Mais um motorista é multado por descarte irregular de resíduos em Londrina

Informa o NCOM, que na manhã do último sábado (5), agentes da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) autuaram o motorista de um veículo Volkswagen Saveiro em ponto de descarte irregular, na Avenida Angelina Ricci Vezozzo, região norte de Londrina. A penalidade foi imposta depois que fiscais à paisana, com o apoio da Secretaria Municipal do Ambiente (Sema) e da Força Verde, impediram o condutor de despejar no local cerca de 1 metro cúbico de resíduos da construção civil.

Além da multa, o cidadão foi notificado a apresentar à companhia um documento que comprove a destinação ambientalmente adequada do material. Caso não o faça no decorrer desta semana, o responsável pode receber nova autuação.

Segundo a coordenadora de fiscalização da companhia, Josiane Correia, a justificativa do indivíduo para a disposição ilegal dos detritos foi a de que “a área não possui placas proibido jogar lixo”. “Trata-se de uma discurso completamente equivocado. É inadmissível esse entendimento de que o cidadão deve preservar apenas os locais onde existem inscrições de advertência”, afirmou.

De acordo com o Código de Posturas do Município, Lei 11.468/2011, fazer o descarte incorreto de quaisquer resíduos em logradouros públicos ou espaços particulares é considerado infração.  A prática pode render multa de até R$ 3 mil e, quando considerada crime ambiental, o valor da penalidade chega à casa dos R$ 50 milhões.

Este é o segundo flagrante feito pela CMTU em menos de uma semana. Na última quarta-feira (3), um cidadão que realizava o despejo de galhos e troncos de árvores na Rua da Águia Imperial, também na região norte, foi autuado após fugir da abordagem dos agentes. Mesmo tendo se evadido do local após a chegada da fiscalização, o homem foi multado com base na placa do veículo utilizado no transporte da sujeira.

Denúncias de despejo clandestino podem ser feitas na CMTU pelo telefone 3379-7900. O atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Fora desses horários, os moradores podem entrar em contato com a Guarda Municipal (GM), no número 153

Comente aqui


Aos 11 anos da Lei Maria da Penha, uma mulher é agredida a cada dois segundos

Para marcar os 11 anos da aprovação da Lei Maria da Penha (11.340/2006),  que passou a identificar como crime a violência doméstica e familiar contra a mulher, o Instituto Maria da Penha lançou hoje (7) o Relógios da Violência, que traz informações sobre os tipos de agressão que as mulheres sofrem.

Entre outros números, o Relógios da Violência revela que a cada dois segundos uma mulher é vítima de violência física ou verbal, no Brasil. Também a cada dois segundos, uma mulher é assediada – na rua, no trabalho ou no transporte público. A cada 23 segundos é vítima de espancamento ou tentativa de estrangulamento. E de dois em dois minutos, uma mulher é morta por arma de fogo.

A iniciativa visa a informar as pessoas para que saibam caracterizar os diversos tipos de violência contra a mulher e, assim, denunciar as violações, ampliando o acesso à lei. “Os dados são alarmantes e precisam ser pulverizados para que homens e mulheres se conscientizem do cenário violento que vivemos”, diz Maria da Penha.

Além dos diferentes “relógios” que registram os crimes ocorridos, o site traz informações sobre prevenção e combate à violência. Mostra, ainda, o ciclo desenvolvido pela psicóloga Leonor Walker, que identifica três fases do comportamento do agressor, que vai do aumento da tensão até a reconciliação, passando pelo ato violento.  Informações do portal Rede Brasil Atual.

Comente aqui


Plano Estadual de Logística em Transporte do Paraná

fiep.VP

O prefeito Marcelo Belinati participou, na sexta-feira (4), do lançamento do Plano Estadual de Logística em Transporte do Paraná (PELT-2035). O documento foi lançado pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e apresenta obras de infraestrutura prioritárias para trazer competitividade e desenvolvimento ao setor produtivo na região de Londrina.

O objetivo do documento é mostrar os gargalos dos setores de transporte, logística e infraestrutura no Estado e indicar possíveis soluções. Assim, traça um raio-x das obras prioritárias para o desenvolvimento do Estado e para contribuir para um Paraná mais moderno e competitivo. A expectativa é que o Plano direcione os investimentos públicos e privados para minimizar os gargalos na infraestrutura de transporte.

Para a região de Londrina, as prioridades são as ampliações e melhorias de rodovias, a ampliação do aeroporto e da malha ferroviária com destino à Paranaguá. Segundo o especialista em Logística da Fiep, João Arthur Mohr, para viabilizar o aumento do transporte de cargas de Londrina com destino a Paranaguá, pelo modal ferroviário, é necessário promover melhorias na ferrovia, especificamente na altura da Serra do Mar, na chamada curva de São João. “Esta curva precisa ter seu raio de curvatura suavizado, para permitir o tráfego de locomotivas modernas e composições ferroviárias maiores”, explicou.

Segundo o especialista, esta é uma das alternativas mais indicadas para baratear o custo logístico, já que fazer o transporte por ferrovia custa de 20% a 30% menos que o transporte rodoviário. Com relação ao modal rodoviário, segundo o estudo há cinco grandes eixos rodoviários que precisam ser melhorados. O primeiro é ampliar a capacidade da PR 445, que sai de Londrina e vai até Mauá da Serra, sentido Curitiba. O segundo diz respeito a executar melhorias no eixo de Londrina até Maringá, que embora já esteja duplicado, necessita de outras intervenções, como viadutos, alargamentos e mureta central.

Além disso, outras três rodovias que interligam Londrina e todo o norte do Paraná ao estado de São Paulo, precisam ser melhoradas, de acordo com o estudo. Neste caso, a intenção é ampliar a capacidade das rodovias com sentido a Presidente Prudente, Assis e Ourinhos. “Precisamos ter rodovias com capacidade de tráfego suficiente para que não tenhamos congestionamentos e acidentes ao cruzar pequenas cidades do norte do Paraná”, frisou Mohr.

Há ainda melhorias relacionadas ao Aeroporto de Londrina. O Plano prevê a conclusão da ampliação do terminal de passageiros, ampliação da pista e instalação de sistemas de aproximação ILS I. “Com o ILS, teremos uma redução grande do número de fechamentos do aeroporto, em dias de chuva e nebulosidade, fundamental para os negócios locais”, salientou o especialista em Logística. O estudo também prevê a implantação do Trem de Passageiros de Londrina a Maringá, o chamado Trem Pé Vermelho.

fiep.V4Para o prefeito Marcelo Belinati é fundamental que o poder público esteja unido com a iniciativa privada, para gerar desenvolvimento na cidade. “Antes mesmo de tomarmos posse, nos reunimos com o governador do Estado e com lideranças empresariais, para que isso pudesse acontecer. Foi lançado um pacote de obras que vai colocar Londrina na vanguarda para receber empresas, como a duplicação da PR 445 até Mauá da Serra, o Contorno Norte e diversos viadutos em Londrina”, contou.

Segundo o prefeito, paralelo a isso, o Município está executando um trabalho de desburocratização e construindo projetos de infraestrutura viária, que darão mais qualidade de vida à população e também criarão condições para receber empresas. Dentre as medidas já adotadas pela atual administração, o prefeito citou a redução de cargos de indicação política, revisão de aluguéis, de contratos e da Lei de Incentivo à Industrialização, além da elaboração de um projeto para fazer a reforma administrativa. “Estamos indo a associações comerciais, federações de indústrias e convidando empresários para conhecer Londrina. Todo este trabalho já está trazendo bons resultados, como a vinda de empresas para a cidade”, destacou.

O empresário e vice-presidente da Fiep, Ary Sudan, disse que as medidas apresentadas no estudo são fundamentais para que o Estado possa se destacar. “Precisamos fazer com que o Paraná seja competitivo e o que está se buscando com este Plano é criar condições para que o Estado possa estar à frente dos demais, com vantagens competitivas maiores”, afirmou.

Sobre o PELT-2035 – O Plano Estadual de Infraestrutura e Transportes foi produzido pela FIEP, com outras 19 entidades paranaenses, e lista 99 importantes obras e ações para o Paraná até 2035. Das 99 obras citadas no PELT 2035, 60% estão no modal rodoviário; 15% no Porto de Paranaguá; 15% no modal aeroviário; e 10% em ferrovias. São 61 obras no modal rodoviário, visando melhorar o escoamento das cargas, adequar a capacidade das estradas e aumentar a segurança nas rodovias.

As obras contemplam diferentes áreas, como duplicação, criação de terceiras faixas e separação dos tráfegos nos trechos urbanos, entre outras. A listagem abrange obras em rodovias federais que cortam o Paraná (9 ações), rodovias estaduais (18), trechos urbanos (15) e trechos já concessionados (19). O documento mostra que existe uma necessidade de não apenas melhorar o fluxo tradicional no Estado, entre oeste e leste, mas também favorecer o fluxo norte e sul. Uma das consequências disto seria, por exemplo, uma facilitação para ampliar a atuação paranaense no mercado interno e em regiões compradoras. Texto e fotos do NCOM

Comente aqui


Londrina ganha escritório de centro federal de tecnologia

Divulgação

Divulgação - Sede do CTI em Campinas e, abaixo, pesquisadores trabalhando em um dos laboratórios da instituição
Sede do CTI em Campinas e, abaixo, pesquisadores trabalhando em um dos laboratórios da instituição

Foi publicada nesta quinta-feira (3) no Diário Oficial da União, a portaria 4.322, pela qual o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações autoriza a instalação de um escritório do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI Renato Archer) em Londrina. Com sede em campinas, o CTI é um órgão da administração direta da União, criado em 1982. É um de 22 centros brasileiros de desenvolvimento setorial, como o INPE e o INPA, relacionados respectivamente à pesquisa espacial e à matemática aplicada. Além de Campinas, somente Fortaleza, no Ceará, conta com um escritório da instituição.

“A vinda do CTI é mais uma importante conquista para Londrina. Consolida ainda mais nossa cidade como um grande polo de tecnologia de informação e cria as condições para que recebamos investimentos, além de propiciar a vinda de empresas gerando emprego e renda”, comemorou o prefeito Marcelo Belinati (PP). A Prefeitura espera que o CTI, que será instalado no Parque Tecnológico Francisco Sciarra (zona leste), esteja funcionando até o fim do ano.
O coordenador geral de Competências Institucionais do CTI, Cláudio Romanelli, explica que um dos motivos que pesaram para a escolha de Londrina foi a organização do setor na cidade. “A existência de um Arranjo Produtivo Local (APL) de TI organizado foi uma das coisas que pesaram”, afirma. Ele também cita a Sercomtel. “O fato de a cidade ter a única empresa pública de telecomunicações do País também foi levado em conta.”
Através da rede da telefônica municipal, ele acredita ser possível desenvolver soluções relacionadas à internet das coisas. “A União Europeia tem desenvolvido muitos projetos de internet das coisas voltados aos serviços públicos”, alega. Como exemplo, ele cita soluções para o tráfego urbano, que poderiam ser desenvolvidas em conjunto entre o CTI e a Sercomtel. “Podemos trabalhar no desenvolvimento de políticas públicas, de atendimento ao cidadão”, declara.
O coordenador diz que a “agenda de implantação do centro depende de Londrina”. “Iremos para aí assim que (o local) estiver pronto.” Questionado sobre qual a estrutura que o CTI terá quando iniciar suas atividades na cidade, ele afirma que ainda não é possível responder “precisamente” à essa pergunta. Mas diz que o processo deverá ser parecido com o realizado em Fortaleza, há 10 anos. “No começo, um dos nossos pesquisadores passará 15 dias aí e 15 dias em Campinas para podermos levantar as demandas da região”.
De acordo com Romanelli, meses depois de o escritório ter sido instalado na capital cearense, foi realizado um concurso para contratar servidores. “Hoje são três pesquisadores que estão lotados lá. Realizam projetos de cerca de R$ 20 milhões por ano.”
A autorização para o escritório de Londrina foi assinada pelo ministro Gilberto Kassab na quarta-feira (2), em Brasília. Além do prefeito Belinati, participou da cerimônia o deputado federal Alex Canziani (PTB).

INOVAÇÃO
O presidente do APL de TI, Roberto Nishimura, diz que o setor se uniu para convencer o CTI de que a cidade era a melhor do Sul do País para receber um escritório. “O pessoal do centro visitou várias cidades, como Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre. E nos escolheram depois de se reunirem com o APL e visitarem várias empresas da área”, explica.
Para Nishimura, que também é presidente da Sercomtel Participações, com o CTI, Londrina poderá desenvolver produtos de vanguarda. “Eles foram os responsáveis pelo desenvolvimento da tecnologia das urnas eletrônicas no País. Hoje, desenvolvem, por exemplo, um painel de captação de energia solar cuja proposta é substituir todo o telhado das casas”, justifica. De acordo com ele, o órgão ajudará a “abrir as portas” para financiamentos de projetos às empresas de TI da região.
O presidente do sindicato do setor, o Sinfor, Marcus von Borstel, também comemorou a escolha da cidade. “Será fundamental para enriquecer o nosso ecossistema de inovação. Permitirá que Londrina acesse diretamente editais, trazendo para a cidade mais inovação e com isso empreendedorismo”, declara. De acordo com ele, trata-se de um “golaço” do APL de TI e de toda a cidade.
A importância da TI como diferencial competitivo da região foi o tema da sexta edição do EncontrosFolha, realizado pelo Grupo FOLHA dia 24 de junho de 2015.
Nelson Bortolin
Reportagem Local
Comente aqui


Deputado Alex Canziani explica seu voto na denúncia contra Temer

O deputado Alex Canziani enviou uma nota com as razões do seu voto pelo arquivamento da denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer, na última quarta-feira (2).

Diz o deputado:

Confesso que não é fácil decidir quando as pesquisas mostram a preferência por uma determinada posição.

Até seria mais fácil votar pela saída do presidente, mas será que seria o melhor para o Brasil?

Vejamos:

1- ele não foi absolvido, assim que acabar o mandato ele será investigado, podendo até ser condenado e preso;

2- a crise em que o país está é muito séria, uma mudança na presidência não criaria mais instabilidade e reflexos ainda piores na economia?

3- inúmeras lideranças com quem conversei ao longo dos últimos dias, entre prefeitos, vereadores, lideranças empresariais e de trabalhadores, me diziam que, na visão deles, o melhor seria a continuidade do presidente;

4- Algumas pessoas perguntam por que votei pela saída da Dilma e agora não. A Dilma não tinha a menor condição de prosseguir, estava levando o país para o caos, enquanto que, agora, creio que estejamos saindo da pior crise que o país já teve, com:

Retomada do crescimento (ainda tímida, é verdade), desemprego refluindo, inflação abaixo da meta, juros caindo, reformas importantes acontecendo, além de outros indicadores que nos levam a crer que o pior já tenha passado.”

Comente aqui


Motorista é autuado pela CMTU em nova ação de combate ao descarte irregular

Em nova ação de combate ao descarte irregular de resíduos em Londrina, a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) autuou em flagrante, na tarde desta quarta-feira (3), um cidadão que fazia o despejo de galhos e troncos de árvores em via pública. O episódio ocorreu na Rua da Águia Imperial, no jardim Paraíso, região norte da cidade. Como o homem fugiu do local no momento da abordagem, o auto de infração foi emitido com base na placa do veículo que transportava os detritos, um Ford Corcel de cor marrom.

De acordo com Josiane Correia, coordenadora de Fiscalização da companhia, quatro agentes à paisana fiscalizavam pontos distintos da via no instante do flagra. “Estávamos divididos em lugares diferentes, já que a via é extensa. Quando nos deparamos com a cena do descarte, imediatamente nos identificamos e solicitamos os documentos do infrator. No entanto, ele se recusou a apresentar a identificação, entrou no carro e evadiu do local”, conta.

A coordenadora explica que os fiscais chegaram a acionar a Guarda Municipal (GM), mas até a chegada da viatura o cidadão já tinha ido embora. “Os agentes da CMTU não têm poder de polícia, então, até por uma questão de segurança, não tivemos como segurar o indivíduo. Mesmo assim, anotamos a placa do automóvel para que o acontecimento não passe impune. Mesmo que o carro não pertença a quem estava fazendo o despejo, o proprietário legal é corresponsável pela atitude”, explica Josiane.

Além de lavrar multa que pode chegar a R$ 3 mil pelo Código de Posturas, Lei 1.468/2011, a companhia vai enviar o caso à Secretaria Municipal do Ambiente (Sema), juntamente com as fotografias do descarte e do veículo carregado de detritos. Se for enquadrada pela pasta como crime ambiental, a atitude pode render autuação no valor de até R$ 50 milhões. “O órgão deve tomar as providências cabíveis segundo a legislação ambiental. Esperamos que a dupla penalidade tenha efeito pedagógico e o homem não retome essa prática.”

A CMTU tem fechado o cerco contra as pessoas que insistem em poluir a cidade com a disposição ilegal de lixo e entulho em áreas públicas e particulares. Além de fiscalizações de rotina, como a de ontem, a companhia tem atuado em parceria com a Sema e a Força Verde. Diversos infratores já foram autuados desde o começo do ano. O flagrante mais recente aconteceu no último dia 22, quando dois cidadãos foram multados e tiveram os veículos apreendidos após descartarem resíduos verdes e restos de alimentos no Morro do Carrapato, na região leste.

A população pode contribuir com a fiscalização realizando denúncias. Na CMTU, o telefone para o repasse das informações é o 3379-7900. O atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Fora desses horários, os moradores podem ligar para a GM, no número 153. Informações do NCOM

Comente aqui


Com objetivo de atrair indústrias, prefeito apresenta potencial de Londrina a empresários japoneses

Japoneses 2 foto Rubens Ito - CCIJB

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, liderou nesta terça-feira (1º), uma comitiva de autoridades londrinenses em São Paulo (SP), para apresentar o potencial do município para empresário japoneses. A apresentação foi na Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, voltada especificamente para três maiores empresas japonesas do setor de alimentos no Brasil: Ajinomoto, Mitsui Alimentos e NH Foods.

A reunião foi viabilizada pelo presidente da Câmara Municipal de Londrina, vereador Mário Takahashi, além dos vereadores Jairo Tamura e Eduardo Tominaga (presidente da Comissão de Segurança e 2º secretário da Mesa Executiva, respectivamente), que integraram a comitiva e facilitaram este encontro entre o prefeito e os empresário.

Durante a reunião, Marcelo apresentou as potencialidades econômicas e as belezas naturais de Londrina. O prefeito fez questão de salientar a importância do município no cenário nacional e a sua posição estratégica, localizado em uma área de mil quilômetros que concentra 70% do PIB do Brasil. O município está no centro do corredor bioceânico Atlântico-Pacífico. Enfatizou ainda o potencial do setor agropecuário que Londrina e região possui, principalmente na produção de grãos e carnes que acabam abastecendo o mercado japonês.

“Londrina é uma cidade moderna, com excelente qualidade de vida para nossos habitantes. Graças aos nossos parques e fundo de vales preservados, além da proteção de nossos mananciais de água. E para o desenvolvimento socioeconômico, contamos com uma excelente localização geográfica e somos polo em tecnologia da informação. Temos a única empresa de telecomunicações pública do Brasil, que é a Sercomtel. Possuímos um polo educacional muito forte, com universidades e faculdades. Há centros de pesquisas de renoJapuneis foto Rubens Ito - CCIJBme internacional como a Embrapa-Soja e o Iapar, favorecendo a implantação de novos empreendimentos na cidade. Sem falar no moderno parque tecnológico que vem atraindo novos investimentos para o setor”, destacou.

A comitiva londrinense foi recebida pelo presidente do Departamento de Gêneros Alimentícios e diretor-presidente da Ajinomoto do Brasil, Masayoshi Kurosaki, tendo a participação dos vice-presidentes da entidade, Hideki Furuhata (Matsui Alimentos) e Sosuke Akimoto (Kikkoman), os membros-representantes Hiromichi Seki (Ajinomoto do Brasil), Hideyuki Ozaki (Azuma Kirin), Yoshisato Esaka (Companhia Iguaçu de Café Solúvel), Taro Takahashi (Harald), Yashushiro Hirabayashi (Mitsubishi Corporation do Brasil), Paulo Tsukamoto (Nagase do Brasil), Atsushi Nemoto e Koku Mina (Yakult), Masao Mitsuhiro (Embaixada do Japão no Brasil), Takeshi Aihara (vice-cônsul do Consulado-Geral do Japão em São Paulo), pelo secretário-geral Fijiyoshi Hirata e o assessor administrativo, Seidi Kusakano.

japoneses 3 foto Rubens Ito - CCIJB

Na comitiva londrinense, acompanharam o engenheiro agrônomo Guilherme Casanova Júnior, representando a Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento; Pedro José Granja Sella, diretor de Ciência e Tecnologia do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel) e  Megumi Goto Hayashi, intérprete representando a Agência Terra Roxa.

Texto NCOM e fotos de Rubens Ito/divulgação

Comente aqui


Deputados rejeitam denúncia de corrupção de Temer

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira (2), por 263 votos a 227, duas abstenções e 19 ausências, a denúncia de corrupção contra o presidente Michel Temer, apresentada em junho pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) e com base nas delações de executivos da JBS e na conversa gravada entre o peemedebista e o empresário Joesley Batista, do grupo J&F.

Os parlamentares votaram o relatório produzido pelo deputado Abi-Ackel (PSDB), que rejeitou a denúncia e recomendou, em seu parecer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, o arquivamento do processo.

Para que a denúncia fosse autorizada a prosseguir no STF eram necessários pelo menos 342 votos contra o parecer da CCJ. Temer, por sua vez, precisava do voto de um terço dos deputados (172 votos).

Antes da declaração de voto de cada deputado individualmente, 24 líderes de partidos e blocos apresentaram a orientação de suas agremiações.

Orientaram pelo voto contrário ao relatório, e a favor da investigação de Temer: PT, PDT, PCdoB, Psol, Rede, PSB, PMB, PHS, além, curiosamente, do PSDB – já que o autor do relatório é um tucano.

Favoravelmente ao relatório pró-Temer, indicaram: PMDB, DEM, SD, PSD, PR, PSC, PEN, PP, Podemos e PTdoB.

Votação por estado

Dos 26 Estados e mais o Distrito Federal, Michel Temer só foi derrotado em oito Estados. Outros dois deram empate.

Acre (6 x 2), Bahia (21 x 17), Ceará (11 x 9), Espírito Santo (8 x 2), Rio de Janeiro (23 x 20), Rio Grande do Sul (18 a 12), São Paulo (39 x 29) e Sergipe (6 x 2) foram os 8 estados em que Temer não conseguiu vencer. Alagoas e Mato Grosso do Sul registraram empate.

Nos Estados onde Temer prevaleceu tiveram mais destaques Minas Gerais, que deu 33 votos a favor do presidente e 18 contra. Um 7 x 1 aconteceu em Mato Grosso. Roraima também deu goleada (6 a 1) assim como Goiás (12 a 4).

Veja abaixo como ficou a divisão por Estado (Não x Sim):

Acre 6 x 2
Alagoas 4 x 4
Amapá 2 x 5
Amazonas 2 x 6
Bahia 21 x 17
Ceará 11 x 9
Distrito Federal 2 x 5
Espírito Santo 8 x 2
Goiás 4 x 12
Maranhão 7 x 11
Mato Grosso do Sul 4 x 4
Mato Grosso 1 x 7
Minas Gerais 18 x 33
Pará 5 x 12
Paraíba 5 x 6
Paraná 11 x 16
Pernambuco 11 x 13
Piauí 3 x 6
Rio de Janeiro 23 x 20
Rio Grande do Norte 3 x 5
Rio Grande do Sul 18 x 12
Rondônia 3 x 5
Roraima 1 x 6
Santa Catarina 7 x 9
São Paulo 39 x 29
Sergipe 6 x 2

Com informações da Rede Brasil Atual e Pragmatismo Político.

1 Comentário


Mais de 35 mil m² de pinturas feitas em todas das regiões de Londrina

cmtu.pintura.prefeitura.VP

A Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) fechou o mês passado com saldo de 14.502 m² executados de sinalização horizontal. No acumulado do ano, já são 35.593 m² de pinturas feitas em todas das regiões de Londrina.

As atividades de julho envolveram o reforço de faixas de pedestres e travessias bicolores, a demarcação de vagas de estacionamento e guias-rebaixadas, marcas de canalização e de parada obrigatória, faixas de pedestres, setas de direcionamento, legendas de alerta, além da pintura de muretas e outras intervenções.

cmtu.pintura.faria.lima.V2Além disso, foram 21 novas placas implantadas e outras 12 revitalizadas. Neste ano, a Diretoria de Trânsito da CMTU, já fez 532 sinalizações verticais instaladas ou reformadas.

Na região sul de Londrina, a CMTU atuou na rua Aparecido Fernandes de Oliveira, em frente ao Colégio Estadual Albino Feijó Sanches, e na rua Das Magnólias e Lírio dos Vales. Na avenida Chepli Tanus Daher, próximo ao 5º Batalhão da Polícia Militar (PM), o serviço envolveu a sinalização do acesso ao Terminal Acapulco. Também foram atendidas a avenida Portugal, no jardim Igapó, a ponte do Distrito de Guairacá e as ruas Ernani Lacerda de Athayde e Montevidéu.

Na zona norte, a companhia fez a execução do projeto viário elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPPUL) para a rua Chupim, no conjunto Violin. Além de pinturas, legendas, placas e da delimitação de áreas de estacionamento, a via recebeu inversão de sentido, passando a ter mão única de circulação.

Também contaram com os trabalhos da CMTU a rua Milton Campos, no Sebastião de Melo, a Winston Churchill e a avenida Saul Elkind, onde intervenções da campanha “Olhe e Sinalize” passaram a reforçar entre motoristas e pedestres a necessidade do respeito à faixa de segurança.

Na área leste, foram sinalizadas as avenidas Jamil Scaff e Pioneiros, além da Santos Dumont e das ruas Ernesta Galvani Santos e Abaeté. Já na face oeste do município foram contempladas as vias Silvio Bussadori, no jardim Tókio, Nilson Ribas, em frente ao Colégio Estadual Gabriel Martins, além de trechos da Castelo Branco.

Nas imediações do Centro, o atendimento ocorreu no Pronto Atendimento Infantil (PAI) e em partes da rua Pernambuco, Professor João Cândido, Guararapes, Souza Naves, Aminthas de Barros e da avenida Juscelino Kubitschek. Outros pontos cobertos foram as ruas Potiguares, Tabajara, Guaporé, Amapá, Peru, Venezuela e a avenida Duque de Caxias. Os cruzamentos da Higienópolis com a Humaitá e da Rio Branco com as ruas Tietê e Araguaia também receberam melhorias.

A CMTU ainda revitalizou praticamente toda avenida Leste-Oeste, restaurando marcas de divisão de pista, de parada obrigatória, faixas de segurança e outras pinturas. O trabalho foi feito no perímetro entre a avenida Do Sol e a rotatória com a Dez de Dezembro, próximo ao Terminal Rodoviário (TRL), somando cerca de 5 dias de atividades.

cmtu.pintura.prefeitura.V3Avaliação – O diretor de Trânsito da companhia, Hemerson Pacheco, conta que diversas ações, como a realizada na rua  Das Magnólias, vieram ao  encontro  das reivindicações da população. “Estamos executando projetos do IPPUL, mas também atuando de forma pontual, com o objetivo de sanar os problemas de sinalização apontados pelos próprios moradores”. Ele lembra que o trabalho tem se desenvolvido com base nas estatísticas de acidentes indicadas no Placar do Trânsito, sempre com o intuito de diminuir o número de ocorrências, principalmente que resultam em mortes.

Entre o cronograma de atendimento estão as grandes avenidas, onde a sinalização se propõe a dar mais fluidez ao vaivém de veículos, para além das questões relacionadas à segurança. “Muito mais do que tornar a via mais segura, nesses locais a intenção é trazer mais mobilidade. Lugares como a Leste-Oeste, a Rio Branco, a Pioneiros e a Jamil Scaff já receberam as melhorias e a ideia é ampliar o serviço para outros pontos da cidade”, conta o diretor.

Pacheco informa que, para os próximos dias, a expectativa é fazer a recomposição das marcas viárias no Jardim do Sol. Importante via de acesso à Universidade Estadual de Londrina (UEL), a rua Prefeito Faria Lima também vai receber benfeitorias. O serviço no local, que foi projetado pelo IPPUL,  foi iniciado nesta terça-feira (1) e deve terminar até o final de semana.

Outras iniciativas previstas para agosto incluem novas intervenções da campanha “Olhe e Sinalize”, que desde o lançamento, no último dia 18, já contemplou três locais. “Queremos avançar na conscientização do londrinense para que, pouco a pouco, se instaure entre os pedestres o hábito de esticar o braço para indicar a intenção de atravessar. Entre os motoristas, queremos incentivar o costume de reduzir a velocidade perto das travessias, imobilizando o automóvel para dar preferência a quem está a pé. É um trabalho longo, mas acredito que estamos no caminho certo”, destacou. Com texto do NCOM e fotos de Vivian Honorato

Comente aqui


No 1º mês, Profis já rendeu R$ 5,5 milhões ao caixa da Prefeitura de Londrina

Informa o NCOM, que a  Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Fazenda, divulgou hoje (1º), o balanço do primeiro mês de atendimento para a negociação de débitos em atraso junto ao Programa de Regularização Fiscal (Profis) de 2017. De 3 a 31 de julho, 5.118 contribuintes aderiram ao Profis. A projeção é que R$ 23 milhões sejam renegociados até dezembro deste ano.

Juntos, os cidadãos negociaram 16.817 débitos, o que representa, em média, um acordo para sanar as dívidas correspondentes a três anos, ou seja, três exercícios por pessoa. Nesses 21 dias úteis de vigência do programa, o Município negociou R$ 11.785.000,00. Deste montante, foram negociados à vista R$ 5.142.000,00, dos quais R$ 4,5 milhões já foram pagos pelos contribuintes.

Outros R$ 6.643.000,00 foram parcelados em até seis vezes. Dentre essas parcelas, a Prefeitura recebeu R$ 1 milhão e aguarda que o restante seja pago nas parcelas de agosto a dezembro deste ano, quando vencem as próximas prestações. Por dia, os técnicos da Secretaria Municipal de Fazenda renegociaram, em média, R$561.214,21.

De acordo com o secretário municipal de Fazenda, Edson Antônio de Souza, historicamente, 20% dos contribuintes que aderem ao Profis não efetuam o pagamento. Por isso, ele lembra das mudanças aprovadas para o Profis 2017. A Pessoa Física que aderir ao Programa e não honrar com os débitos negociados ficará impedida de participar de novo certame, se houver, até 2021. Já, no caso da Pessoa Jurídica, aquela que não efetuar o pagamento de, pelo menos, 80% do valor negociado também fica impedida de participar novamente do programa pelos próximos quatro anos.

“Se nós partirmos do princípio de que projetamos receber R$ 23 milhões, de fato, recebemos R$ 5,5 milhões, que representam 24% do valor total esperado. Estes números do montante arrecadado estão dentro das expectativas da Secretaria de Fazenda”, ressaltou Souza.

Descontos – Para o mês de agosto permanece a mesma condição de pagamento da dívida à vista, com 100% de desconto na multa e nos juros de mora. Aqueles que optarem pelo parcelamento terão desconto de 90% nos juros de mora e na multa e poderão fazê-lo em até cinco vezes. Para participar do programa é preciso que o contribuinte esteja munido dos documentos pessoais como RG e CPF e procure um dos postos de atendimento da Prefeitura.

Até ontem, dia 31 de julho, os cidadãos podiam renegociar as dívidas para pagamento parcelado em até seis vezes, ganhando 95% de desconto na multa e nos juros de mora. Para o pagamento à vista, o desconto foi de 100% na multa e nos juros.

Postos de Atendimento – O contribuinte pode renegociar a dívida, de segunda a sexta-feira, das 12h às 17h30, na Prefeitura de Londrina, na Avenida Duque de Caxias, 635, no Centro Cívico.

Também está aberto um posto descentralizado no Centro Cultural Lupércio Luppi, localizado na Avenida Saul Elkind, 790. Ele funciona de segunda a sexta-feira, das 12h às 17h30.

No Shopping Boulevard há um posto descentralizado com dois servidores públicos da Secretaria Municipal de Fazenda. Eles atendem de segunda a sábado, das 10h às 22h, na Avenida Theodoro Victorelli, 150.

Na região central da cidade, os cidadãos podem procurar, de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h, a Agência do Trabalhador (SINE), que fica na Rua Pernambuco, 162. Na região sul, o atendimento também está sendo feito nos mesmos dias e horário, na Biblioteca da Região Sul (Praça da Juventude), situada na Avenida Guilherme de Almeida, 2.260.

Nos distritos – Neste sábado (5), o atendimento será no Distrito de Maravilha, que também receberá novamente os serviços no dia 21 de outubro. O cronograma completo segue:

Paiquerê – 12/08 e 28/10
São Luiz/Taquaruna – 19/08 e 04/11
Patrimônio Selva – 26/08 e 11/11
Patrimônio Regina – 02/09 e 18/11
Warta – 09/09 e 25/11
Espírito Santo – 16/09
Guaravera/Taquaruna – 23/09

Tabela de descontos do Profis 2017

 

Adesão até o último dia útil do mês de

Desconto de juros e multa para pagamento à vista

Desconto de juros e multa para pagamento parcelado

Número máximo

de parcelas

Agosto

100%

90%

Até 5

Setembro

100%

85%

Até 4

Outubro

100%

85%

Até 3

Novembro

90%

85%

Até 2

Dezembro

80%

À vista

Comente aqui