Logo do Jornal ODiário.com
Sem Categoria-61
28/09/2012 - 15h18 - visualizações

Intercâmbio

Autor Bruna Gusmão

Acabei de receber um email do presidente do comitê local da ONG de intercâmbio que fiz em 1998. Que felicidade! Então resolvi falar um pouco sobre esta experiência mágica que é fazer um intercâmbio num outro país e falar um pouco sobre os diferentes tipos.

Eu fui em 1998 como "high school student". Eu era adolescente, tinha estudado inglês por quatro anos e fui morar nos EUA com uma família americana e fazer um ano do segundo grau lá. O casal da família me chamava de filha e os filhos (um casal) me chamavam de irmã. Foi a experiência que mudou minha vida e muito do que sou hoje devo a isso.

Claro que a cultura é muito diferente mas desde o início fui pensando "não é o país que tem que se adaptar aos meus costumes, mas sim eu aos costumes dele". Então eu ia para a igreja (evangélica) com a família todo domingo, apesar de eu ser católica, pois era parte da rotina deles, e fazia tudo conforme as regras da casa, independente de concordar ou não. Resultado: até hoje chamo eles de pai, mãe, irmão, irmã, etc. Visitei eles novamente em 2001, 2003, 2007, 2011 e os verei agora em novembro novamente. Nunca ficamos um mês sem conversarmos.

Morar em outro país me fez crescer pessoalmente e profissionalmente. Aprendi a dar valor em pequenas coisas e a respeitar o que é diferente do meu cotidiano, não julgar outras culturas sem conhecer e a ter muito mais responsabilidade. Tenho amigos americanos desde aquela época e essa semana meu "irmão" americano me ligou mostrando pelo facetime que estava noivando e todo feliz apresentando a noiva. Momentos como esse não tem preço.

Para quem tem interesse, não percam a oportunidade de fazer um intercâmbio. É inexplicável de tão bom. Só tenham em mente que vai ser muito difícil no início mas se você estiver disposto a se adaptar, será a melhor experiência da sua vida. Alguns intercâmbios que conheço:

High school - para adolescentes até 18 anos que querem estudar um ano fora. Ficam na casa de uma família. Foi o que fiz.

Au pair: babá por um ano na casa de uma família. Conheço muita gente que fez e adorou. Tem que cuidar das crianças da casa, morar com a família dessas crianças, que paga um salário determinado para você, assim como um curso que você quiser fazer lá e geralmente deixam um carro para você dirigir. Toda semana tem folga e você tem a oportunidade de sair para passear com amigos.

Work and Travel experience: muito comum entre estudantes universitários e também é muito legal. Geralmente ocorre nas férias de verão e são três meses trabalhando nos EUA em estações de esqui, hotéis, redes de fast food, etc. Dá pra ganhar uma graninha e ainda sobra alguns dias no fim da viagem para passear.

537630
0 Comentários
Foto do usuário que comentou a matéria

Relacionadas