criação



Capa do jornal, um convite à leitura

A professora Orlani de Carvalho Veronez leciona na Escola Municipal Monsenhor Celso, em Astorga, e preparou uma proposta didática para que seus alunos pudessem explorar os conteúdos do Diário. “Meu objetivo foi fazer com que as crianças conhecessem o jornal e a partir da capa pudessem encontrar, ler e discutir as notícias dos cadernos”, conta.

Para realizar a atividade Orlani usou como base textos do livro didático da turma em que se explanavam todos os itens que compõe a estrutura de um impresso. Desta forma, mais do que conhecer as definições apresentadas no livro, os alunos poderiam também identificar cada parte dentro do suporte original, as páginas do Diário.

Foto Abre“Ficou muito mais fácil aprender com o jornal em sala se aula, pois quando pego um exemplar na mão já consigo identificar o que me interessa entre os conteúdos e escolho as páginas que vou ler”, aponta a aluna, Ana Júlia Cheron Zanin.

A diretora da escola, Roseli Baizin Malaquias destaca que o impresso além de ser um importante meio de comunicação, é também um excelente instrumento pedagógico. “Os temas trabalhados envolvem fatos reais, provocando nos estudantes um olhar mais crítico da realidade e, assim, possibilita uma reflexão diante das atitudes que devem tomar enquanto cidadãos.”

Orlani aproveitou os exemplares do Diário para ensinar sobre o gênero textual notícia e a estrutura do “lide” – termo que resume a função do primeiro parágrafo que é introduzir o leitor no texto e prender sua atenção – a partir das perguntas: o quê, quem, quando, como, onde, por quê.

“Depois dessa proposta didática os alunos mostraram maior interesse pelo jornal, visto que muitos não têm contato com esse tipo de mídia. Percebi que as crianças sentiram facilidade em manusear o material e encontrar o que gostam de ler, fator que me ajuda na realização de um bom trabalho pedagógico possibilitando o ensino de diferentes áreas do conhecimento, interdisciplinaridade e aprimoramento da leitura e da escrita”, enfatiza a professora.

A coordenadora pedagógica da escola, Lucilene Galhardo Molinari ressalta que a participação da instituição no Diário na Escola proporciona o contato com um material que oferece subsídio e vem ao encontro da filosofia que diz que deve ser ofertado ao estudante em seu ambiente alfabetizador, a aquisição de um pensamento crítico e de ampla visão de mundo.

 

 

PRODUÇÃO

 Os alunos do 5º ano “D” com o auxilio da professora Orlani escreveram uma poesia sobre o trabalho com o Diário em sala de aula. Olha que bacana!

 

 

O jornal na escola

 

Hoje na escola

Os alunos aprenderam a ler jornal

A professora orientou-os

Começando pela página inicial

 

O nome dele é:

“O Diário do Norte do Paraná”

Sua edição é publicada

Na cidade de Maringá

 

A turma estudou o que é

Manchete, fotografia, lide e chamada

Onde o leitor poderá

Primeiramente dar uma olhada

 

E assim que abrir os cadernos

A notícia vai encontrar

É só ler os acontecimentos

Com desejo de se informar

 

Toda semana, na sala de aula,

Para a nossa alegria

O Diário na Escola estará

E será uma boa companhia.

Comente aqui


Os ensinamentos das legendas

Foto AbreAs pequenas frases abaixo das fotos publicadas no jornal, não passam mais despercebidas no processo de leitura. Em especial, para os alunos do quinto ano da Escola Municipal Alberto Sofientini, de Astorga. A professora, Valéria Nunes de Jesus desenvolveu com as crianças uma série de atividades nas quais o processo de estudo da oralidade e interpretações textuais foram feitos com as legendas das imagens publicadas no Diário.

A legenda tem como base uma foto ou mais, acompanhada de um texto explicativo sobre o assunto ou da descrição do conteúdo da imagem. Assim, o texto é apenas um acessório para a foto, que é o elemento de maior destaque. A legenda funciona tanto em jornais e revistas como em portais online, por ser uma maneira rápida e eficaz de transmitir informações. Desse modo, é um texto curto e objetivo sobre um fato qualquer, que facilita a compreensão.

“Estamos sempre lendo o jornal, mas ter a oportunidade de escrever legendas fez eu me sentir como uma repórter”, conta a estudante Isabella Cristina Fernandes Guandalini.

Ao início da atividade os alunos receberam exemplares do Diário para a leitura. Divididas em grupos as crianças pesquisaram sobre as manchetes, textos chamada, fotos, e desta forma se inteiraram sobre os conteúdos publicados.

O primeiro desafio foi, a partir da matéria lida, criar uma legenda para a foto que estava junto ao texto. Nesse momento, os estudantes deixaram a criatividade fluir. Em seguida, a tarefa foi invertida. As crianças fizeram um desenho – para representar uma imagem – a partir de uma legenda retirada do Diário, sem conhecer o contexto da notícia.

“Essa dinâmica com o jornal favoreceu o desenvolvimento da produção escrita, saindo da rotina das propostas tradicionais, permitindo que os alunos criassem novos textos, interpretando e discutindo em grupo suas dúvidas e confirmando suas hipóteses. Com esse trabalho também foi possível desenvolver atividades voltadas especificamente para a escrita ortográfica e análise linguística das palavras como verbos, tempos verbais, pronomes, entre outros”, destaca Valéria.

A aluna Nathália Souza Sanches Silva relata que trabalhar com o Diário tem sido muito importante para a formação dela. “As informações são sempre fresquinhas, ficamos por dentro de tudo.”

 

 

PRODUZINDO!

Professor, comente com a turma que as legendas também podem ser encontradas em outros suportes, como álbum de fotografias e figurinhas, por exemplo. Caso você disponha desses materiais, leve para a sala e mostre aos estudantes.

Duas propostas podem ser feitas para o trabalho com a escrita de legendas:

  1. Elaboração de um mural com fotos legendadas de situações vividas por cada aluno. As crianças deverão trazer as fotos de casa.
  2. Elaboração de um mural com fotos legendadas referentes a um passeio feito pela turma.

Os procedimentos indicados abaixo valem para as duas propostas. Nessa atividade, os alunos deverão trabalhar em duplas, de forma que um possa ajudar o outro na elaboração do texto.

Primeiramente, peça aos estudantes que lhe ajudem a elaborar a legenda de uma foto levada por você. Após a análise da imagem, a turma cria coletivamente o texto e você o escreve no quadro.

Cada dupla trabalhará com duas fotos. Oriente as crianças para que escrevam a legenda de cada foto junto com o colega. Essa será a primeira versão, que deverá ser entregue para você. É importante ressaltar a turma que a primeira versão de um texto nem sempre é a definitiva. Após a escrita, é preciso revisar a produção.

Depois do trabalho pronto e revisado, faça um mural e exponha as fotos e as legendas produzidas pelas crianças no mural da escola. Além do conhecimento, esta proposta trará interação entre a equipe. Bom trabalho!

Comente aqui


Notícia inspira professora

“Quando realizei a leitura da matéria ‘Notícias vão virar poemas’ me encantei pelo encaminhamento sugerido pela escritora Angela Ramalho, senti uma vontade enorme de conhecer a poesia ‘O buraco do tatu’ citada por ela, e de desafiar meus alunos a continuarem o poema trazendo o personagem tatu, para Sarandi”, conta a professora da Escola Municipal São Francisco de Assis, Vanilda de Melo Perrucci.

A coordenadora pedagógica, Lucimara Colabone Siqueira comenta que o trabalho com o Diário em sala de aula é um recurso pedagógico interessante, a medida que incentiva o aluno a desenvolver o gosto pela leitura.

DSC05132Em um primeiro momento, as crianças discutiram sobre a matéria em estudo. Na aula seguinte, Vanilda levou a poesia para os alunos identificarem os versos e já pensarem em palavras que rimam com Sarandi, destino final do tatu perdido no buraco. Para auxiliar o trabalho, a professora foi destacando no quadro todas as opções sugerias e assim, tornou a produção mais fácil. Entre as palavras rimas estavam: saci, Ivaí, Piauí, piriri, e tantas outras criativas.

“Normalmente quando realizo outras atividades, me sinto estressada. Mas essa, foi justamente ao contrário, me inspirou e deixou mais tranquila”, diz a aluna, Thalyta Kelly Martins de Lima.

Por fim, os estudantes receberam a missão de continuar o poema e criar um final que levasse o tatu para a cidade em que vivem. “A proposta foi muito legal, saíram rimas uma mais divertida do que a outra”, fala a pequena, Heloiza Thomazetti Jovino.

Com tantos bons resultados, Vanilda fez um mural no corredor da escola com os finais dos poemas. Desta forma, todos os estudantes tiveram acesso ao conteúdo e puderam conhecer a história do buraco do tatu.

“A partir de uma notícia do jornal foi possível realizar um trabalho que aproxima o aluno da realidade, incentiva a leitura e desperta a criticidade. O Diário é um importante suporte didático”, ressalta a coordenadora pedagógica, Débora Regina Moreli Alcantara da Silva.

 

RESULTADO

As produções ficaram divertidíssimas, confira parte da poesia original “O buraco do tatu” e os finais que alguns alunos criaram!

 

Trecho Original

O tatu cava um buraco

à procura de uma lebre,

quando sai pra se coçar,

já está em Porto Alegre.                   

 

O tatu cava um buraco

e retira a terra aos montes,

quando sai pra beber água

já está em Belo Horizonte.

 

Finais produzidos pelos alunos

O tatu cava um buraco

A procura do saci

Quando sai para respirar

Já está em Sarandi.

(Daniela Sakata 5º ano C)

 

O tatu cava um buraco

Onde está o rio Ivaí?

Cava, cava sem notar

Vai parar em Sarandi.

(Eduardo Timóteo da Rosa 5º ano A)

 

O tatu cava um buraco

Aprendeu com o javali

Se anima, cava fundo

Vai parar em Sarandi.

(Pedro Henrique Santos Godinho 5º ano A)

 

O tatu cava um buraco

A procura de um caqui

Quando sai para comê-lo

Já está em Sarandi.

(Débora Heloiza Thomazetti  Jovino  5º ano C)

Comente aqui


Concurso também motiva professores

O Concurso “Notícias em Versos” promovido pelo Diário na Escola foi direcionado aos alunos cadastrados no Programa. Mas, não foram só as crianças que tiveram seu momento de criação. Professores também se sentiram motivados a colocar em prática toda a sua inspiração poética. Com isso, alguns mestres enviaram seus versos e rimos para a equipe do Diário na Escola.

As educadoras da Escola Municipal Deputado Dr. Ulysses Guimarães, de Maringá, Maria Alves da Silva e Edna Cristina Pacheco Barbeiro, capricharam! Confira:

DESAFIO TEXTUAL2978965707_93538e7cb6

Quero ver quem é capaz

De uma mudança radical.

Desafio-te a trocar

O gênero textual.

 

Pegue logo um jornal,

Escolha um assunto ou um tema.

Reescreva uma notícia

Com estrutura de um poema.

 

O desafio está lançado

Quero ver quem se anima

A contar uma notícia

Com estrofe, verso e rima!

(Maria Alves da Silva)

 

PASSEIO NÃO TEM IDADEnevisandegi1

Hoje é um dia especial

Vamos a Expoingá festival

Desfrutar com prazer,

E aproveitar o lazer.

 

Nesta idade, aproveitar é preciso

Com disposição e um belo sorriso

Até o ânimo rejuvenesce

Pois o coração não envelhece.

 

Sem medo é preciso viver

Pois a idade nos leva a crer

Que precioso é cada segundo

Então esqueça a tristeza do mundo.

 

Pense com carinho, criança

Do mundo, vocês são a esperança.

Moço eu já fui, agora tenho idade

Não abandone os velhos da cidade.

(Edna Cristina Pacheco Barbeiro)

1 Comentário


Notícias vão virar poemas

Imagem - AbreOs alunos participantes do Programa Educacional O Diário na Escola foram desafiados a criarem poesias a partir das notícias publicadas no jornal. Em sua primeira edição, o Concurso está movimentando os corredores das instituições de ensino. “Meus alunos já estão se preparando, a tarefa de casa do final de semana foi ler o Diário e escolher a notícia que mais se identificasse, para assim, começarmos as produções”, conta a professora da Escola Municipal Rocha Pombo, de Ourizona, Cícera Aparecida Tassoli.

A escritora maringaense, Angela Ramalho fala sobre a importância do Concurso. “É algo que vem ao encontro do que penso sobre a poesia hoje, ou seja, que ela não deve distanciar-se da realidade, da criticidade, da proposição de reflexões e mudanças. Através da poesia explora-se o real e o imaginário e ao lidar com essas diferentes percepções, os estudantes são levados a comparar e a contextualizar os fatos, levando-os a expressarem opiniões e a elaborarem novos conceitos.”

Em suas experiências, Angela tem trabalhado a poesia com estudantes nas bibliotecas públicas e conta que tem sido tarefa das mais gratificantes. “As obras devem ser apresentadas de forma criativa. Nas vezes em que produzimos poesias com as crianças, levamos até eles um poema de Sergio Capparelli “O buraco do tatu”, onde o bichinho cava buracos e através deles chega a várias cidades brasileiras. Desafiamos os alunos a continuarem o poema, trazendo o tatu para Maringá. Todos conseguiram realizar a atividade, e o melhor de tudo é que fizemos com que eles se descobrissem autores, exercitando novas linguagens, atuando no campo da descoberta, da invenção e da fantasia.”

A comissão julgadora do Concurso irá analisar a originalidade e criatividade do aluno, bem como aspectos relacionados à língua portuguesa (coerência, coesão e ortografia). Supervisores e coordenadores pedagógicos, fiquem atentos! Junto com o professor vocês devem selecionar no máximo três das melhores produções de cada turma, preencher os dados cadastrais e enviar para o Diário até o dia 10 de junho.

Os alunos autores das melhores poesias vão ganhar uma bicicleta novinha! E para os educadores que orientarem os estudantes vencedores, terá premiação também. Participem!

1 Comentário


Quadrinhos no jornal

Na Escola Estadual Presidente Arthur da Costa e Silva, em Floresta, a motivação para a leitura é feita através dos exemplares do Diário, semanalmente. Os alunos que estão no segundo ciclo do ensino fundamental realizam propostas didáticas com o auxílio do impresso, buscando, assim, proporcionar momentos de diversão e aprendizado em sala de aula.

Na última semana a professora, Glasieli Bianchesi Bonugli trabalhou o gênero textual história em quadrinhos (HQ) com os estudantes. “Para que eles não se atentassem apenas aos desenhos durante a produção, propus que o conteúdo fosse inspirado em alguma notícia do jornal. Assim, sem perceber, os alunos realizaram a leitura de todas as matérias, adquirindo informações de circulação social”, destaca. Está é uma maneira que os educadores encontram para tornar crianças e adolescentes seres críticos e participativos da realidade em que vivem.

Com a variedade de assuntos presentes no impresso, os alunos buscaram por aquilo que mais os despertou interesse ou que eles tenham maior afinidade. “Produzir a HQ a partir das notícias do Diário foi uma ótima oportunidade de me inteirar sobre fatos que estão acontecendo na região em que moro e até em locais mais distantes. O que me chamou a atenção, em especial, foi o problema da falta da água no estado de São Paulo, uma situação que pode se agravar ainda mais”, comenta a aluna Raquel Fuentes.

Glasieli conta que os momentos com o jornal em sala de aula são pura diversão. “A maioria dos estudantes gosta de afastar as cadeiras e abrir as páginas dos exemplares no chão da classe, desta forma eles se sentem mais a vontade para manusear o material e aprendem novos conteúdos de uma forma prazerosa.”

Todos os anos o Diário na Escola oferece formação sobre como trabalhar os quadrinhos e o humor utilizando o impresso como suporte didático, a professora comprova os bons resultados. “Durante a realização da atividade constatei o quanto a leitura de um informativo torna os estudantes criativos”, conclui.

PRODUÇÃO

Após a leitura das notícias do Diário e do estudo do gênero HQ, a aluna Raquel Fuentes criou uma história em quadrinhos sobre o problema da falta de água em algumas regiões do país.

Imagem Submanchete

Comente aqui


Alunos de Ivatuba sugerem pautas para o impresso

Já pensou abrir o jornal e encontrar apenas notícias positivas de fatos que você gostaria que acontecessem? Na oficina desenvolvida pelo O Diário na Escola, em Ivatuba, na Escola Municipal Afrânio Peixoto, os alunos sentiram essa experiência. Intitulada “O jornal de notícias maravilhosas”, as crianças usaram a imaginação para participar da atividade.

Foto AbreNa proposta, os estudantes foram divididos em grupos e, juntos, debateram sobre o que deveria ser manchete na capa do impresso que eles iriam criar. “Nesse trabalho eu conheci de forma mais detalhada a primeira página do jornal e ainda pensei em melhorias para a minha cidade”, conta a aluna Beatriz da Silva Geronasio.

O estudante Ruan Santos de Souza comenta que se sentiu um verdadeiro jornalista. “Foi divertido trabalhar em equipe e sentir como é a rotina dos repórteres durante a reunião de pauta. Quando eu for escolher minha profissão, com certeza irei lembrar deste momento.”

Entre as sugestões de assuntos para a capa estavam: criação de um parque ecológico no município, uma escola mais ampla, e apresentação de peça teatral. “Adorei conversar com meus colegas sobre quantas coisas novas podemos ter em nossa cidade. Espero que essas notícias que criamos se tornem verdade, em breve”, brinca a aluna Mariane Mendes Fernandes.

A proposta desenvolvida, ao mesmo tempo, com estudantes do terceiro e do quinto ano proporcionou interação entre as turmas. “É importante as crianças trabalharem juntas, percebemos que não houve distinção entre os mais velhos e os mais novos, nem diferença de nível de aprendizado durante as sugestões das manchetes”, destaca a professora Nilza Guidini Valentini.

Com o nome “Jornal Espetacular” os alunos diagramaram uma capa de impresso na cartolina e a deixaram em exposição na sala de aula. “Esta oficina gerou empolgação nas crianças, no outro dia todos os estudantes da escola queriam ver o trabalho desenvolvido”, relata a diretora Maria Luiza Macedo da Silva.

Comente aqui


Notícias do Diário são temas de produção escolar

Ao propor uma atividade de produção textual é importante que se dê à escrita uma finalidade clara e, se possível, que estimule sua circulação fora do âmbito aluno – professor. Quando a tarefa de escrita é feita na escola e, somente, para a escola, há chances de que os estudantes não arrisquem e não ousem na construção dos textos.

Foto AbreDiante desta realidade, a professora Andréia dos Santos Gallo que leciona na Escola Municipal Dr Eurico Jardim Dornellas de Barros, de Marialva, decidiu criar uma nova finalidade para as produções textuais de seus alunos. “Com a proposta de enviar os melhores trabalhos para o jornal, a criança se empenha a realizar o que foi proposto”, comenta.

Com o objetivo de fazer com que os estudantes produzissem textos opinativos, Andréia precisava de um material fornecesse informações. Neste momento, a professora solicitou aos alunos a leitura das matérias publicadas no Diário, para que assim, eles adquirissem argumentos.

“A maioria teve o contato com o jornal pela primeira vez. A cada nova informação foi possível ver a admiração com os fatos apresentados nas notícias e até se questionavam: ‘nossa, será que isso é verdade?’”, acrescenta a professora.

Para o desenvolvimento da proposta didática Andréia dividiu a turma em três grupos e fez uma discussão sobre o que as crianças conhecem a respeito do impresso. Na sequência ela entregou um formulário explicativo sobre os termos técnicos existentes no material e os estudantes foram desafiados a encontrar estes elementos pelas páginas do Diário. “Eu nunca tinha lido um jornal, gostei muito de tudo o que vi e quero continuar a leitura sempre que possível para estar atenta às notícias”, ressalta a aluna Alana Funatsu.

A professora enfatiza o quanto este trabalho foi prazeroso. “Quando apresentei a proposta, de imediato, a turma toda se interessou. Mais importante ainda foi perceber que as crianças são capazes de estabelecer uma relação das ações do presente com as notícias veiculadas no impresso.”

A partir da empolgação da classe, Andréia e toda a equipe da escola Dr Eurico estão desenvolvendo a produção de um jornal escolar. Em breve, já terão em mãos o primeiro exemplar.

1 Comentário


Sugestão de Atividade

TRABALHANDO COM ANÚNCIO

A partir da imagem responda as questões:

BOX 01

  • De quem é o apartamento?
  • Onde ele fica situado?
  • Você acha que ele é novo ou velho?
  • Quantos quartos ele tem?
  • Em qual andar fica este apartamento?
  • Qual a diferença entre uma casa e um apartamento?

_________________________________________________________

PRODUÇÃO

Agora você será desafiado a criar um anúncio para o caderno de classificados a partir da figura abaixo:

BOX 02

E aí professor, como foi o desenvolvimento destas atividades com os seus alunos? Nos envie os resultados pelo e-mail: [email protected]

Comente aqui