o caminho para que estes benefícios venham para Londrina. 

Comente aqui


Prefeito Marcelo recebe visita de ministros na sexta-feira (dia 28)

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, juntamente com o deputado federal Alex Canziani, estarão recepcionando o ministro de Estado da Integração Nacional do governo federal, Helder Zahluth Barbalho; o ministro da Saúde, Ricardo Barros; o ministro da Justiça, Osmar Serraglio; o governador do Paraná, Beto Richa; o senador Álvaro Dias e outras autoridades. Será nesta sexta-feira (28), às 11h, no Centro de Treinamento Milton Alcover, no Parque de Exposição Governador Ney Braga, na Avenida Tiradentes, 6.275.

As autoridades participarão de uma solenidade de entrega de novos equipamentos aos municípios integrantes do Consórcio Público Intermunicipal de Inovação e Desenvolvimento do Estado do Paraná (Cindepar). Serão entregues oito máquinas utilizadas para a pavimentação e recape asfáltico. O recurso financeiro na ordem de R$ 2,5 milhões advém do Ministério da Integração Nacional, por meio da emenda parlamentar do deputado federal Alex Canziani e do senador da República, Álvaro Dias. Além desse valor, o consórcio aplicou contrapartida no valor de R$ 385 mil.

Atualmente, o consórcio público conta com 16 máquinas e equipamentos, três usinas de micropavimentação, uma usina de pré-misturado a frio (PMF), dois caminhões, uma destocadora, uma extrusora, dois rolos compactadores e dois tanques-pipas, que somam mais de R$ 4,5 milhões.

Ao todo, 123 municípios participam do Cindepar criado em 2013, para atender às demandas de pavimentação asfáltica nos municípios da região norte e central do Estado. Hoje, os municípios integrantes também estão investindo em ações de intercâmbio de informações e cooperação técnica, científica, acadêmica e cultural e em cursos de capacitação e aperfeiçoamento dos integrantes.

Participação de Londrina – No dia 31 de março deste ano, o prefeito Marcelo Belinati assinou o Projeto de Lei do Executivo autorizando o município de Londrina a integrá-lo também. Agora, o PL está tramitando na Câmara de Vereadores, onde deverá ser votado. Se aprovado, Londrina será a maior cidade a integrar o consórcio e contará com um esquema especial para as obras de micropavimentação, onde serão deslocados servidores e os maquinários necessários.

Comente aqui


Brasil ocupa posição 103 no ranking de liberdade de imprensa

Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil

Entre 180 países avaliados, o Brasil ocupa a posição de número 103 no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa 2017, apenas uma posição melhor do que no levantamento anterior, quando estava em 104º. Os dados foram divulgados hoje (26) pela organização Repórteres sem Fronteiras (RSF), em coletiva na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro do Rio de Janeiro. Os dados foram divulgados, ao mesmo tempo, na França, Inglaterra e nos Estados Unidos.

De acordo com o representante da RSF no Brasil, Artur Romeu, o país está estagnado numa posição classificada como “sensível” há seis anos. Esse é o terceiro indicador em uma lista de cinco: situação boa, relativamente boa, sensível, difícil e grave. Ele explica que o levantamento é centrado na segurança dos profissionais e que, desde 2013, vem aumentando o número de agressões a jornalistas em manifestações.

“Foram mais de 300 casos registrados entre junho de 2013 e dezembro de 2016. Na grande maioria dos casos, os jornalistas são um ‘efeito colateral’ das manifestações, sendo atingidos por bombas de gás lacrimogêneo ou balas de borracha, mas não são tomados por alvos. Um caso mais difícil de investigar é quando o policial identifica o jornalista e o agride por isso.”

A organização não governamental (ONG) relata que, no atual contexto de crise e profunda polarização política, o Brasil continua enfrentando velhos problemas relacionados à liberdade de imprensa, como violência, pressões institucionais, processos abusivos, falta de transparência pública e alta concentração dos meios de comunicação.

Segundo Romeu, há preocupação crescente com os comunicadores populares nas favelas, que têm sofrido represália policial, e também com os do interior do país, que têm menos visibilidade e ficam mais vulneráveis a ameaças de pessoas insatisfeitas com as denúncias feitas. Outro problema no Brasil é o aumento de processos judiciais contra jornalistas e a quebra do sigilo da fonte.

Para continuar lendo, acesse: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-04/brasil-ocupa-posicao-103-no-ranking-de-liberdade-de-imprensa

Comente aqui


CPI da Previdência para investigar rombo e casos de fraude

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência foi instalada hoje (26) no Senado e o senador Paulo Paim (PT-RS), autor do requerimento e criação da CPI, foi eleito o presidente dos trabalhos. O cargo de vice ficou com o senador Telmário Mota (PTB-RR) e a relatoria com o senador Hélio José (PMDB-DF).

A escolha dos nomes foi possível por acordo, uma vez que é praxe na Casa que o autor do requerimento de criação da CPI fique com um dos cargos da mesa. A comissão vai analisar os números da Previdência Social para identificar se há rombo e qual o seu tamanho, além de procurar identificar casos de fraudes e sonegações por parte de grandes empresas.

Para o relator, o principal objetivo será avaliar se há outras opções para resolver o problema da Previdência que possam amenizar a reforma em curso. “Direitos adquiridos são sagrados. Quem entrou em um jogo com uma regra espera que o jogo termine com a mesma regra com que iniciou. Qualquer mudança, para quem vai adentrar o jogo, é possível, permissível e normal. Então, nós estamos perplexos com algumas mudanças. Esperamos que consigamos chegar a uma situação boa, a um norte legal, quando nós tivermos, por meio desta CPI aqui, conseguido desvendar todas as questões que são faladas a respeito da situação”, disse Hélio José.

A oposição acredita que vai conseguir, por meio da CPI, comprovar que a reforma apresentada pelo governo não é necessária e que o problema da Previdência tem a ver com fraudes e sonegações. Já os governistas aprovam que a conclusão do inquérito vai corroborar para a aprovação da reforma no Senado.

Informações da Agência Brasil.

Comente aqui


Senado aprova em 1ª turno fim do foro privilegiado para todas as autoridades

Informações de Mariana Jungmann – Repórter da Agência Brasil

O plenário do Senado aprovou hoje (26), por 75 votos a favor e nenhum contra, em primeiro turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que acaba com o foro especial por prerrogativa de função. O texto, relatado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), determina o fim do chamado foro privilegiado para todas as autoridades brasileiras nas infrações penais comuns.

Permanecem com a prerrogativa de foro apenas os presidentes da República, do Supremo Tribunal Federal, da Câmara e do Senado. O texto original de Randolfe previa a perda de foro para todas as autoridades, mas ele optou por acatar essa emenda que salvaguarda os presidentes dos Poderes para garantir a votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na manhã de hoje e no Plenário na noite desta quarta-feira.

A matéria também permite a prisão de membros do Congresso Nacional condenados em segunda instância nas infrações comuns. Hoje, eles são julgados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e só podem ser presos após condenação definitiva da Corte.

Brasília - Plenário do Senado analisa substitutivo do senador Roberto Requião ao PLS 85/2017, que trata dos crimes de abuso de autoridade (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Para o autor da proposta, senador Álvaro Dias (PV-PR), a votação unânime ocorreu porque “ninguém tem coragem de se colocar contra” o fim do foro privilegiado. “Esta é uma exigência da coletividade. E, em qualquer pesquisa que se faça hoje nas redes sociais, nós verificamos que 95% da população colocam como imposição da hora o fim do foro privilegiado”, disse o senador.

A PEC já tinha passado por quatro sessões de discussão no plenário do Senado quando recebeu o apensamento de outra proposta com tema semelhante, o que provocou seu retorno para parecer na CCJ da Casa.

Hoje pela manhã, logo após a aprovação do projeto sobre abuso de autoridade, também na CCJ, os senadores da comissão decidiram aprovar a PEC e encaminhá-la de volta ao plenário. Isso propiciou acordo para que a proposta fosse aprovada com alto quórum.

Ao fim da votação, Randolfe Rodrigues disse acreditar que a PEC possa ser votada em segundo turno possa ser votada daqui a duas semanas. “Eu ficarei feliz se, pelo menos, não apresentarem novas emendas, porque isso pode fazer o texto voltar para a CCJ”.

“Hoje é um dia histórico para o Senado e para a República. Oxalá, espero que a Câmara dos Deputados tenha a mesma celeridade e a mesma sintonia com o sentimento das ruas que está tendo o plenário desta Casa”, disse o senador aos colegas.

Comente aqui


Prefeitura de Londrina informa procedimentos para servidores que aderirem à paralisação geral

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Recursos Humanos, informa os procedimentos para os servidores que resolverem aderir à greve geral nacional organizada por sindicatos de trabalhadores para esta sexta-feira (28).

Os servidores que decidirem participar do protesto contra o projeto de Emenda Constitucional PEC 287, que trata da reforma da previdência social, e o Projeto de Lei 6.787-16, sobre a reforma trabalhista, não terão os seus direitos prejudicados. Eles poderão participar da manifestação optando por desconto do dia no banco de horas. Não havendo horas adicionais, eles poderão optar pelo desconto de um dia de férias. Essas informações estarão disponíveis na intranet do Município.

Os profissionais da Secretaria Municipal Saúde que estão em escala de plantão deverão cumprir a sua jornada, sem prejuízos à população.  

Na Educação, as escolas onde houver a opção pela paralisação das atividades, deverão repor as aulas, sem prejuízo do calendário escolar. As escolas municipais e Centros Municipais de Educação Infantil que decidirem paralisar devem avisar os pais e responsáveis pelas crianças. Aqueles que tiverem dúvidas quanto ao funcionamento poderão telefonar na unidade escolar onde a criança está matriculada.

As informações são do Núcleo de Comunicação. 

Comente aqui