Autor: Zé Otávio



A busca pelo corpo ideal

Artigo semanal da psicóloga Mariana Caldeira Hugo

Foto: HEUCY

Essa semana tivemos a grande repercussão do caso onde a paciente faleceu após procedimento cirúrgico na casa do médico, mais conhecido como “Dr. Bumbum.

A perda dessa moça e a forma como tudo aconteceu tem gerado muita revolta na população. Vejo nas redes sociais muitos comentários sobre a conduta do médico, que até aí tudo bem, e aceitável diante da irresponsabilidade do profissional, mas o que me chamou mais atenção é a forma hostil com a qual as pessoas tem tratado a paciente, e outras, que passaram por procedimentos com o referido médico.

A busca por um padrão de beleza, tem crescido diariamente. O corpo perfeito nunca foi tão valorizado como tem sido nos dias de hoje. Outro ponto, são os famosos tratamentos de rejuvenescimento. Nossa sociedade dá muito valor a juventude e tem se tornado cada dia mais difícil a aceitação das consequências que a idade traz ao indivíduo.
A procura por procedimentos de cirurgia plásticas aumentou 390% em dois anos segundo o último censo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Esse dado se torna alarmante quando observamos que há uma grande quantidade de procedimentos realizados sem uma real necessidade.

Buscar uma melhoria não é ruim, porém deve-se estar atento para que essa busca não se torne uma adoração ao corpo.

Essa procura desenfreada para se encaixar nos “padrões de beleza” tem gerado doenças como bulimia, anorexia, vigorexia e o vício em cirurgias plásticas. Com ela as pessoas, muitas vezes com um corpo saudável se veem feias, fora do padrão e passam a abusar do uso de cirurgias plásticas que muitas vezes podem trazer malefícios a saúde.

Afirmar que isso ocorreu com a paciente dessa semana, não é possível, mas podemos usar o triste exemplo dela para refletirmos sobre o assunto e estarmos atentos ao nosso comportamento e das pessoas que amamos.
Antes de procurar procedimentos cirúrgicos estéticos se faz necessário uma avaliação de vários profissionais, verificar outros possibilidades menos invasivas e se ainda assim decidirem pela cirurgia plástica, uma boa recomendação se faz necessário.

Que possamos ter um novo olhar sobre o tema e entender que ela foi vítima e que infelizmente ela não teve a oportunidade de corrigir as consequências de sua decisão. É importante ainda adquirir a empatia, se colocar no lugar do outro e buscar entender esse contexto.

Essa busca pelo corpo perfeito é um assunto muito sério e precisamos dar a devida atenção.

Uma ótima semana!!!

Comente aqui


Deputado estadual Bernardo Ribas Carli morre em queda de avião no PR

O deputado estadual  Bernardo Ribas Carli (PSDB-PR), de 29 anos, morreu hoje (22), vítima de acidente aéreo no município de Paula Freitas, no sul do Paraná. O piloto e o copiloto também morreram na queda da aeronave.

Bernardo Ribas Carli saiu de Guarapuava na manhã de hoje. Seu destino era União da Vitória, onde participaria da festa de São Cristóvão, padroeiro dos caminhoneiros. Diante da demora, serviço de busca foi acionado e encontrou os destroços.

O Governo do Paraná, Assembleia Legislativa e a Prefeitura de Guarapuava decretaram luto oficial de três dias pela morte do deputado. As bandeiras do Estado e do país ficarão a meio mastro durante o período em todas as repartições públicas. Em nota, o PSDB do Paraná lamentou a morte do parlamentar.

O velório de Bernardo Carli está marcado para começar às 8h de segunda-feira (23), na Prefeitura de Guarapuava. O sepultamento será às 16h, conforme a assessoria dele.

Pré-candidato à reeleição neste ano, Bernardo Ribas Carli nasceu em Guarapuava, no interior do Estado. Estava no segundo mandato como deputado estadual. Bernardo era filho de Luiz Fernando Ribas Carli, que foi prefeito de Guarapuava por três mandatos, deputado federal, deputado estadual e chefe da Casa Civil do Paraná.

Bernardo Carli era irmão de Luiz Fernando Ribas Carli Filho, seu irmão mais velho que há oito anos envolveu-se em acidente de automóvel e quase morreu. Na tragédia, dois jovens perderam a vida. Um deles filho da deputada federal Christiane Yared.

O suplente de Bernardo Ribas na Assembleia Legislativa é Wilson Quinteiro (PSB), de Maringá, segundo a assessoria do Legislativo.

 

Comente aqui


PSL oficializa Bolsonaro como candidato à Presidência

Informações de Cristina Indio Brasil e Mario Toledo – Repórteres da Agência Brasil

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ), 63 anos, foi confirmado hoje (22) como o candidato à Presidência da República nas eleições deste ano pelo Partido Social Liberal (PSL). Embora presente à convenção do partido ao qual se filiou, a advogada Janaina Paschoal disse que ainda não aceitou o convite para ser vice.

O partido tem até 5 de agosto para anunciar quem irá compor a chapa. “Nenhum partido anunciou seu vice ainda. A gente não foge de um filiado ao PSL ou de algum militar que esteja na ativa. A nossa lagoa é muito pequena para pegar um vice, mas vai sair um de qualquer maneira”, disse o deputado.

O candidato do PSL discursou por 55 minutos para uma plateia inflamada que encheu o salão do Centro de Convenções Sul-América, no centro do Rio de Janeiro, com capacidade para 3 mil pessoas.

“Eu sei o desconforto que venho causando. Eu sou o patinho feio desta história, mas tenho certeza que seremos bonito brevemente”, disse Bolsonaro.

Propostas

Apesar de afirmar que seu programa de governo não está concluído, Bolsonaro adiantou que quer excluir o das Cidades e fundir pastas como Fazenda e Planejamento, assim como Agricultura e Meio Ambiente.

O candidato prometeu ainda, se eleito for, privatizar estatais. Também não adiantou nomes, mas garantiu enxugar a Petrobras, que segundo ele “tem muitos braços”. Também afastou qualquer possibilidade de ocupação política em cargos executivos nos Bancos Central, do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Sem vice

A advogada Janaina Paschoal frustrou a plateia, que já a saudava como vice, ao anunciar que ainda não tem resposta ao convite feito pelo partido. Inicialmente, ela pensou no cargo de deputada estadual por São Paulo.

“Nós iniciamos um diálogo bastante profícuo. Entendemos que para uma parceria de quatro anos. Esse diálogo precisa ser mais pormenorizado, porque é um trabalho conjunto. Então não é possível tomar uma decisão em dois dias”, disse ela.

Isolamento

Com exceção dos políticos do PSL, discursaram apenas o general de Exército Augusto Heleno (PRP), que chegou a ser convidado para o cargo de vice, mas não comporá a chapa, e o senador Magno Malta (PR-ES).

No entanto, o isolamento político na campanha até agora foi contestado por Bolsonaro, que garante já ter entendimentos de apoio com 110 parlamentares de partidos do chamado de Centrão e que aparentemente não está preocupado com os restantes.

“Agradeço ao Alckmin por juntar o que há de pior do Brasil ao seu lado”, criticou o candidato.

Participaram da convenção a mulher de Bolsonaro, Michele, os filhos Carlos, Eduardo e Flávio – este último confirmado como candidato do partido ao Senado pelo Rio de Janeiro. Também estavam presentes o coordenador do programa econômico da campanha, o economista Paulo Guedes, o presidente em exercício do PSL, Gustavo Bebbiano, e o vice-presidente nacional, Julian Lemos.

Comente aqui


PSOL confirma Boulos como candidato à Presidência da República

O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Guilherme Boulos, foi lançado hoje (21) candidato à Presidência da República pelo PSOL, na convenção nacional em São Paulo. Também foi homologado o nome de Sônia Guajajara, representante do povo indígena, para vice-presidente. O PSOL aprovou aliança aliança com o Partido Comunista Brasileiro (PCB).

Para um público formado por integrantes do MTST, movimentos sociais e representantes dos povos indígenas, Boulos destacou que irá defender temas que pertencem aos princípios do partido, como o direito ao aborto e à desmilitarização da polícia.

“Não teremos medo de defender o direito ao aborto neste país, porque é um tema de saúde pública, e precisamos defender o direito à vida das mulheres, principalmente as mais pobres. Também vamos combater o genocídio da juventude negra, revendo o modelo de segurança pública. O que não podemos é legalizar a distribuição de armas neste país”, disse.

Em vários momentos, ressaltou a necessidade das investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada em março deste ano no Rio de Janeiro, ao lado do motorista Anderson Gomes.  “Enquanto não houver justiça, a democracia brasileira permanecerá manchada.”

Eleições

Boulos defendeu a liberdade e o direito do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ser candidato. “Nós defendemos o direito de Lula ser candidato à Presidência da República porque entendemos que foi vítima de uma condenação injusta e que hojesofre uma prisão política para retirá-lo do processo eleitoral”, afirmou.

Ao comentar a aliança com o PCB e os movimentos sociais, Boulos criticou adversários. Segundo ele, muitos buscam alianças somente para conquistar maior tempo no horário eleitoral gratuito. “Fazem um verdadeiro balcão de negócios. Nós preferimos governar tendo todos estes partidos na oposição.”

O presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, disse que o partido poderá ter 23 segundos no horário eleitoral gratuito. “Vamos compensar com nossa militância nas ruas e uma plataforma colaborativa nas redes virtuais, que formarão grupos de ação em vários estados”, disse Boulos. Informações da Agência Brasil

3 Comentários


PSD confirma Ratinho Jr., mas adia decisões sobre vice e Senado   

O PSD lançou neste sábado (21), em Curitiba, a candidatura do deputado estadual Ratinho Jr. para o governo do Paraná. As decisões sobre o vice e os dois concorrentes ao Senado, porém, serão tomadas apenas perto do prazo final estabelecido pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) para realização das convenções partidárias, que é 5 de agosto.

Divulgação

Divulgação

“Todos os partidos que fazem parte da nossa coligação têm bons nomes indicados, com viabilidade de eleição. Temos um prazo de 15 dias para chegar a um consenso. São nomes competitivos”, despistou o parlamentar, em entrevista coletiva. Ele é o postulante ao Palácio Iguaçu que conta com o maior número de legendas confirmadas na chapa. Além do PSD, estão na aliança PSC, PRB, PR, PV, PHS e Avante.

Secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano durante a maior parte da gestão Beto Richa (PSDB), Ratinho disse que não espera mais o apoio do tucano. “A informação que eu tenho é que o PSDB já fechou com a candidata Cida Borghetti (PP)”, comentou. A deputada federal Christiane Yared (PR-PR) e o deputado estadual Ney Leprevost (PSD-PR) estão, segundo ele, entre os cotados para o posto.

O deputado também apresentou hoje seu plano de governo, com propostas como diluir a máquina pública em 50% no número de secretarias, investir em tecnologia, fortalecer o agronegócio e a agricultura familiar. “Queremos que o poder público seja facilitador para quem gera riqueza e emprego”, afirmou.

Ratinho prometeu, ainda, ampliar as conversas com o funcionalismo público estadual, sem reajuste há dois anos e meio. “Se Deus abençoar e eu chegar ao governo, quero sentar e fazer um planejamento para os quatro anos”.

Comente aqui


Pros e PMB oficializam apoio a Cida Borghetti e lançam Boca Aberta para a Câmara Federal

Com a presença da governadora Cida Borghetti (PP), o Pros e o PMB oficializaram na manhã deste sábado (21), em Curitiba, o apoio à reeleição da pepista em outubro, além de declarar apoio à candidatura de Alex Canziani (PTB) ao Senado. Também neste sábado, o PSD oficializou a candidatura de Ratinho Júnior ao Palácio do Iguaçu.
Divulgação

Divulgação

Na convenção, também foi oficializada a chapa de candidatos à Assembleia Legislativa em coligação do Pros, PMB e PMN, com 77 nomes, e três candidatos e duas candidatas à Câmara Federal. Na chapa para Brasília estão os londrinenses Boca Aberta e Sorriso.
O presidente estadual do Pros, o deputado federal Toninho Wandscheer, disse que a decisão pelo apoio surgiu dentro da legenda pela “parceria que teve com o governo estadual”. “O partido entende que ela é a “melhor solução para que Paraná seja governado. Não temos nada contra outros candidatos, mas achamos que a melhor é a Cida”, disse. Com informações do portal Bonde
Comente aqui


PMN decide não ter candidato à Presidência nem fazer alianças

O Partido da Mobilização Nacional (PMN) decidiu em convenção hoje (21), em Brasília, não lançar candidatura própria à presidência da República nem apoiar candidato ao cargo no primeiro turno.

O encontro ocorreu em meio a uma disputa judicial entre a legenda e a jornalista mineira Valéria Monteiro, pré-candidata à Presidência da República. Segundo o presidente da sigla, Antonio Massarolo, os problemas entre Valéria e o PMN se agravaram quando o nome dela não atingiu 3% de intenções de voto nas pesquisas eleitorais. Segundo ele, esse era o pré-requisito para que ela fosse confirmada como candidata à chefe do Executivo, mas como a meta não foi alcançada o apoio foi retirado.

Em março, já sem apoio da Executiva Nacional do PMN, a ex-apresentadora do Fantástico e do Jornal Nacional, insistiu na pré-candidatura e fez uma carta ao partido na qual abriu mão das verbas dos fundos partidário e eleitoral.

Liminar

Para garantir que a jornalista não fosse candidata, o partido publicou uma resolução vetando candidatura presidencial própria.

Valéria conseguiu revogar a decisão por meio de liminar do ministro Napoleão Nunes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nela, o ministro determinou que a legenda colocasse em pauta durante convenção nacional se teria ou não um nome na corrida presidencial.

Como não era delegada com direito a voto, Valéria foi impedida de discursar na convenção e defender sua candidatura, mesmo pedindo aos gritos a palavra.

Ameaçada de ser retirada do auditório à força pelo presidente do PMN, ela chegou a ser empurrada e segurada por uma mulher que fazia parte da equipe de segurança privada do evento. Em seguida, deixou o local espontaneamente, garantindo que tentará anular a convenção do PMN na Justiça.

1 Comentário


Prefeito Marcelo intensifica recuperação do asfalto em Londrina

O processo de recuperação da malha asfáltica de Londrina continua em todas as regiões da cidade, com uma série de trabalhos que a Prefeitura vem desenvolvendo por meio da Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação (SMOP). As ações incluem serviços de recape, reperfilagem e micropavimentação de asfalto em ruas e avenidas. Além disso, há também as atividades de rotina para manutenção viária que ocorrem diariamente com as operações de tapa-buracos, desentupimento de bueiros, limpeza e reparos no sistema de drenagem, recuperação de galerias, entre outros.

Na região leste, estão sendo realizados serviços de recape em vias do Jardim Monterrey, Jardim Guararapes e outras áreas adjacentes ao Hospital Universitário (HU). A agenda inclui as ruas Jurema, Apucarana, Doutor Arlindo Carmona, Ferdinando Pivaro e Mario Nogueira Monteiro, entre outras. Os trabalhos ocorrem por meio de recurso do governo estadual, na ordem de R$ 20 milhões, que estão sendo utilizados para promover mais de 60 km de revitalização asfáltica, contemplando 246 vias urbanas que receberão o serviço, com prioridade àqueles bairros que apresentam problemas mais graves no asfalto. A programação começou há cerca de um mês e os serviços já foram finalizados no Jardim Aragarça.

Na mesma faixa da face leste da cidade, equipes da Obras seguem fazendo trabalhos de reperfilagem asfáltica no Jardim Antares. A Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação pretende realizar 60 km de recape asfáltico ainda este ano, sendo que cerca de 11 km já foram executados até agora. Aproximadamente 20 mil metros quadrados foram feitos, apenas na região leste, em junho de 2018.

O secretário municipal de Obras e Pavimentação, João Verçosa, disse que para fazer a reperfilagem o Município investe recursos próprios, sendo que, mensalmente, são feitos de 10 a 20 mil metros quadrados do serviço na cidade. “Na sequência, será aplicado na Avenida Alziro Zarur, também na região leste, que está em fase final da obra de duplicação. Nessa via, a reperfilagem vai ocorrer a partir da área da rotatória do HU até a rotatória próxima ao Aeroporto de Londrina, na Avenida Santos Dumont”, frisou.

Segundo Verçosa, desde 2017 até maio de 2018, foram executados mais de 64 Km de asfalto em Londrina, somando recape e micropavimentação. O objetivo é ampliar e aprimorar os serviços asfálticos para trazer mais segurança e melhores condições aos motoristas, pedestres e moradores que utilizam essas vias. “Também está sendo feita a micropavimentação em várias áreas que tinham asfalto em péssimo estado”, afirmou.

Micropavimentação – Outra modalidade que vem sendo muito utilizada na recuperação asfáltica do município é a aplicação de micropavimento, que está em andamento e já propiciou a execução de 23 km de vias restauradas pelo serviço apenas neste ano. Os trabalhos são feitos por meio de contrato de convênio celebrado entre a Prefeitura e o Consórcio Público Intermunicipal de Inovação e Desenvolvimento do Estado do Paraná (Cindepar).

Atualmente, está em curso a Etapa 2 dos serviços, que tem atividades programadas para atender uma grande quantidade de bairros em diferentes regiões. Em junho, foram feitos mais de 64 mil metros quadrados nas regiões oeste e norte de Londrina. “A previsão é que, até o final do ano, serão executados 80 km de micropavimentação ao todo”, apontou Verçosa.

No momento, a ação está concentrada no Parque das Indústrias, na região sul, onde as atividades devem ser concluídas até a próxima semana. Na sequência, devem continuar os trabalhos no Jardim do Sol e Jardim Shangri-lá B, na região oeste, que terá várias áreas contempladas.

A Etapa 1 do programa, lançada em dezembro de 2017, possibilitou a recuperação asfáltica de aproximadamente 270 mil m² de vias urbanas em bairros das regiões norte, sul e leste de Londrina.  O serviço ocorre em vias que antes recebiam apenas serviços de tapa-buraco e necessitam de uma revitalização mais efetiva. O convênio traz ao município a possibilidade de executar um asfalto a preço mais acessível e com maior durabilidade, qualidade e capacidade de impermeabilização. Sua vida útil é de cerca de 4 a 5 anos, dependendo de fatores como a intensidade do tráfego de veículos pesados no local, por exemplo. Informações do NCOM

Comente aqui


PSTU confirma candidatura de Vera Lúcia e não fará coligação

Informações de  Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil

Em convenção nacional, o PSTU oficializou na noite de hoje (20) a candidatura de Vera Lúcia à Presidência da República e de Hertz Dias como vice na chapa. A escolha foi feita por aclamação pelos filiados ao partido presentes na quadra do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, na zona leste da capital paulista.

A escolha de Vera Lúcia para as eleições presidenciais em outubro ocorre depois de quatro campanhas nacionais com o candidato José Maria de Almeida, conhecido como Zé Maria, hoje presidente da legenda.

O PSTU decidiu que não fará nenhuma coligação para a disputa presidencial, nem alianças nas eleições estaduais. De acordo com a candidata aclamada, a primeira proposta da chapa será a de fazer frente à crise econômica.

“Para isso, nós precisamos não pagar a dívida pública, não enviar remessa de lucro das multinacionais, estatizar as empresas que foram privatizadas para que elas voltem a ser 100% brasileiras e controlada pelos trabalhadores, expropriar as 100 maiores empresas desse país, e a nacionalização dos bancos”, destacou a candidata.

De acordo com Vera Lúcia, o plano de governo também prevê reforma agrária, redução da jornada de trabalho sem redução de salário e um plano de obras públicas para atender as necessidades da classe trabalhadora. “Tudo isso só é possível fazer se a gente tiver as condições materiais, que conseguiremos através dessas medidas econômicas, e do ponto de vista político, através da organização e da luta da nossa classe”.

De acordo com o presidente da legenda, José Maria de Almeida, a chapa de Vera e Hertz propõe um projeto socialista para o país, com maior atenção às demandas da classe trabalhadora, como emprego decente, salários dignos, saúde, educação, moradia, saneamento, acesso à cultura e ao lazer.

“Diferentemente dos outros partidos, não fazemos demagogia no processo eleitoral, dizendo vote em mim que nós vamos resolver tudo isso. Para que a população tenha atendida essas demandas é preciso mudar a estrutura econômica do país, acabar com o privilégio dos banqueiros, dos grandes empresários, das grandes empresas que controlam a propriedade da terra no país”, destacou.

De acordo ele, a mudança não é possível por meio das eleições, mas de uma revolução. “Evidentemente que uma mudança dessa envergadura não vai se fazer através das eleições, que é um jogo de cartas marcadas. O processo eleitoral brasileiro é controlado pelo poder econômico. Vamos dizer claramente: nosso programa só vai ser realizado se o povo for para as ruas, se a gente fizer uma rebelião, uma revolução nesse país”.

Comente aqui


PCB decide apoiar candidatura de Boulos, do PSOL

Informações de Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil

A convenção nacional do PCB, realizada nesta sexta-feira (20), decidiu apoiar o candidato do PSOL, Guilherme Boulos, na eleição à Presidência da República. O encontro realizado na sede do Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro), no centro do Rio, teve a presença de um grande número de militantes do partido. O PSOL irá confirmar amanhã (21) a candidatura de Boulos.

“Nestas eleições, já decidimos, há algum tempo, a coligação com o PSOL. Nós achamos que esta candidatura faz parte de uma política do PCB, de constituição de uma frente de esquerda. Ela também vem de baixo, dos movimentos sociais, como o indígena, o sem-terra e os demais, e se uniu aos partidos políticos. Isso dá um diferencial muito importante em relação à velha política”, disse o secretário-geral do partido, Edmilson Costa.

“Nós temos um candidato que não está ligado à velha política, não está ligado à corrupção e, ao mesmo tempo, tem um programa que se diferencia claramente do que foi derrotado pela vida: o da conciliação de classes. Nós vamos construir uma nova política, para um novo Brasil. Teremos surpresa neste primeiro turno e o Boulos vai para o segundo turno”, apostou.

O secretário-geral do PCB defendeu, no campo econômico, a retomada de todas as empresas privatizadas consideradas estratégicas para o país e a promoção de uma política de incentivo ao desenvolvimento nacional, baseada no investimento público e com controle dos trabalhadores.

Na questão do petróleo, o partido defende a total estatização da Petrobras e a paralisação das operações de venda de patrimônio da empresa.

De acordo com Edmilson, o apoio do PCB à candidatura Boulos garantirá mais 4 ou 5 segundos de televisão ao PSOL.

Comente aqui