Logo do Jornal ODiário.com
Zeotavio
25/03/2019 - 23h52 - visualizações

População volta a ser beneficiada com moradias da COHAB

Autor Zé Otavio

Após muitos anos sem construir moradias populares para as famílias de baixa renda, a Companhia de Habitação de Londrina (COHAB), por determinação do prefeito Marcelo Belinati, volta a entregar unidades habitacionais na cidade. Atualmente estão em construção dois empreendimentos, voltados para famílias com renda familiar de até R$ 2,6 mil, que se enquadram na faixa 1,5 do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), uma parceria entre o Município de Londrina, por meio da COHAB, e a Caixa Econômica Federal (CEF).

Foto: Cohab

O prefeito Marcelo Belinati comentou, em uma de suas redes sociais, que a construção das moradias objetiva libertar as famílias do fardo do aluguel. “Estudos apontam que as famílias vivem mais felizes quando moram em casa própria. Há muitos jovens que adiam o casamento por falta de ter onde residir, outros casam e continuam morando com os pais, sogros, no fundo do quintal. Sem falar nas pessoas que trabalham em Londrina e moram em cidades da região, porque aqui o aluguel é caro. Foi com a preocupação deste sério problema social, que autorizei a COHAB a construir novas moradias”, disse.

O Residencial Village, localizado na Rua João Vítor da Silva Sobrinho, no bairro Residencial Cancun, próximo ao Conjunto Habitacional Vivi Xavier, zona norte, conta com 128 apartamentos, divididos em quatro módulos. Os apartamentos do Residencial Village I, II e III, que totalizam 104 unidades, têm área útil de 50,10 metros quadrados. As outras 24 unidades, do Residencial Village IV, têm 44,22 metros quadrados de área útil.

Cada apartamento do Residencial Village custa aproximadamente R$ 100 mil e poderão receber subsídios do governo federal de até aproximadamente R$ 36 mil. Possui dois quartos, banheiro, sala, cozinha conjugada com área de serviço, e uma vaga de garagem interna não coberta. As obras iniciaram em agosto de 2018 e a primeira fase, que atualmente está 50% concluída, tem previsão de ser entregue até setembro deste ano. A fase II está 18% concluída e deve ser entregue por volta de novembro de 2019 e as outras em 2020.

Foto: Cohab

A maioria das famílias que manifestaram interesse no empreendimento, durante o Edital de Chamamento divulgado no ano passado, já foram selecionadas. As outras, estão sendo avaliadas pela CEF. Toda a documentação necessária para a formalização do contrato destas pessoas com a Caixa já foram enviadas à instituição financeira.

Na região Leste, outro empreendimento, voltado para famílias com o mesmo poder aquisitivo do Residencial Village, está 99% concluído e deve ser entregue no início de abril. Trata-se do Residencial Vila Romana, que possui unidades localizadas em 19 lotes distribuídos no loteamento denominado Residencial Vila Romana.

O empreendimento conta com 19 casas com 41 metros quadrados de área útil, distribuídos em dois quartos, banheiro, sala, cozinha e área de serviço. O valor unitário é de R$ 90 mil e também poderão receber subsídios do governo federal de até aproximadamente R$ 36 mil. Segundo o presidente da COHAB-LD, Luiz Cândido de Oliveira, a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) está concluindo a rede de água e esgoto no local, para que as unidades possam ser entregues. ”As famílias que habitarão no Vila Romana já foram selecionadas e também já assinaram o contrato de financiamento junto à CEF”, informou.

Oliveira enfatizou que há muitos anos o município não produzia unidades habitacionais por intermédio da COHAB, voltadas as famílias com renda familiar de até R$ 2,6 mil mensais. “O último empreendimento, lançado pelo Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), que é um pouco diferente dos moldes destes empreendimentos, aconteceu em 2009, ou seja, há 10 anos. Com isso, a construção destas novas moradias representa um marco significativo para a cidade, pois representa a retomada do processo de construção de casas populares e alavanca outros empreendimentos”, afirmou.

Outras unidades – A COHAB também tem previsão de contratação de outras moradias populares, para este ano e também para 2020. Somente na região norte a previsão é construir três empreendimentos. No Conjunto Habitacional Violin, que contemplará 48 apartamentos; no bairro Peroba Rosa, que contará com outras 888 unidades habitacionais, e no Moradas de Portugal, com mais 1.000 apartamentos. Também há previsão de construção de outros 208 apartamentos, na região leste, no Gleba Lindóia, além dos lotes urbanizados com previsão de implantação de aproximadamente 1.500 lotes, estes com financiamento direto com a COHAB-LD.

Segundo Oliveira, a documentação destes empreendimentos já está em análise pela equipe de Engenharia da Caixa Econômica Federal e assim que for aprovada, a Companhia irá publicar um Edital de Chamamento, convocando as pessoas que moram na região e têm interesse nas unidades. Elas também irão participar no processo de seleção do faixa 1,5 do PMCMV. “As famílias que ainda não possuem cadastro na COHAB também terão a oportunidade de fazê-lo, para que possam participar do processo de seleção”, concluiu o presidente da Companhia. Informações do NCOM

753553
0 Comentários
Foto do usuário que comentou a matéria

Relacionadas