Logo do Jornal ODiário.com
Outras
23/09/2010 - 10h20 - visualizações

Criatividade

Autor Leandro Ricardi

O Diário traz hoje uma reportagem sobre o casal de aposentados Aristóteles Fernandes Gonçalves, 70 e a esposa, Ester Silva, 72, que ergueram uma casa sobre a carroceria de um caminhão Alfa Romeo D 11.000, ano 1968.

O caminhão está estacionado no terreno de 292,50 metros,  financiado,  no bairro João Paulo II, que, futuramente deve comportar a casa definitiva do casal. "Não vamos morar o resto da vida aqui. Daqui a pouco subir a escada vai ficar difícil, né? Pretendo construir no chão", diz ele, apontando para a altura de 1,4 metro.

.

.

O casal já foi matéria no blog, ano passado, na época eles ainda estavam no Jd Bela Vista 2. Veja AQUI.

Leia reportagem completa de hoje, da Juliana Daibert:

Vindo do Mato Grosso em 2004, o casal pagou aluguel por quatro anos em Paiçandu e decidiu aproveitar o antigo caminhão utilizado por Gonçalves nos fretes de algodão que fazia Brasil afora para aliviar as despesas mensais. "Só parei de trabalhar porque o caminhão quebrou, mas aposentamos sem casa própria. Como ele ficou parado decidi fazer a casa em cima da carroceria. Estou muito bem de saúde. Se eu conseguisse reformar ainda ficaria na estrada uns dez anos, além de viajar e ver os filhos", acredita.

Há dois anos Gonçalves vem fazendo todo o trabalho sozinho. Habilidoso, ele mesmo desenhou e executou o projeto, incluindo o hidráulico e elétrico.

E, como em qualquer construção, os custos ficaram acima do esperado, atrasando a conclusão da obra. Boa parte do material utilizado foi doada. A compra do restante foi conciliada com o que sobrava da aposentadoria de R$ 1.020.

O caminhão está estacionado no terreno de 292,50 metros financiado no bairro João Paulo II, que, futuramente deve comportar a casa definitiva do casal. "Não vamos morar o resto da vida aqui. Daqui a pouco subir a escada vai ficar difícil, né? Pretendo construir no chão", diz ele, apontando para a altura de 1,4 metro.

Se, do lado de fora, as paredes de PVC com propaganda do depósito que doou a madeira utilizada pouco revelam sobre o que abrigam, por dentro a limpeza na extensão dos 10,5 metros por 2,55 metros de largura e o capricho chamam a atenção.

Está tudo lá: pia, geladeira, armário, fogão, despensa, mesa com duas cadeiras e sofá-cama. Também não faltam flores, quadros coloridos assinados pelo casal e a mesinha com telefone ao lado do sofá.

Na entrada da casa ficam o banheiro e a área de serviço. O primeiro cômodo abriga harmoniosamente a sala de tevê e a cozinha. O segundo é o quarto do casal, com uma janela pronta para receber a cortina que Ester está costurando no último cômodo, um misto de quartinho de costura e de bagunça. "Ainda preciso instalar as prateleiras", cobra-se o aposentado.

Cansado de pagar aluguel, um casal juntou a dificuldade em bancar a despesa da residência ao sonho de ficar perto dos filhos que moram em Goiás e Santa Catarina e construiu uma moradia inusitada em Paiçandu.

Com muita criatividade, os aposentados Aristóteles Fernandes Gonçalves, 70 e a esposa, Ester Silva, 72, ergueram uma casa sobre a carroceria de um caminhão Alfa Romeo D 11.000, ano 1968.

O isolamento térmico é de isopor. O teto também de PVC é coberto por uma lona, mesmo material utilizado para forrar o assoalho da carroceria.

Gonçalves não paga IPTU da residência porque ela não é assim considerada pela prefeitura. O valor cobrado é referente apenas ao terreno. Para Gonçalves, o lar é mais do que isso.

"Já pensou andar o dia inteiro e não ter onde encostar a cabeça? Nossa casa é quase uma mansão".

Mansão que precisa ficar pronta até o final do ano. Os três filhos, oito netos e dois bisnetos do casal vêm passar as festas de Natal com eles.

"Vai ficar todo mundo aqui", garante o aposentado. Para aumentar o conforto da pequena multidão, ele está fazendo mais um banheiro no fundo da garagem que será aproveitado na 'casa do chão.'

Custo alto R$ 17 mil é o quanto Gonçalves precisa para reformar apenas os 11 pneus do velho Alfa Romeo.

604112
0 Comentários
Foto do usuário que comentou a matéria

Relacionadas