Logo do Jornal ODiário.com
Bahr Baridades
01/10/2012 - 10h44 - visualizações

Previdência social da bandidagem

Autor Bahr-Baridades
.

Muito mais do que a média dos cidadãos brasileiros, há um grupo formado por cerca de 1.300 bandidos que pagam R$600 por mês para receber benefícios, tais como assistência jurídica e cobertura de outras necessidades, inclusive para suas famílias. São bandidos espalhados pela capital paulista e por mais outras 120 cidades do interior.

Essa “previdência social” faz parte da chamada facção criminosa do PCC e não é balela: são dados compilados pelo próprio bando, que estão em uma base de documentos do Ministério Público, após a polícia apreender “pendrives” e chips de celulares, quando alguns bandidos tentavam passar as informações aos chefões do PCC que estão presos.

Além da Capital, há um grande número de “previdenciários” em Campinas e Santos, o que mostra que a organização criminosa está em plena atividade, mesmo sendo combatida pela polícia. O PCC vem sendo acusado de intensificar atentados contra policiais.

Os valores financeiros girados pelo PCC são altíssimos e poderiam orgulhar qualquer empresa nacional: em março, foi apreendida 1,2 tonelada de cocaína na região de Campinas - o prejuízo para os criminosos foi estimado em R$ 25 milhões. Apenas uma amostra.

Provavelmente o PCC está a caminho de se igualar às conhecidas Máfias Russa, Jamaicana, Albanesa, Sérvia, Israelense, Mexicana, Yakusa (japonesa), Chinesa, Colombiana e Siciliana – as mais atuantes do mundo. E com uma previdência social própria e privilegiada. De fazer inveja ao cidadão comum.

618133
0 Comentários
Foto do usuário que comentou a matéria

Relacionadas