CMTU realiza pintura total do Terminal Central

Informa o NCOM, que a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) iniciou nesta quinta-feira (14) a pintura da plataforma D do Terminal Central. Antes disso foi a vez dos pisos inferior e intermediário do local ganharem novas cores. Realizado anualmente, o trabalho visa melhorar as condições de conservação do espaço por onde passam diariamente cerca de 120 mil usuários do transporte coletivo. A expectativa é que dentro de 10 dias todas as instalações do prédio sejam finalizadas.

A iniciativa inclui o reforço da sinalização de trânsito nas vias internas do Terminal e a pintura de paredes, pilares, pisos, grades de proteção e mobiliários. Realizada com mão de obra e recursos próprios da CMTU, as tarefas de revitalização têm ocorrido em horários de menor movimento de passageiros.

Maior ponto de integração do sistema de transporte público em Londrina, o Terminal Central tem área interna de 5.538,00 m². O espaço que abriga 61 linhas possui 11 plataformas de embarque, seis instalações sanitárias, bilheterias para a venda de créditos, quiosques de alimentação e caixas eletrônicos. A estrutura é composta ainda por sala de segurança e balcão de informações, além dos setores administrativos e de isenção tarifária.

A CMTU prepara ainda para o segundo semestre as obras de reconstrução dos quatro terminais de bairro: Vivi Xavier, Acapulco, Ouro Verde e Milton Gaveti.

Comente aqui


VAR entra em campo pela primeira vez e garante vitória da França

Informações de Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil

França e Austrália fizeram um jogo histórico, mas não pela fraca atuação dos campeões de 1998. A tecnologia foi a responsável por garantir a vitória da França por 2 a 1. O primeiro gol dos “Bleus”, como os franceses também chamam a sua seleção, foi marcado pelo árbitro após a usar o VAR, o árbitro de vídeo.

Foi a primeira vez na história que o recurso foi usado em uma Copa do Mundo. O segundo gol foi também confirmado graças à tecnologia da linha de gol.

Copa 2018:França e Austrália. Árbitro Andres Cunha revê lance em VAR (sistema de vídeo-arbitragem) antes de conceder uma penalidade para a França.
Copa 2018:França e Austrália. Árbitro Andres Cunha revê lance em VAR (sistema de vídeo-arbitragem) antes de conceder uma penalidade para a França. – John Sibley/Reuters/Direitos reservados

A Austrália não se intimidou com a presença em campo de jogadores como Griezmann, Mbappé e Pogba, foi para frente e teve várias chances de gol, mas esbarrou em sua própria deficiência técnica. Já os franceses ficaram devendo, foram “salvos” pelo VAR em um pênalti, ainda assim, polêmico.

O jogo

Com pouco mais de um minuto, o atacante Mbappé recebeu um passe preciso na frente da área australiana. O camisa 10 da França bateu com perigo, para defesa de Ryan, que espalmou a bola para escanteio.

Aos 5 minutos, foi a vez de Griezmann. Em contra-ataque rápido pela esquerda, o camisa 7 foi acionado e, da entrada da área, chutou para defesa de Ryan mais uma vez.

Mas a primeira grande chance de gol foi australiana. Em cobrança de falta pela esquerda do ataque, Mooy jogou na área e, na tentativa de afastar o perigo, o francês Tolisso quase faz contra. A bola só não entrou porque o goleiro Lloris se esticou todo e deu um tapinha para escanteio.

Aos 30 minutos, o atacante Griezmann recebeu dentro da grande área, mas quando ia finalizar, foi desarmado pelo zagueiro australiano. Foi um primeiro tempo no qual a Austrália se defendeu muito bem, fechando os espaços da França, que não conseguiu exercer a pressão que gostaria.

Segundo tempo

Aos 8 minutos, muita reclamação da torcida francesa e, o VAR entrou em ação pela primeira vez na história das Copas. Pogba deu um passe para Griezmann, que entrou a área e caiu após toque do zagueiro da Austrália. O árbitro não marcou a falta, mas decidiu acionar o árbitro de vídeo, que confirmou o pênalti. Griezmann foi para a cobrança, chutou firme no canto esquerdo de Ryan, e marcou o primeiro gol francês 12 minutos.

Mas o alívio francês durou pouco. Aos 15 minutos, mais um pênalti marcado, dessa vez para a Austrália. Após cruzamento pelo alto na área francesa, Umtiti deu um soco na bola e o juiz nem precisou de ajuda do vídeo. Jedinak cobrou o pênalti e empatou o jogo. O gol animou a Austrália, que equilibrou mais a partida, passando a atacar mais e sentir que o empate – e talvez até mesmo uma vitória – era possível.

Copa 2018:França e Austrália. Comemoração do segundo gol da França.
Pogba faz 2 x 1 para França. O gol foi confirmado pelo recurso eletrônico da linha de gol – Sergio Perez/Reuters/Direitos reservados

E foi justamente quando a Austrália melhorava no jogo que a França fez o segundo gol. Após uma boa tabela no ataque, Pogba chutou para o gol, dividindo com o zagueiro. A bola encobriu Ryan, tocou o travessão e caiu apenas 1 centímetro atrás da linha. Os franceses só puderam comemorar após o árbitro confirmar o lance. A tecnologia da linha de gol entrou em ação, avisando no relógio do juiz que a bola havia entrado.

Ao fim da partida, alívio da seleção francesa que, com um time favorito a se classificar em primeiro no grupo C, fez uma partida morna, com poucos momentos de brilho coletivo. Na próxima quinta-feira (21), a França enfrenta o Peru e a Austrália joga contra a Dinamarca.

FICHA TÉCNICA:

FRANÇA: Hugo Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Lucas Hernandez; Tolisso (Matuidi), Kanté e Pogba; Mbappé, Dembélé (Fekir) e Griezmann (Giroud). TÉCNICO: Didier Deschamps.

AUSTRÁLIA: Ryan; Ridson, Millingan, Sainsbury e Behich; Jedinak, Mooy, Tom Rogic (Irvine), Leckie e Nabbout (Juric); Robbie Kruse (Arzani). TÉCNICO: Bert van Marwijk.

CARTÕES AMARELOS: Leckie, Tolisso, Risdon, Behich.

GOLS: Griezmann (pênalti), aos 12, Jedinak (pênalti), aos 16, e Pogba, aos 34 minutos do segundo tempo.

LOCAL: Arena Kazan, em Kazan (Rússia)

JUIZ:  Andrés Cunha (Fifa/Uruguai)

Comente aqui


Cristiano Ronaldo faz três gols e garante empate com a Espanha

Informações de Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil

O jogo mais esperado da primeira rodada não decepcionou. Em uma partida de alto nível técnico e seis gols, Portugal e Espanha empataram por 3 a 3.

O camisa 7 português, Cristiano Ronaldo, foi o nome do jogo. Converteu o pênalti sofrido por ele, marcou com a bola rolando e, no final, garantiu o empate de Portugal com uma cobrança de falta perfeita.

A Espanha foi melhor durante quase toda a partida. Teve 67% de posse de bola e as melhores chances de gol. Mas não é à toa que Cristiano Ronaldo carrega a fama e o posto de melhor jogador do mundo. No final, comemorou o empate como se fosse uma vitória.

Apesar de ter conquistado apenas um ponto, Portugal não deixou a Espanha liderar o grupo B e as duas seleções seguem favoritas para avançar para as oitavas de final.

O Jogo

Portugal começou o jogo com muita intensidade. Tentou a pressão desde o primeiro segundo de jogo e não precisou de muito tempo para abrir o placar. Cristiano Ronaldo entrou na grande área driblando e foi derrubado por Nacho. Apesar da reclamação dos espanhóis, o árbitro italiano Gianluca Rocchi marcou o pênalti. O próprio “CR7” bateu o pênalti, no canto esquerdo de De Gea, que sequer saiu na foto.

O jogo ficou equilibrado a partir daí. Portugal se recusou a recuar e esperar a Espanha. Continuou atacando e, com isso, abrindo espaços para o adversário. Foi assim que, aos 23 minutos, Diego Costa recebeu na entrada da área, iludiu dois defensores com uma finta de corpo e chutou no cantinho esquerdo, sem chances para o goleiro Rui Patrício. A Espanha empatava.

O gol assustou Portugal e animou a Espanha, que apareceu bem no ataque com Iniesta e Isco. Mas justamente quando os espanhóis estavam melhor no jogo, Cristiano Ronaldo voltou a ser decisivo. Aos 43 do primeiro tempo, Gonçalo Guedes recebeu lançamento no ataque e tocou para CR7. O atacante chutou com força, de fora da área. De Gea tentou amortecer a bola, mas falhou e a bola morreu no fundo da rede. Foi o último ato de um grande primeiro tempo.

Segundo tempo

A Espanha continuou a pressão iniciada no primeiro tempo. Portugal não conseguia emendar um contra-ataque eficiente. Na pressão, com toque de bola, a Espanha empatou de novo aos 9 minutos. Após bola alçada na área, Busquets escorou de cabeça para Diego Costa. O brasileiro naturalizado espanhol apenas empurrou para o gol livre.

O time do técnico Hierro, que assumiu a seleção há apenas dois dias continuou pressionando. Acuada, a defesa de Portugal apenas assistiu, aos 12 minutos, o lateral direito Nacho aproveitar a sobra e, de fora da área, acertar um lindo chute, que bateu nas duas traves antes de morrer no fundo do gol. A superioridade técnica da Espanha, enfim, aparecia no placar.

Portugal não conseguia encaixar nenhum ataque eficiente. A defesa espanhola estava segura durante todo o segundo tempo. Mas foi preciso só uma falha para Cristiano Ronaldo aparecer de novo.

O camisa 7 sofreu falta de Piquet perto da área. Com precisão cirúrgica, o melhor jogador do mundo cobrou a falta no ângulo de De Gea, que sequer tentou buscar. Desespero da torcida espanhola, que viu o time dominar quase todo o jogo e, no final, deixar escapar a vitória por entre os dedos.

Quem lidera o grupo B é o Irã, que venceu Marrocos no outro jogo do grupo. Espanha e Portugal aparecem com um ponto cada e Marrocos é a lanterna, com nenhum ponto conquistado.

Na próxima rodada, Marrocos enfrenta Portugal e o Irã joga contra a Espanha.

FICHA TÉCNICA

PORTUGAL: Rui Patricio; Cedric, Pepe, Fonte, Raphael Guerreiro; William Carvalho, João Moutinho, Bernardo Silva (Quaresma), Bruno Fernandes (João Mário); Gonçalo Guedes (André Silva), Cristiano Ronaldo. TÉCNICO: Fernando Santos

ESPANHA: De Gea; Nacho, Piqué, Sergio Ramos, Alba; Busquets, Koke, David Silva (Vazquez), Isco, Iniesta (Thiago Alcântara); Diego Costa (Aspas). TÉCNICO: Fernando Hierro

Cartões amarelos: Bruno Fernandes (P); Busquets (E)

Gols: Cristiano Ronaldo (P), aos 4min do primeiro tempo; Diego Costa (E), aos 23min do primeiro tempo; Cristiano Ronaldo (P), aos 44min do primeiro tempo; Diego Costa (E), aos 10min do segundo tempo; Nacho (E), aos 13min do segundo tempo; Cristiano Ronaldo (P), aos 42min do segundo

Estádio: Olímpico Fisht, em Sochi (RUS)

Juiz: Gianluca Rocchi (ITA)

Comente aqui


Prefeito Marcelo recebe kits esportivos para escolas e academias ao ar livre

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, recebeu, ontem pela manhã, kits esportivos para serem utilizados em escolas municipais e estaduais e academias ao ar livre do Município. A entrega foi realizada na Fundação de Esportes de Londrina (FEL) e contou com a presença do  deputado estadual do Paraná, Luiz Claudio Romanelli, proponente da emenda parlamentar que adquiriu os kits.

entrega.kist.esporte.V2Ao todo, foram entregues seis kits divididos para diferentes loca is, sendo que cada conjunto conta com cerca de 15 itens, com tamanhos e cores diversas e podem ser utilizados em várias modalidades esportivas. Eles contêm, bolas de futebol de campo, futsal, vôlei, queimada, basquete; mini cone, apito, mochilas; uniformes para jogos e treinos; luvas para goleiros; chuteiras; coletes, blusas e agasalhos.

Segundo o prefeito, o esporte é o melhor caminho para a transformação de uma sociedade, visto que vários exemplos pelo mundo mostram que os índices redução de violência e do uso de drogas e a melhoria na qualidade de vida da população são conseguidos nas cidades que investiram em esporte.

O prefeito contou que o Município dobrou o  orçamento da FEL, o apoio ao esporte de base, que faz com que os meninos de bairro e dos distritos possam participar das atividades esportivas. “Damos apoio ao esporte de alto rendimento, que leva o nome de Londrina de forma positiva para todas as cidades do Brasil, como o basquete que poderá estar na NBB, no ano que vem e, hoje, temos essa parceria com o governo do Estado, da qual agradecemos a governadora Cida Borghetti e ao deputado Romanelli”, disse Marcelo.

De acordo com o vereador Jairo Tamura, líder do prefeito na Câmara e responsável pelo pedido para a compra ao governo estadual, cada kit custou R$ 16 mil e será dividido entre unidades escolares do governo estadual e municipal. Receberam o material a Escola Municipal Santos Dumont, os Colégios Estaduais Professor José Carlos Pinotti, José De Anchieta, Marcelino Champagnat, Professora Adélia Dionísia Barbosa, Professora Cléia Godoy Fabrini Da Silva, Sagrada Família, Escola Estadual do Jardim Eldorado, Centro Ocupacional De Londrina (COL), Instituto Londrinense De Educação Para Crianças Excepcionais (ILECE) e a filantrópica Associação Flávia Cristina.

entrega.kist.esporte.V4Academia ao ar livre – Além deles, o Município ganhou também mais três novas academias ao ar livre. Elas serão instaladas na Rua Paranaguá esquina com a Avenida da Saudade (ao lado do Cemitério João XXIII), na Rua Rosane Wainberg esquina com Emílio Mahler (Jardim Nova Esperança) e no Parque Ecológico Municipal Dr. Daisaku Ikeda. Juntas, elas somam cerca R$ 75 mil e vêm agregar com as outras 100 academias já instaladas na cidade.

“O esporte e a saúde sempre são demandas da nossa população e as academias vêm proporcionar a adequação a uma vida saudável em lugares que ainda não tínhamos. Por isso solicitei ao deputado os kits esportivos e as academias, que vêm somar qualidade de vida para nossa população”, disse o vereador Tamura.

O deputado estadual explicou que os kits serão entregues conforme a necessidade de cada instituição e unidade escolar, pois neles contêm tênis, chuteiras, camisetas e roupas que dependem do tamanho das crianças e das necessidades delas. Ele também lembrou que Londrina receberá uma viatura para a Polícia Militar, ao custo de cerca de R$ 80 mil, que será utilizada na Patrulha Rural.

Os produtos entregues hoje serão utilizados durante as atividades de educação física realizadas nas escolas e as academias ao ar livre estarão abertas às comunidades onde serão instaladas. A Prefeitura de Londrina agora prossegue com os trâmites para a construção da infraestrutura.

Além de dobrar os investimentos em esporte, Marcelo Belinati tem realizado diversas melhorias em Londrina como o Programa Compra Londrina, que visa estimular os empresários locais a participarem de licitações públicas, aderiu ao Consórcio Público Intermunicipal de Inovação e Desenvolvimento do Estado do Paraná (Cindepar) para recape asfáltico, iniciou a reforma da Maternidade Municipal de Londrina e do Pronto Atendimento Infantil (PAI), criou a Central de Vagas para a Educação Infantil, convocou 550 professores para a rede municipal; firmou um convênio com o governo do Estado para que 500 crianças do Vista Bela possam estudar na sede do Colégio Estadual do bairro; está finalizando os trâmites para a construção da nova sede do SAMU, entre outras ações que estão sendo realizadas como as reformas e melhorias em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Texto: NCOM e Fotos: Vivian Honorato

Comente aqui


Irã vence Marrocos com gol contra nos acréscimos

Informações de Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil

No segundo jogo de ontem (15), a seleção iraniana venceu o Marrocos por 1 a 0, com um gol contra nos acréscimos, em São Petersburgo. O Irã jogou na defesa, explorando os contra-ataques durante quase todo o jogo e pouco ameaçou o gol adversário. Marrocos, tecnicamente superior, buscou mais o gol, mas finalizava mal ou esbarrava na defesa iraniana. No final, o famoso ditado “a bola pune” prevaleceu e praticamente enterrou as chances de classificação do time africano, que ainda enfrentará Portugal e Espanha pelo grupo B.

O Marrocos foi para o ataque desde o início do jogo, dominando as ações ofensivas e apostando principalmente em jogadas pelo lado direito do ataque, com Amrabat. Aos 18 minutos do primeiro tempo, uma bola jogada na área levou a defesa iraniana ao desespero. Foram três tentativas marroquinas de fazer ao gol, mas a bola foi bloqueada em todos os chutes, até ser despachada em definitivo. Parecia que o time africano abriria o placar a qualquer momento.

Aos 29, Harit entrou bem na grande área iraniana pela esquerda, deixou dois defensores para trás e bateu para o gol, para defesa firme do goleiro Beiranvand. Mas o Irã também era perigoso quando puxava contra-ataques, deixando o jogo rápido. Com isso, foi crescendo no final do primeiro tempo e diminuindo o volume de jogo do adversário.

E foi em um desses contra-ataques que, aos 42 minutos, o Irã criou a melhor chance do jogo até então. Após roubada de bola – que os marroquinos reclamaram de falta – os iranianos saíram em velocidade, pegando a defesa adversária desprevenida. Azmoun finalizou para boa rebatida do goleiro. No rebote, Jahanbakhsh bateu para o gol e El Kajoui espalmou para escanteio.

Segundo tempo

Na segunda etapa o Marrocos retomou o domínio das ações ofensivas. O Irã se fechou novamente, esperando as oportunidades de contra-ataque que apareciam a cada erro de passe marroquino. Aos 26 minutos, um susto: Amrabat bateu cabeça com cabeça contra o adversário e caiu desmaiado na lateral do gramado. Recuperou os sentidos logo em seguida, mas não teve condições de voltar a campo.

Aos 34 minutos, um chute de fora da área levantou a torcida em São Petersburgo. Ziyech acertou o canto direito de Beiranvand, mas o goleiro iraniano se esticou todo e espalmou para escanteio. A partir desse momento, o jogo ficou travado até os 49 minutos do segundo tempo, quando finalmente saiu o único gol do jogo. Em uma cobrança de falta pela esquerda do ataque, o atacante marroquino Bouhaddouz, que tinha entrado no segundo tempo, tentou cortar de cabeça e jogou para dentro do próprio gol.

Segundos depois, o árbitro terminou o jogo. Enquanto os vencedores comemoravam a vitória como um título, os marroquinos não acreditavam na derrota e ficaram bastante abatidos. Com a vitória, o Irã conquistou três pontos, enquanto o Marrocos continua com zero. Na próxima rodada, Marrocos enfrenta Portugal e o Irã joga contra a Espanha.

FICHA TÉCNICA

MARROCOS: Munir; Nordin Amrabat (Sofyan Amrabat), Benatia, Saïss e Achraf; Belhanda, El Ahmadi e Boussoufa; Ziyech e Harit (Manuel da Costa); El Kaabi (Bouhaddouz). TÉCNICO: Hervé Renard

IRÃ: Beiranvand; Rezaeian, Pouraliganji, Cheshmi e Hajsafi; Shojaei (Taremi), Ebrahimi (Montazeri) e Amiri; Jahanbakhsh (Ghoddos), Azmoun e Ansarifard. TÉCNICO: Carlos Queiroz

Cartões amarelos: El Ahmadi (M); Jahanbakhsh e Ansarifard (I)

Gol: Bouhaddouz (M, contra), aos 48min do 2º tempo

Estádio: Krestovsky, em São Petersburgo

Juiz: Cüynet Çakir (Turquia)

Comente aqui


Prefeito Rafael Greca na campanha de Canziani

Informa Fábio Campana, que o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, fechou a sua chapa majoritária. Vai apoiar Cida Borgheti para o governo, Alex Canziani e Beto Richa para o Senado. Trabalhar pelo Estado sem se apegar a mesquinharias políticas. É assim que o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), vê a atuação parlamentar do deputado federal Alex Canziani (PTB) em Brasília. Greca manifestou a respeito durante recepção que um grupo de amigos de Canziani fez, em Curitiba, para comemorar o aniversário do parlamentar.

“Seu nome [Alex Canziani] está escrito na história do Estado só pela sua participação na transformação das escolas técnicas federais em Universidade Tecnológica Federal do Paraná”, lembrou o prefeito, durante pronunciamento.

Canziani foi, em 2004, relator do projeto que transformou o antigo Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet-PR) em Universidade Tecnológica Federal do Paraná, a primeira e única do país e cuja reitoria fica em Curitiba. Para Greca, que se mostrava bastante feliz durante a celebração do evento, Alex Canziani é um “valoroso deputado”, e prosseguiu: “Não há nenhum feito legislativo mais forte do que este do deputado que nos deu uma universidade federal tecnológica”.

Senado – O prefeito curitibano mencionou que o Rio Grande do Sul tem 14 universidades federais, e o Paraná teve a primeira universidade do Brasil feita federal em 1948, no entanto, “muito pouco se fez depois disso, sendo o grande feito do Alex Canziani a transformação da Universidade Tecnológica”.

No salão do Restaurante Toscana, lotado com mais de 600 pessoas, Greca aproveitou para criticar os atuais senadores. Como nas eleições de outubro estarão em disputa duas vagas no Senado, ele defende as pré-candidaturas de Canziani e do ex-governador Beto Richa (PSDB) para compensar a falta de apoio que tem.

No seu discurso, o prefeito lembrou que, na sua primeira gestão à frente da cidade, de 1993 a 1996, ele precisou recorrer a senadores de outros Estados para poder obter um empréstimo no Banco Interamericano de Desenvolvimento para poder realizar importantes obras na capital do Estado. “Precisamos dar voz ao Paraná em Brasília”, exaltou ele, que repetiu a frase por três vezes.

Comente aqui


Uruguai vence Egito com gol no fim do segundo tempo

Informações de Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil

O Uruguai venceu ontem (15) o Egito com gol do zagueiro Giménez aos 43 minutos do segundo tempo. As equipes se enfrentaram na primeira rodada do Grupo A da Copa do Mundo. O forte ataque uruguaio – com Cavani, do Paris Saint-Germain, e Suárez, do Barcelona – teve poucas oportunidades de gol e não marcou. A grande estrela do time africano, Mohamed Salah, ainda se recupera de uma lesão no ombro e, apesar de ter sua presença em campo especulada na véspera do jogo, assistiu à partida do banco de reservas.

O zero a zero do primeiro tempo foi decepcionante para as duas torcidas. O time sul-americano tomou a iniciativa desde o início da partida, teve mais posse de bola, mas preocupou pouco a defesa egípcia.

O único lance de perigo do Uruguai no primeiro tempo foi aos 23 minutos de jogo. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Suárez à esquerda da pequena área. Ele emendou para o gol, e a bola estufou a rede pelo lado de fora. Muita gente gritou gol no estádio de Ecaterimburgo. O lance assustou o adversário, que passou a sair mais para o jogo. Mas a defesa uruguaia, comandada pelo experiente Godín, afastava o perigo.

Segundo tempo

Com menos de um minuto do segundo tempo, Cavani deu um passe precioso para Suárez dentro da grande área. Ele venceu o zagueiro na disputa de corpo e bateu forte, à queima-roupa, para a defesa de El-Shenawy. O goleiro do Egito, destaque do time no jogo, fechou bem o espaço e defendeu com o joelho direito.

Apesar do início animador, o Uruguai continuava sem criatividade no ataque na segunda metade do jogo. Bem fechada, a defesa egípcia não deixava Suárez dominar a bola com tranquilidade rumo ao gol. Aos 27 minutos, o camisa 9 recebeu de Cavani com espaço. Ele entrou na pequena área e tentou driblar o goleiro, mas El-Shenawy agarrou a bola nos pés do atacante.

O Egito apostava nos contra-ataques para tentar surpreender. Aos 35 minutos, levou perigo em um contra-ataque em velocidade, mas faltou finalização.

Aos 37 minutos, Cavani, que até então optava por dar passes para Suárez, arriscou um chute forte de fora da área, para excelente defesa do goleiro. Aos 42, outra boa chance uruguaia, novamente com Cavani. Ele sofreu falta na entrada da área e ele mesmo fez a cobrança. A bola explodiu na trave esquerda de El-Shenawy.

O gol salvador só veio aos 43 minutos. Em cobrança de falta, Sánchez jogou a bola dentro da área e Giménez marcou de cabeça. Festa no campo e muito alívio da torcida uruguaia. Salah, do banco, não escondeu a decepção.

Com a vitória, o Uruguai vai a três pontos, mas fica em segundo lugar no grupo, porque a Rússia tem maior saldo de gols, conquistado ontem na vitória de 5 a 0 contra a Arábia Saldita. O Egito fecha a primeira rodada do grupo A em terceiro lugar.

FICHA TÉCNICA

EGITO: El-Shenawy; Fathi, Ali Gabr, Hegazy e Abdelshafy; Tarek Hamed (Morsy), Elneny; Warda (Sobhy), Abdalla e Treziguet; Marwan (Kahraba). TÉCNICO: Hector Cuper

URUGUAI: Muslera; Varela, Gimenez, Godin e Caceres; Vecino (Torreira), Bentancur, Nandez (Sanchez) e Arrascaeta (Cristian Rodríguez); Suárez e Cavani. TÉCNICO: Oscar Tabarez

Cartão amarelo: Hegazy (Egito)

Gols: Gimenez, aos 44 minutos do 2ºT (Uruguai)

Estádio:  Arena Ecaterimburgo, em Ecaterimburgo (RUS)

Juiz: Bjorn Kuipers (HOL)

Comente aqui


Prefeitura edifica e ilumina praça no jardim Pequena Londres

Informa o NCOM, que a Prefeitura de Londrina finalizou no início da semana a revitalização da área verde entre as ruas Isabel Gomes Coli e Marize Benato Cruz Trento, localizada no jardim Pequena Londres, região leste da cidade. O espaço estava reservado à edificação de uma praça, mas até então não havia sido urbanizado. Com a realização dos serviços, os moradores do entorno ganharam um importante ponto de encontro para diversão, lazer e práticas esportivas.

A repaginação do local envolveu corte do mato, remoção de resíduos, pintura de meios-fios e plantio de mudas de árvores. Houve também a instalação de bancos de concreto no entorno da calçada que circunda o lugar.

Para melhorar as condições de segurança e possibilitar a utilização da praça mesmo durante a noite, as atividades ainda incluíram a implantação de postes de iluminação. A estrutura é composta de tubulação subterrânea, três colunas de 9 metros de altura, seis braços com 3 metros de extensão e mais seis luminárias de 400 w de potência cada uma.

Participaram do mutirão a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) e a Secretaria de Obras, por meio da Gerência de Iluminação.

As benfeitorias no Pequena Londres formam mais uma etapa da iniciativa da Prefeitura que, desde abril, tem dado cara nova a espaços de lazer espalhados pelos bairros e área central. Já foram contemplados pelos serviços o Igapó II e III, o Zerão e praças do jardim Bandeirantes, Vila Brasil, Califórnia e rua Humaitá.

Comente aqui


Rússia goleia Arábia Saudita no primeiro jogo da Copa

Informações de Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil 

Os donos da casa abriram a Copa do Mundo com uma goleada sobre a Arábia Saudita. Desacreditada por resultados ruins em sua preparação para o torneio, a seleção russa surpreendeu e venceu por 5 a 0 o fraco time da saudita. Cheryshev saiu do banco e marcou dois gols, sob aplausos do presidente Vladmir Putin.

Jogadores da Russia comemoram após vitória sobre a Arábia Saudita
Camisa 2 da seleção da casa, Mário Fernandes, brasileiro naturalizado russo, comemora goleada sobre a Arábia Saudita (Yuri Kochetkov/EFE/Direitos Reservados)

A seleção anfitriã, que tem como camisa 2 o brasileiro naturalizado russo Mário Fernandes, procurou se impor desde o começo do jogo, trocando passes e tentando furar a defesa, mas não ofereceu perigo real até os 11 minutos. Na primeira chegada com perigo real, o time da casa marcou o primeiro gol. Gazinsky aproveitou um cruzamento pela esquerda e cabeceou sem chances para o goleiro Abdullah Al-Mayouf. Primeiro gol da Copa e festa no Estádio Luzhniki, em Moscou.

Aos 20 minutos, os árabes chegaram pela primeira vez com perigo à área russa. Al-Sahlawi cabeceou à esquerda do gol de Akinfeev. Logo em seguida, a Rússia puxou um contra-ataque rápido, e Dzagoev desabou em campo, após sentir uma lesão na coxa. Fim de jogo para o camisa 9, substituído por Cheryshev.

E foi exatamente Cheryshev quem marcou o segundo gol da Rússia. Aos 42 minutos, quando o jogo parecia morno, ele aproveitou o vacilo da defesa adversária, que o deixou livre. Cheryshev recebeu na entrada da pequena área e, com um corte certeiro, driblou dois sauditas e colocou a bola no fundo da rede.

Segundo tempo

No início do segundo tempo, a Arábia Saudita buscou mais o jogo, teve mais posse da bola, enquanto os russos faziam marcação forte no campo de defesa. A Rússia, no entanto, era quem tinha mais chances de gol. Em uma dessas chegadas, aos 25 minutos, Golovin cruzou pela direita e encontrou Dzyuba, que tinha acabado de sair do banco e marcou de cabeça o terceiro gol russo.

O jogo, que já não era de alto nível técnico, caiu muito de ritmo após o terceiro gol. Quando tudo parecia definido, Cheryshev – de novo ele – marcou um golaço com um chute de três dedos da entrada da área. A Rússia ainda teve fôlego para o quinto gol, já nos acréscimos, com Golovin, de falta. Fim de jogo e muitos aplausos para os donos da casa em Moscou.

Com o resultado, a Rússia lidera o Grupo A, com 3 pontos, e a Arábia Saudita é lanterna, sem nenhum ponto e saldo de 5 gols negativos. Uruguai e Egito enfrentam-se amanhã (15), no outro jogo do grupo pela primeira rodada da Copa do Mundo.

FICHA TÉCNICA

RÚSSIA: Akinfeev; Mário Fernandes, Kutepov, Ignashevich, Zhirkov; Gazinsky, Zobnin, Samedov (Kuzyayev), Dzagoev (Therishev), Golovin; Smolov (Dzyuba). TÉCNICO: Stanislav Cherchesov

ARÁBIA SAUDITA: Al-Mayou; Al-Burayk, Osama Hawsawi, Omar Hawsawi, Al-Shahrani; Otayf (Al-Muwallad), Al-Shehri (Bahebri), Al-Jassim, Al-Faraj, Al-Dawsari; Al-Sahlawi (Assiri). TÉCNICO: Juan Antonio Pizzi

Cartões amarelos: Golovin (R); Al-Jassim (A)

Gols: Gazinsky (R), aos 11min, e Tcherisev (R), aos 42min do primeiro tempo; Dzyuba (R), aos 25min, Tcherisev (R), aos 46min, e Golovin (R), aos 49min do segundo tempo

Estádio: Estádio Lujniki, em Moscou

Juiz: Néstor Pitana (ARG)

Comente aqui


Deputado Ratinho Júnior erra na dose contra o governo

Os deputados Cobra Repórter e Ratinho Júnior

Na ânsia de criticar por criticar o Governo Cida Borghetti, o deputado ex-governista e ex-secretário de Estado, Ratinho Júnior, usou os microfones da Assembleia para condenar um veto da governadora a um projeto que concedia isenção de ICMS para microgeradores de energia renovável.

Atrasado e desinformado, Ratinho Júnior, errou na dose. Ele parece ter esquecido que um projeto de isenção do imposto para o setor já tramita na Assembleia enviado pela governadora na semana passada. E que o veto foi justificado por não haver, naquele momento, o convênio com o Confaz. Também não lembrou que em virtude da matéria tratar de isenção do ICMS, tem que ser de iniciativa do executivo.

Comente aqui