Logo do Jornal ODiário.com
Sem Categoria-74
13/11/2018 - 15h52 - visualizações

Jurídico acabou com as dores de cabeça da burocracia no JUBs

Autor Assessoria de Imprensa

O advogado Marcelo Lima é o encarregado de ajudar os hoteleiros na parte documental do JUBs, facilita as prestações de contas e dá maior transparência ao maior evento do desporto universitário


Gerentes de hotéis que hospedaram delegações que vieram a Maringá participar dos 66º. Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) Fase Final elogiam a capacidade da Confederação Brasileira de Desporto Universitário (CBDU), realizadora da competição, de organizar todos os setores de modo que tudo funcione como um relógio. Os hoteleiros experimentaram esta organização especialmente no que se refere à hospedagem aos cerca de 3,5 mil participantes que vieram de todo o Brasil.


.
Equipe do Bem Receber no Hotel Deville,com Gisele Shintani

“Para o hotel que atende um evento deste porte, não é só atender bem o atleta hospedado, tem também a parte burocrática, que muitas vezes acaba sendo a mais complicada”, diz o gerente do Hotel Golden Ingá, Cláudio Crepaldi, que é também vice-presidente para Assuntos de Empreendedorismo e Captação de Recursos do Maringá e Região Convention & Visitors Bureau, que apoiou a captação do JUBs. “O Programa Bem Receber, da CBDU, que é o elo entre a entidade e a hotelaria, trabalhou conosco todo o tempo, facilitando toda a parte documental, como a regularização de certidões, fechamento de contas e orientação quanto aos impostos que o evento rendeu para a prefeitura, Estado e governo federal”.
É nesta parte que entra o trabalho do advogado Marcelo de Sousa Lima, um brasiliense que mora em Salvador há mais de 11 anos, sócio do escritório Barreto, Leite & Lima Advogados Associados, encarregado de toda a parte jurídica do Setor de Hospitalidade. “Adoro esportes, estou no centro de um dos maiores eventos esportivos do Brasil, mas não consigo assistir às partidas porque estou todo o tempo correndo de um hotel para outro e às vezes ficando até tarde de noite ajeitando a papelada”, diz.

.
O advogado Marcelo de Lima com o gerente do Hotel Sleep Inn, Alexandre Ubaldo

No JUBs de Maringá o trabalho de Marcelo começou muito antes da batida na primeira bola das quadras da Vila Olímpica. Desde que o coordenador de Hospedagem da CBDU, Paulo Souza, e o Convention Bureau iniciaram as primeiras visitas técnicas para definir os hotéis de Maringá que hospedariam atletas, técnicos, chefes de delegações e árbitros, no início do ano, papéis e mais papéis começaram a ser separados para o Jurídico. Todas as propostas de hotéis, análises técnicas e outros documentos foram analisados pelo advogado dentro de seu longo check list de atividades relacionadas ao evento. Assim, ao chegar a Maringá ele já sabia quase tudo de cada hotel: quantos leitos estavam disponibilizados para os atletas, tipos de camas, se o hotel dispunha de academia, o tamanho e estrutura da área de lazer, se tinha piscina.
“Em um acontecimento que traz milhares de pessoas a uma cidade, se a hospedagem não funcionar bem, no final o evento também não terá ido bem”, diz o advogado, destacando que, além da parte documental executada pelo Jurídico, o trabalho dos demais gestores do Bem Receber, o compromisso dos hotéis e suas equipes e o acompanhamento do Convention são fundamentais para o êxito.

.
Com o gestor Manoel Conceição durante vistoria no hotel do Ody Park

“No caso de Maringá, o setor da hotelaria é bem organizado e unido e isto facilitou muito o trabalho do Jurídico, mas nem sempre acontece de encontrarmos a parte burocrática do atendimento tão em dia”, explica.
Com o fim da competição, os gestores do Bem Receber já podem voltar para suas casas, mas o Jurídico do Setor de Hospitalidade ainda continuou junto aos hoteleiros para fechar as contas para a emissão das notas fiscais. Depois ainda continuará acertando a papelada por alguns dias em casa até que toda a parte documental esteja pronta para análise da CBDU. “Este fechamento vai facilitar a prestação de contas da Confederação junto ao Comitê Olímpico do Brasil (COB) e ao Tribunal de Contas da União (TCU)”.

Colaboração com hoteleiros
resultou na criação do setor

.
Marcelo no Escritório Barreto, Leite & Lima Advogados Associados, em Salvador, com o sócio Flávio Barreto e o renomado juiz e jurista Rodolfo Pamplona Filho

O setor Jurídico nasceu praticamente junto com o Programa Bem Receber da CBDU. Em 2015, Marcelo de Lima integrou a equipe da CBDU durante os Jogos Universitários em Goiânia (GO) como gestor da hotelaria, porém, seus conhecimentos de advogado fizeram a diferença quando ele se dedicava a ajudar os gerentes de hotéis com análises de contrato, regularização de certidões negativas, questões dos impostos referentes ao evento e até mesmo o fechamento para a emissão de notas. Este trabalho chamou a atenção do coordenador de Hospedagem, Paulo Souza, que no JUBs seguinte convocou Marcelo, não mais para ser gestor de hotelaria, mas para assumir a parte jurídica. Segundo Souza, após a realização deste trabalho jurídico prévio, equívocos  contratuais comuns foram sanados.

547951
0 Comentários
Foto do usuário que comentou a matéria

Relacionadas