feira cultural



Educação de Sarandi realiza Congresso e Feira Cultural

congressodiarioO I Congresso de Educação de Sarandi (CES) acontecerá nos próximos dias 15, 16 e 17 de outubro e busca mobilizar os profissionais da área. O evento é uma iniciativa da coordenação da Secretaria Municipal de Educação de Sarandi (SMED) e tem como objetivo socializar os trabalhos que vêm sendo realizados dentro dos espaços escolares.

“Desde que assumi a secretaria, há um ano, tenho pensado em valorizar o educador da rede municipal. O Congresso é fruto de um trabalho em equipe, de parcerias com doutores e mestres e que irá mostrar as boas ações que são desenvolvidas nas escolas. Aproveitamos o mês em que se comemora o Dia do Professor para lembrar a importância diária deste profissional”, destaca a secretária da educação de Sarandi, Adriana Palmieri.

A proposta é reunir professores, coordenadores, diretores, alunos e demais profissionais da SMED, juntamente com a comunidade de outros municípios para debater e apresentar as práticas que vêm sendo realizadas nas Escolas Municipais e nos Centros Municipais de Educação Infantil, bem como o trabalho das instituições educacionais privadas.

O evento contará com apresentação de artigos científicos – previamente aprovados pela Comissão Científica composta por Pós-Doutores, Doutores, Doutorandos e Mestres das mais variadas áreas – em forma de Comunicação Oral ou Pôster (Painel). “Tivemos um grande número de trabalhos inscritos e isso me deixa muito feliz, pois a produção do artigo exige leituras, horas de estudo e também representa a opinião do profissional. Acredito que, assim, estamos formando professores pesquisadores e o reflexo disso pode ser visto nas boas práticas escolares e na melhora da formação do estudante”, ressalta o diretor de ensino de Sarandi, Erick Bucioli.

Haverá também uma Feira Cultural sobre “diversidade”, tema de estudo das escolas de Sarandi durante este ano. Os trabalhos realizados pelas crianças irão ficar em exposição no local do Congresso para que os participantes possam conhecer e até compartilhar os bons resultados.

Comente aqui


Feira Cultural

Os alunos do 7º ano “B” apresentaram sobre as Grandes Navegações, sob a orientação da professora de História, Maria Célia, e a de Geografia, Marilda

Nos dias 09 e 10 de novembro os alunos do Colégio Estadual Alberto Jackson Byington Júnior, de Maringá, promoveram uma Feira Cultural bem diversificada. O destaque do dia 09 ficou para o pessoal do período noturno, que fizeram mostra de cartazes e vídeos sobre os diferentes tipos de Rap, tanto nacionais quanto internacionais. Uma das turmas apresentou sobre a Culinária Brasileira, com práticos típicos de diferentes regiões do Brasil, mas o trabalho que mais chamou a atenção foi o da aluna Lílian Damasceno, que além de fazer cachorrão vegetariano, espetinho de carne de soja, fez muffins de sobremesa sem leite e ovo. “O bom da feira foi eu poder mostrar que o modo de vida dos vegetarianos é totalmente igual dos que comem carne, a diferença é que nós – vegetarianos – respeitamos o modo de vida de cada ser vivo, e isso inclui os seres vivos a nossa volta”, destaca Damasceno.

Para abrir as apresentações do dia 10 os estudantes cantaram o Hino Nacional, em seguida alguns alunos cantaram musicas de diversos ritmos para alegrar o dia de Feira, a exemplo da aluna Stefani Muniz, que cantou a música “Someone Like You ” e do aluno Matheus Rossan, que animou os participantes com canções sertanejas.

Entre as temáticas apresentadas podemos destacar: meio ambiente, reciclagem, biodiversdade, extração de tinta, cinema, fenômenos físicos, estilos musicais, profissões, corrupção no Brasil, musicais, exposição de artes plásticas, aquecimento solar, jogos matemáticos, cultura japonesa, Dia das Bruxas e a origem do chocolate.

A pedagoga do colégio, Josiane Dutra, relata que a Feira é importante para o desenvolvimento social, intelectual e interação entre os alunos dentro do ambiente escolar.

 

Comente aqui


Santa Fé mobiliza através da cultura

A II Mostra Cultural de Santa Fé mobilizou, em dois dias, 1.500 pessoas em torno de apresentações de dança, karatê, capoeira, música e feira de livros.

 

 

Comente aqui