Logo do Jornal ODiário.com
Josepedriali
21/12/2018 - 15h20 - visualizações

Josepedriali


Socorro: dormi “fascista” e acordei “comunista”!

Autor José Pedriali

Este blog está para completar onze anos de existência*, o que acontecerá no final de janeiro

Passei esse tempo recebendo todo tipo de xingamento dos petralhas por causa de minhas críticas ao partido e seus líderes – que estão recebendo a merecida punição da Justiça, e o que temos até o momento é apenas o começo. Livrei-me dos xingamentos porque ou eles me excluíram (atitude que agradeço por ter me poupado trabalho) ou excluí.

Entre os xingamentos publicáveis estavam os de “coxinha”, “golpista” e por fim “fascista” por tomar posição contra a candidatura de Haddad, marionete de Lula.

Os xingamentos impublicáveis são aqueles que encontramos em portas de banheiro de rodoviária.)

(Abro parêntese para registrar que não foram somente xingamentos que recebi dos petralhas, mas ameaças e perseguições no trabalho.)

E eis que a vitória de Bolsonaro me proporcionou novos epítetos porque tenho ousado – ó crime inafiançável, ó blasfêmia, ó pecado mortal! – criticar algumas de suas posturas e de seus filhos boquirrotos: agora sou “esquerdopata” e “comunista” (os xingamentos não publicáveis são os mesmos das portas de banheiro).

Muitos dos que agem assim comigo agora são os mesmos aplaudiam calorosamente minhas críticas ao PT.

O Brasil saiu de um drama doloroso, que foi o lulopetismo, temporariamente sem a menor perspectiva de retomada do poder (alvíssaras!), o que fez os ânimos exaltarem. Os petistas refugiaram-se na sua versão mentirosa dos fatos. Parte de seus opositores encontraram reciprocidade na destemperança verbal de Jair Bolsonaro – que chegou à presidência numa campanha sem precedentes no método e conteúdo, pois vioilentou todos os manuais de marketing político e até agora não sabemos o que ele pretende fazer quando assumir.

A esperança de dias melhores, da qual compartilho, está em sua equipe de governo, gente de primeira qualidade, com as exceções de praxe.

Voltando ao tema: livramo-nos do jugo de um grupo sectário que cultua incondicionalmente Lula e seus métodos e caímos sob o patrulhamento do grupo sectário que cultua sem restrições o “mito” Bolsonaro” e se dispõe a linchar os que o contestam ou criticam seus atos.

Fernando Henrique, oiado tanto por petralhas como por bolsonalhas – ódio recíproco do qual passo a partilhar -, afirmou que não há mais espaço no Brasil para a “sensatez”. De fato, não há mais liberdade de pensar com a própria cabeça. De emitir opinião sem ser agredido (por enquanto, apenas com palavras…) De contestar com argumentos.

Socorro!

* Refiro-me ao blog original, acessível em www.josepedriali.com.br

686135
0 Comentários
Foto do usuário que comentou a matéria

Relacionadas