professoras



Vitrine do Professor

Este ano O Diário na Escola tem como seu maior objetivo oferecer capacitação aos professores participantes do Programa. Com isso, estão sendo realizados encontros pedagógicos que unem teoria e prática, com temáticas aliadas às necessidades dos professores, para que o jornal impresso proporcione ao aluno, um aprendizado de qualidade.

Depois de participarem dos dois primeiros encontros de capacitação, e de quase quatro meses realizando semanalmente atividades com o jornal, destacamos a opinião de algumas professoras:

“Trabalho há muitos anos em minha escola. Fui coordenadora pedagógica, diretora e hoje sou professora do 5º ano. Foi uma resistência para meus superiores entenderem a importância deste Programa. Mas assim que assumi a direção junto com a nova secretaria de educação, conseguimos. E hoje, trabalhando com meus alunos vejo que não foi em vão a insistência. Meus alunos adoram o jornal, são leitores assíduos. Através dos encontros, estou me capacitando e levando conhecimento às crianças que leciono. Vocês do Diário na Escola estão de parabéns!” – Cristiani Maria Baptista Gati – professora da Escola Municipal Menino Jesus, de Uniflor.

 “O Diário na Escola é muito útil, nos aprimora com seus cursos e habilita o professor a fornecer aos alunos um aprendizado de maior qualidade. As dicas de atividades possibilita ao professor diversificar a dinâmica com o jornal em sala. É um excelente programa!” – Edna Maria Pavoni Volpato – professora da Escola Municipal São Jorge, de São Jorge do Ivaí.

 

 “O jornal é esperado toda semana com muita alegria pelos alunos do 5º ano. O Programa tornou as aulas muito mais atrativas e inovadoras. Os estudantes encontram diversos gêneros textuais para explorar leitura e produção. Com esse suporte, os textos passaram a ser visivelmente mais elaborados e as leituras muito mais pertinentes e críticas.” – Maria Aparecida Toloto de Carvalho – professora da Escola Municipal Elias Abrahão, de Lobato.

 

 “Os cursos são sempre muito bem ministrados e esclarecedores, ajuda em sala de aula na hora de desenvolver o trabalho, pois os alunos adoram a novidade e a possibilidade de trabalhar com textos atuais.” – Carla Amábile Lima – professora da Escola Municipal Monsenhor Celso, de Astorga.

 

 “O Programa é mais um recurso que apóia o trabalho pedagógico nas escolas. Os encontros ajudam muito na reflexão e propriamente no estudo dos conteúdos que devem ser ministrados. Hoje foi muito produtivo. No final da manhã realizamos uma oficina que nos fez desenvolver na prática aquilo que foi visto em teoria.” – Ana Délia Lavaque – professora da Escola Municipal 9 de Dezembro, de Santa Fé.’

 

 “O programa O Diário na Escola permite o trabalho com a diversidade textual, além de proporcionar aos alunos o contato com o jornal, algo que muitos não tem o acesso fora da escola. Permite também que os pais possam ler as notícias com seus filhos, pois muitos pedem o jornal para levar para casa.” – Valéria Nunes de Jesus – professora da Escola Municipal Alfedo Sofientini, de Astorga.

 

“O Diário na Escola é de extrema importância. Pois, com o jornal, temos acesso à diferentes gêneros de textos, que podem ser explorados em sala de aula, tanto para leitura, como também para produção. Além disso tudo, possibilita ao aluno uma escrita mais elaborada.” – Patrícia de Paiva Grilo – professora da Escola Municipal Duque de Caxias, de Flórida.

 

 “Tenho gostado muito do Programa, os cursos têm sido ótimos e eu tenho utilizado o aprendizado adquirido em sala de aula. O jornal nos meus projetos pedagógicos enriqueceu meu trabalho e desperta a atenção dos alunos.” – Zuleide Ghizzo – professora da Escola Municipal Padre Mateus Elias, de Doutor Camargo.

Comente aqui


Obesidade é motivo para reprovação?

Que o excesso de peso pode prejudicar a saúde do indivíduo não é novidade, mas a reportagem de abertura do Fantástico, de ontem, mostrou que estar fora de forma também pode deixar o profissional fora do mercado de trabalho.

Três professoras, duas de português e uma de matemática, aprovadas em um concurso público em São Paulo, não assumiram os cargos ainda por estarem ‘inaptas’ para a função, segundo o laudo médico. O motivo? A obesidade.

Você acredita que o sobrepeso é motivo para reprovação no concurso público? Isso tende a interferir negativamente no desempenho do profissional?

5 Comentários