pedestres



Trânsito consciente em pauta

Para um aprendizado efetivo, nada melhor do que vivenciar na prática toda a teoria adquirida em sala de aula, não é mesmo? E foi exatamente assim, que a professora Rosângela da Silva Oliveira que leciona na Escola Municipal São Jorge desenvolveu um projeto sobre a conscientização no trânsito, com seus alunos. Desta forma além de repassar orientações que eles poderão seguir diariamente, já aproveitou para trabalhar o assunto que é tema da Promoção Cultural da Semana Nacional de Trânsito.

Para dar início ao trabalho, Rosângela sugeriu às crianças a leitura da notícia “Maringá é o 2º do Paraná em feridos no trânsito”, que foi publicada em O Diário do Norte do Paraná. “Na interpretação textual elas observaram o aumento de acidentes numa cidade tão próxima à nossa, para isso analisamos o gráfico da matéria e debatemos o tema em sala”, conta.

Foto AbreNeste momento os alunos relataram que não é preciso ir tão longe, em frente à escola acontecem infrações diariamente. A exemplo dos motoristas de caminhões que não respeitam a faixa de pedestre que há em frente ao portão da instituição.

Com o intuito de aumentar o conhecimento dos estudantes e conscientizar os moradores de São Jorge, a professora levou os alunos para um passeio nas ruas da cidade. Sempre os orientando da importância em se andar na calçada, respeitar os limites de velocidade e as placas de sinalização.

“Agora toda vez que vou atravessar a avenida, procuro a faixa mais próxima. Quando percebo que estou tendo alguma atitude errada, muitas vezes para cortar caminho, paro e me cobro do certo, pois alguns motoristas dirigem distraídos, então tenho que zelar pela minha vida e pela do próximo”, destaca a estudante, Karollainy Vitória Simão Ortiz.

Rosângela afirma que foi um projeto de muito resultado. “É um assunto do cotidiano, meus alunos são futuros motoristas e precisam ser conscientizados. Foi uma aula dinâmica que os apresentou dicas de comportamento nas ruas, como também argumentos para a produção das frases que enviaremos para o concurso. Estamos preparados e ansiosos pela premiação”, conclui esperançosa.

 

 

CONSCIENTIZAÇÃO

Ao fim do trabalho os alunos produziram poemas para alertar a população sobre os cuidados que se deve tomar nas ruas, seja você pedestre, ciclista ou motorista. Confira a produção da estudante Helena Tavares Modesto.

 

Se esse trânsito fosse meu   

Se esse trânsito fosse meu

Eu mandava parar

Para quem estiver atravessando

Mais seguro ficar.

 

Se esse trânsito fosse meu

Eu mandava arrumar

Com faixa e sinaleiro

Para as pessoas protegidas ficar.

 

Se esse trânsito fosse meu

Eu pedia para se conscientizar

Quando os pedestres estiverem passando

Carro, moto… parar.

 

Se esse trânsito fosse meu

Eu mandava a menos de 80 andar

Para ninguém se atropelar.

Comente aqui


Viapar instrui crianças

O trânsito já faz parte da vida de todo ser humano, mas a preocupação com ele, aparentemente, só começa quando se resolve tirar a carteira de habilitação. Para contornar essa situação deve se considerar que as escolas são celeiros de futuros motoristas. Afinal, qual a criança que não sonha em dirigir? Por isso, a educação para o trânsito tem começado já nas séries iniciais, aliando teoria e prática.

Os pequenos têm sido orientados para ter um comportamento adequado em relação ao respeito e à segurança exigida nas vias públicas, tanto na condição de pedestre quanto na de passageiro ou até de condutor de bicicletas, por exemplo. Aqueles que usam skates, patins, patinetes e outros brinquedos que promovem a locomoção ainda devem aprender que existem lugares apropriados e seguros para brincar.

Foto AbreImagine uma rodovia ocupada por crianças e cada uma delas interpretando um veículo diferente: automóveis, bicicletas, motos, bombeiro, polícia, ambulância, ônibus e caminhão.

Essa iniciativa inédita agora faz parte da oficina pedagógica da Viapar.  A primeira instituição a participar foi a Escola Municipal Julia Wanderley, de Alto Paraná. Cerca 45 crianças com idades entre nove e dez anos estiveram na Oficina de Trânsito, na sede da concessionária, em Maringá.

Cada uma delas recebeu um colete com um desenho lúdico inspirado em veículos de desenho animado. Algumas fizeram o papel de carros, outras de bicicletas e assim por diante. A ideia consiste em utilizar a própria mini rodovia existente na sede da Viapar com todos os seus personagens automotivos.

“É uma forma de fazer com que as crianças possam entender as regras para cada veículo, sem esquecer que elas também são pedestres. Essa aula lúdica permite que todos os estudantes participem de forma ativa”, explica Priscila Nascimento, coordenadora da Oficina.

A diretora da Escola Municipal Tisuro, de Sarandi, Silvonete Macario Costa conta que a visita a Viapar foi muito importante para a formação dos alunos. “Além de informações teóricas, foram também vivenciadas situações diárias enfrentadas no trânsito e que fizeram os pequenos refletirem sobre os cuidados necessários para a segurança de cada um. No caminho de volta para a escola, eles mostravam as placas de sinalização e alertavam sobre a função delas tanto para os motoristas, como para os pedestres.”

Os estudantes receberam um livreto de conteúdos e atividades que serão trabalhadas em sala de aula pelos professores, e ainda estão participando de um concurso promovido pela concessionária. “As crianças que passam pela oficina, recebem uma folha de desenho. Ali vão reproduzir o que aprenderam sobre o trânsito e sobre a Viapar.

Os desenhos são encaminhados para nós ao longo do ano e ao final, fazemos uma votação da melhor produção, que irá estampar nosso cartão de natal. O aluno vencedor ganha um kit escolar, com mochila, lápis, caneta e uma bicicleta”, ressalta Priscila.

Na Oficina de Trânsito há palestra, lanchinho e aulas práticas na mini-rodovia.  Desde 2002 esta iniciativa vem atendendo mais de quatro mil crianças por ano, contemplando todos os municípios da malha da concessionária e cidades vizinhas.

Comente aqui