Logo do Jornal ODiário.com
João Luiz Agner Regiani
Joaoregiani
12/02/2019 - 07h44 - visualizações

O legado de Boechat para o jornalismo e ao Brasil

Autor João Luiz Agner Regiani

Perdemos ontem Ricardo Eugenio Boechat. Uma perda repentina, trágica e devastadora para o jornalismo ético, técnico e para a cidadania dos brasileiros.

Não tive tempo de parar para escrever antes aqui no blog sobre este lamentável acontecimento, mas venho compartilhando da mesma dor e sentimento de perda que inúmeros brasileiros e profissionais do jornalismo estão experimentando neste momento. Realmente uma perda irreparável.

Como diria Boechat, vamos ter que "tocar o barco” sem ele a partir de agora, e certamente seria isso que ele nos diria para fazer. No entanto, certamente sentiremos muito a sua ausência no futuro como referência de jornalismo confiável, crítico e reflexivo, num país tão carente de pensadores e críticos (no sentido técnico) independentes, mesmo tendo estado presente na grande mídia, a qual é tão carente de independência e de profissionais que não se permitam manipular ou fazer o jogo interesseiro que os seus “donos” determinam.

E olha que o sentimento de perda em relação ao passamento do Boechat não vem meramente de uma elite de intelectuais ou pseudos entendidos em jornalismo ou em causas de interesse nacional. Se manifesta por todos os lados da sociedade, desde o cidadão humilde (mortal), comum, até por figuras respeitáveis das diversas áreas do pensamento crítico, mídias e da academia brasileira.

O vácuo da sua ausência suscitará, a partir daqui, a indagação, em momentos nacionais cruciais: o que diria ou o que aconselharia Ricardo Boechat neste momento (?).

Boechat nos deixou fisicamente, mas sem dúvida continuará habitando os nossos sentimentos e pensamentos para sempre.

736807
0 Comentários
Foto do usuário que comentou a matéria

Relacionadas